Subscribe: Enquanto dormes
http://enquanto-dormes.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
apenas  ele      lhe  mais  meu  minha  noite  nos  nunca  não  quem  sem  sempre    tempo  teu  tudo 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Enquanto dormes

Enquanto dormes





Updated: 2016-09-07T21:37:38.385-07:00

 



Casinha branca

2011-03-18T03:17:54.455-07:00

Fui ter à casinha branca,
Com tempo para pensar.
Queria contar-te o meu sonho
Para que o podesses tambem sonhar.
A água estava fria
E molhava-me a ponta dos dedos
Fazia espuma, e chovia.
Lavou-me o passado e os segredos.
Sentei-me então à porta
No degrau maior, do cantinho,
Ouvi-te chegar de carro.
Senti-te livre, mas não sozinho.
Vinhas de cabeça leve
E os olhos pesados, no chão.
Eram as promessas que tinhamos feito,
Mais o culpa da solidão.
O degrau acolheu-te comigo,
E a casinha quis-te abraçar.
Eu teria ficado contigo
Mas dormi noutro lugar.
Porque a vida não parou
E a noite fez-se mais cedo.
Foi um amor que a tua mão afastou
Numa historia morta pelo medo!
Agora está tudo feito
Já não há mais que pensar.
Eu perdi o senhor do meu peito,
E tu a menina do teu olhar.
Gosto de voltar sempre áquela casa
Pequena, em frente ao mar.
Já nao tem o teu cheiro,
mas há o meu degrau para sonhar..



Doce

2012-06-26T05:15:16.770-07:00

Olho nos fundo dos teus olhos e vejo-me perder a calma. Misturo a tua respiração com a minha e consigo suspirar a tranpiração dos dois. Gosto de sentir a tua pele através da minha boca e das minhas mãos, que de minhas pouco têm quando nas tuas se perdem. Gosto que me apertes no teu colo. Que me contes ao ouvido desejos de fazer corar, e emoções que prendem o meu coração ao teu.
Eu sinto igual a ti. A menina paixão que nasceu sem aviso, já está mais crescida, e espera que a deixemos descobrir o resto...
É urgente fugir do mundo, e esconder-nos das horas. Oferecer-nos devagarinho, com tempo de nos sonharmos.
Aquela entrega que ainda não chegou, torna mais doce ver-te dormir.



1 Comentários

2011-02-28T15:49:39.888-08:00

Há muito que os pés da esperança haviam perdido a força para continuar o caminho, e os ombros dos sonhos já não suportavam o peso da desilusão.
Para tudo há um tempo! O da procura, da luta, e do regresso ao vazio de emoções.

Mas no meio deste caminho ela conheceu uma luz, um calor que passou a acompanhá-la para todo o lado.
Mais tarde reparou que cada vez que fechava os olhos sonhava com aquela luz, e que o tal calor a adormecia todas as noites. Era tudo novo, mas profundamente familiar...
Estranhando o que sentia, parou para ouvir a sua Alma que, vivendo no seu peito, sabia sempre tudo, mesmo aquilo que ela própria não sabia explicar...

"- Não é preciso teres medo. Vá, deixa-te ir...
   Assim que o abraçares vais ver que tudo faz sentido, se a tua cara tocar a dele ficarás sem folego, e vais querer explicar a magia dos beijos, mas apenas serás capaz de suspirar e sorrir.
     Os dias serão longos porque longa parecerá a espera, de tanta saudade daquele calor. E os reencontros roubar-te-ão o chão que pisas, e deixarão em silêncio o mundo à vossa volta. Não estranhes se te doer o coração quando essa luz estiver longe. Os passarinhos que moram agora no teu estomago existem para te lembrar que a luz vai voltar.
  O que virá depois não te posso dizer, serás tu a descobrir.


   ...Eu, tua Alma, já conheço a dele, e adormeçemos em descanso no aperto das vossas mãos."



1 Comentários

2011-03-18T03:40:43.018-07:00

É uma metade vida, é só metade chão para pisar. É um bolo sem açucar, a acompanhar com um café morno. É encolher os ombros, é perder sem sofrer, é abraçar sem força.
Não estar inteira: É metade amor, numa parte corpo, e outra parte... silêncio!

Tu eras uma parte de mim, e eu fui uma migalhinha tua...


