Subscribe: Verdes Anos
http://verdesanos.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
anos  city  das  day  dois anos  dois  dos  foi    mais  muito  mãe  new york  new  não  rita  semana  ser  são  york 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Verdes Anos

Verdes Anos





Updated: 2014-10-07T05:06:19.421+01:00

 



Leonor e a fruta

2013-05-08T13:29:19.417+01:00

A Leonor adora todas as frutas de que o irmão (esquisitinho) não gosta, nomeadamente laranjas, clementinas e nêsperas azedas. Será que contribui para isso ingerindo durante a gravidez doses massivas de saladas regadas com muito sumo de limão e vinagre?



Palavras difíceis

2013-05-08T13:29:54.137+01:00

"Labamarismo"
- Mãe, sei fazer labamarismo. Olha. (bolas voam em direcção à cabeça da irmã) 
- (me-do)



Perguntador

2013-05-08T13:29:08.829+01:00

O António lembrou-se ontem de fazer mais uma das suas perguntas:
- Mãe, porque é que no Natal eu não vi o Menino Jesus nem o Pai Natal?
- (Ora bolas, já o principio da realidade?) Porque estavas a dormir filho.
- Ah, está bem.



O maior elogio de sempre

2013-05-02T15:39:38.805+01:00

Diz-nos o pediatra dos nossos filhos e amigo:
"Se derem um peluche ao António, ele fica igual ao Calvin". E é mesmo, sem tirar nem pôr.






Ser o irmão mais velho é...

2013-05-02T15:39:14.935+01:00

...estar sempre vigilante.

"Mãe, aconteceu aqui um problema. A Leonor virou-se de barriga para baixo e agora está a ver os desenhos animados."




O que aprendi com a minha mãe

2013-05-02T10:39:16.048+01:00

Achei muito interessante a sugestão do meu blogue preferido e tentei fazer o mesmo. Se de início parecia difícil lembrar-me de coisas que tivesse aprendido com a minha mãe, passado pouco tempo lembrei-me de imensas:
- seguir sempre o nosso coração;
- um bom bolo ajuda a resolver a maior parte dos problemas;
- "nostalgia" e "saudade" são palavras imensas;
- a família é o mais importante;
- a natação é a panaceia universal;
- os gatos são os melhores animais de estimação;
- chorar faz bem;
- os cabelos brancos são para assumir (esta máxima não cumpro);
- estores sujos não indicam nada de bom;
- a água na praia nunca está demasiado fria para um mergulho;
- beijinhos e abraços aos filhos nunca são demais.





Para mais tarde recordar

2013-04-27T12:25:43.547+01:00

Aos sete meses, a Leonor adora comer clementinas, que trinca afincadamente com o seu único dente.



0 Comentários

2013-04-26T15:55:09.441+01:00

Coisas que me deixam o coração cheio: o meu filho apanhar uma flor para oferecer à educadora. Podia era não ser todos os dias, quando estou cheia de pressa para chegar ao trabalho.
Da forma como este rapaz é sedutor, adivinha-se uma adolescência difícil para esta pobre mãe.



De regresso

2013-04-26T15:51:51.888+01:00

Demorei a decidir-me. Muito. Mas a vontade de voltar a escrever foi superior ao receio de me expor. 

Nestes últimos anos, o que mais mudou foi o ter-me tornado mãe. Vezes dois. E, por isso, muito do que aqui se escrever vai passar por eles. A minha eternidade.



Dos nomes

2009-02-01T15:39:08.340+00:00

Temos mesmo que dar um nome ao pimpolho. Começo a achar estranho tratar o pequeno ser que cresce dentro de mim e que deve ter quase 180 gramas por "bebé", "Zardilaque", "meu filho Zé Augusto". Estamos muito indecisos. É mais difícil do que parece dar um nome ao nosso filho. O nome tem que ser bonito, tem que combinar com os nossos apelidos, não pode ser ridículo em adulto (alguém conhece um Prof. Dr. Ivan Rodrigo?). Eu gosto de tantos nomes e o pai só gosta de um. É um chato.



Verdades do tamanho do mundo (e que assustam um bocadinho)

2009-01-05T23:13:50.025+00:00

Este ano vou ser mãe.



1 Comentários

2013-04-26T15:27:31.731+01:00


Só para que se saiba. Acho-me gigante e acho que é impossível que alguém não tenha ainda percebido que estou grávida. Ainda ontem me perguntaram se estava de três, quatro meses, e as minhas colegas do mestrado dizem-me que se nota o aumento da barriga de semana para semana. Portanto, meus amigos, não há que enganar. Aqui a mini-criança está a crescer em grande (sai ao papá) :)



Os verdes anos

2008-12-10T00:17:41.261+00:00

E parece que, em menos de nada, nos transformámos num quase babyblog. E estes verdes anos passam a ser também os verdes anos do nosso filho.



