Subscribe: Être Normal
http://franciscooverules.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
apenas  comentários  ela  ele    mais  mim  minha  nunca  não  quando  quero  sempre  ser  sim  tua  tudo  tão 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Être Normal

Être Normal





Updated: 2016-09-12T13:35:30.626+01:00

 



1 Comentários

2012-03-28T14:27:58.080+01:00

As minhas vontades cegam-me! A minha sede de vencer na vida está a ser um enigma que me deixa sem saber o que pensar.Estou perdido e com vontade desesperada de soluções.Se ao mesmo tempo estou repleto de objectivos por outro lado apetece-me abandona-los e deixar que a vida se encarregue de me mostrar o caminho...Gosto de certezas quando tudo parece falhar... gosto de segurança quando nada mais faz sentido... gosto de sentir que estou a lutar com um propósito e mesmo quando tudo me diz para não ir por esse caminho gosto de o atravessar...Nunca tive dúvidas do que sempre quis... nunca tinha encontrado o que não procurava... nunca falhei apenas pelo medo de falhar...Serei sempre sincero nas minhas palavras... se para alguem pode não fazer sentido quem realmente me conhece sabe apenas com um olhar que nunca te enganarei....Não preciso de ser uma ilusão quando posso ser palpável... Estou e sempre estarei aqui desde o primeiro dia...Tenho confiança que tudo pode ser diferente quando todos remamos na mesma direcção... A diferença entre o bem e o mal está apenas nos olhos de quem os ve...Não vou deixar que apesar de todos dizerem que estou errado mudar a minha forma de pensar.... O que sinto é bem diferente... e pode ser algo impossivel mas só eu vivo com a certeza do que quero e gosto...Peço-te o impossivel... Será assim tão impossivel? Não me digam para não querer voar quando existem pegadas na lua... Eu vou vencer tudo aquilo que me rodeia... Sempre vencemos não vai ser hoje ou no amanha que vai ser diferente...O que precisas para acreditar? Pede-me o universo, pois comparado aquilo que sinto...tudo se torna insignificante...Confia na racionalidade, nas tuas emoções e deixa a alma e espírito reveleram-se por si sós...Nada é mais importante que a tua felicidade... Abraça-a hoje e sorri amanha! Search Video Codes[...]



4 Anos em Viena

2012-01-18T19:36:58.627+00:00

"Uma vida inteira" - pensa ele. Agora,sentado no banco de autocarro de regresso à sua cidade natal, Paris,nada dos pormenores dos prédios e paisagens escapava aos seus óculos escuros que escoriam um azul brilhante de seus olhos já secos.Queria olha uma última vez para a cidade que o tornou homem. A cidade que o amou e foi amada. Aquela que o destruiu.Com já muito quilómetros de viagem marcados pelos seus óculos escuros e ainda pela frente, lá estavam eles. Não muito longe da fronteira com Espanha, o escuro dos seus óculos fixou apenas uma central hidráulica com o que o povo gosta de chamar de "ventoinhas" ao alto. O azul seco dos seus olhos rapidamente se encheu de lágrimas. Mas ele não ia chorar.Não. Era mais forte do que isso. Apesar de na mente lhe passarem mil e uma imagens dos momentos passados com ela, não iria fraquejar. Lembrou-se do perfume, suave,sedutor. Recordou o toque de veludo das mãos macias de princesa. O sotaque engraçado. O cabelo castanho sempre mal penteado. O sorriso. Sim,aquele sorriso que só ele conhecia tão bem. O sorriso que lhe lançou bem no meio daquela central. Lembrou os momentos, inesquecíveis, vividos a dois. As conversas sem fim pela noite fora, as saídas com os amigos e a dois. Recordou quando visitara o Palácio Imperial e ela se ajoelhou. Beijou-lhe a mão, e fê-lo sentir-se príncipe. Recordou que costumavam ir para ali. Noites a fio deitados na relva,embrulhados em cobertores, tentando solucionar problemas,adivinhar futuros, fazendo promessas e contando estrelas. Lembrou a estrela que ela tinha reservado para ele. Para eles. Como suposta prova de amor. Sim, o auge da relação agora destruída que tivera com ela fora ali.A lembrança da felicidade magoa.O azul brilhante. O escuro fixo nas altas ventoinhas. A voz que se faz ouvir do lado. Os olhos que fecham violentamente. A lágrima que lhe corre pela face,gritando,muda de desespero,quando ouve:"Já fui muito feliz aqui."Search Video Codes[...]



