Subscribe: COLARES * Entre o Mar e a Serra *
http://colares.blogs.sapo.pt/data/rss?tag=alagamares
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: COLARES * Entre o Mar e a Serra *

COLARES * Entre o Mar e a Serra *



COLARES * Entre o Mar e a Serra * - SAPO Blogs



Last Build Date: Mon, 16 Jun 2014 09:53:22 GMT

 



Passeios a Elvas (Alagamares)

Mon, 16 Jun 2014 09:52:23 GMT

Dia 28 de Junho, sábado, a Alagamares promove uma visita guiada às Fortificações de Elvas classificadas como Património Mundial, bem como à Adega Mayor, do grupo Nabeiro, em Campo Mayor.

Partida em autocarro de Galamares (6h30m, junto às antigas Caves de S. Martinho) e Portela de Sintra (6h45m). Eventual paragem em Lisboa atendendo ao número de inscritos vindos dessa zona, em local a definir até 20 de Junho.

Preço- 40 euros. Inclui autocarro, almoço, visitas e prova de vinhos na Adega Mayor.
Inscrições até 20 de Junho para o 924203824 ou

alagamaressintra@gmail.com

A inscrição será validada após depósito bancário do valor indicado para o NIB 0007.0341.00028990001.55

 

 

Itenerário

10:00 h- Visita ao Forte da Graça, guiada pela Arquiteta Sofia Guerra

11:30 h -Visita a Elvas guiada pelo Dr. Rui Jesuíno, historiador da Câmara Municipal de Elvas

Concentração na Parada do Castelo

Castelo;

Miradouro sobre Badajoz e os Fortes da Graça e Sta Luzia;

Arco do Miradeiro

Quartel General

Quarteis da Corujeira

Cemitério dos Ingleses

Igreja de S. João da Corujeira

Igreja da Ordem Terceira de S Francisco

R. dos Açougues e ex Sinagoga

R. dos Sapateiros

Praça da Républica

Igreja Nª Sª da Assunção- antiga Sé Catedral

R. do Mestre Escola

Conselho de Guerra, Casa das Barcas e S Paulo

R. dos Cavaleiros

Cisterna Setecentista

Paiol circular de Nª Sª da Conceição

Igreja de Nª Sª da Conceição

Parada dos Reformados e Muralha da Aclamação vista sobre a banda sul

Largo 25 de Abril

Largo da Misericórdia

R. da Cadeia

R. S. Lourenço e Fonte do mesmo nome

R. do Cano

Largo dos Combatentes e Fonte de S. Vicente

Rua do Espirito Santo, Travessa Nova do Espirito Santo, Travessa dos Frades

Largo de S. Domingos

Igreja S. Domingos e Museu Militar

ALMOÇO

Partida para Campo Mayor e visitas

REGRESSO




Oficina de BD da Alagamares

Thu, 18 Jul 2013 13:01:05 GMT

(image)
A Alagamares-Associação Cultural promove uma oficina de Banda Desenhada em quatro sessões destinada a principiantes, com exercícios de desenho, adaptação de texto literário, planificação e criação de uma pequena história utilizando o vocabulário da banda desenhada (relação texto-imagem, ritmo, composição de prancha, desenvolvimento de linguagem gráfica própria).

Orientador: José Smith Vargas

Material necessário: folhas A4 de máquina ou cavalinho, lápis, borracha, canetas pretas finas e grossas e corrector.

Preço: 10€/ sessão, pagos no local no início de cada sessão

Datas: sábados 20 e 27 de Julho e 3 e 10 de Agosto
das 15h às 18h

Idade mínima: 12 anos

Local: Voando em Cynthia - Associação Cultural, Av. Heliodoro Salgado, nº 41 (Estefânia) Sintra (rua pedonal)

Inscrições em:

 




Visita ao Convento da Peninha

Thu, 27 Jun 2013 00:19:10 GMT

    (image)
 

Visita ao Mosteiro e Capela da Peninha em Sintra

 

A Alagamares e o Site Serra de Sintra promovem nos dias 29 de Junho e dia 7 de Julho  um passeio diferente na nossa Serra de Sintra, por muitos ainda desconhecidos.  Iremos ao Convento e Capela da Nossa Sra. da Peninha e Haverá lugar um passeio de cerca de 6 km até ao Maciço granítico de Adrenunes, onde se poderá apreciar uma das mais belas paisagens da Serra de Sintra, contemplando pelo meio, o verde mais puro da serra, o cheiro da flora da Primavera, e quem sabe vislumbrar a nossa fauna, incluindo as famosas águias de Boneli.

