Subscribe: XiNvest - Educação Financeira
http://xinvest.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: XiNvest - Educação Financeira

XiNvest - Educação Financeira



Análises - Simulações - Dicas



Last Build Date: Mon, 05 Mar 2018 15:38:39 +0000

 



Teste

Fri, 16 Mar 2012 00:58:00 +0000

width="560" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/k6Pq9Y31jUw" frameborder="0" allowfullscreen>

(image)






Aula de Venda Coberta - Bastter.com

Thu, 28 Jan 2010 12:10:00 +0000

(object) (embed) (image)



Entrevista com Bastter (Mauricio Hissa)

Mon, 25 Jan 2010 20:38:00 +0000

(object) (embed) (image)



O jeito americano de investir em ações

Thu, 07 May 2009 18:14:00 +0000

Sucesso absoluto nos EUA, os fundos de índice começam a ganhar espaço também na Bovespa

Portal EXAME - Há tempos eles são um sucesso em bolsas de todo o mundo, mas somente agora começam a ser descobertos pelos investidores brasileiros. Conhecidos como ETFs (sigla em inglês para Exchange Traded Funds), esses fundos, que têm suas cotas negociadas em bolsa como se fossem ações, estão ganhando adeptos no Brasil por permitirem o investimento em uma cesta de ações com apenas uma aplicação - e a um custo muito inferior ao dos fundos de ações tradicionais.

Continue lendo (Site Exame)(image)



Brasil poderá se tornar um país desenvolvido

Wed, 01 Apr 2009 10:33:00 +0000

Um país desenvolvido, segundo os padrões das sociedades consumistas contemporâneas, é um país que tem um PIB per capita superior a US$ 11.116 e que possui um índice de desenvolvimento humano (IDH) elevado.

Estes países situam-se principalmente na Europa, América Anglo-Saxônica e na Oceania. Na América Latina os países que mais se aproximam dessa definição são a Argentina, o Brasil, o Chile, o Uruguai e o México. Tais países possuem um IDH elevado e um PIB robusto, porém lutam contra problemas sociais, como a desigualdade.


(image)

Países mais desenvolvidos do mundo em azul, de acordo com estudos realizados pelo FMI.

Já a África não possui nenhum país desenvolvido, apesar do The World Factbook, produzido pela CIA, considerar a África do Sul um país economicamente desenvolvido. Na Ásia, os únicos considerados desenvolvidos são o Japão, Israel e os Tigres Asiáticos (Coréia do Sul, Singapura, República da China e Hong Kong). O conceito de Primeiro Mundo está intrinsecamente ligado a esta definição de países.

Confira na imagem abaixo quantos anos cada país levará para atingir a renda per capita de Portugal (21 000 dólares) se mantiver o ritmo atual de desenvolvimento:

(image)

Graças à economia aberta e à estabilidade política, o Chile já pode fazer as contas: em 2020, o país terá padrão de renda de Primeiro Mundo

(image)

JEITINHO DE XANGAI - O edifício mais alto da América do Sul está em

construção em Santiago: reflexos da riqueza

O Chile vive uma perspectiva de deixar os vizinhos mortos de inveja: a de entrar para o time dos países ricos em curtíssimo prazo. Mantido o ritmo atual de crescimento, faltam apenas doze anos para o país atingir 21000 dólares de renda per capita.

Esse patamar de renda – o triplo do brasileiro – é o mínimo exigido para um país ser considerado de Primeiro Mundo. A previsível mudança de categoria na comunidade internacional é fruto de duas décadas em que a economia chilena cresceu a uma média anual de 5,2%, superior ao índice regional de 2,6%. Nesse período, as taxas de criminalidade e de pobreza tornaram-se as mais baixas da América do Sul. Estima-se que em 2020, quando o país deve entrar no grupo dos desenvolvidos, seus indicadores sociais estejam iguais aos da Nova Zelândia, um dos melhores do mundo.

Para ler a reportagem completa da Revista Veja basta clicar no título: "Data marcada para ser rico".

(image)



Invista como Warren Buffett

Wed, 18 Mar 2009 13:33:00 +0000

O que o bilionário americano, um dos investidores mais admirados do mundo, tem a ensinar aos pequenos aplicadores O bilionário americano Warren Buffett, um dos investidores mais bem-sucedidos de todos os tempos, costuma dizer que seu prazo favorito de aplicação é “para sempre”.Quem tivesse isso em mente na década de 60, no início das atividades de sua empresa de investimentos, a Berkshire Hathaway, poderia ter ficado milionário. Mil dólares aplicados nas ações da companhia em 1965 teriam se transformado em cerca de 3 milhões de dólares em agosto de 2008. É verdade que o período engloba mais de 40 anos, mas uma alternativa similar de investimento — usar os mesmos 1 000 dólares para comprar os papéis que integram o índice S&P 500, da bolsa de Nova York — teria rendido pouco mais de 65 000 dólares.O desempenho excepcional de Buffett é fruto de uma estratégia peculiar — e, para muitos, discutível. Diferentemente do que prega a maioria dos especialistas financeiros, Buffett não diversifica suas aplicações e ignora relatórios de previsões econômicas. Polêmicas à parte, o certo é que o jeito Buffett de fazer negócios tem se mostrado eficaz. Muito eficaz.Com base em livros publicados sobre Buffett e em textos que ele próprio escreveu para apresentar os resultados de sua empresa aos acionistas, EXAME compilou algumas das principais lições do guru. Antes de lê-las, porém, vale um alerta: os conselhos não são um manual sobre como se tornar um ás do mercado financeiro.Buffett aprimorou sua estratégia ao longo de mais de quatro décadas, quando adquiriu o controle ou participações majoritárias em centenas de companhias de diferentes tamanhos — da Coca-Cola à fabricante de doces See’s Candies. Hoje, administra um patrimônio de 280 bilhões de dólares. “Se alguém fizer um curso para aprender a jogar bola como Pelé, dificilmente vai conseguir reproduzir suas jogadas mais brilhantes.Mas é inegável que poderá se tornar um jogador melhor depois das aulas”, diz Rui Tabakov Rebouças, dono da gestora de recursos Tabakov Capital, com sede em Nova York, e ele próprio co-autor de um livro sobre as estratégias do megainvestidor, Os Ensaios de Warren Buffett (edição do autor).Ignorar análises macroeconômicas“Trinta anos atrás, ninguém poderia ter previsto o imenso impacto da Guerra do Vietnã, de duas crises do petróleo, da renúncia de um presidente, da dissolução da União Soviética (...). Diferentes choques ocorrerão nos próximos 30 anos. Não tentaremos prevê-los nem lucrar com eles”, escreveu Buffett em carta aos acionistas da Berkshire Hathaway em 1994.Ele atribui o sucesso de seus investimentos em empresas à combinação entre a análise criteriosa dos resultados e das perspectivas desses negócios e o valor de suas ações na bolsa. Seu lema é comprar bons negócios por baixos preços e, se possível, mantê-los por um longo prazo.Aprender a avaliar empresasPode parecer complicado para o pequeno investidor, mas, com alguma dedicação, é possível avaliar empresas para tentar descobrir bons negócios, segundo Buffett. Como fazer? O primeiro passo é escolher poucas empresas para acompanhar — de preferência de um ou dois setores. O conselho de Buffett é se concentrar em mercados que o investidor já conheça ou entenda.Por exemplo, alguém que passou a vida trabalhando em companhias de varejo terá mais condições de analisar supermercados e outras empresas do setor do que siderúrgicas. “Especialização e sucesso andam de mãos dadas”, escreveu Mark Tier, autor de Investimentos: Os Segredos de George Soros e Warren Buffett, publicado no Brasil pela editora Campus.Definido o nicho, o passo seguinte é levantar informações sobre as empresas que serão analisadas. De forma geral, isso pode ser feito lendo os relatórios de análise de bancos e corretoras e os balanços anua[...]



