Subscribe: Sem palavras
http://rita-sempalavras.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
ainda  já não    mais  meu  mim  minha  não  quando  queria  quero  sei  sempre  ser    teu  tua  tudo 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Sem palavras

Sem palavras



"Nem esta obra, nem as que se lhe seguirão têm nada que ver com quem as escreve. Ele nem concorda com o que nelas vai escrito, nem discorda. Como se lhe fosse ditado, escreve; e, como se lhe fosse ditado por quem fosse amigo, e portanto com razão lhe p



Updated: 2017-12-16T00:47:30.343-08:00

 



:)

2017-12-08T09:15:38.711-08:00

Guardei na lua o sorriso que me deste e a esperança que tiraste.
Eternamente ficará gravado aquilo que fomos, numa intimidade cúmplice de sermos nós.
Guardei, não com dor nem com rancor, mas com a certeza que os momentos que tivemos foram nossos.
Seis anos de cruzamentos e desvios, de loucuras e vontades, de despedidas e olhares. De nós.
Muitas vidas me atravessaram, a tua marcou-me.
Dissemos tudo e nada fizemos. Sinto que libertar-me de ti é o melhor para os dois. Ou nunca seremos felizes com quem devemos…
E agora… Agora Adeus! Com um sorriso e um até sempre, porque foste especial…
E que a vida seja sempre como nós sempre dissemos, vivida! :)

Terei sempre a lua para me lembrar, e o sol para me esquecer.

…um (último) beijo à luz da lua…



Ainda.

2010-04-27T09:42:14.309-07:00

Ainda fazes com que te procure em cada lugar…
Ainda tremo quando te vejo e ainda te desejo quando me abraças sem sentir…
Ainda me fazes comparar cada rosto (que vou descobrindo sem querer) com o teu e descortinar que é sempre a ti que eu queria ver desenhado à minha frente…
Ainda te quero, mas não te encontro.



0 Comentários

2017-12-08T09:14:47.645-08:00

A cidade está escura, e o relógio está parado.
Apagam-se as luzes em mim quando paro no tempo que foi.
Amarras que não se desatam da chuva que teima em escorrer, escondidas pelo triste sorriso solar.
Encobrir.
Atrás dos prédios camuflados, pessoas que não são.
Pelo caminho, o dia nasce e a noite morre. Teimam os dias em continuar, assim, sem mais, sem sentido.
Falta a descoberta que se esconde na esquina que não se vê. Falta isso.
O cansaço de fingir ser o que não se é, para mais tarde ser o que devia ter sido. Espero por isso...
A linha ténue entre o apetecer gritar e o calar sentimentos. Porque é assim que tem que ser, é assim que supostamente sou. E é assim que calco as feridas, e espero alcançar não sei bem o quê.
Sorrir, quando as lágrimas são o espelho.
Saltar, quando o chão treme por baixo.
Caminhar, quando o cair me tenta.

A cidade continuará escura, mas verá sempre a minha luz.
É a minha solução.
Preciso de mudar, mas não sei como!



A esperança ainda atravessa as estradas comigo.



0 Comentários

2017-12-08T09:14:01.415-08:00


Na Saudade te encontrei, e com saudade me deixaste...
Adeus, e boa sorte!
...



0 Comentários

2017-12-08T09:13:41.011-08:00

Dói pronunciar o teu nome. Querer gritá-lo! Mas só de o sussurrar em lamentos profundos causa em mim uma dor que se infiltra num aperto do meu coração. E apertado sinto o meu triste saber que já não me serás.
Saber que não sentes o que a mim me preenche todos os dias.
E as ruas que percorro e que outrora foram calcadas pelas nossas pegadas, ainda me fazem perder num sorrir despreocupado em que regresso a um passado tão perto, onde tu me fazias sentir que cada dia que passava longe de ti era um passo para o nosso suposto futuro.
Ainda me perco a pensar em ti… Divago pelas horas que se estendem pela noite… E na madrugada sonho com o que fomos. Relembro cada pequeno respirar que te pertenceu por inteiro…
Perdi.
Já pus o teu apelido à frente do teu nome. Voltaste a ser um estranho. Mas não para a minha alma, não, pelo menos para já…
Sim, gosto de ti. Mas vou desaparecer do teu à vontade e da tua sincera indiferença.
Há dias assim… Em que penso o que não devo.
Mas continuo a acordar todos os dias com um objectivo: esquecer-te e caminhar em direcção ao meu encontro. Isso já eu decidi, ainda que continue a pensar-te.