 

 

Traga amigos e família, passe um dia diferente e leve para casa um coração cheio de energia da mais bela e mística serra!

 

Local de encontro : Parque de estacionamento da Peninha às 15.00 horas (largo que fica junto da estrada principal antes da subida para o Convento).

Coordenadas ( 38.769226 - 9.459009 ).

 

Horários previstos:

Encontro - 15.00

Inicio da Caminhada : 15.20

Fim da Caminhada : 18.15

Fim das Actividades :19.00

 

 

É necessário levar:

- Roupa e calçado confortável para caminhada, água e comida q.b. e 1 esferográfica.

- Sorrisos e boa disposição.

 

Preço de todas as actividades : 6 Euros

 

Info Line : 914175398

 

Inscrições, dúvidas, reservas para: danielsintra@hotmail.com

 

O modo de pagamento será enviado por e-mail após reserva.

 

NOTA : As crianças são da inteira responsabilidade dos adultos que as acompanham.




Visita ao Convento e Capela da Nossa Senhora da Peninha

Fri, 03 May 2013 18:34:33 GMT

A Alagamares e o blogue Serra de Sintra promoveram no dias 27 de Abril e voltam a promover  no próximo dia 5 de Maio uma visita ao Convento e Capela da Nossa Senhora da Peninha , com subida ao terraço e visita interior. Algumas fotos da visita de 27 de Abril: Depois da Visita, teve/terá lugar um passeio de cerca de 3 km até ao Maciço granítico de Adrenunes, onde se poderá apreciar uma das mais belas paisagens na Serra de Sintra.   Quem quiser  pode participar numa caça ao tesouro,  com entrega de prémio à equipa vencedora.   Local de encontro: Parque de estacionamento da Peninha às 15.00 horas, em cada um dos dias. (largo que fica junto da estrada principal antes da subida para o Convento).   Horário: das 15.00 às 19.00  (para quem quiser fazer a caça ao tesouro)   Inscrições, dúvidas, reservas e pagamentos (transferência bancária) para:danielsintra@hotmail.com    Preço : 6 Euros     Apenas terá acesso ao interior da capela e mosteiro quem tiver o ingresso de entrada.   Info Line : 914175398 ou   alagamaressintra@gmail.com     Mais informações  em : www.serradesintra.net   e  http://alagamaresnews.blogspot.pt/ Na caça ao tesouro(facultativo) o ponto de partida será um mapa, no qual será desenhada o plano do local onde irá ter lugar a actividade, neste caso, a zona da Peninha. Os participantes serão levados de ponto em ponto para recolher as diferentes perguntas, previamente escondidas, as quais podem corresponder a enigmas ou diversas partes de um puzzle, por exemplo. Associadas as questões, osparticipantes a possibilidade de descobrir um improvável tesouro. --  ALAGAMARES-ASSOCIAÇÃO CULTURAL Av.25 de Abril 162 Galamares 2710-247 SINTRA TEL 913059184 http://alagamaresnews.blogspot.pt alagamaressintra@gmail.com NIB 0007.0341.00028990001.55[...]



Passeio pedestre na Orla Costeira de Sintra

Sun, 22 Mar 2009 08:04:27 GMT

(image)

 

A Alagamares promove um passeio ambiental guiado a 4 de Abril na orla costeira de Sintra, com início na zona de piqueniques do Magoito e deslocação a pé até ás Azenhas do Mar, pela costa, e retorno.

 

Concentração pelas 9h 15m. 

 

Distância: cerca de 10 km.

 

Convívio /piquenique no final (não incluído).