Warren Buffett - Visão sobre a crise

Mon, 09 Mar 2009 17:01:00 +0000

Megainvestidor elogia ação do governo, alerta sobre bolha dos títulos públicos nos EUA e vê crise duradoura, mas aposta em superação.O fundo Berkshire Hathaway teve em 2008 seu pior ano desde que começou a ser controlado pelo mega investidor Warren Buffett, na década de 60. O lucro do fundo caiu 62%, com o pior resultado concentrado no quarto trimestre. Na tradicional carta anual aos acionistas, Buffett, considerado o homem mais rico do mundo pela revista "Forbes", defendeu a atuação do governo dos Estados Unidos contra a crise e admitiu que cometeu uma série de equívocos. O megainvestidor alertou ainda para a formação de uma bolha no mercado americano de títulos públicos e admitiu que a crise pode ir além de 2009, mas mostrou otimismo com a capacidade da economia dos EUA em superar desafios. Veja abaixo alguns dos principais pontos da carta:"Nós estamos certos, por exemplo, que a economia vai se arrastar durante 2009 - e provavelmente por mais tempo que isso. Mas isso não nos diz se o mercado de ações vai subir ou cair nos próximos meses.""Nós vivemos uma disfunção do mercado de crédito, que rapidamente se tornou não-funcional em diversos aspectos. A senha ao redor do país é a mesma que eu via nas paredes de restaurantes quando eu era jovem: ‘Em Deus nós confiamos; todos os demais pagam em dinheiro’.""A espiral degenerativa da economia obrigou o governo a tomar medidas em massa. Usando o vocabulário do pôquer, o Tesouro e o Fed [Federal Reserve, o banco central dos EUA] estão apostando todas as suas fichas. O remédio econômico tem sido distribuído a rodo. Essas doses, impensáveis há algum tempo, quase certamente terão seus efeitos colaterais. Cada um pode tentar adivinhar que efeitos serão esses, embora eu acredite que uma consequência provável seja um ataque inflacionário.""Uma ação forte e imediata do governo era necessária no ano passado para evitar o total colapso do sistema financeiro. Se isso tivesse ocorrido, as consequências para todos os setores da economia teriam sido terríveis. Gostem ou não, os habitantes de Wall Street, Main Street e outras várias Side Streets de nosso país estão todos no mesmo barco.""Em meio a essas más notícias, no entanto, nunca se esqueça de que nosso país teve de enfrentar dificuldades muito maiores no passado. (...) Nós superamos elas, sem falhar (...) Nossos melhores dias ainda estão por vir."Sobre os derivativos de crédito"Aumentar a transparência é o remédio favorito de políticos, comentaristas e órgãos reguladores das finanças para evitar que o trem volte a sair dos trilhos, mas isso não resolve o problema dos derivativos. Eu não conheço nenhum mecanismo de divulgação que chega perto de descrever e mensurar os riscos de um enorme e complexo portfólio de derivativos. Auditores não conseguem auditar esses contratos, e reguladores não conseguem regulá-los.Quando eu leio as páginas de divulgação dessas informações no balanço das empresas, tudo que eu descubro é que eu não faço idéia do que está acontecendo em seus portfólios (e então eu procuro alguma aspirina)."Sobre o mercado imobiliário"A atual ruína do mercado imobiliário deveria servir como lições simples para compradores de casas, bancos, corretores e governos. A aquisição de casas deveria exigir o pagamento à vista de ao menos 10% do valor do imóvel e prestações mensais que caibam confortavelmente no orçamento do mutuário. A renda do comprador deveria ser cuidadosamente examinada.""Colocar pessoas em casas, apesar de ser uma meta desejável, não deveria ser o primeiro objetivo de nosso país. Manter essas pessoas em suas casas deve ser a nossa ambição.""O ano passado foi terrível para a venda de imóveis, e 2009 não parece melhor. Nós continuaremos, no entanto, a realizar operações quando houver oportunidades a preços sensato[...]



Fundo Sparta Cíclico rendeu 1.175% desde 2005

Wed, 10 Dec 2008 17:56:00 +0000

(image) Em 39 meses de existência o Fundo Sparta Cíclico rendeu 1.175%.

Lembrando que todas as rentabilidades divulgadas no website da Sparta já são líquidas de taxas, ou seja, já estão descontadas as mesmas. Há apenas a incidência de 15% de IR no resgate, sobre o rendimento.

Vamos supor que uma pessoa investiu R$10.000,00 no início do fundo, hoje o montante teria se transformado em R$ 127.500,00. Com o auxílio de uma calculadora financeira é possível se chegar ao valor da rentabilidade média conseguida pelo fundo até este momento, que é de aproximadamente 118,8% ao ano ou 6,7% ao mês.

Confira a rentabilidade do fundo Sparta Cíclico mês a mês:

(image) É agora que começa a polêmica. E se o gestor conseguir manter essa rentabilidade anual de 118,8% ao ano, pelos próximos 5 anos?

É claro que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura, e é bem difícil que isso aconteça, mas não é impossível, e se o gestor conseguir? Quanto um investidor ganharia se investisse R$10.000,00 agora? Vamos conferir.

Na simulação número um além do depósito inicial de R$10.000,00, o investidor faria um depósito de R$10.000,00 após 12 meses, e um outro depósito de R$10.000,00 após 24 meses, investindo assim um total de R$30.000,00.

Na simulação número dois além do depósito inicial de R$10.000,00, o investidor faria apenas mais um depósito de R$10.000,00 após 12 meses, investindo assim um total de R$20.000,00.

Na simulação número três o investidor faria apenas o depósito inicial no valor de R$10.000,00.

(image) Mostrei este estudo para alguns amigos e as reações foram diversas. A maioria não acredita ser possível atingir um ganho tão alto apenas deixando o dinheiro investido. Outros acharam que é possível mas acham muito difícil.

Ninguém sabe o que vai acontecer nos próximos 5 anos, mas a verdade é que o gestor do fundo Sparta Cíclico realmente conseguiu a rentabilidade média de 118,8% ao ano, levando-se em consideração os resultados obtidos nos últimos 39 meses.(image)