E eu entendo porque o fizeste, mas às vezes custa admitir que não gostas de mim, como eu de ti.



0 Comentários

2010-01-22T09:49:20.350-08:00

Acho que nunca vou conseguir entender o porquê do que fizeste. E já não sei se quero...

Sei que nos vamos esquecer um dia, porque é assim que as coisas são.



Mas hoje... Hoje, tenho saudades tuas...



Aceito e sigo! :)

2010-01-15T18:26:43.542-08:00

Agora estou mais lúcida e voltei a ser eu.
Sei que não posso traçar sozinha um caminho a dois.
Não quiseste arriscar porque simplesmente não sentes... Não se escolhe.
Não consegui despertar em ti o brilho que em mim despertaste, os sorrisos que me provocaste, os sonhos que sonhei.
Tive pena. Mas agradeço-te a honestidade.
Gosto de ti.
Mas não prenderei a minha alma a uma ilusão, e as lágrimas que chorei já libertaram a dor que senti.
O tempo fará sarar a ferida... Mas é o meu sorriso que me alenta!
Amo demais a vida para me enterrar num pessimismo desgastante...
Sei o que sou!!!
Ainda que nunca mais voltemos a ser o que não chegamos a ser, agradeço-te sinceramente todos os pequenos momentos, as grandes conversas, as lutas infantis, as gargalhadas estúpidas, os beijos trocados...
Foste o primeiro a dizer-me Não, mas sou a primeira a agradecer-te por isso. E um dia saberei porquê! :)
Até breve "BB"!



Mais um fim....

2017-12-08T09:11:58.672-08:00

Em tão pouco tempo dizes que tens medo de arriscar.
Depois de momentos fantásticos, de sorrisos trocados, de cumplicidades sentidas, dizes-me, sem mais, sem nada o prever, repentina e estranhamente que acabou. Que não queres arriscar.
A sinceridade, agradeço-te. Respeito a tua posição, mas não entendo.
Viver faz parte de mim, e sempre disseste que eras assim. E de repente, estragas tudo... Dizes que não estamos em sintonia, e que não jogamos em campeonatos iguais... Mas eu pedi-te alguma coisa?
Só queria que as coisas corressem naturalmente... Ainda antes de começar, acabaste com tudo. Acabaste comigo, lançaste-me ao vento... E mais uma vez sinto-me completamente à nora...
Acreditei que seria possível uma nova história... Traíste-te a ti próprio.
Dizes que preferes perder um amor a uma amizade... Mas não podem as coisas unir-se e ganhares os dois?
Dizes que queres continuar a falar comigo, a sair comigo, a estar comigo... Mas achas que consegues agir naturalmente quando no último momento foste incapaz de resistir a um olhar e a um beijo?
Dizes que tens medo que o sentimento cresça e que te magoes... Mas se já há sentimentos porquê impedir que eles cresçam?
Dizes que tens a certeza que as coisas depois não vão correr bem... Mas és bruxo e eu não sei?!
De que tens medo afinal???

Resta-me desejar-te que um dia encontres alguém que te faça arriscar e... viver...!
O melhor do mundo é o que te desejo...
Eu vou chorar...
Até esquecer.



1 Comentários

2009-11-25T05:05:20.608-08:00

Às cócegas inofensivas seguiu-se o beijo desejado...

Simples.

:)



Olá, Presente!

2017-12-08T09:10:57.798-08:00

E quando menos esperava, quando mais sofria, quando menos precisava, quando mais queria... Ela encontrou uma esperança...
Entre olhares ingénuos e sedutores, misturados em conversas a três...
Trocas de inocentes insultos, camuflando a provocação constante... A ternura dos abraços dele querendo sentir o carinho evidente...
No final, as mãos entrelaçadas, um olhar afirmativo, mas uma precipitação a evitar... Foram embora... Beijaram-se apenas quando cada um dormia, bem distantes mas tão perto...
Agora aguarda o futuro, e ri em dias de chuva, canta nos caminhos da sua rotina, e sorri para as nuvens!
Ele entrou na alma dela numa fracção de segundo, deu-lhe a esperança desejada após meses de mágoas e sonhos tristes... E esse passado já nem lhe interessa...
Mesmo que nada seja, já aconteceu o melhor... Uma nova história, um novo sorriso... Voltou a acreditar!