 

Inscrições para 918343698 ou info@alagamares.net .
Pagamento no local. Sócios da Alagamares-3€ Não Sócios 4€
 




Em busca da partitura

Wed, 09 Jan 2008 09:54:02 GMT

(image)

José Viana da Motta,grande pianista, nasceu em S. Tomé a 22 de Abril de 1868 e faleceu em Lisboa em 1948, pouco depois de completar os 80 anos.
Foi, sem dúvida uma das personalidades mais multifacetadas da vida artística portuguesa . Virtuose, pedagogo, compositor, ensaísta e filósofo, de raros artistas se poderá dizer que foi exemplo a seguir como modelo de trabalho e tenacidade, servindo-se da sua extraordinária vocação para encontrar, através do domínio absoluto da técnica pianística, o equilíbrio da forma e do conteúdo num padrão de superioridade mental e de inexcedível dignidade artística e intelectual.
Precocemente dotado para a música e, particularmente para o piano, cedo suscita aplausos e admiração. D. Fernando (o Rei-Artista, viúvo de D. Maria II) e a Condessa de Edla, que ele escolhera para a esposa, ouvem-no e decidem patrocinar os seus estudos. Terminado o curso do Conservatório de Lisboa parte para Berlim (1882) onde, custeado pelos reis mecenas, continua durante três anos os estudos de piano e composição.
Aos 13 anos escreveu uma partitura destinada à condessa d'Edla,sua protectora,designada Au bord du lac de Pena.
Se algum dos leitores deste blogue tiver alguma gravação ou partitura,ou souber onde se poderá encontrar,para execução e divulgação,o Alagablogue agradece.

O jovem Viana da Mota,que passou parte da infância em Colares

 

Um texto iniciativa Alagamares




Cartaz do Festival de BD de Colares 2008

Mon, 07 Jan 2008 10:12:26 GMT

(image)




1ª Oficina de Percussão da Alagamares

Sun, 04 Feb 2007 21:37:43 GMT

(image)


Vai ter lugar a 1ª Oficina de Percussão da Alagamares. Orientada por Fernando Azeitona, durante 18 horas, distribuídas por 3 Sábados, 17 e 24 de Fevereiro e 3 de Março, nas instalações do Grupo Desportivo e Cultural de Galamares. Trata-se de uma interessante oficina dedicada aos ritmos do mundo e seus diversos instrumentos, sob o lema "À Roda dos Tambores".

História da percussão, a percussão no mundo, exercícios acústicos e ritmícos, com instrumentos disponibilizados pela organização, trarão novas perspectivas sobre um universo talvez não tão conhecido como se julga, além do prazer da música.

Inscrições para o 918343698 ou info@alagamares.net. Sócios da Alagamares e do Grupo Desportivo e Cultural de Galamares-25 euros outros-30 euros.


(Texto de Alagamares)



Nossa Senhora de Milides conquistou o Castelo dos Mouros?