Cucu

2007-11-27T14:45:25.997+00:00

Cucu...afinal estou viva.



Dois anos de Nós

2007-05-20T17:20:00.864+01:00

(image)



First Time in NYC

2008-12-10T00:50:51.396+00:00

Itinerary for First Time Visitors First-time visitors to New York can't see and do everything, and you shouldn't try. You can, however, get a wonderful introduction to the sights, visit famous attractions, and make notes for a return visit. Day 1 A double-decker bus tour is a good way to get oriented. Gray Line New York Tours lets you get off at top attractions and reboard a later bus to continue your exploration. Visit the Statue of Liberty or simply view it from the water on a cruise or from the free Staten Island ferry. However you do it, seeing the city from the water is unforgettable. The Ellis Island Immigration Museum, near the Statue of Liberty, conveys the experiences of the forebears of nearly one in four Americans. While in the downtown area, explore the South Street Seaport, which has many restaurants and shops on the water and beautiful views of the Brooklyn Bridge. The evening may be spent wandering through SoHo with its stylish art galleries, boutiques, and bistros housed in historic cast iron buildings among cobblestone streets or soaking up the student and artist atmosphere in Greenwich Village. See Stanford White's Washington Arch at the Fifth Avenue side of Washington Square Park. Have an espresso in a Bleecker Street coffee shop or an ethnic meal at any number of Thai, Indian, French, Polish, Japanese restaurants.Day 2 For another full day, spend the morning in Midtown East. Admire the Art Deco Chrysler Building and visit the United Nations. Take a free tour (Wednesdays) of the newly restored Grand Central Terminal and lunch in one of its restaurants under the famous sky ceiling. In the afternoon, walk a few cross-town blocks to Rockefeller Center. For an overview of the city head up to the Top of the Rock Observation Deck on the 70th floor of 30 Rockefeller Center. Back on the ground explore the Channel Gardens, statue of Prometheus, and the Lower Plaza which is especially spectacular in winter when the giant Christmas tree is lit and the ice rink is full. In warmer weather, the Lower Plaza becomes an outdoor restaurant. Walk up Fifth Avenue past St. Patrick's Cathedral, Trump Tower, and countless upscale stores. Stroll west to Radio City Music Hall or north to The Museum of Modern Art (MoMA). End your day with a memorable performance at Lincoln Center, home of the Metropolitan Opera, New York Philharmonic, Jazz at Lincoln Center, New York City Opera, and New York City Ballet.Day 3 On your third day, stroll (or join a bike tour operated by Central Park Bicycle Tours) through Central Park. At 82nd Street and the park is the Metropolitan Museum of Art. Among the 150 wonderful museums in New York City, the Met - the largest museum in the Western Hemisphere -covers 5,000 years of cultural history. Take the bus down Fifth Avenue to 59th Street. The ride takes you past magnificent, mostly residential, buildings. Then walk down Fifth, with its great shopping, and head west to Times Square, the brightest symbol of New York's revitalization. Buy a discount ticket for a Broadway show playing that evening at the TKTS booth just outside the New York Marriott Marquis - on West 46th Street, between Broadway and Eighth Avenue. Before your show, ride to the 86th-floor outdoor observatory of the Empire State Building. If you go late in the afternoon, you'll see the city by day and by evening, all lit up. Eat at a theater district restaurant; many have pre-theater dinner specials.[...]



Férias

2008-08-26T20:59:32.985+01:00

(image)
Faltam 10 dias para estar de férias. Aqui.



0 Comentários

2007-05-14T18:53:55.337+01:00

Ando com as emoções à flor da pele. As minhas hormonas devem estar loucas.