A vida está lá fora, e eu também! :)




"A tristeza tem sempre uma esperança,
de um dia não ser mais triste não!"



Carta ao Passado

2017-12-08T09:10:18.079-08:00

Queria um segundo, apenas um.
Para mudar.

Mas não quero... Absorvo cada história que em mim viveu, transpiro mágoas, esqueço por vezes os bons momentos.
Já completei sorrisos, já espetei facas em corações desprotegidos, já doeu, já fui! Já me culpei, me julguei, me perdoei, me persegui.
Hoje digo apenas: basta!
Tu, Passado, não quero que sejas mais... Vives em mim todos os dias, quando acordo e quando me deito. Há coisas que ainda me atormentam, mas não deixo de ser por isso...! Não ficarei ad eternum presa na dor que ninguém vê...
Aprendi contigo, esqueci-me de ti, revives em mim.
A resposta à tua mágoa é o meu sorriso. A minha luta é a tua consequência. Viver é o meu caminho!

PS - Já eras...

"Carpir mágoas sobre o passado é gastar energia que é necessária para reconstruir o futuro."



0 Comentários

2017-12-08T09:08:58.218-08:00

Como pudeste achar-te digno de me roubar a alma?
Como pudeste achar-te digno de me arrancar o coração? E pisá-lo sem olhar!?
Fizeste-me em pó… Deixei de ser, de sentir…
Passaram horas, dias, meses, e tu continuas aqui.
Como pudeste trair tudo aquilo que me ensinaste?
Simplesmente, como?!



Despedida.

2017-12-08T09:08:35.980-08:00

Queria esquecer o que tanto me atormenta... Perder no tempo tudo o que contigo vivi...
Voltar atrás o filme sofrido e reconstruir da forma mais fácil. Não sentir.
Que o meu pensamento não fosses tu... Que a lua que hoje vejo não me fizesse recordar-te...
Se tu pudesses imaginar o quanto me magoas...
Quando acordo assustada e feliz porque sonho que és meu... E nunca o foste, não...
Embrulhaste-me em mentiras odiosas, arrancaste de mim o que eu nem sabia que em mim existia!!
Fui tão tua...
E ainda tenho saudades... Do teu olhar arrepiante, do teu beijo... Como desfalecia em ti...
Digo, enganosamente confiando, que nunca regressaria ao nosso sofá... Que o perdão é impensável, e a desilusão é infinita...
Mas se me beijasses de novo como naquela noite, sabes que nunca iria conseguir resistir...
No entanto, no final, era eu que me ia embora... Faltou isso. A minha despedida.
O sofá agora, é dela.
Os abraços fortes e seguros, o olhar terno e selvagem, o beijo apaixonado e único... Nada mais será meu.
E, admito, entre lágrimas raivosas, eu tenho saudades tuas! ...
Odeio-te tão só pelo amor solitário que em mim deixaste... Pelas noites sem dormir, pelas lágrimas que tiveram que ser escondidas por sorrisos e gargalhadas tão falsas... Pelo vazio triste, simplesmente triste, que criaste...
Escondo em momentos estúpidos, em pessoas insignificantes, aquilo que me és... Obrigaste-me a não ser eu...
E quando tudo acabou não foste capaz de o dizer!! Dizias-me que era sério o que tinhas, e continuavas a dizer que eu te era... Atitude mais merdosa e infantil...
Sei que um dia me vais pedir perdão, que vais querer a minha amizade de novo... Mas nunca mais serás.
Perdeste-me e eu perdi-te.
Resta-me esquecer que tivemos momentos de magia única e de um mistério incompreensível... Que o meu amor ainda subsiste, e que a tua fuga me atraiçoou...
Ainda te queria só para mim...
Mas por favor, mostra-me que não me queres! Diz-me que foste embora de vez e faz-me acreditar que isso é verdade! Deixaste aberta uma esperança sem fundamento mas sem palavras!!!
Tiveste medo das minhas lágrimas, tiveste medo que a minha dor te assombrasse. Mas um dia vais saber o que sofri. Não por vingança nem por ódio, não. A vingança é impensável, e o ódio que tenho é pelo que sinto e não por ti.
Mas pela amizade que te tinha, pela confiança que em ti depositei, pelo respeito que sempre te tive, pela admiração, pelos anos de convivência, pelos momentos, pela honestidade que sempre tivemos enquanto amigos, um dia, sim, saberás o sofrimento que me persegue todos os dias desde o dia em que me disseste que "é para valer", as lágrimas que me consomem sempre que as recordações aparecem, saberás a dor que tive, e o aperto que senti... A aflição e o choro convulsivo que tive a primeira vez, sim, saberás.
.
.
Porque nunca me mandaste embora?!? Era mais fácil...
Fraco...