Wed, 17 Jan 2007 23:26:13 GMT

Estava eu a ler este artigo na wikipédia quando surpreso verifico que a lenda de Milides está associada à conquista do Castelo dos Mouros. É uma lenda que "nunca" se poderá provar, mas nunca a tinha ouvido associada à conquista do Castelo dos Mouros. Claro que fiquei curioso e fui pesquisar mais sobre o assunto. Apenas na wikipédia se faz claramente alusão à lenda da de Milides. É o seguinte o texto da wikipédia: A lenda de Melides Após a conquista de Santarém, o rei D. Afonso Henriques impôs um cerco a Lisboa, que se estendeu por três meses. Embora o Castelo de Sintra tenha se entregue voluntáriamente após a queda de Lisboa, reza a lenda que, nessa ocasião, receoso de um ataque de surpresa às suas forças, por parte dos mouros de Sintra, o soberano incumbiu D. Gil, um cavaleiro templário, que formasse um grupo com vinte homens da mais estrita confiança, para secretamente ali irem observar o movimento inimigo, prevenindo-se ao mesmo tempo de um deslocamento dos mouros de Lisboa, via Cascais, pelo rio Tejo até Sintra. Os cruzados colocaram-se a caminho sigilosamente. Para evitar serem avistados, viajaram de noite, ocultando-se de dia, pelo caminho de Torres Vedras até Santa Cruz, pela costa até Colares, buscando ainda evitar Albernoz, um temido chefe mouro de Colares, que possuia fama de matador de cristãos. Entre Colares e o Penedo, Nossa Senhora apareceu aos receosos cavaleiros e lhes disse: "Não tenhais medo porque ides vinte mas ides mil, mil ides porque ides vinte." Desse modo, cheios de coragem porque a Senhora estava com eles, ao final de cinco dias de percurso confrontaram o inimigo, derrotando-o e conquistando o Castelo dos Mouros. Em homenagem a este feito foi erguida a Capela de Nossa Senhora de Melides ("mil ides"). A primeira novidade para mim foi a construção da frase: "Não tenhais medo porque ides vinte mas ides mil, mil ides porque ides vinte." Mais complexa do que a conhecida "Ide que mil ides" mas bem ao estilo da linguagem da época. Pesquisando na net, "mil ides" não é abordada no site do Monte da Lua, em Portugal Virtual, na Malha atlântica. No site da Câmara, na história do Castelo segundo o livro  "Sintra património da Humanidade" também não é referido. Mohamed Moatassim, Antropólogo, escreveu este artigo na Alagamares e nem tocou no assunto. De qualquer forma sendo a visão árabe, e sendo mil ides uma lenda católica e não um dado histórico seria normal que assim fosse e além disso o artigo, que gosto muito, não é focado nas pessoas. Já num site elaborado pela Escola Secundária de Mem Martins é escrito o seguinte: Em 1103, o Rei de Leão, D. Afonso VI tomou Sintra aos muçulmanos. Dezasseis anos volvidos, depois da recuperação dos sarracenos, Sigurd, príncipe norueguês, saqueou o Castelo dos Mouros, não tendo sido este o único acontecimento pois por essa mesma altura e por breve tempo, o Conde D. Henrique possuiu-o. No entanto, após a conquista de Lisboa levada a cabo por D. Afonso Henriques, em 1147, o Castelo entregou-se voluntária e definitivamente aos cristãos. D. Afonso Henriques confiou então a guarda da fortaleza a trinta «povoadores», que não eram mais do que uma mera guarnição, aos quais foram concedidos privilégios através de carta de foral, outorgada pelo próprio Rei em 1154. E agora MIL IDES…. No site da Câmara de Sintra: Contudo, quando em 1152 o primeiro monarca português entregou à Ordem do Templo abastadas propriedades em Sintra e seu termo, aparece, entre outras, a Quinta de Melides. Em escavações recentes efectuadas pela Arqueologia municipal no perímetro da Capela, descobriu-se uma necrópole com sepulturas ovóides e «de banheira», o que leva a considerar a hipótese de se tratar de um cemité[...]



Roteiro da Alagamares - Da Praia das Maçãs às Azenhas do Mar

Tue, 17 Oct 2006 13:13:54 GMT

(image)

 

No próximo dia 28 de Outubro pelas 10h, a Alagamares marca encontro, com os seus associados e amigos, para um passeio pedestre guiado, pelo passado, presente e futuro do litoral sintrense, da Praia das Maçãs às Azenhas do Mar. Guiado e orientado pelo escritor João Rodil e pelos arquitectos Jorge Borges e Nuno Oliveira, autores de um projecto de plano de pormenor para aquele segmento em risco da costa de Lisboa, far-se-á um percurso em torno dos vestígios arqueológicos e históricos destas duas localidades, bem como uma visita orientada para a perspectiva arquitectónica e do planeamento possível para perservar esta zona do Promontório da Lua. Do tholos esquecido aos hotéis desaparecidos, da casa de Alfredo Keil à memória de Raul Lino, das adegas às arribas em risco, cem anos de Praia e Azenhas em revista num olhar diferente e revelador.

Inscrições: Através do e-mail da associação ou do número 918626893, até 26 de Outubro. Roteiro gratuito, mas com inscrições limitadas. Encontro junto ao quiosque da Praia das Maçãs, pelas 09h45. Almoço opcional e pago autonomamente para quem o desejar, a marcar no momento da reserva (preços indicados nessa ocasião).