Os Grandes Também Perdem

Thu, 16 Oct 2008 17:55:00 +0000

Você tem uma carteira de ações e está desesperado com a queda da Bovespa? Infelizmente seus problemas não acabaram, mas é interessante constatar que os grandes gestores de fundos de ações também estão amargando prejuízos.Eu sei que tem muita gente desesperada e que nem esses dados que vou apresentar serverm de consolo, porém, seria muito pior se só você estivesse perdendo e todo mundo ganhando, o que não é o caso.Fundo Tempo Capital FI AçõesRentabilidade em 2008: -22,32% (até 13/10)Este fundo apresentou resultados extraordinários de 1996 a 2007. Rentabilidade positiva durante 12 anos consecutivos, rentabilidade média de 44,60% ao ano, e rentabilidade acumulada de 8.295,33% (é isso mesmo, oito mil duzentos e noventa e cinco porcento).Só para se ter uma noção, quem investiu o mínimo exigido, trezentos mil reais, em 1996, e manteve até dezembro de 2007, viu seu patrimônio se transformar em R$ 25.185.975,56 (vinte e cinco milhões cento e oitenta e cinco mil reais).Repare que mesmo no pior ano do fundo, que foi em 1998, quando ocorreu a forte desvalorização do Real, ele não apresentou variação percentual negativa. Já este ano não teve escapatória.Data Início: 22/11/1995Taxa de Administração: 2% a.a.Taxa de Performance: 20% sobre o que exceder o IBXValor Mínimo Aplicação Inicial: R$ 300.000,00*Rentabilidade Média Anual: 44,60% (base cálculo: 12 anos)*Rentabilidade acumulada desde o início: 8.295,33% (até 2007)Site: http://www.tempocapital.com.br/Rentabilidade HistóricaFundo Dynamo Cougar FIARentabilidade em 2008: -39,13% (até 10/10)Este fundo também apresentou resultados impressionantes ao longo dos últimos 12 anos.Data Início: 01/09/1993Taxa de Administração: 2% a.a.Taxa de Performance: 15% sobre 100% do IGP-M + 6%Valor Mínimo Aplicação Inicial: R$ 100.000,00*Rentabilidade Média Anual: 36,40% (base cálculo: 12 anos)*Rentabilidade acumulada desde o início: 4.056,22%Site: http://www.dynamo.com.br/Rentabilidade HistóricaFundo BNY Mellon ARX Income FI de AçõesRentabilidade em 2008: -31,26% (até 13/10)Este fundo apresentava nove anos consecutivos de rentabilidade positiva.Data Início: 01/07/1999Taxa de Administração: 3% a.a.Taxa de Performance: Não háValor Mínimo Aplicação Inicial: R$ 50.000,00*Rentabilidade Média Anual: 39,14% (base cálculo: 9 anos)*Rentabilidade acumulada desde o início: 1.854,63%Site: http://www.mellonbrascan.com.br/Rentabilidade HistóricaSe você quiser pesquisar sobre fundos de investimento basta acessar o Guia do Investidor no Portal da revista Exame, clique em fundos e depois em busca de fundos.Leia Também: Melhores Fundos de Ações para o Pequeno InvestidorMelhores Fundos de Ações - Parte 2O poder dos Juros Compostos[...]



Trava de Baixa - Resultado

Mon, 13 Oct 2008 19:33:00 +0000

(image)
No dia 26/09 montei uma operação de trava de baixa que pode ser verificada em detalhes no artigo "Mercado de Opções (4) - Travas".

Agora, faltando 5 pregões para o dia do vencimento das opções da série J, vamos ver o resultado da operação:


Resumindo rapidamente a operação
Venda 1000 PETRJ36 -- 2,50 -- Total = 2.500,00
Compra 1000 PETRJ38 -- 1,60 -- Total = 1.600,00

Esta operação é vencedora se PETR4 não ultrapassar 36,00.
Recebi 900,00 para montar a operação.

As cotações ao final do pregão do dia 10/10 ficaram assim:
PETR4 = 24,00
PETRJ36 = 0,11
PETRJ38 = 0,07

Devido à queda expressiva do mercado, o correto seria simplesmente esperar que as opções expirem sem valor no dia do vencimento e ficar com os 900,00. Mas vamos desmontar a operação só para fins de estudo.

Para desmontar a operação eu compro onde estou vendido e vendo onde estou comprado:
Compra 1000 PETRJ36 -- 0,11 -- Total = 110,00
Venda 1000 PETRJ38 -- 0,07 -- Total = 70,00

110,00 - 70,00 = 40,00

Este foi o valor que eu "gastei" para desmontar a trava, 40,00.

Então 900,00 - 40,00 = 860,00 (Este é meu lucro)

Apesar deste trade ter sido vencedor este não é um bom exemplo. Digo isso porque estamos em meio a uma grande crise, em que as oscilações dos ativos tem sido muito exageradas.

O objetivo desta simulação era demonstrar que as opções perdem cada vez mais valor com a proximidade do vencimento. Já sabemos que se a ação cair fortemente as opções também cairão, isso não é novidade.

Na operação de trava de baixa tanto o lucro quanto o prejuízo são limitados, você já sabia desde a montagem da operação que seu lucro máximo era de 900,00 e seu prejuízo máximo era de 1.100,00. Então não interessa se Petrobras vai cair 5% ou 30%, você já sabe que para ganhar basta que a ação não ultrapasse o strike da opção que você vendeu, que foi a PETRJ36, basta que não ultrapasse os 36,00.

Só para você ter uma noção do exagero que ocorreu nos últimos pregões, para que esta trava desse errado, as ações da Petrobras teriam que subir mais de 50%. Portanto não tomem este exemplo como único.

A trava de baixa é uma excelente maneira de retirar dinheiro do mercado em períodos de queda, mas é preciso que você saiba que esta operação pode ser vencedora mesmo em uma pequena queda. O que eu quero que fique bem claro é que o resultado seria o mesmo se PETR4 fechasse em 35,90 no dia 20/Out, dia do vencimento das opções.(image)



Acompanhamento Carteiras - Setembro

Mon, 13 Oct 2008 01:56:00 +0000

Esta área disponibiliza duas carteiras criadas pelo XiNvest, e dois fundos de investimento diferentes para fins de comparação e estudo.Veja a descrição:Carteira XiNvest - Simula o investimento nas ações das seguintes empresas - Petrobras PN (PETR4) - Usiminas PNA (USIM5) - Gerdau PN (GGBR4). Sendo que USIM5 e GGBR4 tem maior peso na carteira por ter maior potencial de valorização até o fim de 2008. Composição: USIM5 - 40% / GGBR4 - 40% / PETR4 20%Carteira Moderada XiNvest - Simula o investimento nas ações das seguintes empresas - Petrobras PN (PETR4) - Vale do Rio Doce PNA (VALE5) - Papéis de Índice Brasil Bovespa (PIBB11). Uma carteira com ações das duas maiores empresas do Brasil, com maior peso para a Petrobras, e 20% em PIBB, que respresenta as 50 maiores empresas listadas na Bovespa. Composição: PETR4 - 50% / VALE5 - 30% / PIBB11 - 20%Fundo GF Programado FIA - Este fundo da corretora Geração Futuro vem obtendo excelentes resultados desde sua abertura. A corretora Geração Futuro recebeu várias premiações como a de melhor gestora de fundos de ações dos últimos 5 anos, e se destaca por investir à maneira de Warren Buffett, mantendo as ações em carteira por longos períodos, em média 6 anos.WebSite Geração FuturoPara visualizar a composição da carteira deste fundo acesse o site da Geração Futuro e clique em GF Programado FIA.Reportagem Revista EXAMERanking Melhores Fundos de Ações - Revista Você s/aFundo Sparta Cíclico FIM - Este é um fundo da gestora Sparta Asset Management que se enquadra na categoria multimercado e tem perfil bastante agressivo. A carteira é composta de, no mínimo, 67% de ações de primeira linha - blue chips - e o restante é distribuido em operações com commodities agrícolas e energéticas, tais como boi, grãos, soft commodities e petróleo, além de moedas, índice de ações e taxas de juros. Este fundo vem apresentando resultados extraordinários, principalmente se comparado aos resultados pífios obtidos pela maioria dos fundos multimercados nos últimos anos. Em 2007 apresentou rentabilidade de 245%, e em 2008 - até o dia 30/06 - 133%. Desde seu início em 19/10/2005 o fundo apresenta rentabilidade acumulada de impressionantes 1.305%.WebSite SpartaReportagem Gazeta Mercantil - Junho/2008Reportagem Revista Istoé Dinheiro - Maio/2008Reportagem Valor Econômico - Abril/2008ATENÇÃO: Este estudo será atualizado MENSALMENTE.SETEMBRO 2008Acesse também o resultado das carteiras de outros meses:JunhoJulhoAgostoFontes:InfoMoneyWintrade (Alpes Corretora de Câmbio Títulos e Valores Mobiliários S.A.)Geração Futuro CorretoraSparta Asset Management[...]