Quero-nos!

2017-12-08T09:05:10.215-08:00

Quando gosto, gosto mesmo…
Chorei até não poder mais, descarreguei toda a insuportável dor que me consumia. Disse-te tudo. Aceitei o teu perdão.
Deixei o meu coração nas tuas mãos.
A lua esteve sempre lá. Sabes que nunca a quis perder…
Lancei todas as palavras que me prendiam num silêncio sofredor, declarei-me sem medo.
No final já não conseguia largar os teus lábios. O teu olhar voltou a ser meu por instantes, e eu deixei-me levar por ti.
Quero-te. Mais do que isso, quero-nos!
Sei agora que a luta é praticamente inútil. Mas não conseguirei ficar sem ir.
Vou lutar por ti, mesmo sabendo que a probabilidade de sermos é praticamente nula.
Mas não vou desistir.
Quero poder ter o teu beijo, quero poder olhar-te como só nós sabemos, quero fazer aquele sorriso maroto… Quero rir-me contigo!
E quero comer aquela bola de Berlim, e fazer o que um dia me disseste que faríamos.
Queres de mim mais do que eu te posso dar, mas eu sinto demais. Não sei dizer se é amor, é simplesmente estranho…
Dar-te-ia tudo o que quisesses, mas no momento certo.
Sei que ela te dará tudo o que queres agora, e te irá completar como precisas. Mas gostava de ter uma oportunidade…
Não digas que a idade não interessa… É o nosso grande obstáculo…
Eu adoro-te, deixa-me dar-te o que tenho. Prometo que te serei sempre…

Responde-me, posso lutar por ti?!



0 Comentários

2017-12-08T09:04:08.384-08:00

Só queria mergulhar no mais fundo ser que me possa ser. Encontrar em mim o turbilhão da vida.
Não esqueço o que me deste, mas lembrarei sempre o que me tiraste. És demasiado importante para não te perdoar, desde que me peças perdão.
Não quero (nem gosto) guardar rancor de erros teus. Não quero mesmo.
Mas morreu em mim o bom de ti. Fico apenas com o razoável.
Quero a vida, simplesmente! Mas bem longe das tuas falsas promessas...
Guardarei comigo o nosso silêncio.
Podes ter dias horríveis, mas não me interessa!
Só me interessa o meu bem-estar. Chamem-lhe egoísmo. Eu chamo-lhe gostar de mim.



2 Comentários

2017-12-08T09:02:45.610-08:00

Dói perder a ilusão que criaste em mim...
Dói ter sentido demais o que pouco havia...

Quero-te perdoar, e acima de tudo esquecer.
Quero a tua amizade novamente, mas tenho medo de não conseguir...

No fundo, só queria voltar atrás e não sentir.

Magoaste-me a alma, tiraste-me a esperança. Estou perdida, assim me sinto.





Quero o fim!

2009-05-20T04:49:03.290-07:00

Cansada de sonhar contigo….

Sensação terrível acordar a pensar em ti depois de sonhar o impossível e totalmente indesejável neste momento.

Pára de me assombrar. Não me escrevas. Já não te peço, imploro!

Não me queiras prender a uma sedução secundária… Já não aceito.
Pelos menos isso, faz por mim…

Deixa-me partir, não insistas. Larga o teu egocentrismo e pensa em mim, só desta vez.