24 Comentários

2011-12-04T14:15:49.648+00:00

O tempo passou e eu cresci. Cresci tanto que penso que já nem me conheço. Será mau? Não, não de todo.. Estou mais homem, estou mais duro, devido a toda a crosta que criaste à volta do meu corpo, de todas as vezes que varri o chão, de todas as cabeçadas que dei naquele muro de granito, de todo o asfalto que rompeu os meus joelhos.Não entendo como um ser humano pode ser assim como tu o foste. Tão fria, tão orgulhosa contigo mesma. Sim! Foi o teu orgulho que fez tudo isto, que colocou a situação como ela ficou. Colocas-te pessoas que me eram queridas, que me eram amigas no meio de um tudo que já nem existia. Fizeste histórias nessa tua cabeça, que simplesmente não existiam, apenas formadas da tua insegurança. Não percebo o porquê ainda hoje de teres posto um muro de tijolo entre nós, não entendo simplesmente. Sim, não ia ser o mesmo, sim já não gosto de ti, mas gostava de adorar-te apenas por tudo o que fizeste por mim, dar-te a mão de vez em quando para tu a segurares quando estivesses mal. Mas tu.. tu simplesmente voaste para bem longe, ou melhor, fizeste com que eu voasse, quiseste que eu morresse para ti de uma vez. E eu ai perguntei-me: e a nossa amizade de anos? Onde fica ela?? Onde ficam os sentimentos de toda essa amizade? Será que te fiz tanto mal?  Sinceramente gostava de saber isso.. Tentei chegar a ti sim, mandei-te sms? Sim, mas não para me meter na tua vida, pois essa a mim não me diz respeito em ponto algo, nem eu quero fazer parte dela de alguma forma.. Pensei em fazer parte dela no inicio? Sim, sempre.. como teu amigo.. mas depois do que disseste, sinceramente.. respondi para mim com um redondo Não na minha consciência.. Não me iria rebaixar tanto..Fiquei parado? Não, claro que não.. Isso é para os fracos.. Começou a nova caminhada.. O trabalho árduo, os trabalhos, as aulas práticas, as frequências, a praxe mantiveram-me ocupado… e quando tive o meu pequeno tempo voei, voei para ver caras conhecidas, amizades antigas, que por pouco que me relacionasse devido a estar tão longe fizeram-se sentir nos momentos que necessitei, naquela terra, naquele pais a qual pertenço de alma e coração.. e o que descobri lá? Descobri que me consigo iluminar e que cresci tanto que só me faltam alguns danóninhos para ser como o Buz!Ps: desculpem ter estado tão ausente, mas necessitei deste tempoSearch Video Codes[...]



0 Comentários

2011-10-04T20:38:56.062+01:00



“Mas eu estive bebendo muito..Então eu vou ligar pra ela de qualquer jeito e dizer…Foda-se esse negro que você ama tanto….Eu sei que você ainda pensa nos momentos que nós tivemos….Eu direi foda-se esse negro que você acha que achou….E desde que você atendeu  eu sei que ele não está por perto



(Você está bêbado agora?)