Mercado de Opções (4) - Travas

Tue, 30 Sep 2008 00:17:00 +0000

Importante: Os artigos desta série sobre Opções são interdependentes portanto para se entender este artigo e os subsequentes é de extrema importância que se leia os anteriores.Eu tive muita dificuldade para entender como se opera do lado vendido, e acredito que muitas pessoas que estão começando no mercado de opções tenham a mesma dificuldade. Não entrava na minha cabeça que era possível vender uma opção sem a possuir - sem ter que fazer uma compra antes - e depois de vender esta opção recomprá-la por um preço mais baixo e ficar com a diferença (o que seria meu lucro).Vender no mercado de opções significa vender o que não se tem com o objetivo de comprar mais barato se o mercado não subir.Vender opções é uma das melhores formas de colocar as probabilidades de lucro ao seu lado. Como veremos neste artigo, uma grande vantagem de vender opções em vez de comprá-las é que, acertar a direção do mercado não é o fator principal para se ter lucros. Claro, é útil pegar a direção certa, mas o trade pode ser vencedor mesmo que você esteja errado no que diz respeito à tendência do mercado.O grande problema dos compradores de opções é que eles simplesmente não conseguem acertar a direção do mercado dentro do tempo destinado ao trade da opção, ou eles erram completamente a tendência desde o início. Vender opções dá uma margem de erro enorme em sua avaliação da tendência do ativo subjacente (ação).Outro inimigo principal do comprador de opções, e que trabalha a favor do vendedor, é o conceito de "decaimento pelo tempo" ou perda de valor pela passagem do tempo. Para o comprador de opções, o decaimento pelo tempo é um obstáculo que ele terá de encarar todos os dias. O decaimento pelo tempo é uma característica das opções que descreve a erosão de seu preço, fazendo com que ela perca um pouco de seu valor dia após dia, sem levar em consideração se a ação subjacente se movimenta ou não.Isso é bastante evidente nas opções no-dinheiro (ATM) e fora-do-dinheiro (OTM). Quando você compra uma opção ATM ou OTM, está pagando por algo que não tem nenhum valor real ou intrínseco. Você está comprando algo que é totalmente precificado a partir do valor de expectativa e da quantidade de tempo que falta para o vencimento. Conforme os dias passam e a opção ainda não é dentro-do-dinheiro, seu prêmio é reavaliado para um valor menor (considerando que todos os outros fatores se mantenham constantes). Quanto menos tempo para ser lucrativa, menor será o valor da opção. Isso é o decaimento pelo tempo. Se você opera opções há muito tempo, pode ser que já esteja ciente disso, mas muitos traders novatos não entendem o conceito.No artigo anterior mencionei a Grega theta. Theta nos dá o valor em termos absolutos (dinheiro) do decaimento pelo tempo diário para cada opção. Adiante veremos como o decaimento pelo tempo é parte fundamental para o sucesso das opções e causa do fracasso de muitos compradores de opções.A forma mais comum de se operar opções do lado vendido é montando uma trava de baixa, também chamada de reversão. Com a trava você diminui e limita o risco da operação.Vou dar um exemplo de uma trava no-dinheiro (ATM), que é a mais utilizada. Existem outros tipos de trava, mas para este artigo vamos nos concentrar nesta.Para montar uma trava você deve vender uma opção e comprar outra opção na mesma quantidade e de strike superior.Por exemplo:Na operação demonstrada na figura abaixo, você executa duas operações: Vende a opção PETRJ36 e compra a opção PETRJ38.Data da montagem da operação: 26/09/08Cotação PETR4 = 35,96Data do vencimento das opções da série J: 20/OutPregões até o vencimento[...]



Acompanhamento de Carteiras - Agosto

Mon, 08 Sep 2008 19:21:00 +0000

Estamos inaugurando uma nova seção do site. Esta área disponibiliza duas carteiras criadaspelo XiNvest, e dois fundos de investimento diferentes para fins de comparação e estudo.Veja a descrição:Carteira XiNvest - Simula o investimento nas ações das seguintes empresas - Petrobras PN (PETR4) - Usiminas PNA (USIM5) - Gerdau PN (GGBR4). Sendo que USIM5 e GGBR4 tem maior peso na carteira por ter maior potencial de valorização até o fim de 2008. Composição: USIM5 - 40% / GGBR4 - 40% / PETR4 20%Carteira Moderada XiNvest - Simula o investimento nas ações das seguintes empresas - Petrobras PN (PETR4) - Vale do Rio Doce PNA (VALE5) - Papéis de Índice Brasil Bovespa (PIBB11). Uma carteira com ações das duas maiores empresas do Brasil, com maior peso para a Petrobras, e 20% em PIBB, que respresenta as 50 maiores empresas listadas na Bovespa. Composição: PETR4 - 50% / VALE5 - 30% / PIBB11 - 20%Fundo GF Programado FIA - Este fundo da corretora Geração Futuro vem obtendo excelentes resultados desde sua abertura. A corretora Geração Futuro recebeu várias premiações como a de melhor gestora de fundos de ações dos últimos 5 anos, e se destaca por investir à maneira de Warren Buffett, mantendo as ações em carteira por longos períodos, em média 6 anos. Desde seu início em 10/05/2006 o fundo apresenta rentabilidade acumulada de 114%.WebSite Geração FuturoPara visualizar a composição da carteira deste fundo acesse o site da Geração Futuro e clique em GF Programado FIA.Reportagem Revista EXAMERanking Melhores Fundos de Ações - Revista Você s/aFundo Sparta Cíclico FIM - Este é um fundo da gestora Sparta Asset Management que se enquadra na categoria multimercado e tem perfil bastante agressivo. A carteira é composta de, no mínimo, 67% de ações de primeira linha - blue chips - e o restante é distribuido em operações com commodities agrícolas e energéticas, tais como boi, grãos, soft commodities e petróleo, além de moedas, índice de ações e taxas de juros. Este fundo vem apresentando resultados extraordinários, principalmente se comparado aos resultados pífios obtidos pela maioria dos fundos multimercados nos últimos anos. Em 2007 apresentou rentabilidade de 245%, e em 2008 - até o dia 30/06 - 133%. Desde seu início em 19/10/2005 o fundo apresenta rentabilidade acumulada de impressionantes 1.305%.WebSite SpartaReportagem Gazeta Mercantil - Junho/2008Reportagem Revista Istoé Dinheiro - Maio/2008Reportagem Valor Econômico - Abril/2008ATENÇÃO: Este estudo será atualizado MENSALMENTE.AGOSTO 2008Acesse também o resultado das carteiras de outros meses:JunhoJulhoFontes:InfoMoneyWintrade (Alpes Corretora de Câmbio Títulos e Valores Mobiliários S.A.)Geração Futuro CorretoraSparta Asset Management[...]