Agradeço sinceramente.



Longe...

2017-12-08T08:57:57.191-08:00

Esqueces-te que a amizade era o mais importante.

Magoaste-me.

Isso não perdoo.

Nem me apetece sequer que me fales, aliás não o voltes a fazer, para já.

Não terás mais o meu sorriso, nem eu quero mais o teu olhar. Só te peço que não ouses fazê-lo.

O meu silêncio será a tua resposta, a minha dor será só minha.



Vazio.

2017-12-08T08:57:43.477-08:00

Sei apenas que já não quero pensar em ti.
Não me apetece sequer ouvir-te.
E tudo volta ao que era. Ao que deve ser, ao que sempre foi.
Só queria o início para poder evitar o fim. É uma seca este término de nada.
Apagar porque não gostei. Nada mais do que isso.



"Entre o sim e o todavia..."

2017-12-08T08:57:24.157-08:00

Quando acordei, hoje, senti a tua falta…
Queria ter-te a meu lado, desfazer em mil carinhos as saudades que tenho, acariciar o teu rosto de mil e uma formas, como naquela madrugada… Enquanto adormecias ao som da Mariza e eu sorria de tanto seres só meu ali.


“Entre o sim e o todavia…”


Essa noite… Recordo que atravessei a ponte que nos deslindava, entrei em tua casa, e nem bati à porta! Nem sequer pedi licença… Sentei-me na tua cama, admirei-te. Em segundos arranquei-te a roupa com os olhos e com tudo, fomos!
Penso em ti a cada segundo, chamam-lhe “gostar de alguém”. Não sei. Sei que queria passar momentos eternamente contigo, conversar uma tarde inteira na varanda à beira-mar, beber um chocolate quente sedutor… É o que nos vou pensando.
Já não te sei ser como antes, quando tínhamos barreiras inexoráveis que nos sabiam manter aquela distância, ainda que fossemos sem sermos, de vez em quando…
Agora, não sei o que aquele fado nos reserva… Sonho interminavelmente em ter-te quando sinto saudade, imagino de cinco formas um só nós… Cinco momentos distintos que se ligam num só crime continuado…

Estou cansada de sonhar. Queria tanto poder tocar-te… Perguntei-te porque me foges, questionei-te da tua estranha frieza quando não me vês, não o soubeste explicar, ou não quiseste.

Queria poder beijar-te quando quisesse, serem teus os meus lábios. Atacar-te da sensualidade que dizes que tenho, agarrar-te ao peito e que não quisesses sair mais… Espero pelo que sei que nunca vai ser.

Recordo todos os dias os olhares que trocamos e as noites que fomos, e daí reconstruo uma vida sonhada, e gosto! Se soubesses o que eu fantasio para nós! Rir-te-ias, e “rir é tão profundamente viver”!

Vivo, contigo!!!


Mas olha, repara, escuta… Tudo o que vivemos, é irrevogável. Pelo menos isso levarei sempre comigo!



1 Comentários

2017-12-08T08:55:57.179-08:00

De novo, a Lua!


Nós!


Sou tão tua... E não o sabes!


"Não fujas de mim..."


Sem pontos finais. Momentos!


Até sempre!



Reticências.

2017-12-08T08:55:33.194-08:00

Quebram-se vidros…

Não quero por um ponto final. Sei que temos demasiadas vírgulas.
Mas desta vez, foi forte demais.
Penso-te demasiado, quero-te. Apresso-me em chegar a ti e aniquilar todos os passos lentos que devem seguir.
Estou cansada de querer demais, e no fundo, não ter nada. Estou a perder o que havia em nós.
Já não sei se acredito.
Sei que teremos sempre um nós à tua maneira, mas já não à minha. Já não consigo enquadrar isso na minha existência.
Estalam os vidros, vão-se quebrando à medida que te esqueces de mim. Mas desta vez, acho que simplesmente não tenho coragem (nem sei se me apetece) apanhar os estilhaços e reconstruí-los como quisermos…
Por enquanto, sairei… Abstrair-me-ei de ti. Tenho de o fazer…
Guardarei de mão fechada o que sinto, aguardo continuamente por ti, agora ainda mais em silêncio. Não, não vou lutar.
Ponto final, reticências.



Na dúvida, a certeza...

