Subscribe: Zé Povinho
http://pinderico.blogspot.com/feeds/posts/default
Preview: Zé Povinho

Zé Povinho



Património, Cultura e Sociedade ao sabor da onda



Updated: 2018-01-20T13:54:15.279+01:00

 



MISÉRIA FRANCISCANA

2018-01-19T23:04:46.465+01:00

Numa troca de opiniões sobre as condições de trabalho, mais do que penosas, dos vigilantes de museus, palácios e monumentos, alguém sugeriu que as condições climatéricas podiam ser obviadas com fardamentos apropriados. A ideia até podia ser boa se as condições fossem uniformes, e não são, e se os serviços tivessem orçamento que comportasse essa despesa, com fardamentos em quantidade suficiente e adaptados aos locais de trabalho e às diferentes condições existentes ao longo de todo o ano. A realidade é bem diversa, e além de não serem fornecidos fardamentos adequados e em quantidade, os funcionários são mal remunerados e obrigados a apresentar-se dentro de parâmetros que os superiores consideram adequados, sendo que em alguns serviços as exigências são perfeitamente absurdas. Esta situação de carência não é nova e por isso deixo-vos com extratos dum documento de 1912 e de outro de 1914: “Em resposta ao ofício de V. Exª nº --- de 16 do corrente, cumpre-me dizer que solicitei da Administração do Concelho que… Quanto à substituição do fardamento não me é possível fazê-la, em virtude da pequena verba de dotação para os serviços a meu cargo. Envidarei porém os meus esforços para que da repartição que superintende n’este edifício se possa conseguir novos uniformes para o pessoal do museu.”   “Sendo de muita necessidade a reparação dos fardamentos dos moços que fazem serviço no museu, e existindo em arrecadação neste serviço uns 8 capotes de cocheiro, já usados, mas que podem muito bem serem transformados em casacos para os mesmos, rogo a V. Exª se digne autorizar-me a fazê-lo, visto o cálculo feito por um alfaiate daqui a transformação não ir além de 8 escudos.” Tudo isto pode parecer caricato, ultrapassado, e até despropositado, mas é tudo real, e parece que o tempo não fez com que a função fosse devidamente valorizada e respeitada.http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



PORQUE FALTAM VIGILANTES NOS MUSEUS

2018-01-17T22:54:09.372+01:00

Esta frase pode ser uma afirmação mas pode também ser uma pergunta, e nos dois casos é pertinente saber-se das suas razões. As dificuldades existentes devido à falta de pessoal de vigilância são públicas, e não são exclusivas do Museu Nacional de Arte Antiga, ou de qualquer outro museu, palácio ou monumento. As razões para a escassez de funcionários para estas funções são diversas, começando pelo âmbito do recrutamento, que está restrito a quem tenha algum tipo de vínculo ao Estado, o que é absolutamente redutor. Os candidatos nestes concursos, na sua maioria, pretendem apenas solidificar o vínculo para depois “saltarem” para outras funções e ministérios, com condições mais favoráveis. Falando das condições oferecidas nestas funções, temos o salário que é muito baixo (próximo do ordenado mínimo), um horário que se estende pelos sete dias da semana, incluindo sábados e domingos sem qualquer remuneração suplementar, e boa parte dos feriados, estes pagos como trabalho extraordinário. As folgas são 8 em cada 4 semanas, sendo que nesse período (das 4 semanas) se permite o gozo de um fim-de-semana completo. Apesar da legislação existente, a formação profissional é inexistente, chega-se a exigir que o vigilante fique de pé durante as horas de serviço, tomando conta de várias salas ou de espaços amplos em que não se consegue abarcar tudo quando lá estão muitos visitantes, e muitas vezes sujeitos a temperaturas baixas, correntes de ar e humidade extrema. Talvez o senhor ministro e alguns outros que ocupam lugares em escritórios climatizados, com boas cadeiras achem que estes lugares de vigilância são agradáveis, e que os salários são justos para a função, mas também se podiam questionar sobre as razões de não conseguirem fixar jovens nestas funções, ou então questionar os seus funcionários que desempenham esses cargos há muitos anos, e talvez mudassem a sua opinião sobre a gestão de recursos humanos nestes serviços.http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



ASSÉDIO...