Eu estou apenas dizendo que você poderia fazer melhor….Diga-me, você tem ouvido isso ultimamente?....Eu estou apenas dizendo que você poderia fazer melhor…E eu vou começar a odiar apenas se você me fizer odiar”




(object) (embed)
Search Video Codes



Miss'

2011-09-24T21:31:09.143+01:00

Ela sorriu para mim e disse-me: este ainda me dorme.No início, não percebi ou então não quis mesmo perceber. Finalmente, caí. Ele ainda dorme, sim. Dorme deitado ao teu colo, com as mãos na alma e com ela repleta de confusão. Dorme-te nos dias de vento, quando ele te passa mesmo ao lado e te levanta o cabelo. Dorme quando apertas as mãos à espera de que te saiam as letras daquele fundo que tens sempre medo de não chegar. Dorme-te quando não sabe o que errou, quando não sabe o que aquecer, o que está gelado.São todos os dias em que te olha, em que repara nesses teus grandes olhos e neles só vê a tua enorme paixão pelo mundo. Essa é a tua maior verdade. Sabes sorrir a cantar, fechar os olhos e ver o que todos se esforçam por ver. Ele gostava de te saber assim. Gostava! E tu não deixas, tu não dizes. Porque, no fundo, não és de ninguém. És tua, só tua. E quantas vezes já te tentaram chegar, quantas vezes já te tentaram guardar a alma no coração e levá-la para todo o lado. A tua voz consegue por ela iluminar a tua alma e fazer sair dentro de ti o que julgavas nunca conseguir mostrar.Foi uma prenda que te deram. Uma prenda que te embrulhou nos laços da memória e que te deram noites tão perdidas. E aí pensaste nunca pertencer-lhe e ser-lhe o que ele sabia que tu eras. Mas não quiseste saber. Os sonhos a ti não te diziam nada, a alma não era para ser falada e a magia era coisa de princesas. Arrumaste os sonhos, a alma e magia na gaveta mais funda do teu quarto. Quiseste que tas tirassem e que não mais as encontrassem. Não querias principalmente a alma no bolso de ninguém. Mas não a quiseste para ti.O estranho é sorrires assim. Sorrires como se nunca fosses morrer. E morreres como se nunca tivesses sorrido. És pura inocência. És uma prenda de aniversário nunca aberta. És um dia de natal só com a manha.Não sabes. És feliz assim. Assim despida do que a todos nos faz sofrer. Ultrapassas o medo e a desilusão com esse teu sorriso rasgado e com esse amor que tens pela vida que jamais alguém o perceberá. Não vês o mal. És cega da imperfeição. O cor-de-rosa e o cinzento são cores que te dizem tanto como as outras. E, no fundo, sabes viver. Só quem te sabe, conhece aquilo que levaste e não quiseste que ficasse. Soubeste desde cedo que a magia não era o que fazia falta. Não quiseste ser princesa, não soubeste entrar nos sonhos da fantasia. Mas tudo porque simplesmente o dispensaste.E agora amas. Para além do mundo, amas esse teu rapaz com alma, com fantasia. Procuraste nele o que um dia dispensaste em ti. Ele soube ser-te e faz por tu lhe seres a ele. E achas que ele ainda te dorme.... Quando sabes que quem nunca acordou foste tu.[...]



3 Comentários

2011-09-18T21:41:27.415+01:00

Como é que amizades de anos, sentimentos de anos, acabam assim de um momento para o outro apenas com desavenças que não têm cabeça, membros e pés?


Sinto uma agonia tão grande dentro de mim por este tipo de coisas ser assim.. coisas tão bonitas como é a amizade, que penso que é muito mais importante que o amor em si, pois uma pessoa sentindo amizade por outra, estão ali aglomerados sentimentos tão poderosos e importantes como: o carinho, preocupação, amor, confiança, alegria, orgulho, ciúme.. e o amor o que tem? Por vezes apenas paixão, obsessão, ciúme, fúria.. E se pensássemos bem fundo veríamos que nós não somos nada sem amigos, mas conseguimos ser algo sem uma namorada/o.

Sim, pois existem aquelas pessoas que num dia como outro encontram o seu príncipe ou princesa e acabam por apenas pensar neles, sem pensarem naqueles que a suportam, aqueles que estarão sempre lá, os amigos que estão lá atrás.. esses que iram lá estar se a relação não durar..