Mercado de Opções (3) - Gregas

Sun, 07 Sep 2008 22:28:00 +0000

Importante: Os artigos desta série sobre Opções são interdependentes portanto para se entender este artigo e os subsequentes é de extrema importância que se leia os anteriores.Opções: fora-do-dinheiro (OTM), no-dinheiro (ATM) e dentro-do-dinheiro (ITM)OTM - out-of-the-moneyATM - at-the-moneyITM - in-the-moneyQualquer opção cujo preço de exercício (strike) é mais alto do que o preço atual da ação é considerada fora-do-dinheiro (OTM). Por exemplo, se a PETR4 está cotada a R$31, então todas as opções com strikes acima de R$31 são OTM. Qualquer strike próximo ao preço atual da ação é considerado no-dinheiro (ATM). As opções de PETR de strikes R$30 ou R$32 seriam consideradas ATM. Por último, qualquer strike com preço de exercício abaixo do preço atual do ativo subjacente é considerado opção de compra dentro-do-dinheiro (ITM).Se a PETR4 está a R$31, todos os strikes abaixo desse preço seriam ITM. Ou seja os strikes R$28, R$26 e assim por diante.É de suma importância conhecer esses termos para saber selecionar a opção correta no momento de operar.GregasO preço ou "prêmio" de uma opção depende de diversas variáveis:- Cotação (preço) do ativo subjacente (ação)- Preço de exercício da opção- Dias que faltam para o vencimento da opção- Volatilidade- Taxas de juros- DividendosOs formadores de mercado (market makers) utilizam programas (softwares) para precificar cada opção de acordo com todas as condições que existem no momento.As "Gregas" são subprodutos da fórmula de precificação de opções.Conhecer duas das Gregas - delta e theta - é de suma importância para todos nós.ELAS SÃO TÃO IMPORTANTES QUE NINGUÉM DEVERIA OPERAR OPÇÕES SEM SABER O QUE SÃO DELTA E THETA !!!Em resumo, o delta nos diz quanto o preço da opção irá variar em relação a um movimento de R$1 no ativo subjacente (a ação) e o theta nos mostra quanto o preço (prêmio) de uma opção irá decair pela passagem de um dia.DeltaOs valores de delta variam de 0 a 1,00, sendo 1,00 a maior correlação com a ação. É expresso em números percentuais, logo, o delta varia de 0% a 100%, mas você irá vê-lo apresentado em decimais. Um contrato de opção que tenha um delta de 0,60, por exemplo, verá seu preço alterar 60% da variação do preço da ação, assumindo que todos os outros fatores permanecem inalterados. Se uma opção de compra da VALE custa R$4,50 com um delta de 0,60, e a ação da VALE sobe de R$36 para R$37, teoricamente, essa opção deve variar R$0,60, subindo para R$5,10.O que você precisa perguntar a si mesmo antes de comprar qualquer opção é: "Posso esperar um bom movimento da opção que escolhi em relação ao movimento da ação?" A maioria das pessoas não entende essa propriedade das opções. Elas acham que podem comprar qualquer call (opção de compra) no mercado e que esta irá variar expressivamente desde que a ação se movimente também. Não é sempre que isso acontece. Tenho certeza de que muitos de vocês já passaram por esta situação: você compra uma opção que vence em poucas semanas, vamos dizer duas semanas, e a ação começa a se movimentar bem para cima; ainda assim, sua opção não está ganhando nenhum valor. Por que isso acontece? Bem, isso ocorre, principalmente, porque sua opção não tem delta suficiente o que é o usual nas opções OTM muito próximas do vencimento.As pessoas gostam dessas opções porque são baratas em termos absolutos.Você logo descobrirá que, ainda que sejam baratas, elas não estão dando o resultado esperado. Você deve focar em opções que tenham alta correlação com os movimentos da ação.Em seu livro "Fique Rico Operando Op[...]



Mercado de Opções (2) - O Básico

Mon, 01 Sep 2008 18:53:00 +0000

Vamos começar falando de Compra de Opções, que é a estratégia mais utilizada pelos especuladores iniciantes.Importante: Os artigos desta série sobre Opções são interdependentes portanto para se entender este artigo e os subsequentes é de extrema importância que se leia os anteriores.Não vou falar sobre opções de venda, pois no Brasil elas não possuem liquidez.Conceitos BásicosQuando se compra uma opção na verdade você está adquirindo o direito de comprar um lote das ações-objeto a um preço predeterminado. O prazo também é predeterminado.Vamos utilizar como exemplo a mesma opção do primeiro artigo. É uma opção da Petrobras de código PETRI30.No nosso exemplo, estamos no pregão do dia 26 de Agosto de 2008.Você comprou esta opção por 4,60, investindo um total de 460,00. Agora você tem o direito de adquirir um lote de 100 ações da Petrobras por um preço preestabelecido que é 30,00. Uma opção tem prazo para expirar, portanto você pode ficar com esta opção até o dia 15/Set.Onde eu vejo que o preço preestabelecido é 30,00? Repare na tela abaixo, ao lado da palavra Strike você pode ver o valor $30,00. Strike é o mesmo que preço de exercício.Como eu sei que esta opção vence no dia 15/Set?As opções vencem na terceira segunda-feira de cada mês.As opções têm validade, ou seja, são ativos extinguíveis. Assim sendo, as opções perdem, na data de vencimento, qualquer valor que possam ter.No Brasil, normalmente se negocia opções por um prazo de 30 dias.Você pode até conseguir comprar opções 60 dias antes da data de vencimento, porém elas só passam a ter boa liquidez faltando 30 dias para o vencimento.Resumindo, para ter o direito de comprar 100 ações da Petrobras pelo preço de 30,00, até o dia 15/Set você pagou um prêmio, esse prêmio foi de 4,60. Mas uma opção só é negociada em lotes de 100, portanto você desembolsou 460,00 para ter esses direitos.Como se formam os códigos das opções? Porque uma opção é PETRI30 outra é PETRJ40?As séries de opção são identificadas pelo símbolo da ação-objeto + uma letra + um número.A letra identifica o mês de vencimento e o número indica o preço de exercício (strike).Acompanhe:Símbolo da ação-objeto = PETR ou VALESérie (Letra utilizada) / Vencimento (Mês)A - JaneiroB - FevereiroC - MarçoD - AbrilE - MaioF - JunhoG - JulhoH - AgostoI - SetembroJ - OutubroK - NovembroL - DezembroVamos simular uma operação real de compra de opções.Supondo que as cotações sejam as seguintes:Pregão do dia 26/Ago/2008PETR4 = 34.15PETRI30 = 4.60Você, depois de estudar o mercado acha que as ações da Petrobras vão subir, então você compra 100 opções PETRI30 por 4,60. Investimento de 460,00 (4,60 x 100).CENÁRIOChegamos ao dia do vencimento (15/Set/08) e deu tudo certo, as ações se valorizaram bastante. PETR4 agora vale 37,00, valorização de 8,5% e a opção PETRI30 agora vale 9,30, valorização de 102%. Mas você pode pensar - "Valorização de 102% não é exagerado?" - Eu respondo que não. Algumas vezes é até mais alta, no caso de a ação subir forte como no nosso exemplo.Você pode fazer 2 coisas:A- Comprar 100 ações PETR4 por 30,00, exercendo assim seu direito já que você possui a opção com preço de exercício 30,00 -- e depois vender no mesmo pregão por 37,00.A conta é a seguinte: 3.700,00 - 3.000,00 = 700,00 --- Você lucrou 700,00 com esta operação, porém você gastou 460,00 para comprar a opção, portanto, 700 - 460 = 240,00OUB- Vender a opção PETRI30 por 9,30. 930,00 - 460,00 = 470,00. Então 470,00 é seu lucro nesta operação.ATENÇÃO: Se você não fizer nada, não toma[...]