---------------------------------------------------------------------------------
ALAGAMARES - ASSOCIAÇÃO CULTURAL
Caves de S. Martinho, Av. 25 de Abril, n.º 133
2710-250 Galamares - Sintra
Portal: www.alagamares.net, Fórum: forum.alagamares.net
Blogue: blogue.alagamares.net, Email: info@alagamares.net

 




Galamares

Fri, 14 Jul 2006 10:17:01 GMT

Falar de Galamares nos últimos 50 anos é falar da esplanada do Alcino,as Caves de S.Martinho,inauguradas em 1949,e que durante décadas funcionou como pensão,restaurante e café.Muitos de nós,veraneantes dos anos sessenta e setenta ,ali assistimos ás tertúlias nocturnas de Agosto quando as famílias da capital vinham a banhos,e alugavam toldo ao mês na Praia das Maçãs,e se vestiam para ir á noite ao café,local de encontro social onde chegou a haver uma jukebox,se admiraram os shows de ilusionismo do Xaimix-ainda vivo,felizmente-e se chegou a pagar para assistir aos jogos do Mundial de Inglaterra,em 66,numa das primeiras televisões que por cá apareceram,ainda abauladas e com falhas regulares na ligação á Eurovisão.
E havia o Salão,com cinema e teatro(cinco escudos dois filmes,em 1970),e os matraquilhos "ao perde paga",e apanhavam-se enguias no rio,e tocava-se viola e ficava-se na conversa até ás 5 da manhã encostados aos muros das casas até que os galos da manhã cantavam e o carro do lixo começava o serviço..
Não é o reviver o passado em Brideshead,nem nenhum filme neorealista italiano,mas Galamares também teve os seus anos de brilho,cristalizadas que estão as memórias das nossas infâncias.!Como parecia longa a viagem de 4 horas entre Lisboa e Sintra,por dentro da Amadora e Massamá (ainda sem prédios),e os carros da Sintra Atlântico e do Eduardo Jorge,os pêssegos gigantes e as maçãs reinetas,e as noites cacimbadas a falar de tudo(até política...) no velho café do Alcino,inventando peças de teatro radiofónico .
E quem não lembra no pós 25 de Abril o primeiro comício em Liberdade no Carlos Manuel,com Salgado Zenha e o Zé Alfredo,e o Sargo Júnior,advogado madeirense exilado em Sintra por Salazar desde os anos 30 e da revolta do general Sousa Dias...
E o fogo de 1967?E as cheias de 83?
São muitas memórias,e sempre á sombra sentinela das Caves,e das Nozes Douradas,dos travesseiros e dum microcosmo que hoje na Alagamares queremos perservar,venerar e dinamizar.
Um dia a história de Galamares ainda há-de ser escrita,porque dos locais,cheiros,visões,pequenas e grandes alegrias e tragédias se constrói o passado que se quer deixar como testemunho,vivo ou escrito.E agora vou ás Caves beber uma imperial que já apetece.Boa noite!

