Subscribe: Folha Online - Manchetes - O que já foi manchete
http://feeds.folha.uol.com.br/folha/manchetes/rss091.xml
Preview: Folha Online - Manchetes - O que já foi manchete

Folha Online - Manchetes - O que já foi manchete



Primeiro jornal em tempo real em língua portuguesa



Copyright: Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados.
 



Procuradoria multa doadores eleitorais em R$ 390 milhões
A Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, órgão do Ministério Público Federal, protocolou 2.500 representações no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) paulista para cobrar cerca de R$ 390 milhões em multas de empresas e pessoas que financiaram candidatos e comitês eleitorais no ano de 2006, informa reportagem de Rubens Valente e Flávio Ferreira, publicada nesta segunda-feira pela Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL). Segundo a reportagem, a devassa é inédita em uma eleição no país. A Procuradoria acusa os doadores de terem excedido o limite de valores de contribuições fixado pelo Código Eleitoral --2% do faturamento bruto do ano anterior à eleição, no caso de pessoas jurídicas, e 10% dos rendimentos brutos, para as pessoas físicas. As representações, elaboradas a partir de um trabalho conjunto do TSE e da Receita Federal, pedem que os acusados sejam condenados ao pagamento de multa dez vezes maior que as quantias que extrapolaram o limite e sejam proibidos de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos. Leia mais (13/07/2009 - 02h52)



Sindicância livra senadores e culpa diretores por atos secretos
A comissão de sindicância do Senado que investigou a produção de atos secretos na Casa concluiu que os ex-diretores Agaciel Maia (Direção Geral) e João Carlos Zoghbi (Recursos Humanos) cometeram crimes de improbidade e prevaricação. Os senadores --que tiveram parentes nomeados e exonerados pelos atos-- não foram alvo de investigação, informa reportagem de Andreza Matais e Adriano Ceolin na Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal). Na semana que vem, o presidente José Sarney (PMDB-AP) vai decidir se abre processo administrativo contra os dois, o que poderá levá-los a demissão com perda de aposentadoria. A Folha teve acesso ontem ao relatório final da comissão. O documento é mais enfático que o apresentado pela comissão anterior, que encontrou 663 atos secretos produzidos nos últimos 14 anos, período em que Agaciel esteve no cargo, nomeado por Sarney. O relatório diz que "não houve falha técnica, mas determinações expressas para que tal procedimento [a não publicação dos atos] fosse adotado". Leia mais (04/07/2009 - 02h49)



Lula vetará só uma parte de MP sobre regularização de terras na Amazônia
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu vetar apenas uma parte do artigo 7º da medida provisória 458 --chamada de "MP da Grilagem" por grupos ambientalistas-- que trata da regularização de terras ma Amazônia, informa reportagem de Kennedy Alencar, publicada nesta quinta-feira pela Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal). Segundo a reportagem, só será suprimido o ponto que permitiria a transferência de áreas da União para pessoas jurídicas. A decisão presidencial é uma vitória dos ruralistas, mas com uma concessão aos ambientalistas, a fim de dar ao governo discurso político para sustentar uma medida polêmica. O presidente considerou que, do ponto de vista político, sancionar integralmente a MP poderia trazer desgaste. Leia mais (25/06/2009 - 02h59)



Senado escondeu atos secretos de propósito, afirma funcionário
As ordens para manter atos administrativos secretos no Senado vinham diretamente do ex-diretor-geral Agaciel Maia e do ex-diretor de Recursos Humanos João Carlos Zoghbi. A afirmação feita pelo chefe do serviço de publicação do boletim de pessoal do Senado, Franklin Albuquerque Paes Landim, é revelada em reportagem de Andreza Matais e Adriano Ceolin, publicada nesta sexta-feira pela Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal). O testemunho contradiz a versão de Agaciel e do presidente do Senado, José Sarney, de que a existência dos atos secretos se trata de "erro técnico". A descoberta dos atos secretos --medida usada para criar cargos ou aumentar salários sem conhecimento público-- foi o estopim da mais recente crise na Casa. Entre 1995 e 2009, o Senado editou 623 atos secretos. Landim contou que recebia pelo telefone as ordens de Agaciel. Zoghbi, que despachava no mesmo andar, pedia pessoalmente. O chefe do serviço de publicação contou que guardava os atos secretos numa pasta e só os publicava quando recebia nova orientação dos diretores. Leia mais (19/06/2009 - 02h48)