Mercado de Opções (1) - Introdução

Tue, 26 Aug 2008 16:59:00 +0000

O Mercado de Opções é o mercado em que são negociados direitos de compra ou venda de um lote de ações, com preços e prazos de exercício preestabelecidos.De forma resumida, as opções são um ativo financeiro que pode ser comprado ou vendido, assim como uma ação ou um título.Elas são classificadas como "derivativos" porque o valor de uma opção é derivado de outro ativo, como por exemplo, uma ação.Esse mercado foi criado com o objetivo básico de oferecer um mecanismo de proteção ao mercado de ações contra possíveis perdas. Uma vez que os preços e retornos dos instrumentos financeiros estão sujeitos a flutuações imprevisíveis, as opções podem ser usadas para adaptar o risco às expectativas e metas do investidor.Os participantes do mercado que usam opções para limitar os riscos de oscilação de preços (operações de "hedge") são conhecidos como "hedgers". Entretanto, o mercado também precisa de participantes que estejam dispostos a assumir o risco: estes são chamados "especuladores".As opções permitem que o investidor "alavanque" sua posição, aumentando o retorno potencial sobre um investimento sem aumentar o montante do capital investido, pois o capital investido inicialmente para comprar uma opção é relativamente pequeno em comparação com o ganho.Contudo, quando dois investidores se comprometem em uma operação a ser realizada no futuro, os riscos são evidentes, todo o capital aplicado em opções pode ser perdido.Este artigo é o primeiro de muitos sobre esse assunto que é bastante extenso e complexo.Só para exemplificar, com uma das estratégias com opções é possível comprar uma ação, com um desconto no preço de 50% ou mais e assumindo somente metade do risco.Esta estratégia permitirá que você gaste menos dinheiro logo de primeira, tenha menos risco nas quedas do mercado e, ainda assim, possibilitará que você participe de todo o movimentodo mesmo modo que os que compraram diretamente a ação.Em resumo, você deve substituir a compra de ações pela compra de opções (calls).Como pagamos R$ 460,00 por algo que custa R$ 3.415,00 e terminamos com o mesmo produto e menos risco?No mundo das finanças, esse problema é resolvido com opções em vez da ação subjacente.Mas você tem de usar uma estratégia: comprar opções bem dentro-do-dinheiro (DITM).Não se preocupe se você ainda não sabe o que é uma opção dentro-do-dinheiro, vou explicar mais tarde.Observe a imagem abaixo. Esta é uma opção da Petrobras. O código dela é PETRI30.Você só pode comprar uma opção por lote de 100. Então se o preço dela é 4,60, você vai desembolsar 460,00 para ter um lote.Opção da PetrobrasAção da PetrobrasNo exemplo acima, para comprar ações da Petrobras (PETR4), você teria que desembolsar 3.415,00, já que um lote de 100 ações custa 34,15.Essas telas foram capturadas no dia 26/Agosto/2008, mais ou menos no mesmo horário. É possível perceber claramente como a opção segue o movimento da ação da Petrobras. A ação (PETR4) apresentava valorização de 1,01% enquanto que a opção (PETRI30) apresentava valorização de 6,98%.Da mesma forma acontece no mercado em baixa, quando as ações se desvalorizam as opções também seguem o ativo principal e apresentam desvalorização.Um ponto básico, mas muito importante. Quando você compra uma opção a única maneira de sair ganhando é esperando que o preço da ação suba. Se o mercado ficar de lado ou cair você perde. Parece óbivo não é mesmo? Mas existem operações com opções em que se obtém lucro quando a ação se desvaloriza.Essa estratégia, como qualquer out[...]



Análise Técnica x Análise Fundamentalista

Sun, 17 Aug 2008 22:01:00 +0000

(image) Quem nunca ouviu um analista fundamentalista criticando a análise técnica, ou o contrário? Sob o argumento de que a análise técnica é válida apenas para o curto prazo, os fundamentalistas criticam os técnicos, e na contramão, os analistas técnicos afirmam que a análise fundamental não possui timing.

Entretanto, existem analistas (eu me incluo) que são a favor da combinação das duas análises, e acreditam que as duas se completam. Enquanto a análise fundamentalista permite ao investidor saber quais empresas estão crescendo, gerando valor, possuem boa administração e boas perspectivas de retorno de investimentos, a análise técnica fornece ao investidor os indicativos para o momento certo de comprar, vender ou manter a ação.

Para utilizar as duas análises, é preciso conhecer um pouco sobre as duas. De forma resumida, a análise fundamentalista utiliza dados como lucros, receitas, despesas e outras contas dos demonstrativos das empresas para criar indicadores e fazerem projeções. Baseadas na comparação de indicadores e nas projeções obtidas, são feitas as recomendações.

Além destes dados, os fundamentalistas também costumam incorporar em suas projeções perspectivas para o cenário econômico, expectativas de fusões ou aquisições e projeções também para preços de insumos, demanda e etc.

Já a análise técnica é baseada no estudo do comportamento do mercado, principalmente através de gráficos e indicadores que permitem ao investidor identificar tendências de mercado. Os gráficos são baseados na oscilação dos preços e permitem a visualização dos movimentos do mercado, de forma que o analista tem a possibilidade de saber para onde podem ir os preços.

A diferença básica entre a análise fundamentalista e a análise técnica é evidenciada no objeto de observação das duas análises. Enquanto a análise fundamentalista estuda a causa dos movimentos do mercado, a análise técnica preocupa-se unicamente com os efeitos que causam alterações na oferta e demanda dos ativos.

No momento de montar sua carteira de ações, experimente combinar as duas análises. O primeiro passo é, através da análise fundamentalista, selecionar as ações cujas empresas são consideradas atrativas, ou seja, vem crescendo ao longo do tempo, e não apresentam riscos financeiros significativos.

Ativos com bons fundamentos, permitem que você não passe horas acompanhando o mercado e fique sujeito à volatilidade do papel.

Ao mesmo tempo, ao utilizar a análise técnica, você poderá ter a percepção do rumo dos preços do seu ativo, determinar preço alvo e preço de stop de acordo com seu perfil e com o que os gráficos dizem, minimizando suas perdas e evitando deixar passar os momentos que o preço das ações pode apresentar grandes oscilações e que os gráficos permitem visualizar (isso lhe parece familiar ?).

Este artigo foi escrito pelo amigo Christian, do site CHR Investor.(image)



Axiomas de Zurique - Parte2

Mon, 11 Aug 2008 11:33:00 +0000

No livro “Os Axiomas de Zurique” um grupo de banqueiros suíços ensinam como ganhar dinheiro em qualquer lugar do mundo. Você vai poder conferir as regras infalíveis que os banqueiros estabeleceram para diminuir os riscos enquanto aumentavam cada vez mais os lucros. São 12 axiomas principais e 16 secundários que se aplicam a qualquer tipo de investimento. Neles o leitor encontrará a chave para investir com sucesso à moda suíça.Este artigo consiste em um resumo dos Axiomas e será dividido em duas partes. Existem citações e resumos dos Axiomas de Zurique em diversos sites, no entanto, que fique bem claro que este resumo foi escrito por mim após o término da leitura do livro.Segunda ParteO 7º Grande Axioma: DA INTUIÇÃOSó se pode confiar num palpite que possa ser explicado.11º AXIOMA MENORJamais confunda palpite com esperança.REVISÃO 7º Grande Axioma (Estratégia Especulativa)O 7º Grande Axioma diz, então, que ambas as atitudes são erradas: ridicularizar categoricamente os palpites, ou confiar neles indiscriminadamente. Embora não seja infalível, a intuição pode ser um útil instrumento especulativo, desde que tratada com cuidado e ceticismo. A intuição não tem nada de mágico, nem do outro mundo. É simplesmente, a manifestação de uma experiência mental absolutamente comum: a de se saber alguma coisa sem se saber como se sabe.Se você tiver um palpite muito forte a lhe recomendar uma determinada jogada com seu dinheiro, o 7º Grande Axioma insiste em que tal palpite seja submetido ao teste. Só confie nele se puder explicá-lo, isto é, se for capaz de identificar, na sua mente, um banco de dados do qual pode supor, com razoável certeza, que o referido palpite se originou. Não tendo o banco de dados, descarte o palpite.O 11º Axioma Menor, por sua vez, adverte que palpites podem, facilmente, ser confundidos com esperança. Tenha cuidados especiais com lampejos de intuição que parecem prometer conclusões que você deseja muito.O 8º Grande Axioma DA RELIGIÃO E DO OCULTISMOÉ improvável que entre os desígnios de Deus para o Universo se inclua o de fazer você ficar rico.12º AXIOMA MENORSe astrologia funcionasse, todos os astrólogos seriam ricos.13º AXIOMA MENORNão é necessário exorcizar uma superstição. Podemos curti-la, desde que ela conheça o seu lugar.REVISÃO 8º Grande Axioma (Estratégia Especulativa)Vamos dar uma revisada no 8º Grande Axioma. O que tem a dizer sobre dinheiro, religião e ocultismo? Basicamente, diz que dinheiro e o sobrenatural fazem uma mistura perigosa, que pode explodir na sua mão.Mantenha os dois mundos bem separados. Não há a menor prova de que Deus se interesse pelo seu saldo bancário; tampouco existem indícios de que alguma crença ou prática ocultista tenha produzido, de forma coerente, bons resultados financeiros para os seus devotos. O máximo que já aconteceu foi alguém, ocasional e isoladamente, acertar uma vez na mosca. Isto costuma chamar muita atenção, mas só prova que golpes de sorte acontecem.Esperar ajuda de Deus, do oculto ou de poderes mentais é não apenas inútil, é perigoso. Pode acabar por leva-lo a um estado de graça, sem preocupações, o que, conforme já vimos, é um péssimo estado para um especulador. Zelando pelo seu dinheiro, parta do princípio de que está absolutamente só. Apoie-se exclusivamente nos seus próprios talentos.O 9º Grande Axioma DO OTIMISMO E DO PESSIMISMOOtimismo significa esperar o melhor, mas confiança significa saber como se lidará com o pior. Jamais faça uma jogada por otimismo apenas.REVISÃ[...]