O casamento de uma das minhas melhores amigas

2007-05-14T18:48:12.783+01:00

Casou este Sábado uma das minhas melhores amigas. Conhecemo-nos na faculdade, nas praxes, há oito anos atrás (Oito anos! Já?). A Rita é daquelas pessoas especiais. Tem alguma coisa que faz com que as pessoas se sintam bem perto dela. Foi com ela que passei alguns dos melhores tempos na faculdade, muita cumplicidade, trabalhos de grupo, risotas no bar e na biblioteca. Falávamos muito as duas (ainda falamos). Temos a mesma paixão pelas revistas, pelo diz-que-disse sobre os famosos e séries de televisão, e pelo cinema. Foi a Rita que me arranjou um dos primeiros empregos, na Heidrick (como era bom trabalhar em Agosto). Em 2004, tivemos a nossa bênção das fitas. Estávamos a terminar o curso. Num dos nossos melhores dias, rimos permanentemente desde a bênção pela manhã ao jantar de anos da Catarina à noitinha (sangria de champanhe!). Foi também ela que me levou ao sushi pela primeira vez, quando lhes disse que estava noiva. Quando casei, a Rita foi das amigas com quem partilhei a organização da festa, os desejos, os medos. Foi ela uma das duas pessoas que leu um texto durante a cerimónia (sniff, sniff). Depois, a Rita foi viver para Paris com o seu Zézinho. Estivemos lá, claro, e eles deram-nos dormida. A Rita foi nossa guia na cidade-luz e aprendemos a gostar ainda mais daquela cidade (baguettes que sabem a frango assado em Montmartre!). Entretanto eles voltaram do “Paris de França”. Combinámos uma viagem aos Açores que resultou numa semana em Castelo de Vide. Lá divertimo-nos muito e cimentámos a amizade de um grupo especial com quem sei que posso contar sempre. Levantar tarde, comer empadas, piscina, jantar muito tarde, beber sangria, conversar, rir, jogar trivial e às cartas. Continuámos a marcar jantares mensais e a estar juntos. Hoje, não somos só as amigas da faculdade, mas um grupo de amigos que se quer para a vida. Agora, foi a Rita que casou. Com a Catarina (a outra special one), ofereci o bouquet. Ajudei e participei no que pude. Diverti-me na despedida de solteira e no casamento. Muito. Emocionei-me. Muito. Estes amigos estão apertadinhos e guardados no coração. Sei que eles vão ser muito felizes. Nem poderia ser de outra maneira.

PS – Catarina, you’re next! ;)




Manhattan

2008-08-26T20:58:41.631+01:00

(image)
"Chapter One. He was as tough and romantic as the city he loved. Beneath his black-rimmed glasses was the coiled sexual power of a jungle cat. I love this. New York was his town, and it always would be..."
Woody Allen's Manhattan (1979)





Dois anos

2007-05-01T19:03:10.690+01:00

Dois anos de Casamento…O que são dois anos? Aparentemente pouco tempo. Dá para aprender a andar e a falar na vida de uma criança. O nosso casamento é uma criança de dois anos, que, de vez em quando faz umas birras, que se porta mal, mas que, no fundo, só quer o amor e a atenção do outro. São dois anos de casamento e nove anos de namoro, de vida em comum. Somos hoje diferentes do que éramos há dois anos e ainda mais do que há nove. Mas somos cada vez mais felizes. Não pensava que viver a dois fosse tão bom (não me interpretes mal). Mas é tudo um mar de rosas, bem nem tudo…há o passar a ferro, o limpar e arrumar a casa, o cozinhar todos os dias, lavar e secar a roupa, há despesas, mas há também o deitar e acordar contigo a meu lado todos os dias. Isso supera todas as expectativas e todos os mini aborrecimentos. Há um partilhar intenso do dia-a-dia, mas também de conversas que não acabam nunca sobre assuntos triviais e não tão triviais assim, há os jantares, os filmes no sofá, as séries abraçados, a lareira acesa e o chá verde. Há os amigos, a família, e os almoços de sardinhas assadas na rua com as abelhas, aranhas e mosquitos (viver com vista para os sobreiros dá nisto). Há os jantares de sushi até às tantas cá em casa e dos quais nunca ninguém se cansa (qual Aya, qual quê). Há os fins-de-semana fora, as viagens e a liberdade de ir, por ir. Feriados e 52 fins-de-semana por ano. Há as Casas do Côro, a Comporta, Milfontes e a Mabi, há Castelo de Vide e os amigos na piscina, um Alentejo enorme. Há Aveiro, a piscina dinâmica do spa do Mélia Ria, há o Algarve em Março (sempre) e há o Porto e a Ribeira. Há Punta Cana (o que eu não dava agora por 35º C à sombra e um coco loco), há Paris e há Londres (mesmo que só num fim-de-semana prolongado). São dois anos que estão aqui, tão vividos e tão felizes. Quero muitos mais.




Aniversário

2007-05-01T18:57:04.751+01:00

Há dois anos atrás o dia estava mais solarengo. Dois anos depois estou cada vez mais feliz, mesmo em dias cinzentos.



Liberdade

2007-04-25T19:02:04.345+01:00

Uma das palavras que mais cedo aprendi a dizer e que pauta aquilo que sou. Quando era miúda, embrenhada na colecção de calendários e autocolantes do pai, havia um que se destacava.

(image)
25 de Abril de 1974



Difícil de entender

2007-04-24T18:25:44.697+01:00

Entrar às 21h30 nas Urgências da Cuf Descobertas e sair às 2h.
(As despedidas de solteiro causam mazelas aos homens, especialmente se envolverem karts e choques na pista!).



Ah, pois é!

2007-04-18T20:02:36.515+01:00

(embed)