2010



Enquanto te deixas dormir

2011-03-18T03:41:42.249-07:00




Sabes, enquanto eu for assim, está tudo bem.


Enquanto eu me perfumar para sair, e voltar tarde para casa. Enquanto o meu sorriso se soltar em gargalhadas despreocupadas, apesar de não estares lá para as ouvires. E eu me divertir toda a noite, todas as noites, aqui e ali, em espaços que não te importa conhecer...


E nos dias em que induzo o sono para parar de chorar, eu  guardar em silêncio cá dentro o que me é doloroso e difícil, porque não estás aqui para mim.


Enquanto tudo o que, na realidade, é meu, ficar apenas comigo...  Estará tudo bem, PARA TI, sempre!

2010





A pior parte

2011-03-18T03:37:44.471-07:00

A pior parte é a noite, a do silêncio, do espaço para pensar. A parte em se desarruma tudo na nossa cabeça, e acordam os monstros que vivem debaixo da cama. Então pensamos em tudo... No que temos para fazer amanhã, no que programámos mas nunca cumprimos, no que está longe de acontecer. Penso sobretudo no que não tenho ao pé de mim, no difícil e por isso valioso, no impossivel e por isso perfeito.

Hoje sinto que não te tenho, parece até que nunca te tive, que sou só minha, como se não tivesses existido. Porque não estás presente, não pelos kilómetros, mas porque raramente o és na minha vida. Não tenho, de todo, vontade de descobrir outros colos para me confortar, apenas percebo que sou só eu neste caminho, e mais nada. Mais ninguém.
Estou calma, sem estar tranquila. Mas durmo bem.
Hoje penso na desilusão que fui entertendo com almoços bem-dispostos e cinemas ao Domingo.
Não quero que só aquele nosso beijo nos prenda, que só a pele nos una. Que o toque, apesar de tão bom, não chegue ao coração.


Tu achas que está tudo bem, que não vai acabar. Eu sinto que nunca chegou a começar.


A noite é dificil...
Passa tudo à nossa frente.

Março 2010



0 Comentários

2011-03-18T03:42:37.857-07:00

Há uma parte de ti que te diz que não vale a pena, que estás sozinha na corrida, e que no final a meta não te fará sentir vencedora.
Há uma parte, em ti, que se cansou de esperar, porque só o sonho não chega, e só tu queres acreditar.
Há dias, como o de hoje, que te sentes apenas uma parte de alguém e não a sua metade.


Mas não mudas as coisas... o tal Todo em pequenas Partes... e deixas-te estar.


Então não te lamentes baixinho, nem tenhas pena de ti próprio! Não aceites pedaços de atenção em horas mortas, não fiques calado apenas porque não te sabem ouvir.

Não te tornes no pouco que vêm, em vez do tanto que és!


Outubro 2010



Um todo, pelas pequenas partes

2011-03-18T03:39:03.382-07:00

Sempre que entro neste espaço percebo o número de vezes que não vens cá, que não me lês. Que, assim sendo, não te interessas pelas minhas maiores características. Eu talvez não te seja aliciante quando não estou contigo. Não me podes beijar nem tocar.  A parte sentimental e pensativa não desperta desejo, logo não merece o teu tempo.
Será que eu sou só isso? Uma química perfeita, e uma boa companhia?
Será egoísmo teu ou embirração minha?


Não pretendo de todo que sejas idêntico a mim, não me serias estimulante. Mas gostaria que as nossas diferenças não nos afastassem, não criassem silêncios, expressões incompreendidas...  Que tudo o que te é estranho em mim te despertasse curiosidade, e quem sabe  interesse. Que este interesse, se não fosse de aprender mais um bocado sobre o tanto que não conheces, ao menos que o tivesses para conseguires formar opinião sobre as minhas ideias e, assim, poderes discordar delas se necessário.




Talvez eu tenha demasiados pormenores, quando viver é tão simples.

 

Eu talvez te peça demais, e tu sejas tão menos.     


Mas talvez eu esteja certa,

e amar seja um todo,

e não apenas partes.

Maio 2010



Só esta valsa

2011-02-07T16:32:39.532-08:00

A felicidade sente-se quando não paramos para pensar nela.
Torna-se real sem se fazer notar. Apenas sabemos que esteve presente  porque respiramos fundo, e sorrimos.
É tranquila, serena, talvez até silenciosa. Tem picos de euforia quando se mostra em gargalhadas e borboletas no estômago.

