Subscribe: OTA NÃO
http://wwwotanao.blogspot.com/feeds/posts/default
Preview: OTA NÃO

OTA NÃO



Um blogue contra a construção de um aeroporto na Ota



Updated: 2016-06-01T21:09:23.521+00:00

 



0 Comentários

2008-01-10T18:22:42.653+00:00

ALCOCHETE!



ACTUALIDADE

2008-01-10T18:23:15.552+00:00

Lisboa fervilha de política por causa da localização do novo aeroporto.



ALCOCHETE?

2008-01-10T11:51:17.849+00:00

O Conselho de Ministros vai anunciar hoje a construção do novo aeroporto de Lisboa em Alcochete, preterindo a outra opção que estava em cima da mesa e que era a construção na Ota, a norte do Tejo, avança a SIC Notícias.
Diz o Público.



ERA SÓ O QUE FALTAVA!

2008-01-09T00:47:34.285+00:00

Aponte o estudo para a Ota, aponte para Alcochete, ele tem de ser público, para análise e discussão pelos cidadãos. Ou o Governo virou uma espécie de Comité Central?



2008

2007-12-30T23:13:36.062+00:00

(image) (Foto)

A todos os seus leitores e amigos o Ota Não deseja um Feliz Ano Novo.



FELIZ NATAL!

2007-12-21T19:21:21.569+00:00

(image)
É o que desejo a todos os leitores e amigos do Ota Não.



SERÁ?

2007-12-08T12:53:45.072+00:00

Os estudos que o LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil) está a coordenar, com vista à localização do futuro aeroporto de Lisboa, são esmagadoramente favoráveis ao Campo de Tiro de Alcochete. Diz hoje O Sol.



AEROPORTO OU MONTANHA RUSSA?

2007-12-08T12:52:00.428+00:00

(image)
“Neste momento a tendência que existe do ponto de vista de observação técnica que temos feito [sic] é de que esse aeroporto, tendencialmente, deve ficar na Margem Sul.” (Rádio Renascença, 7 de Dezembro de 2007);“Com o à-vontade de quem defendeu a OTA, defendo agora a solução Portela+1.” (Correio da Manhã, 14 de Junho de 2007);“A partir de hoje morreu a Portela. Longa vida à OTA. Para bem de Portugal.” (Correio da Manhã, 24 de Novembro de 2005)



TODOS NÃO SOMOS DEMAIS

2007-11-14T15:24:52.368+00:00

Mais um blogue contra a construção do aeroporto na Ota. O Xadoor II.



LÁ SE VAI O PACTO DAS NEGOCIATAS...

2007-11-13T15:03:59.358+00:00

Luís Filipe Menezes apelou ao Governo para que «fale verdade» sobre as decisões que já terá tomado relativamente ao futuro aeroporto de Lisboa. É também desejável que o PSD e o CDS peçam desculpa pelas decisões que tomaram no Governo sobre a Ota, designadamente solicitando subsídios em Bruxelas para o lançamento do projecto.



À MODA DO PC

2007-11-12T13:27:52.389+00:00

O presidente da CIP acusou hoje Mário Lino de ter accionado uma "campanha desesperada" para destruir o estudo que aponta Alcochete como melhor opção para o novo aeroporto. Em declarações à agência Lusa, Francisco van Zeller, afirmou ter "informações privadas" de que o ministro Mário Lino "quereria avançar já para a decisão da Ota e, por isso, destruir o estudo" patrocinado pela CIP, que contabiliza poupanças de 3.000 milhões de euros no projecto do novo aeroporto, caso a opção seja Alcochete. Segundo o presidente da CIP, "o ministro quer destruir este estudo, parte por parte, em manobras que passariam, inclusivamente, pela descredibilização de José Manuel Viegas", o professor do Instituto Superior Técnico que liderou a equipa responsável pelo documento. Francisco van Zeller garantiu que aquele especialista em Transportes está a preparar uma resposta, "ponto por ponto, em termos técnicos", à "campanha desesperada" que o ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações accionou contra o estudo patrocinado pela CIP. O presidente da confederação referia-se à "publicação programada" para três dias seguidos e em três jornais diferentes de notícias "dando conta de alegados erros" no capítulo das acessibilidades do estudo da CIP. Para van Zeller, o ministro quer "avançar já para a opção pela Ota, sem sequer esperar pelos estudos comparativos" com Alcochete, a cargo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) e com data de conclusão prevista para 12 de Dezembro.
Fonte: Lusa