Uma óptima memória de Fernando Morais Gomes no Alagamares




COLARES

Thu, 06 Jul 2006 12:49:35 GMT

Este conjunto de textos reunidos pela Alagamares é indispensável para quem gosta de Colares. Copio aqui um muito interessante sobre o mestre Eça de Queiroz   EÇA DE QUEIRÓS E O VINHO DE COLARES "SINTRA NA OBRA DE EÇA DE QUEIRÓS", por João Rodil (2000)Cap. IV -Eça e o vinho de Colares"Amante e boémio, com os poderes desinibidores capazes de fazerem espoletar o amor, ou, ao invés, bálsamo atenuante para desilusões amorosas, o vinho ocupa na vida e na literatura um lugar proeminente. Eça de Queirós, homem muito dado a petisqueiras - que concorreram, em boa parte, para a sua morte -, escritor que deu particular atenção aos amores tempestuosos, apresenta um vasto cardápio de vinhos ao longo da sua obra. De todos eles, um se destaca: o vinho de Colares.De longínqua tradição, encimando a famosa lista da viticultura nacional, o vinho de Colares contém particularidades únicas, que o tornaram ao longo dos anos num dos mais apreciados vinhos do mundo. A sua famosa casta Ramisco, cuja vinha é abacelada em terrenos arenosos do litoral e sujeita ao micro-clima existente na região sintrense, produz um vinho de bouquet magnífico, cheio de delicadeza, sabor e perfume agradáveis, e com pequena percentagem de álcool.A dúvida ainda subsiste quanto à data da plantação dos primeiros bacelos na região de Colares. Mas a expansão da vinha na Península remonta à mais alta antiguidade. Políbio fala dos vinhos da Lusitânia como sendo dos melhores da Europa, um século antes da era cristã. No foral afonsino de Sintra (1154) consta que se cultivava, já naquele tempo, a vinha na região. D. Afonso IV pretendeu animar a cultura da vinha, porquanto na doação que em 1255 fez do Reguengo de Colares a Pedro Miguel e sua mulher, Maria Estevão, foi com obrigação de plantar vinhas, o que levou o Visconde de Juromenha, na Cintra Pinturesca, a levantar a hipótese de ter este rei ali introduzido cepas originárias de França, pela semelhança deste vinho com alguns daquele país.D. Dinis, que tão grande impulso deu à agricultura, entre as doações que fez a seu filho, o infante Pedro Afonso, em 1301, contam-se uma adega, diversas vinhas, terras, azenhas e outros domínios situados em Sintra e seus arredores. No Livro das Colheitas de D. Afonso IV, discriminam-se as colheitas efectuadas na Vila e seus arrabaldes, verificando-se que a produção do vinho era, à época, de três modios em Sintra e três modios nos arrabaldes. Segundo alguns cronistas, o desenvolvimento dos vinhedos permitiu que no reinado de D. Femando I (1367-1383) se fizesse o primeiro movimento de exportação de vinho.A região de Colares possuía, então, uma viticultura florescente, que, a par de outras valiosas plantações, davam à Vila uma importância significativa. Por tal, D. João I, em 20 de Agosto de 1385, logo após a Batalha de Aljubarrota, entrega, por doação, a vila de Colares ao Condestável D. Nuno Álvares Pereira.D. Manuel I, que atribuiu foral a Colares em 10 de Novembro de 1516, aumentou os privilégios que gozavam os agricultores da região, o que deu novo impulso à vinha. Nos documentos comprovativos do aviamento e carregação das naus que se destinavam à Índia, nota-se que o vinho de Colares era um dos preferidos. Por esta altura, na Crónica do Imperador Clarimundo (1520), João de Barros faz larga referência aos frutos do vale do Rio das Maçãs e, nomeadamente, ao vinho de Colares.Estes elementos que vimos anotando, apenas corroboram a tradicional afirmação de que desde o séc. XIII, tem carta de nobreza o afamado Ramisco de Colares. Em 1865, os vinhais do país foram, em grande parte, devastadas pela filoxera. Mas os vinhais de Colares ficaram incólumes, para o que muito contribuíram as condi[...]



Largo da igreja III

Thu, 15 Jun 2006 11:23:53 GMT

(image)

O nosso amigo e vizinho Ricardo Carvalho enviou-nos esta fotografia de 1958 disponível no arquivo on-line da Câmara Municipal de Sintra, que muito agradeço.

---------------------------------------------------------------------------------

Aproveito para deixar duas notas:

- O player do post abaixo já funciona para quem quiser ouvir.

- Este blog é aberto a participações, por isso quem quiser participar é enviar o seu texto, foto, ou até mesmo conteúdo audio ou vídeo, para o meu mail. Só não serão publicados conteúdos desapropriados do tema do blog, comerciais ou ofensivos.