Axiomas de Zurique - Parte1

Mon, 04 Aug 2008 19:01:00 +0000

No livro “Os Axiomas de Zurique” um grupo de banqueiros suíços ensinam como ganhar dinheiro em qualquer lugar do mundo. Você vai poder conferir as regras infalíveis que os banqueiros estabeleceram para diminuir os riscos enquanto aumentavam cada vez mais os lucros. São 12 axiomas principais e 16 secundários que se aplicam a qualquer tipo de investimento. Neles o leitor encontrará a chave para investir com sucesso à moda suíça.Este artigo consiste em um resumo dos Axiomas e será dividido em duas partes. Existem citações e resumos dos Axiomas de Zurique em diversos sites, no entanto, que fique bem claro que este resumo foi escrito por mim após o término da leitura do livro.Em minha opinião os axiomas são recomendados para o investidor que opera no curto prazo. Digo isso baseado nos próprios axiomas.O segundo grande axioma – da ganância – diz: “Realize o lucro sempre cedo demais."O terceiro grande axioma – da esperança – diz: “Quando o barco começar a afundar, não reze. Abandone-o."O décimo segundo axioma – do planejamento – diz: “Fuja de investimentos a longo prazo."Não teria lógica utilizar esses três axiomas acima, se você investe em ações com objetivos de longo prazo. Só para melhor ilustrar, quem opera à maneira de Warren Buffett, por exemplo, comprando ações pelos fundamentos da empresa e não simplesmente pelo preço da ação, e mantendo-as por vários anos, não pode utilizar alguns dos axiomas.Mas para quem opera no curto prazo essas regras são realmente valiosas. Apesar de eu não fazer uso delas para operar ações eu as utilizo para criar regras nas minhas operações com opções. Futuramente vou escrever bastante sobre o assunto “Opções”, aguardem.Agora vamos ao que interessa.Primeira ParteO 1º GRANDE AXIOMA: DO RISCOPreocupação não é doença, mas sinal de saúde.Se você não está preocupado, não está arriscando o bastante.1º AXIOMA MENORSó aposte o que valer a pena.2º AXIOMA MENORResista à tentação das diversificações.REVISÃO 1º Grande Axioma (Estratégia Especulativa)Façamos uma rápida revisão do 1º Grande Axioma. Especificamente, o que ele aconselha a fazer com o seu dinheiro?Manda arriscá-lo. Não tenha medo de se machucar um pouco. Geralmente, a taxa de risco em que estará envolvido não chega a ser de arrepiar os cabelos. Ao se decidir a enfrentá-la, estará se dando a única chance realista de pôr-se acima da pobreza.O preço a pagar por esta chance gloriosa é um estado de preocupação permanente. Esta preocupação, porém, insiste o 1º Grande Axioma, não é a doença que a moderna psicologia acredita ser. É o molho forte e picante da vida. Quando você se habituar com seu gosto, não passará mais sem ele.O 2º Grande Axioma: DA GANÂNCIARealize o lucro sempre cedo demais.3º AXIOMA MENOREntre no negócio sabendo quanto quer ganhar;quando chegar lá, caia fora.REVISÃO 2º Grande Axioma (Estratégia Especulativa)Vamos, então, repassar o que nos ensina o 2º Grande Axioma.Diz, “venda cedo demais”. Não espere a alta atingir o pico. Não espere que um período de ganhos prossiga indefinidamente. Não teste demais a sua sorte. Parta do pressuposto de que tais períodos são breves. Quando atingir uma linha de chegada previamente estabelecida, liquide a posição e caia fora. Faça-o ainda que tudo pareça cor-de-rosa, mesmo que continue otimista e que todo mundo em volta esteja dizendo que a alta continuará rugindo sem parar.A única razão para não o fazer será algum fato novo, cujo surgiment[...]



Acompanhamento Carteiras - Julho

Fri, 01 Aug 2008 20:13:00 +0000

Estamos inaugurando uma nova seção do site. Esta área disponibiliza duas carteiras criadaspelo XiNvest, e dois fundos de investimento diferentes para fins de comparação e estudo.Veja a descrição:Carteira XiNvest - Simula o investimento nas ações das seguintes empresas - Petrobras PN (PETR4) - Usiminas PNA (USIM5) - Gerdau PN (GGBR4). Sendo que USIM5 e GGBR4 tem maior peso na carteira por ter maior potencial de valorização até o fim de 2008. Composição: USIM5 - 40% / GGBR4 - 40% / PETR4 20%Carteira Moderada XiNvest - Simula o investimento nas ações das seguintes empresas - Petrobras PN (PETR4) - Vale do Rio Doce PNA (VALE5) - Papéis de Índice Brasil Bovespa (PIBB11). Uma carteira com ações das duas maiores empresas do Brasil, com maior peso para a Petrobras, e 20% em PIBB, que respresenta as 50 maiores empresas listadas na Bovespa. Composição: PETR4 - 50% / VALE5 - 30% / PIBB11 - 20%Fundo GF Programado FIA - Este fundo da corretora Geração Futuro vem obtendo excelentes resultados desde sua abertura. A corretora Geração Futuro recebeu várias premiações como a de melhor gestora de fundos de ações dos últimos 5 anos, e se destaca por investir à maneira de Warren Buffett, mantendo as ações em carteira por longos períodos, em média 6 anos. Desde seu início em 10/05/2006 o fundo apresenta rentabilidade acumulada de 114%.WebSite Geração FuturoPara visualizar a composição da carteira deste fundo acesse o site da Geração Futuro e clique em GF Programado FIA.Reportagem Revista EXAMERanking Melhores Fundos de Ações - Revista Você s/aFundo Sparta Cíclico FIM - Este é um fundo da gestora Sparta Asset Management que se enquadra na categoria multimercado e tem perfil bastante agressivo. A carteira é composta de, no mínimo, 67% de ações de primeira linha - blue chips - e o restante é distribuido em operações com commodities agrícolas e energéticas, tais como boi, grãos, soft commodities e petróleo, além de moedas, índice de ações e taxas de juros. Este fundo vem apresentando resultados extraordinários, principalmente se comparado aos resultados pífios obtidos pela maioria dos fundos multimercados nos últimos anos. Em 2007 apresentou rentabilidade de 245%, e em 2008 - até o dia 30/06 - 133%. Desde seu início em 19/10/2005 o fundo apresenta rentabilidade acumulada de impressionantes 1.305%.WebSite SpartaReportagem Gazeta Mercantil - Junho/2008Reportagem Revista Istoé Dinheiro - Maio/2008Reportagem Valor Econômico - Abril/2008ATENÇÃO: Este estudo será atualizado MENSALMENTE.JULHO 2008Acesse também o resultado das carteiras no mês de Junho.Fontes:InfoMoneyWintrade (Alpes Corretora de Câmbio Títulos e Valores Mobiliários S.A.)Geração Futuro CorretoraSparta Asset Management[...]