3.000.000.000.000

2007-10-26T10:19:20.844+00:00

(image)



GASTAR O DINHEIRO DOS OUTROS É FÁCIL

2007-10-15T13:59:24.991+00:00

"O eng. Fernando Pinto, presidente da TAP, declarou recentemente que a solução de manter o aeroporto da Portela e complementá-lo com um outro menor seria um erro. O responsável pela companhia quer ver resolvido rapidamente o problema da saturação aérea que já se verifica em Lisboa, mas a única solução que considera é a de um grande aeroporto novo, embora não se pronuncie quanto à localização.Evidentemente que tem razão. A sua análise está perfeitamente correcta e entra em conta com todos os factores. Todos menos um: o custo. Dado que não é ele nem a sua empresa quem paga a nova infra-estrutura, podem exigir com toda a calma o que mais lhes agradar. Depois o País trata da factura.No fundo o que o presidente da TAP diz é que prefere um aeroporto grande a dois médios, coisa que toda a gente entende. A única razão por que alguém sugeriu esta segunda hipótese, evidentemente pior, é porque já temos um aeroporto médio em excelentes condições, onde aliás acabaram de se fazer obras substanciais e dispendiosas. Dado esse facto irredutível, fica muito mais barato construir um outro pequeno aeroporto de apoio que demolir o que temos e fazer de raiz um maior. Isto também toda a gente entende. É precisamente a mesma razão por que tanta gente compra carros pequenos em segunda mão quando seria muito melhor andar de Ferrari novo.Como é caro e o País não é rico, parece razoável resolver temporariamente a saturação da Portela desviando tráfego para um local alternativo. Esse, se for bem escolhido, pode um dia crescer e substituir o actual em maiores dimensões. Mas dando tempo para ir juntando dinheiro. Claro que isso cria problemas temporários à TAP e aos passageiros. Mas quem não é rico vive como pode.A TAP foi ao longo das últimas décadas um dos brinquedos mais caros do País. As Finanças iam avançando para tapar os prejuízos que se sucediam, como as dívidas de um miúdo birrento que gasta mais que a mesada. Havendo vários buracos públicos tão ou mais custosos, a coisa ficava disfarçada. Mas não deixava de ser vergonhoso o que a empresa ia exigindo ao Orçamento do Estado para pagar incompetências e requintes com os impostos dos pobres.Agora, que finalmente parece ter melhorado a gestão, conseguindo bastar-se a si mesma e começando até a ter lucros, surge a exigência de um novo aeroporto. E não pode ser coisa modesta, um complemento, uma ajuda. Tem de ser grande e novinho. Como o filho exigente que, quando consegue arranjar emprego, pede casa nova ao pai.Se a empresa tivesse de suportar os custos pagando mais nessas instalações, se os ordenados da administração fossem ajustados por causa da despesa, certamente pensariam duas vezes na exigência. Mas esse peso fica todo do nosso lado. Entretanto a TAP é livre de sonhar com fazer de Lisboa um hub internacional, o que lhe daria tanto prestígio e influência. Desde que nós entremos com os vários milhares de milhões de euros que esse sonho custará.É normal que a TAP pense assim, como as construtoras que o vão edificar e as câmaras que dele beneficiam. Estão a fazer o seu papel. O pior é não existir ninguém para defender o ponto de vista dos contribuintes. Os ministros, que dizem representar o interesse nacional, ficam extasiados com a grandeza do projecto, maravilhados com a oportunidade histórica e intimidados com a pressão dos interesses. Gastar dinheiro a mais não fica mal, mas optar pela solução modesta geraria terrível contestação.Por isso parece quase inevitável que venha a enveredar-se pela solução mais luxuosa, mais grandiosa, mais cara. Afinal a escolha modesta não interessa a ninguém. A não ser a quem paga. E esses são milhões de pessoas, não percebem nada de [...]