2018-01-15T22:31:11.292+01:00

Não sei se existem truques na fotografia ou se é tudo real, mas cenas do mesmo tipo são mais comuns do que se possa pensar, e talvez ajude muita gente a pensar duas vezes antes de fazerem acusações apressadas sobre assédio sexual.





OS AUMENTOS DE VISITANTES NOS MUSEUS, PALÁCIOS E MONUMENTOS

2018-01-13T22:48:48.696+01:00

O ano de 2017 foi muito positivo no que diz respeito a visitas aos museus, palácios e monumentos, e isso está bem reflectido nos números conhecidos. O crescimento foi de 8% nas entradas, relativamente ao ano transacto, e curiosamente o crescimento mais significativo verificou-se nos palácios, que na dependência da DGPC são apenas dois, o da Ajuda e o de Mafra. Estes números positivos relativamente às entradas, não sei se têm tradução igual nas receitas das entradas, porque não existem dados que permitam fazer essas contas, e é pena. No passado era possível ter uma ideia mais concreta sobre mais parâmetros.http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



A HIPOCRISIA E O PRECONCEITO NA POLÍTICA

2018-01-11T22:05:42.568+01:00

A terça-feira de Carnaval vai continuar sem ser feriado, isto acontece num país que já está habituado a que o governo, as Câmaras Municipais e algumas empresas deem o dia aos seus trabalhadores, enquanto outras obrigam os seus trabalhadores a apresentar-se ao trabalho, mesmo até em alguns serviços da função pública em serviços não essenciais. Isto acontece com executivos de esquerda e de direita, sem distinção. Na oposição há sempre coisas que merecem a reprovação, ainda que sejam prática corrente quando se está no poder, e isso não é mais do que hipocrisia. Também é hipocrisia e preconceito o que se passa com a liberalização da canábis para uso terapêutico e recreativo, se tivermos em atenção a posição dos partidos relativamente ao tabaco, por exemplo. Relativamente ao uso terapêutico é incompreensível as reservas apresentadas por alguns deputados, sempre mostrando preocupações com os efeitos secundários da canábis, como se os medicamentos tenham, quase todos eles, contra-indicações e efeitos secundários, que cabe aos médicos ponderar caso a caso. Outra coisa admirável é que o uso de medicamentos é regulado pelas autoridades competentes, pelo que a opinião dos políticos é quase irrelevante, ou pelo menos devia ser. No uso recreativo da canábis basta fazer um paralelo com o tabaco, e francamente, a balança dos efeitos perniciosos para a saúde é desfavorável para o tabaco, por muito que isso prejudique a produção, fabrico e comercialização do mesmo.http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



SINTRA E O LIXO

2018-01-09T22:18:29.088+01:00

A entrega da recolha de lixo a empresas privadas, que aconteceu há uns anos, foi uma asneira e todos os alertas que foram feitos na altura caíram em saco roto, e depois as coisas tornaram-se difíceis e agora temos um problema em mãos.

Em Sintra os serviços de recolha de lixo foram entregues a uma empresa privada mas por algum motivo, que nem discuto, a Câmara Municipal de Sintra acabou por entregar essa tarefa aos SMAS, que não têm equipamentos necessários para a tarefa, nem pessoal em quantidade para acorrer a todas as solicitações.

Já tínhamos dos passeios mais sujos, minados de presentes dos canídeos dos munícipes, e com as estradas sujas e em mau estado a que estamos habituados, temos agora os contentores de lixo cheios por deficiente recolha, e lixo espalhado em torno dos contentores antes e depois da recolha.

A escassez de camiões de recolha, de pessoal para os operar, e de pessoal para limpeza das ruas e passeios é evidente para quem está atento a este problema, e a resposta vai demorar, porque a situação ocorre depois da campanha eleitoral para as autarquias. 