Queda x Resultados Empresariais

Tue, 29 Jul 2008 02:19:00 +0000

(image) Após um ano do estouro da crise do subprime, as perdas das principais bolsas do mundo somam 12 trilhões de dólares, a economia americana ainda preocupa e a inflação volta a amedrontar o mundo. Cresce a percepção de que não haverá uma solução rápida e fácil para essa situação.

Estava pensando, como é difícil tomar a decisão de voltar a comprar ações diante de um período de quedas como este que estamos passando. Nos últimos 30 dias o Ibovespa teve desvalorização de 13,14%, e as bluechips Petrobrás PN e Vale PNA tiveram desvalorização, no mesmo período, de 23,25% e 23,24% respectivamente – até 25/07.

Segundo reportagem da revista Exame as perdas na Bovespa só não foram maiores devido aos investidores brasileiros. Hoje, cerca de 500.000 brasileiros aplicam diretamente na bolsa, seja através de home-brokers ou indiretamente através de fundos de ações ou clubes de investimento. Nos últimos seis meses, investidores estrangeiros em fuga tiraram 6,7 bilhões de reais em ações da Bovespa, enquanto aplicadores brasileiros colocaram os mesmos 6,7 bilhões na bolsa, ajudando, assim, a diminuir o impacto da queda.

Mas será que essa queda condiz com os resultados apresentados pelas nossas principais empresas?

Olhando para os fundamentos da Petrobras, não há razão para tamanho pânico nos mercados. A estatal dará início às atividades de duas plataformas no segundo semestre desse ano, ambas com volumes consideráveis de petróleo por dia e a produção da Petrobras deverá mais que dobrar dentro de dois ou três anos, isto para não falar das novas descobertas.

A probabilidade de novas descobertas de reserva de combustíveis é alta, além dos novos testes geológicos em torno dos campos já descobertos, que devem ser divulgados em breve. É inevitável que, com o tempo, as ações voltem a subir.

Isso sem falar na Gerdau, Usiminas e Vale que continuam crescendo muito e apresentando excelentes resultados.

Economistas do FMI, que acabaram de atualizar suas previsões, estimam que o Brasil crescerá 4,9% neste ano e 4% no ano que vem. De acordo com o FMI a economia brasileira deve crescer acima da média mundial.

Para quem investe no curto prazo, essas informações sobre as empresas e a economia brasileira não interessam, mas para quem opera no longo prazo...(image)



ALERTA - Mercado de Lado?

Mon, 28 Jul 2008 18:07:00 +0000

No dia 17 de Julho postei um "ALERTA DE COMPRA" para o Ibovespa.
O estudo MACD apontava compra para o Ibovespa, porém, este mesmo estudo não apontou compra para algumas ações como PETR4 e GGBR4.

O que não acontecia desde dezembro de 2007, infelizmente, voltou a acontecer. O MACD apontou um sinal de compra falso. Pode ser que estejamos entrando em um período onde o mercado vai andar de lado. Nossa bolsa só volta a subir, no curto prazo, se os investidores estrangeiros voltarem a comprar.

Acompanhe nos gráficos à seguir que o Ibovespa ensaiou uma recuperação, depois recuou.
Já o estudo MACD da Gerdau (GGBR4) nem chegou a apontar compra, da mesma forma com o estudo da Petrobras (PETR4).

Ibovespa
(image)
Gerdau PN
(image)
Petrobras PN
(image) (image)



Emoção e Investimento em Bolsa

Thu, 24 Jul 2008 02:33:00 +0000

Escrito por: Mauricio Carvalho - Jornal Valor EconômicoDevemos tomar cuidado com nossas emoções, pois elas podem ser prejudiciais à nossa saúde financeira. Acredito que tentar acertar as oscilações da bolsa é um exercício fútil e estar sempre no mercado é a melhor maneira de ganhar dinheiro. É muito melhor manter os investimentos e agüentar as quedas - embora seja dificílimo aceitar ver o valor do nosso patrimônio se desvalorizar - para depois aproveitar as subidas.Pouca gente consegue saber quando as ações vão subir ou cair. Se olharmos o desempenho pífio dos fundos multimercados nos últimos meses, teremos um bom exemplo de que mesmo equipes bem qualificadas, focadas e motivadas, não conseguem acertar sempre.A estratégia correta é comprar quando se acredita que os preços estão bons e não quando o mercado está subindo. E vender quando os preços estão altos, e não quando os papéis estão caindo. Provavelmente, haverá meses em que a performance de sua carteira se descolará do índice, mas essa é a única maneira de se criar valor de maneira sustentável com investimentos em ações.Vamos aos fatos. Digamos que um investidor tenha participado da espetacular subida da bolsa nos últimos cinco anos. Nos 62 meses decorridos desde o início de janeiro de 2003 até o fim de fevereiro de 2008, por exemplo, o Ibovespa acumulou uma rentabilidade de 463%.No mesmo período, o Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI) rendeu 123%. Mas a bolsa tem uma particularidade: não sobe sempre. Na realidade, existe muita variação da rentabilidade entre os meses, sendo que vários deles podem até mesmo apresentar quedas. Já o CDI é uma aplicação muito mais tranqüila, as variações mensais são sempre parecidas.O investidor que acha que consegue se antecipar ao mercado vai tentar acertar quais desses 62 meses foram os meses bons. Resultado: vai entrar depois que a bolsa subir e vai sair depois que as ações caírem. E, nessa estratégia, o investidor provavelmente vai perder dinheiro porque as subidas são sempre muito concentradas em poucos meses.Se ele fizer a aposta errada e ficar de fora em apenas alguns desses meses bons, toda a sua rentabilidade ficará comprometida. Se nesse período de 62 meses, que foi espetacular para investimentos em bolsa, ele tivesse ficado fora nos oito melhores meses, ou apenas 13% da amostra, seu rendimento acumulado teria caído para 117% - abaixo do CDI.Ou seja, um erro de pouco mais de 10% em sua estratégia de "market timing" faria com que o investidor corresse muito risco, entrando e saindo da bolsa, e não ganhasse nenhum prêmio por isso. Seria muito melhor e mais tranqüilo ficar aplicado no CDI e ir jogar tênis. Mais um detalhe: ele ainda teria todo o custo de corretagem e o trabalho de análise e controle das ações.É claro que ninguém espera que um investidor bem informado erre todos os melhores meses da bolsa, mas meu argumento é que, mesmo se ele errasse apenas alguns meses, o impacto na rentabilidade seria considerável e comprometeria todo o esforço para prever os movimentos do mercado.Conclusão: para se ganhar dinheiro em bolsa é preciso estar sempre na bolsa.Mauricio R.A. Carvalho é professor no MBA do IBMEC-SP e sócio da Portfolio Administração de Recursos.Fonte: Jornal Valor Econômico[...]



Fale Conosco

Wed, 23 Jul 2008 18:27:00 +0000

(image)
Dúvidas - Sugestões - Críticas
























Nome :
Email :
Assunto :
Mensagem :
Imagem (case-sensitive): (image)

(image)