AMORES SOCIALISTAS

2007-09-02T14:17:24.955+00:00

"A localização do novo aeroporto em Alcochete foi uma hipótese estudada em 1972, no primeiro estudo do Gabinete do Novo Aeroporto de Lisboa, que avaliou cinco localizações a Sul do Tejo e apontou Rio Frio como a melhor solução. O Estudo da Localização do Novo Aeroporto de Lisboa, o primeiro entregue ao Governo de então pelo Gabinete do Novo Aeroporto de Lisboa, avaliou cinco localizações na margem esquerda do Tejo para a construção da nova infra-estrutura aeroportuária: Fonte da Telha, Porto Alto, Rio Frio, Montijo e Alcochete.
Paralelamente, e dada a «impossibilidade» de construção do novo aeroporto na margem norte do Tejo, o trabalho analisou também a hipótese Portela de Sacavém, «embora esta apresentasse, desde logo, graves inconvenientes resultantes de se encontrar praticamente dentro da cidade e não se vislumbrar qualquer hipótese de expansão».
A análise, baseada em condições operacionais, sociais e de custo, concluiu que Rio Frio era a «única (localização) em que era possível dispor de uma área que permitisse a instalação de um aeroporto de grandes dimensões, sem quaisquer restrições para ampliações futuras».
Sublinhando o facto de «não ser possível» a ampliação do aeroporto da Portela e a inexistência de «qualquer hipótese aceitável de localização do novo aeroporto na margem direita do Tejo», o estudo concluiu que Rio Frio é a localização que «melhor satisfaz os requisitos de localização do aeroporto de Lisboa».
O mesmo estudo sugeria que, «para efeitos do prosseguimento dos estudos relativos ao novo aeroporto de Lisboa, fosse aceite a tranferência oportuna do Campo de Tiro de Alcochete e a desactivação oportuna da base aérea do Montijo».
Quase 30 anos depois, em Julho 1999, um despacho do Ministério do Ambiente elimina a hipótese Rio Frio, e o conselho de ministros confirma a escolha da Ota para localização do novo aeroporto de Lisboa.
O relançamento do projecto foi feito pelo actual Governo mas, em Junho deste ano, depois da apresentação de um estudo patrocinado pela Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), que apontava Alcochete, «uma área nunca antes estudada», como alternativa à Ota para a construção do novo aeroporto, o Governo mandatou o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) fazer um estudo comparativo entre estes dois locais, com o objectivo de saber qual é o melhor para construir a nova infra-estrutura.
O estudo deverá estar concluído a 12 de Dezembro deste ano, sendo que a decisão final sobre a localização do novo aeroporto será tomada em função dos resultados obtidos por este estudo."
Lusa



DEVAGARINHO LÁ SE AVANÇA...

2007-09-01T21:17:16.718+00:00

O Sol investigou quem são os proprietários dos terrenos da Ota. Alguns.



DE JAMÉ A NÉPIAS

2007-08-27T12:19:53.069+00:00

"Não tenho opinião sobre a Ota", disse o ministro iberista das obras públicas à última edição do Expresso. Pois eu tenho opinião sobre o ministro. Já não o devia ser. Ministro, é claro.



AH, PRONTO!

2007-08-26T14:55:15.148+00:00

Marques Mendes diz que o Governo já enterrou a Ota. Sendo assim, podemos estar descansados...



E SE HOUVER UM TERRAMOTA?

2007-08-26T14:49:51.688+00:00

Se o distrito de Lisboa for afectado por um sismo de muita intensidade, a Ota vai ser a zona mais devastada. Uma das áreas previstas para o novo Aeroporto Internacional de Lisboa corre, assim, o risco de afundar-se. De acordo com Mário Lopes, professor do Instituto Superior Técnico de Lisboa (IST) e especialista em engenharia sísmica, diz que «um sismo com forte potencial destrutivo não pouparia nenhuma região de Lisboa». O especialista acrescentou que «são as condições do solo que amplificam ou diminuem os efeitos sísmicos». Em declarações ao «Diário de Notícias», Mário Lopes diz que os solos da zona da Ota são «atravessados por lodos, logo com um elevado risco de liquefacção». O professor do IST afirmou ainda que viabilizar o aeroporto no concelho de Alenquer implicaria a construção de cerca de 235 mil estacas de brita para solidificar os solos da Ota, sendo os encargos «demasiado elevados».



OH DAS CALDAS!

2007-08-26T14:47:27.034+00:00

O processo de revisão do Plano Director Municipal das Caldas da Rainha deverá prever a construção do novo Aeroporto de Lisboa na zona da Ota. Ora aqui está uma medida inteligente. Não seria preferível esperar pela decisão final?