OLHAR A HISTÓRIA E NÃO A PERCEBER

2018-01-07T20:45:38.962+01:00

Nada melhor do que estar num monumento, de ouvidos bem abertos, para perceber como comentam os visitantes aquilo que vêm e quais as suas interpretações sobre a História que de algum modo lhe esteja ligada.Dispenso-me de comentar, neste momento, disparates que até podem ser engraçados e capazes de nos fazer rir, mas vou centrar-me apenas em comentários sérios, de pessoas educadas e com boa formação académica.Os comentários referem-se à Sala de Caça do Palácio de Mafra, onde se podem ver penduradas pelas paredes diversas hastes de cervídeos, umas cabeças embalsamadas de veados e javalis, além de umas mesas e cadeiras feitas com hastes de animais que decoram a sala.Para além dos comentários que se prendem com o gosto de cada um, que são naturais e que não merecem discussão, os que mais impressionam são os ligados às palavras barbárie e crueldade.Há pouco mais de meio século era perfeitamente aceitável, socialmente, participar em caçadas de animais de grande porte para obtenção de troféus que eram exibidos nas paredes das suas casas (depois de devidamente tratados por taxidermistas). As fotos das presas caçadas eram profusamente exibidas na imprensa, e também decoravam paredes de escritórios. As damas, e até alguns homens, exibiam casacos de peles de animais exóticos e raros, que eram encarados com alguma inveja pelos menos abastados.No passado, e até ao século XIX, as salas de troféus de caça eram banais nas casas senhoriais, e nesses tempos não mereciam qualquer censura por parte da sociedade.Olhar para o passado, como é o caso duma sala dum palácio usado nos séculos XVIII e XIX, e fazer juízos à luz do que hoje é aceite ou não socialmente, é um erro que praticamos muitas vezes, e não apenas neste caso particular…  Sala de Caça do Palácio de Mafra Theodore Roosevelt’s Long Island homehttp://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



CARICATURAS

2018-01-05T23:09:54.814+01:00

Trump by Baptistão 

Bruce Willis by Paffaro



ENFERMARIAS DO SÉCULO XVIII

2018-01-04T23:38:11.209+01:00

A arquitectura hospitalar europeia do século XVIII está bem representada tanto em Portugal como em França nos exemplos que vos deixo nas fotos expostas abaixo.

Talvez seja mais badalada a enfermaria do Hospício de Beaune, mas a enfermaria do Palácio/Convento de Mafra é talvez a única que existe no seu estado original, o que tem uma importância ímpar. 

Enfermaria do Hospício de Beaune
Vista da Enfermaria de Beaune

Enfermaria Conventual - Mafra



A ENTRADA EM 2018

2018-01-01T21:53:36.850+01:00

O ano começou com um discurso de Marcelo Rebelo de Sousa que pouco acrescentou ao que já se sabia, mas fixei a intenção de reinventar, o que me fez pensar na roda, no motor de combustão e muitas outras invenções que marcaram a sua época.

No país em que vivemos, Portugal, temos um Governo que também vai fazendo as suas reinvenções, como a do fim da austeridade, os curtos aumentos de rendimentos, para quem os tiver, e os aumentos dos preços de muitos bens essenciais, como a electricidade, os combustíveis, o pão, os transportes, o leite, e muitas outras coisas que todos vamos descobrir nos próximos dias.

Claro que todos desejamos um bom ano de 2018, mas o cinto vai ter que ser ajustado, pelo menos cá por casa.

2.502



DESEJOS DE UM BOM 2018

2017-12-30T22:25:00.797+01:00





A CRISE DO PERNIL

2017-12-28T22:01:29.588+01:00





EMPREGOS DE QUALIDADE

2017-12-26T22:25:31.019+01:00

Ouvir António Costa dizer que a prioridade do Governo para 2018 é o emprego e a qualidade do mesmo, suscita o natural apoio de todos os que vivem dos rendimentos do trabalho. Em Portugal temos tido uma percentagem de desemprego bastante elevada, sobretudo entre os jovens, e muito emprego é precário, mal pago, e muitas vezes sem a dignidade a que todos deviam ter direito. Na função pública, e apesar dos críticos (muitas vezes desconhecedores), existem muitos funcionários que em 2018 não vão ver os seus salários aumentados, e que continuarão a receber menos do recebiam no já longínquo ano de 2009. Para os cépticos, porque existem, deixo apenas um exemplo, o dos Assistentes Técnicos dos museus, palácios e monumentos, a desempenhar funções de vigilância, lojas ou bilheteiras, que em bastantes serviços consultados, e onde trabalham cerca de 100 trabalhadores, apenas se conhece uma pessoa que vai conseguir atingir os 10 pontos que lhe vão permitir subir de escalão, e por mero acaso, não está a desempenhar nenhuma destas funções, como era suposto. A qualidade do emprego não se consegue sem um mínimo de justiça, e sobretudo desvalorizando funções e categorias em detrimento de outras, por acaso as que têm salários superiores.    Diferentes mas complementareshttp://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