2017-12-08T08:54:42.401-08:00

Sei que te sou. De algum modo, mas sou.
Sei que sou especial, diferente, singular, para ti… Sei que quando me olhas, vês a nossa magia.
Sei que, aconteça o que acontecer, eu serei sempre eu. E tu serás sempre tu. E nós.
Sei que guardas dentro de ti um nós bem nosso.
Sei que somos. Que vivemos, que amamos. Que aproveitamos cada segundo que nos sentimos. Sei que estamos.
Sei que serás. És diferente de tudo e, nisso, tão igual a mim.
Sei que fomos, somos e seremos.
E no enrolar de tantas certezas, paira uma única dúvida. E vacilo…
Será que podemos ser mais do que podemos ser?
Ninguém nunca saberá aquilo que contemplamos em nós!
Sei que te quero mais do que pensas, e que te tenho menos do que quero…
Sei que somos, nós.
E outrora as vidas se cruzaram com outras vidas, e as imagens são eternas e duram enquanto as mantemos vivas. A tua vida, a minha vida. Sempre desunidos pela realidade, mas nunca desligados da nossa história. És-me tanto…
E, agora, cada vez mais próximo te sinto… Nos sinto.

E tu, o que sabes?


Relembrei que já lá vão pelo menos quatro anos... Perde-se o tempo em mim, quando és tu!




Apagar.

2017-12-08T08:53:44.123-08:00

Errar é humano, mas errar sabendo que se erra incessantemente, é pura burrice.

Hoje queria esquecer que existo.
Erros atrás de erros. Sei que me deixo levar pela triste imprudência, sei que estou e não sinto minimamente. E no entanto não me atrevo a parar antes. Ainda que pare a meio. E tudo sem sentido algum!!! Queria poder apagar tudo de mau que me tem sido, e apenas a mim me culpo...
Estou farta de mim. Preciso de férias da minha infeliz maneira de viver. Preciso de ser mais eu.
Preciso de ti, apenas.


Salva-me enquanto desconheces isto em mim... :(



Medo...

2017-12-08T08:53:11.082-08:00

Admito. Tenho medo.
De perder o infindável mundo que nos une. Que as sombras que me perseguem por minha exclusiva culpa te façam abandonar-me. Como me arrependo daquilo…

Os beijos trocados no mais recôndito lugar á vista de todos. A adrenalina sentida, enquanto alguém atrás daquela parede que nos segura, te fala. A porta fechada pode abrir a qualquer momento, e a cortina pode cair, mas é isso que nos provoca! Recordo cada segundo que em nós vive com o maior sorriso maroto venerando o nosso segredo.

E depois, a asneira… O não querer que saibas o quanto te quero… O não querer mostrar esta minha fraqueza escondida pela indiferença que te tento demonstrar… Qual fraqueza… És tu que me tornas forte! E não te posso dizer… Como me és, como te sinto, como te adoro!
Digo-te aquilo que não sou, na esperança de que não acredites… O que faço, no entanto, demonstra aquilo que te digo… Eu não o queria ter feito!
Sabes o que queria mesmo?
Aconchegar-me a ti, e bem pertinho do teu ouvido dizer-te: “quero ser só tua…”
Mas estrago sempre tudo!!! Tenho tanto medo de te querer, e, principalmente, de que tu não me sintas assim…
Apetece-me dizer à tua alma que não quero pensar no amanhã, e quero estar hoje contigo! E nunca adormecer para que o hoje dure para sempre… Quero ser nós!
Desculpa. Desculpa não ter visto o teu coração, desculpa ter perdido a consideração que tanto te tenho! Desculpa ter traído aquilo que me és… Tenho tanto receio de que não me sejas…
Agora… Vou-me entregar a ti! Sim, vou dizer-te! Vou dizer ao teu ouvido, à tua pele, ao teu corpo, à tua alma que te adoro! Vou dizer apenas que quero ficar, SÓ, contigo!
Mas antes, vou esperar pelo momento certo. Pelo momento em que conseguir libertar o sentimento… Num “hoje” futuro espero conseguir…
Até lá peço-te perdão por te querer demais…

Diz-me que me queres, dir-te-ei sempre “sou tua…”.
Para a eternidade, we know...