Mas requer trabalho, exige-nos atenção. A Sra. Felicidade quer sempre ser conquistada, com afinco e determinação! E quanto maior for a luta, maior será a sua estadia no nosso peito.

Mas nunca fica por muito tempo, dança só uma valsa, e esconde-se logo a seguir...

Na verdade, só se deixa enamorar por quem souber reconhecê-la, nas coisas mais simples da vida!



0 Comentários

2011-02-07T15:11:36.617-08:00

      O tempo que ela dedicava não parecia pertencer-lhe, sentia que era apenas carinhosamente emprestado. Ao corpo que deitava na cama, não lhe procuravam a alma. Ao toque, a vontade de possuir.
Ela queria ser abraçada com fúria, e que lhe roubassem o ar. Queria uma cena de ciúmes! Sonhava que lhe trouxessem rebuçados de surpresa, que lhe cantassem baixinho.
Queria saber que, se saísse para sempre, iria ser chorada.
Havia ainda praias por descobrir, à noite, só os dois. Havia palavras gritadas, e gestos em público, que ficavam sempre por fazer. Era tudo calmo, silêncioso, a conta gotas...

        mas um dia leu algures...

"Se alguém não te ama da mesma maneira que tu,
não significa que não te ame da melhor maneira que sabe"


       Então, olhou para ele e viu-o, não como o homem com que tinha sonhado; não como aquele que amara um dia com tão suposta perfeição. Mas percebeu que havia outra pessoa a tentar amá-la, e compreende-la. Que não sabia mais nada para além disso, não tinha nada guardado no bolso, artes de sedução, truques de magia nem palavrinhas de fazer corar. 
Alguém que era apenas inexperiência e medo da entrega, olhos verdes, tranquilidade.

E deixou-se ficar.

Ele vestiu-lhe o pijama e aconchegou-lhe os cobertores. E ainda hoje ela respira fundo e sorri, sempre que acorda com ele...








Canção de embalar

2011-02-07T16:26:08.449-08:00




Não tragas os medos para este espaço, tira as mágoas de dentro de ti. Descansa de espírito aberto, mesmo com a chuva espessa lá fora.

Silêncio!

Passa a mão pelo peito e inspira. Agora, desenruga a testa.
Deita-te comigo no algodão, aninha-te.
"Dorme que ainda a noite é uma menina, deixa-a vir também adormecer."
Amanhã haverá o Sol para aquecer o que restou de ti...


   Para a minha menina feita de maçã e canela


(object) (embed)



0 Comentários

2011-02-07T15:18:11.795-08:00

  ...

De todas as tardes quentes, esta foi a mais longa, a que mais a fez pensar. O vento abafado que corria da terra sussurrava-lhe aos ouvidos promessas de flores oferecidas, roubadas de um quintal.
      Caminhava até casa embalada pelas palavras que se reproduziam na sua cabeça, e a faziam rir sozinha na rua...




                                                   -Janta comigo!

Quero apresentar-te ás estrelas,
que de noite me ouvem a agonia
e mostrar-te as ondas,
a quem me confesso de dia.
Quero fazer do teu abraço
a minha companhia,
da tua gargalhada
 a minha própria alegria.
Há um verde de lima
nos olhos e na esperança.
Há fogo e há trigo
no cheiro da tua trança.
És mais do que corpo!
És a fénix e a cinza,
és o que me falta num todo, 
és o perfume que fica!




A pequenez

2010-07-21T12:18:00.388-07:00



Tenho pena dos que, tendo tanto, não conhecem

nada. Dos que, temendo o frio, não sentem o

vento!

Dos que já sabem tudo,

dos que não erram, e não se sentam no chão!

Lamento pelos que nunca perderam, pelos nunca

sofreram, pelos que nunca sujaram as mãos!

E Ai de quem nunca chorou! De quem nunca se

 arrependeu, de quem nunca precisou de

 um abraço.



Cartas à minha flor III

2010-07-08T16:38:53.676-07:00

"Um dia vamos acordar com vontade de pular da cama. Vamos vestir linho,  passear os cães e trazer pão quente para casa. Vamos passar a tarde a escrever, e a comer melancia fresca. Vamos parar para apreciar o dia escurecer e a lua subir, cor de laranja.
Tu e eu, vamos ouvir quem amamos chegar a casa, tranquilamente.
Vamos jantar com muita gente à mesa, com confusão na cozinha, e cheiro a bolo de chocolate a torrar no forno.
Então, sentar-nos-emos no alpendre de casa a beber vinho, com uma caneta a prender o cabelo."