Depósitos na caderneta de poupança triplicam em junho
Menos de um mês após o governo propor novas regras na poupança para impedir a migração de recursos dos fundos de investimento, triplicou a captação diária média de recursos da caderneta, mostra reportagem de Toni Sciarretta publicada na Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal). Veja como será o cálculo para cobrança de IR na poupança
Com corte nos juros, poucos fundos superam rentabilidade da poupança
Veja as medidas já anunciadas no Brasil para combater os efeitos da crise Nos primeiros sete dias úteis de junho, a poupança somou R$ 2,018 bilhões (média diária de R$ 288,4 milhões) em novos depósitos, já descontados os saques, segundo o Banco Central. O volume é maior que toda a captação líquida de maio, que foi o melhor mês do ano para a caderneta, quando os depósitos somaram R$ 1,881 bilhão (R$ 94 milhões diários). Leia mais (17/06/2009 - 03h28)



OMS declara que gripe suína atingiu nível de pandemia
A OMS (Organização Mundial da Saúde) informou nesta quinta-feira aos países-membros a existência de uma pandemia (epidemia generalizada) de gripe suína --como é conhecida a gripe A (H1N1). O motivo foi a abrangência da doença, que já atingiu diversas regiões do mundo, e não a periculosidade do vírus. A decisão de passar do nível 5 para o atual nível 6, o máximo na escala de alerta de pandemias, foi tomada depois que o número de casos aumentou nos Estados Unidos, na Europa, na América do Sul e em outras regiões.
Reuters
(image)
Estudantes de Hong Kong fazem fila para medir temperatura; escolas do país foram fechadas
Leia mais (11/06/2009 - 11h33)



FMI deve elevar previsão de crescimento da economia global em 2010
O FMI (Fundo Monetário Internacional) elevou sua previsão de crescimento para a economia global em 2010 para 2,4%, acima do 1,9% estimado em abril, devido às medidas de estímulo adotadas por diversos países nos últimos meses, segundo uma fonte ouvida pela agência de notícias Reuters. A informação consta de uma nota do FMI para a reunião de ministros das áreas econômicas dos países do G8 (grupo dos sete países mais ricos e a Rússia) programada para este fim de semana. A expectativa do Fundo, segundo a fonte da Reuters, é de que a recuperação da economia global seja gradual. Para este ano, no entanto, a previsão se mantém em queda de 1,3%, dado que consta do relatório "World Economic Outlook" ("Panorama Econômico Mundial"), divulgado em abril. Leia mais (11/06/2009 - 10h28)



Endividamento de países desenvolvidos quase dobra devido à crise
Os países mais ricos vêm experimentando uma explosão de seu endividamento público, informa matéria de Fernando Canzian publicada na Folha deste domingo (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL). Com as medidas de socorro à economia tomadas desde o início da crise financeira, EUA, países da zona do euro e Reino Unido estão vendo subir rapidamente sua dívida pública, pois é dela que sai o financiamento para os pacotes de estímulo fiscal. Projeção da Standard & Poor's mostra que a dívida pública como proporção do PIB (Produto Interno Bruto) nos EUA deve passar dos atuais 44% para 77% em quatro anos. Em dólares, isso significa que o endividamento deverá sair dos já sem precedentes US$ 6,3 trilhões e chegar a mais de US$ 10 trilhões --valor superior a seis PIBs do Brasil. Na Alemanha a dívida irá de 62% para 72%, e no Reino Unido praticamente dobrará de 49% para 97% do PIB. Leia mais (24/05/2009 - 03h11)



Presidente do PSDB diz que discussão de prévias partidárias está mantida
O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), afirmou neste domingo que o partido mantém as discussões para a realização de uma consulta interna a fim de escolher o candidato do partido que disputará a Presidência em 2010. Ele diz que os governadores Aécio Neves (PSDB) e José Serra (PSDB) --os presidenciáveis tucanos para 2010--ainda buscam um entendimento e que existe a possibilidade de os dois formarem uma "chapa pura". "O que está certo é que os dois vão colaborar [para um entendimento] ao longo desse semestre e do próximo semestre. E, se não tiver acordo, em janeiro ou em fevereiro [de 2010] tem prévias. Mas ainda não há nenhuma composição desse tipo", afirmou o senador Segundo informou o colunista da Folha Online Kennedy Alencar, Aécio já aceitou retirar sua pré-candidatura em favor de Serra. O acordo, no entanto, só deve ser anunciado pela cúpula tucana em agosto ou setembro. O articulador do acordo, aponta o colunista, foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Leia mais (17/05/2009 - 12h54)