---------------------------------------------------------------------------------

Apesar de estar em cima da hora deixo ainda a nota de mais um passeio que a Alagamares vai organizar Sábado 17 de Junho

---------------------------------------------------------------------------------

Da Estefânea à Vila Velha, no rasto de José Alfredo (17.06.2006)

A Alagamares-Associação Cultural realiza, neste próximo Sábado, dia 17 de Junho, pelas 10h, um passeio que visa reconstituir a história e as estórias de figuras e locais da Vila de Sintra, seguindo de perto as memórias de um dos maiores vultos da cultura sintrense do séc. XX, José Alfredo da Costa Azevedo (1907-1991), escritor, pintor, publicista e primeiro presidente da Câmara depois do 25 de Abril. Nele se falará da loja maçónica Luz do Sol, de Adães Bermudes, da Sapa e da Piriquita, do Palácio de Valenças, da Lawrence, do Paço de Sintra e muito mais.

Está também prevista uma visita à Sociedade União Sintrense e a um museu municipal (Anjos Teixeira ou Ferreira de Castro). Concentração junto à estátua do Soldado Desconhecido, na Correnteza, em Sintra. Custo: Eur 3.00. Inscrições para o 918343698 ou info@alagamares.net. Limite de 30 participantes.

Leitura prévia recomendada: OBRAS DE JOSÉ ALFREDO DA COSTA AZEVEDO I - BAIRROS DE SINTRA (1997). Edição da C.M. de Sintra, cartonada, com ilustrações, 334 páginas. Outras obras de José Alfredo, aqui.

 




Colares na blogosfera

Sat, 29 Apr 2006 21:06:18 GMT

"Colares conta, desde há poucos dias, com dois blogues a si dedicados!

Temos o já famoso e prestigiado BLOGUE DE COLARES, de Nuno Saraiva, cujo endereço é
colares.blogs.sapo.pt, e agora apareceu um novo blogue também sobre Colares, designado NOTÍCIAS DA FREGUESIA DE COLARES, de Vitalino, no endereço freguesiacolares.blogspot.com.

A ALAGAMARES deseja aos autores destes dois blogues os maiores sucessos, esperando que ajudem a divulgar e a valorizar o debate sobre as questões que mais interessam a essa lindíssima e histórica vila que é Colares!"

Post no blog Alagablogue da Alagamares

 

(De regresso após uns dias sem por os coutos em Colares)




2ª Oficina de Teatro da Alagamares

Thu, 13 Apr 2006 09:48:35 GMT

ALAGAMARES CONVIDA!!!
2ªOFICINA DE INICIAÇÃO AO TEATRO

ORIENTADA POR RUI MÁRIO, ACTOR E DIRECTOR DA COMPANHIA DE TEATRO PROFISSIONAL "TAPAFUROS" E PROF. TEATRO DA ESC .SEC.LEAL DA CAMÂRA.

(image)

 

LOCAL: SPORT UNIÃO COLARENSE

DATAS E HORÁRIOS: DE 19 ABRIL A 13 MAIO, TODAS AS 4ºFEIRAS DAS 20H00 ÀS 22H30 E SÁBADOS DAS 15H00 ÀS 17H30

INSCRIÇÕES: ATÉ 15 ABRIL ATRAVÉS DO info@alagamares.net
ficha de inscrição para download: Ficha de inscrição

PREÇOS POR PESSOA:
SÓCIOS e ESTUDANTES: 50,00€ / NÃO SÓCIOS: 60,00€




Colarense ou Colarejo?

Mon, 20 Mar 2006 09:11:14 GMT

Dúvida colocada no Ciber-dúvidas por Ricardo Carvalho

Tema

Os naturais de Colares

Pergunta/Resposta

   Os naturais da vila de Colares, concelho de Sintra (Portugal), devem designar-se “colarenses” ou “colarejos”?
   Nota: Esta dúvida foi por mim levantada durante o passeio cultural que a Alagamares – Associação Cultural realizou recentemente através do centro histórico daquela vila. Apesar da resposta dada durante o passeio pelo historiador João Rodil, que apontou “colarense” como sendo a forma correcta, em meu entender persiste ainda alguma dúvida pois, por exemplo, Nuno Saraiva, autor do blogue de Colares, refere, com recurso ao Prontuário Ortográfico e Guia da Língua Portuguesa, da autoria de Magnus Bergström e Neves Reis, que a forma correcta será antes “colarejo”.
   Peço ajuda ao Ciberdúvidas da Língua Portuguesa para 'desempatar' nesta questão.
   Agradecido.