Sinto uma falta de pessoas que para mim foram tanto em momentos passados.. momentos esses tão grandes, grandes de anos, grandes de sentimentos, grandes de tudo.. e acabam assim porque simplesmente acabam.. não sei se será “saudável” para o ser humano –‘

Como me sinto com um buraquinho lá no Sitio’



7 Comentários

2011-09-07T13:27:23.112+01:00



perdu, la nostalgie, la souffrance, l'amour, les caresses, la vraie amitié ..



Il me manque



2 Comentários

2011-08-09T21:42:59.735+01:00






Como podes ser assim? Nunca ninguém te imaginaria assim, tão fraca, tão sensível, tão preocupada com a aparência, com aquilo que os outros pensam quando olham para ti, sim eles quando olham só te vêm o exterior e olha que mesmo com diferenças não és diferente de ninguém. Tu também te perdes na multidão que este mundo tem e guarda.
Tu, que te mostras forte, tu que fazes sempre aquela cara de desconfiada para tudo o que te rodeia, sim eu sei que é devido a tudo o que passaste até agora, sei que não foi nem é fácil quando te olham duma maneira que parece que não és daqui.. mas tu nunca viste aquilo que os outros vêm, sim quando estas com os teus amigos, quando te dás a eles por uns dias e soltas aqueles sorrisos tímidos para que ninguém repare em ti, para que ninguém veja nem que tenha algo para te julgar. Tu Foges.. e porque?? Tu que és mais forte que 20homens juntos, tu que tens tudo aquilo que muitas desejariam ter, aquela força de vontade, aquele clic que metes na cabeça quando queres algo desesperadamente.Tu a mim pareces-me uma grande, não, uma imensa mulher.. e eu? Eu vou estar ao teu lado contra tudo e todos aqueles que te tentarem criticar e deitar abaixo.

Eu, sim eu o teu amigo Francisco..

Aqui me despeço, Beijo e até mais uma vez.



10 Comentários

2011-07-03T21:27:27.748+01:00






"Passado? Sorri, pois aconteceu"
Frase com que agora vivo, momentos que a minha pessoa passou e talvez a minha alma tenha escapado...
Arrependimento em coisas que fiz, em coisas que dei, principalmente o meu corpo.. mas para quê estar aqui a dialogar sobre uma coisa que já não é mais o meu presente, nem parte de mim faz? Uhmm..
Pergunta que ontem me fizeram: Francisco estás feliz? a minha resposta foi um imenso: Sim..
Pelo tanto que sofri, pelo tempo que eu perdi com coisas que secalhar nem teriam valido apena perder todo o tempo ao qual me dediquei de corpo e alma..
Arrependimento? Não, sinceramente não me arrependo de nada do que fiz até agora, pois de uma maneira ou de outra fui imensamente feliz, amei, odeiei, tive imensos ciumes, tive ataques de raiva para comigo mesmo, fui infeliz, sofri.. mas acima de tudo sei dizer que depois de quase 4 anos nisto eu cresci tanto..
Fiz de mim um homem, fiz de mim alguem que eu tinha em mente de ser, fiz de mim aquela pessoa que é amada por aqueles que tem de estar perto, fiz de mim uma pessoa que as pessoas gostam de ter conversas, por muito dispersas que estas podem ser..
Sim meus amigos, homens não são aqueles que são grandes e tem a voz do dito "machão", não são aqueles que têm bruta barba, sinceramente nem gosto muito de a ter grande, pois até a minha mãe se queixa, diz que começa a tirar-me a "maciez" da pelezinha de miudo..
Sou grande de altura, em espiritio e em tudo aquilo que tenho de o ser :)

Sou feliz, graças aos verdadeiros amigos' e te-los é uma raridade!


Ps: Agora Optimos Alive, EUA e Cascais :),
Boas férias meus queridos amigos/as.



19 Comentários

2011-06-08T14:15:44.429+01:00


Houve um alguém que num dia comum como todos os outros, decidiu virar-se para mim, e com a sua gentileza toda me disse: Francisco, porque não escreves um livro?.. eu com uma resposta simples e clara disse: Acho que não tenho jeito para isso F’..