FELIZ NATAL

2017-12-22T22:44:20.876+01:00





A REESTRUTURAÇÃO

2017-12-20T23:07:09.496+01:00

Uma das palavras que mais se ouvido nos últimos anos tem sido “reestruturação”, e isso não quer dizer organizar ou estruturar de outro modo algo, e esse algo que me interessa aqui, são as empresas ou os serviços. Em Portugal sempre que se fala em reestruturação, quer dizer que vêm aí despedimentos, dispensas ou diminuição de salários, direitos ou regalias. Tornou-se moda, sempre que as acções de uma empresa baixam no mercado, anunciar e fazer uma reestruturação, ou melhor uma diminuição de empregados e/ou salários, ao que a bolsa responde com uma valorização imediata. Isto é verdade durante algum tempo, mas depois as coisas descambam e as empresas simplesmente sufocam. Temos exemplos bem reais no nosso país, e os CTT e a MEO são apenas dois dos mais exemplares. Os CTT onde o atendimento é demorado nos balcões, que são cada vez menos, e uma distribuição do correio cada vez mais deficiente e irregular por falta de recursos humanos, e ainda vão diminuir mais. Na MEO assiste-se à degradação dos serviços, com o aumento das avarias e à demora na sua resolução. Falamos de serviços de utilidade pública, mas podia-se falar da banca, e de outros sectores, até na esfera pública, e os prejudicados somos todos nós, cidadãos que merecemos respeito, pois na realidade somos nós que pagamos os serviços das tais empresas.  http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



PERÍODO ROSA

2017-12-18T00:27:44.980+01:00





TUDO EM FAMÍLIA

2017-12-15T22:19:16.504+01:00





O FINANCIAMENTO DA CULTURA

2017-12-13T22:54:38.716+01:00

Existe um claro défice de financiamento da Cultura, e refiro-me particularmente ao Património, o que causa grandes problemas aos museus, palácios e monumentos, não só no que se refere ao funcionamento, mas sobretudo no que diz respeito à sua conservação.

Já se tentaram algumas soluções, começando pelas fundações, mas esta solução não terá sido muito feliz, porque sem subsídios não conseguiu ter viabilidade. Outra solução foi a da criação duma empresa gestora com capitais públicos mas de direito privado, a PS-ML, e depois de uma primeira fase que foi desastrosa, lá se conseguiu o sucesso a nível económico e reputacional, ainda que com alguma resistência popular devido aos preços praticados.

Está agora a ser ensaiado uma nova solução com a participação das autarquias, e Lisboa e Porto parecem estar a avançar nesse sentido, com experiências no Palácio da Ajuda e na Casa de Serralves, ainda que com configurações diferentes.

Como se percebe serão sempre dinheiros públicos que estarão em causa, e que podem ser melhor ou pior geridos, com muito pouca participação de privados, ao contrário do que se passa noutros países.


Vamos ver o que vai acontecer nos próximos tempos, e esperar que tudo corra pelo melhor, porque o Património já não pode espera mais por intervenções que já deviam ter acontecido há anos, e para as quais não tem havido dinheiro.





OS PORTUGUESES E O PATRIMÓNIO

2017-12-11T22:58:30.892+01:00

Deparei-me com uma notícia que dizia que entre 2011 e 2016, mais de 83% das pessoas que visitaram os monumentos sob alçada da DGPC eram estrangeiros, o que pode ser uma surpresa para alguns, mas que é um facto muito conhecido no meio. Estive a ver uma fotogaleria que o jornal online disponibiliza e verifiquei que boa parte dos monumentos escolhidos não estão sob gestão da DGPC, e que não são muito divulgados entre nós, o que explica em parte a pouca afluência de nacionais. Eu acho que boa parte dos responsáveis pelo nosso Património desconhece em absoluto as publicações turísticas, em diversas línguas, e de diversas editoras, que existem no mercado, e que tão pouco prestam atenção aos jornalistas que visitam os diversos serviços, o que é um erro de principiante. É de salientar que mesmo assim as percentagens de visitantes nacionais são enganadoras, porque se as visitas escolares fossem descontadas, o panorama seria ainda mais desolador.http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