Um dia, minha flor, depois de tudo o que agora temos por fazer, vamos lembrar-nos da conversa de hoje e confirmar que realizamos mais do que se sonhou um dia.



Afinal o tempo fica

2011-02-07T16:17:23.599-08:00

Não páro as hora que fazem o tempo passar, nem as pessoas que me pedem para esperar, pensando que vivem o meu tempo e que eu partilho do meu.
Enquanto voam Primaveras e tardes amenas, eu fico aqui, mudo e renovo-me, mantendo-me sempre aqui.
As pessoas e o tempo passam, e nós passamos por ele, vivendo, enquanto na verdade ele se ri de nós. "Lutas miuda, para quê, por quem? Por que carícias forçadas pelo desejo da juventude, fugaz e vazio?"

Não páro nada à minha volta, só a minha respiração que, emocionada, se descontrola de cada vez que os nossos olhares se cruzam, a cada hora, em cada Primavera que passa.

"Afinal o tempo fica, a gente é que vai passando".



Bom dia II

2010-05-30T08:58:20.972-07:00

(object) (embed)



Roubo-te um beijo sempre que te digo bom dia. Sonho com o algodão doce da tua boca, de noite, e em finais de tarde, cheias de gente, quando ninguém repara que já não estou ali. Consigo ouvir a música do teu sorriso, e dançar com a sensualidade da tua imagem. Quero levar-te para longe, onde quem critíca não incomoda, e onde quem não sabe não chega lá. Quero misturar as nossas cores!
Eu e tu, temos tanto por fazer.



Hoje gosto de mim

2011-02-07T16:11:51.128-08:00

      Fazes-me borboletas no estômago, e emprestas-me felicidade instantânea. Como certas drogas, outros venenos como tu.
O vento gela. Mas só o que me toca a cara, o resto condensa-se em forma de suor para me percorrer as costas demasiado vestidas para ti.
      Não adormeço nunca, em vez disso fico a ver-te dormir, e a respirar com dificuldade. Gosto muito!
Conto as rugas que já tens, as marcas das queimaduras que fizeste nos braços, e penso que és demasiado igual a mim em certas coisas.
      Acordas e levas-me para o banho, queres que a noite não acabe, e que o telefone não toque nunca mais. Tentas prolongar um bem-estar que não existe, é apenas esticar a corda.
      Amanhã já estarás com outra, e não me falas... És doente, e adoeces-me a mente com tudo isto.

      Hoje gosto de mim, em primeiro lugar, acima de tudo, e de ti.
Não jogo às escondidas no teu sofá. Já não aceito o teu fio de prata.
Já não me dizes nada que valha a pena arriscar o meu tempo contigo, o meu pescoço.

O teu circo excedeu a lotação de histórias com mulheres. Es só isso, espectaculo fácil e degradante.






Esquina de rua

2010-04-27T11:48:56.864-07:00

"Tinhas o corpo cansado
E a cidade era tão fria.
Ninguém dormia a teu lado,
Ninguém sabia que amado
O teu corpo se acendia.


Andavas devagarinho
Pelas ruas de Lisboa
Em busca de algum carinho
Que fosse pão e vinho,
E te desse noite boa.


Eras triste e sorrias,
E mais nova se choravas
As palavras que dizias.
Tinhas dores e alegrias,
Mas só ternura deixavas.


Por ti não houve ninguém
Para quem te desses nua.
Podias ter sido mãe,
Podias ter sido alguém,
Mas foste esquina de rua."



Ele não sabia chorar

2010-05-30T08:56:02.811-07:00

Ele perdeu-o, deixou-o voar. O balão fugiu-lhe por entre os dedos, numa pequena distracção. Parou, quieto e calado, e pensou em chorar, mas não sabia fazê-lo. Então encolheu os ombros, continuou a caminhar.
Andou, andou, perdeu-se na cidade, conheceu cores novas, outros cheiros.
Até que se cansou de risos fáceis mas que não lhe faziam companhia.
Essa noite deitou-se sóbrio, e sentiu-se sozinho. Lembrou-se "aquele balão ainda tinha o sopro dela.."
Então pegou no telefone, mas já era tarde. A noite tinha avançado com as horas. Quis voltar a falar mas desistiu, o orgulho era mais forte. E ele não sabia chorar...

