Subscribe: FARRAPOS NET BRECHÓ
http://farraposhelena.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
aula  devem ser  devem  docente  eja  ensino  mais  nas  não são  não  professor  sala aula  sala  salas aula  sem  ser  seu  são 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: FARRAPOS NET BRECHÓ

FARRAPOS NET BRECHÓ



Para quem tem bom gosto, sem sair de casa!



Updated: 2016-07-12T10:07:52.968-07:00

 



ORIENTAÇÃO ACADÊMICA

2015-03-03T12:46:27.776-08:00

Esta mensagem é dirigida apenas para graduandos e pós graduandos que gostariam muito de elaborar o seu TCC, o seu projeto de pesquisa, a sua dissertação, o seu artigo etc., mas não tem tempo de fazê-lo ou está um pouco desorientado. helenac541@gmail.com.br(image)



RETRATO DA EJA NA REDE PÚBLICA DE ENSINO

2011-01-24T13:09:00.481-08:00

Pesquisa recente me fez constatar a desconfiança que sempre tive acerca dos escritos em Educação, isto é, as pessoas que mais escrevem sobre Educação são apenas teóricos e desconhecem a realidade da sala e aula, por isso transfere ao docente os fracassos que essa modalidade vem enfrentando ao longo dos anos.A vivência em sala de aula que tive na década de 1990 nada se compara com a experimentação do século XXI. As pessoas são outras, os valores são outros. A única mudança da escola foi na questão do "bônus".A invenção do Caderno do Aluno - o qual nunca se acha o correspondente que seria o caderno do Professor - é insatisfatório, não possui uma sequência lógica, o que dificulta o ensino e, consequentemente a aprendizagem do aluno. Salas de aula lotadas, extremamente heterogêneas, quando as mesmas deveriam ser montadas procurando, ao máximo possível homogenizar a faixa etária para que não ocorrer assimetria tão pungente como a que ocorre hoje.Não há uma metodologia específica, o docente, através de sua percepção, detecta os problemas mais severos encontrados nas salas de aula e procura adaptar uma metodologia qye atenda - em partes - a sala inteira. O que não ocorre, evidentemente, por conta da grande diferença etária e de grau de conhecimento.A partir dessa constatação, o professor prepara não só o seu material, mas também o do aluno, sem receber nada por isso - tanto em tempo de dedicação, quanto  nos custos do materiais (toner, papel etc.).Seria então o docente o incapacitado para lecionar na EJA?Não, evidente que não.A incapacidade está na Equipe gestota, mais especificamente na Coordenação das escolas públicas que acumulam Ensino Fundamental, Ensino Médio Regular e EJA, não trabalhando bem em nenhum e para nenhum deles. O professor hoje encontra-se num barco sem remo, sem motor e sem bússola. É atacado e criticado de todos os lados, pelo patrão (o estado) e pela escola (equipe gestora). Cobra-se muito e até mesmo cobranças infundadas e pouco se oferece, a começar pelo apoio nas sugestões, nas reclamações e nas reinvidicações que não são suas, mas dos próprios alunos.Escola e governantes devem aceitar a verdade inexorável de que quem mais conhece os problemas em uma determinada sala de aula é o professor, e é eles que devem ser ouvidos; é eles que devem descrever e escrever suas experiências vivenciais. As metodologias, o material didático e as políticas de modo geral não devem ser escritas por leigos, isto é, por aqueles que não são presentes em sala de aula, ou que, nela pisaram há muitos anos atrás. A historia da EJA no Brasil precisa ser reescrita, contudo, por aquele que vivencia e não por aquele que acredita ser a utopia a realidade absoluta, porque aquele que experimenta que compartilha, não usa a EJA como instrumento político.Helena Colares [...]