Ricardo Carvalho
Portugal

Resposta:

Colarejo é a única forma inclusa nos Topónimos e Gentílicos de I. Xavier Fernandes e no Vocabulário da Língua Portuguesa de F. Rebelo Gonçalves.F. V. P. da Fonseca

17/03/2006



Colares - Terra de Mel ; Colarenses ou Colarejos?

Thu, 23 Feb 2006 10:24:00 GMT

(image) Artigo do Diário de Notícias acerca do passeio da ALAGAMARES. João Rodil, afirmou, segundo o DN, que o correcto é dizer Colarense, colarejo era seria apenas gerúndio da popular. Assuntos da língua portuguesa interessam-me e este é bem interessante: O que é que faz uma palavra ser correcta? A sua absorção pela população ou a sua história? Como foram definidos os adjectivos relativos às terras dum individuo? Por norma há um sufixo a acrescentar que será imposto pela tradição. Já agora o que estará mais correcto? Lisboeta ou Lisbonense?



1º Concurso de Banda Desenhada Infanto-Juvenil de Colares

Tue, 07 Feb 2006 09:13:00 GMT

[Error: Irreparable invalid markup ('(image) ') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.] Alagamares realiza passeio cultural na vila de Colares, dia 11 de Fevereiro

Fri, 03 Feb 2006 10:41:00 GMT

 

(image) Já ouviu falar da alemã que povoou Colares? E do príncipe Sigurd, o viking que precedeu os portugueses em Sintra? E do reguengo de Colares? O passeio cultural pedestre da Alagamares-Associação Cultural, a realizar no próximo dia 11 de Fevereiro, Sábado, inclui explicação para isto e muito mais.

Na sequência de um programa de difusão da historia e tradições locais de Sintra, e dois meses após visita ao centro histórico de S. Pedro de Penaferrim, o Núcleo de História e Arqueologia da Alagamares promove, no próximo dia 11 de Fevereiro, Sábado, pelas 10h, um passeio pedestre através do 'casco' histórico da vila de Colares, incluindo visita à Igreja de Colares, pelourinho manuelino, necrópole medieval de Milides e Adega Regional de Colares.

A concentração dos pedestrianistas será feita junto à Igreja Matriz de Colares, sendo o passeio orientado pelo historiador João Rodil, autor de "Serra, Luas e Literatura" e actual director do Jornal de Sintra, nele se focando, em visita aos locais, alguns dos aspectos mais marcantes daquele que até ao séc. XIX foi concelho, e onde no século XVI se instalou uma verdadeira "corte na aldeia" sob a égide dos Melo e Castro.

A visita terminará na Adega Regional de Colares, onde se abordará a temática do ramisco e dos vinhos de Colares, com provas (opcionais). A evocação histórica de proximidade permite uma maior atenção ao património por vezes esquecido, e daí esta série de percursos pedestres pelo concelho, destinado a todos os interessados. Compareça!

Reserva (obrigatória): Até 9 de Fevereiro, através do e-mail info@alagamares.net ou do telefone 918343698.
Custo: Passeio: gratuito; Provas de vinhos: Eur 5,50 (opcional).
Cartaz:
http://www.alagamares.net/download/CartazA4PasseioColares11022006.jpg

Nota: O texto é da autoria da Associação ALAGAMARES



ALAGAMARES

Tue, 31 Jan 2006 09:06:00 GMT

A Alagamares-Associação Cultural vai realizar, neste próximo Sábado, dia 04/Fevereiro, um um passeio cultural na pinturesca villa de Colares. Esteja atento ao programa, a anunciar brevemente através do portal em www.alagamares.net (image) --------------------------------------------------------------------------------- ALAGAMARES - ASSOCIAÇÃO CULTURAL Caves de S. Martinho, Av. 25 de Abril, n.º 133 2710-250 Galamares - Sintra Portal: www.alagamares.net, Fórum: forum.alagamares.net Blogue: blogue.alagamares.net, Email: info@alagamares.net ---------------------------------------------------------------------------------