O dia amanheceu.

Ela bateu-lhe à porta, arrancou-o da cama, berrou-lhe os ouvidos! Abanou-o pelos ombros, mostrou-lhe que alguma coisa estava a morrer. A apatia, a preguiça, o egoismo estava a afogar o que ele mais queria,  quem o tinha ensinado a amar.

Deixou-o no chão, nu, sem sossego. Com a água a correr.

Voltei para casa. Estou sentada a escrever, à tua espera.



Apenas coisas

2010-04-19T08:06:21.349-07:00

Há coisas que, apesar da nossa dedicação, não mudam. Coisas que transformam o nosso esforço em insistência, e mais tarde a insistência numa luta pessoal.
Há coisas que por serem repetidas, já não magoam, apenas desiludem.
Estas certas coisas na verdade são pessoas que tratam o que nos é importante... como uma coisa qualquer!



O teu passarinho meu

2010-04-23T08:34:24.053-07:00

No fundo das tuas costas mora um passarinho verde, que me canta baixinho, e me conta segredos quando adormeces. Nunca me esqueci dele, nem das tuas pestanas russas pelo sol, e do teu amor por mim que o fazia cantar.


E perguntas-me tu por ele, que não o ouves nem ninguém o vê...


Pois é só comigo que ele fala, só a mim canta baixinho. O verde daquelas penas é meu!
Assim como as tuas pestanas russas e os teus segredos enquanto dormes!



Festas privadas

2012-06-26T05:29:59.709-07:00



(image)



Havia um tempo em que eu me pensava presa, em que aquela união me sufocava, e a partilha diária me roubava pedaços meus. Sentia-me fechada, contida. A estabilidade eram muros, tão altos como a minha vontade de fugir.

Então escondia-me, vestia disfarçes, trocava de olhar, para mais tarde trocar de história. Adiantava o passo, corria pela noite e deixava-me apanhar.
Viajava com pressa e extâse, e com tanta solidão. Partilhava segredos, filmava pecados. Abria as portas ao Diabo para as nossas festas privadas.
Manhãs de riso e ressaca, depois das noites cúmplices, com sabor a glória.
Casas, ruas, e praias. Salas com gente e fumo, corredores apagados, e mundo e suspenso. Dormir é queimar tempo, ou mostrar afecto, por isso vou para casa. Tomo um banho, lavo a cara sem vergonha, e desco à Terra. "O que se passa na noite fica na noite", e voltava sempre ao meu mundo sem pesos na consciencia.

Agora, visto de cima, ficam as saudades daquela união que me alimentava, da partilha que me aconchegava os dias, e de todo o tempo em que eu na verdade não sabia sentir.



1 Comentários

2010-03-22T21:15:07.314-07:00

É então Primavera! Ou eu acordei de novo livre, como os pássaros que com ela chegam...



Para quê este blog?

2011-02-07T15:34:00.334-08:00

Vá, um texto curto, um desabafo final. Nada muito elaborado.


Escrevo sempre tanto, falo tantas vezes demais. As minhas palavras perdem-se no ar, por cima da mesa de jantar, dentro do carro.
São tantas que metade não são ouvidas, um terço não são assimiladas.
Expresso-me bem, sou objectiva nas descrições, ágil nos recursos estilísticos, fluida nas narrativas, em verso ou em prosa.
Mas a mensagem não passa...
-Fala menos! Pensa só para ti, e se possível abstem-te de sentir.


Então, para quê este blog?
Para curar frustrações?
Para me afirmar enquanto pessoa completa?


Quanto vale o meu todo, se sou apreciada apenas em partes?

De que serve este pôr do sol, para os cegos de espírito?



O que eu queria

2010-04-10T14:15:04.738-07:00

Apetecia-me ficar no meu canto.
Ter companhia sem fazer conta com ela.
Seduzir sem saber que já tenho o jogo ganho.

Queria não saber qual é o próximo passo.
Não olhar para o bem-estar como uma rotina.
Não pensar por dois.

Na verdade,

Queria apenas não me apaixonar, para não me desencantar.
Não confiar, para não me desiludir.
Não me entregar, para não ficar sem nada.

Queria não ver em tantas coisas boas, um fim anunciado, que desta vez ainda sonho que seja diferente.