Lula anula enxugamento de servidores públicos após Plano Real
Graças sobretudo à política de contratações do governo Lula, o funcionalismo federal superou pela primeira vez as dimensões de 1995, anulando o enxugamento sofrido a partir do Plano Real, informa o repórter Gustavo Patu, em reportagem publicada na edição deste domingo da Folha (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL). Sob FHC (1995-2002), o total de servidores recuara de 661,1 mil para 598,5 mil. Na gestão do PT, em 2008, o número chegou a 670,8 mil, seis vezes o total de funcionários do Itaú-Unibanco. O gasto com o funcionalismo deve atingir 5% do PIB neste ano. Para o governo, a proporção de servidores federais na população brasileira é bem menor que em países como a França. Leia mais (17/05/2009 - 03h01)



Domingo na Folha: Sem-terra também vão receber Bolsa Família
O governo federal fará uma varredura nos acampamentos da reforma agrária para incluir todos os sem-terra no Bolsa Família e trocar a cesta básica pelo cartão do programa, informa reportagem de Eduardo Escolese, publicada na Folha deste domingo (que já está nas bancas). A ideia é fazer a mudança ainda neste ano. Em 2008, o governo distribuiu 925,5 mil cestas a 225 mil famílias. A média é de uma cesta a cada quatro meses. Com o cartão, o benefício é mensal e em dinheiro. "A cesta não incentiva o comércio local", afirma Lúcio Modesto, do Ministério do Desenvolvimento Social. "A ideia é que a médio prazo não tenha mais esse atendimento [com cestas]." Leia mais (16/05/2009 - 18h45)



México entrega cepa da gripe suína para criação de vacina
O México entregou neste sábado à OMS (Organização Mundial da Saúde) a cepa do vírus H1N1, causador da gripe suína, e os dados estatísticos e clínicos do comportamento da doença para ajudar na criação de uma vacina que seja acessível a todos os países. "O México coloca a partir de hoje à disposição da OMS a cepa do vírus H1N1", a informação que arrecadou com os pacientes e os tratamentos dados, disse o presidente mexicano, Felipe Calderón, em ato público. Saiba quais hospitais procurar no Brasil
Saiba mais sobre a gripe suína
Saiba o que o mundo faz para se prevenir
Vai viajar? Conheça as recomendações Leia mais (16/05/2009 - 15h05)



Ação de Lula não evita criação da CPI da Petrobras
O governo não conseguiu evitar a criação da CPI da Petrobras. Auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que trabalharam nos gabinetes até a meia-noite de ontem, falharam ao tentar convencer senadores a retirarem assinaturas de dois requerimentos. Lula acusou o PSDB de agir de modo "irresponsável" e "pouco patriota" ao insistir na CPI. Dois requerimentos criando comissões para investigar a Petrobras foram lidos ontem pela manhã no plenário do Senado. Um dos pedidos é do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) e outro, de Romeu Tuma (PTB-SP). Saiba o que a CPI quer investigar sobre a Petrobras Leia mais (16/05/2009 - 08h20)






Lula gasta com pessoal o que poupa com juros
O governo federal usou praticamente toda a economia feita com a queda de juros desde 2006 para contratar pessoal e aumentar o salário do funcionalismo público, informa reportagem de Marcio Aith, publicada na Folha desta segunda-feira (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal). Pouco foi feito para elevar os investimentos, necessários para permitir que o país cresça sem solavancos. Entre abril de 2006 e abril de 2009, diz a reportagem, com base em estudo feito a pedido da Folha pelo economista Alexandre Marinis, da consultoria Mosaico, os gastos anuais do governo central com juros caíram cerca de R$ 40 bilhões. No mesmo período, as despesas com pessoal subiram iguais R$ 40 bilhões, e as de custeio, R$ 26,7 bilhões. Já as despesas de capital --os investimentos propriamente ditos-- aumentaram apenas R$ 14,7 bilhões. O governo alega que o custo é compatível com o aumento da arrecadação. Segundo Marinis, o problema é que as receitas tributárias não são permanentes. Leia mais (20/04/2009 - 02h47)