NOVA SONDAGEM

2007-08-25T22:45:47.869+00:00

Sondagem morta, sondagem posta. Começa hoje nova sondagem. A pergunta é: Acredita que o Governo pode mudar a localização do novo aeroporto? A pergunta justifica-se visto que há muito quem receie pela genuinidade das intenções do Governo ao aceitar reestudar a localização do novo aeroporto, deppois de ter feito tanto finca-pé na Ota. Têm os leitores a palavra.



AFUNDOTA

2007-08-25T21:55:57.285+00:00

"Ota: futuro aeroporto corre o risco de afundar-seSe o distrito de Lisboa for afectado por um sismo com forte poder destrutivo, a Ota será a zona mais devastada e o futuro Aeroporto Internacional de Lisboa corre o sério risco de afundar-se. A garantia é dada por Mário Lopes, professor do Instituto Superior Técnico de Lisboa (IST) e especialista em engenharia sísmica, que, em declarações ao Diário de Notícias, mostra-se convencido de que, no caso de ocorrer um terramoto com intensidade idêntica ao de 1755, a região de Alenquer apontada como um dos locais para a construção de um novo aeroporto correrá o risco de se afundar. «Um sismo com forte potencial destrutivo não pouparia nenhuma região de Lisboa, mas são as condições do solo que amplificam ou diminuem os efeitos sísmicos», adverte o mesmo especialista. Sendo que, no caso da Ota, defende o especialista, os terrenos são «do pior»: «Estamos perante solos atravessados por lodos, logo com um elevado risco de liquefacção.» Esta é, aliás, uma das razões que, segundo Mário Lopes, irá encarecer a obra: «O conhecimento da geologia da Ota mostra que uma parte significativa da área de implantação do aeroporto é constituída por lodos sem capacidade de suporte de cargas.» Como tal, viabilizar o aeroporto no concelho de Alenquer implicaria a construção de cerca de 235 mil estacas de brita (pedra de pequenas dimensões) para solidificar os solos da Ota. No entanto, para o professor no IST, o risco sísmico não é o factor mais determinante na escolha do local para o novo aeroporto, já que, «do ponto de vista da engenharia, é sempre possível acautelar esse tipo de perigos e, em última análise, até se pode construir uma pista no oceano Atlântico ou na serra da Estrela.» A questão de fundo, esclarece o especialista, é saber que custos isso implicaria, sendo que, no caso da Ota, o engenheiro defende que os encargos são «demasiado elevados».



SONDAGEM

2007-08-25T21:53:50.201+00:00

Termina hoje a sondagem lançada pelo Ota Não desde a sua criação. À pergunta sobre se o Governo esconde alguma coisa sobre a Ota, 206 votantes responderam desta forma: SIM, 92%, 190. NAO, 3%, 7. TALVEZ, 4%, 9.



REGRESSOTA

2007-08-25T21:50:58.855+00:00

Depois de uma férias a Ota voltou a ser falada. Vamos a isso, então.



A LER

2007-07-30T18:50:24.745+00:00

O pecado original, por Tomás Vasques, no Hoje Há Conquilhas.



NINGUÉM ESTUDOU?

2007-07-28T15:38:54.113+00:00

"Ribeiro da Fonseca mete o dedo na ferida e não poupa nas palavras. Diz que o ministro das Obras Públicas só falou com ele uma vez, no final do dia anterior a anunciar um novo aeroporto, e mesmo assim sem grande utilidade. Com o conhecimento de quem está no sector há 16 anos, este gestor falou ao Diário Económico para explicar que o novo terminal, que é esta semana inaugurado, está mal feito e já precisa de obras, antes mesmo de estar em funcionamento. Sobre os estudos para determinar a localização do futuro aeroporto, o ex-presidente da Portugália explica que, por um lado, não há nenhum estudo sobre o alargamento da Portela e, por outro lado, ninguém sabe quanto custará realmente a Ota. Assim, o Montijo seria a solução ideal para complementar o aeroporto de Lisboa, desviando aviões charters, low cost e de carga. Com isto, conseguia-se absorver até 20% do tráfego da Portela, o que libertava espaço não só para adiar o investimento, mas também para pensar numa escolha mais consensual. Mas, para isso, tinha de se reservar já o espaço do campo de tiro de Alcochete. É preciso pensar a longo prazo. Sem pressas. "

Ler aqui, no Diário Económico.