FERIADO - REPOSIÇÕES

2017-12-08T22:20:12.260+01:00

Roubo
 
Aspirador
FOTOGRAFIA 

Quinta da Regaleira by Palaciano



GLOBO CELESTE

2017-12-06T20:45:44.422+01:00

Hoje trago-vos um globo celeste bem antigo (será o 3º mais antigo que se conhece), feito e assinado por Yunos b. al-Husayn al-Asturlabi, Isfaan (?) Irão, 1144, que está exposto no Museu do Louvre.

Tratava-se de um instrumento de estudo e de medida, um astrolábio esférico e um modelo tridimensional dos céus.

No globo constam as 48 constelações identificadas por Ptolomeu no século 2º. As 1025 estrelas estão assinaladas por pontos prateados, que variam de tamanho de acordo com o brilho com que se observava o astro.


A inscrição gravada por Yunos regista que ele recalculou as coordenadas tendo em conta o tempo decorrido entre o trabalho de Ptolomeu e o seu.





TRÊS MAGNÍFICAS BIBLIOTECAS EUROPEIAS

2017-12-03T20:12:27.885+01:00

Estas três bibliotecas europeias são magníficas, imponentes e foram constituídas mais ou menos na mesma época, a sua maior diferença está no facto de as austríacas terem sido terminadas, e já terem sido completamente restauradas no século passado, enquanto que a de Mafra não foi nunca terminada (douramento e pinturas), e também nunca foi completamente restaurada, já que se manteve relativamente bem conservada durante estes séculos.

Nota: Não mencionei um outro pormenor que se prende com a conservação dos livros, manuscritos, e incunábulos, que também foram alvo de grandes restauros no caso das bibliotecas austríacas.


Biblioteca da Abadia de Admont (Áustria)


Biblioteca da Abadia de Melk (Áustria)



R.I.P. ZÉ PEDRO

2017-12-01T22:33:46.304+01:00


allowfullscreen="" frameborder="0" height="280" src="https://www.youtube.com/embed/4ddHig5_4zo" width="480">



O PODER DAS RENOVÁVEIS

2017-11-29T22:53:13.928+01:00

Depois do recuo do PS na intenção de taxar as energias renováveis, ficam as explicações do governo, que variaram ao longo do tempo, e as razões dos produtores, que até são interessantes. Segundo os responsáveis da Associação de Energias Renováveis (Apren), “nós (eles) não recebemos rendas, o Estado não nos paga nada”. Ora na realidade o Estado somos nós, e somos nós que pagamos a energia e o défice tarifário, pelo que nessa matéria estamos falados. As declarações da direcção da Apren continuam e às tantas dizem “o que nós temos é uma tarifa garantida… Se o equipamento avariar não recebo nada.” É curioso que não tenha mencionado o preço de custo de produção da energia eólica e a tarifa garantida, que é muito elucidativa da garantia de lucro chorudo, e quando fala na avaria cai no absoluto ridículo. O Governo quebrou o contrato com os funcionários públicos, quanto à aposentação, quanto às promoções e até quanto às remunerações, e nunca falou na hipótese de processos judiciais, como fez agora com os produtores de energias renováveis, e isso deixa-nos muito que pensar.http://pinderico.blogspot.com/atom.xml http://rpc.technorati.com/rpc/ping Feed Shark[...]



COMO EU VEJO O OE PARA 2018

2017-11-27T22:19:30.225+01:00

Apesar do que dizem por aí, eu e muitos outros funcionários públicos não beneficiarei do descongelamento anunciado para o Orçamento de Estado de 2018, nem terei qualquer hipótese de subir na carreira, que é horizontal, e muito menos terei qualquer aumento salarial, pelo que tenho que agradecer ao 1º ministro António Costa o facto de ver tudo o resto aumentar (as despesas), o que me obrigará a apertar ainda mais o cinto, o que vem acontecendo desde 2009.

Estou radiante com esta perspectiva e esperançoso num futuro melhor, só não sei quando!