Meses passados..


Revejo na minha cabeça algumas das memórias que me restam daquilo que me disseste com algum significado e que por algum ou alguma coisa me marcaram pela positiva e vem ao de cima essa tua pergunta.. pergunto-me se realmente querias esse livro escrito e lançado por algumas das livrarias.. Sim, pois se esse livro fosse acerca daquilo que vivi durante estes dias, seria essencialmente com uma “costela” tua, mas não pela positiva.. seria ali desmascarada uma pessoa que eu pensei conhecer durante anos e que nuns meros dias, deitou para fora de si mesmo um “demónio” que me consumiu tudo o que tinha de bom com ela, todos os sentimentos se foram num sopro de ar que lhe saíra pela boca, tudo em mim que tinhas escrito a tua inicial, toda a tua essência em mim desapareceu com esse teu demónio..
Ainda hoje me vejo a pensar em algumas das coisas, para quais nunca irei ter uma resposta clara e verdadeira penso eu.. Como é que uma pessoa que ama outra, com aquela força que tu supostamente amavas, aquele jeito que tu dizias ter, aquela afinidade que me dizias sentir, aquela amizade que dizias querer manter para um sempre, ou por um futuro próximo, deixa assim de um momento para o outro e já com outra pessoa se encontra?
Não consigo encontrar resposta para isso, e nem me atrevo sequer a perguntar-te a ti, pois talvez nem serias tu a dar-me a resposta que tanto procuro mas sim o imenso demónio que em ti vive.. sim, não quero receber respostas pelas quais tu perguntas e respondes por mim, e eu ? onde fico nisto?
Eu: fico no meu espaço vazio, fico no meu mundo imenso, com as pessoas que sim, realmente são minhas amigas.. com aquelas que nunca me darão uma resposta amarga por coisas que eu nunca fiz..
As minhas sinceras… não tenho nada a dizer-te..

(varias caminhos para seguir)




11 Comentários

2011-04-22T13:12:41.121+01:00





Nao percebem cada palavra cada virgula cada ponto final.
Tambem nao e para ninguem perceber.Palavras sao codigos mascarados confundidos complexos. Ninguem percebe, ninguem pode comparar com vivencias suas, que ninguem chora ou sorria ou tenha pena de mim ao ler este texto, qualquer texto, nunca pensem que sabem. Nao as conhecem nao conhecem as minhas palavras nem o sentido que lhes dou, o meu sentido que e meu vem de mim inventado por mim alterado por mim sentido por mim. Podem adivinhar o resto a sobra o excedente do que inventei na palavra mas nunca o que eu senti quando a escrevi. Ninguem percebe. Ninguem percebe nada do que escrevo e do que sinto e do que sinto enquanto escrevo e tao simples quanto isto. E estupidamente tao simples quanto isto.



Ps: peço desculpa por nao ter pontuacao mas nao sei o que se passa e nao consigo por :S



4 Comentários

2011-04-04T13:58:30.091+01:00






PORTO CAMPEÃO!!!
Ansia de vencer, nem que seja sem LUZ..
Acompanhei em Lisboa, vindo festejar para o PORTO até as 7 da MANHA

PORTOOOO CAARRAAALLHHHOOO!!!!!!!!!



33 Comentários

2011-03-26T09:37:58.706+00:00



São dias como hoje em que só quero pedir-te o impossível.
Pedir-te que voltes. Pedir-te para nunca ter ido embora. Pedir-te.
Sei que farias o impossível se te pedisse. Mas não consigo chegar com a minha mão aí. A parte do coração que te pertence aí ficou. Mas precisas de mais do que a tua parte, precisas que a minha mão chegue, precisas de crescer e que eu vá junto contigo. E quem me dera poder dizer que ir é a única solução. Tu sabes (e soubeste) de forma tão perfeita tratar desta que é tão e só nossa. Sabes cuidar dela como se fosse sempre o sol dos teus dias. Sabes guardá-la em ti, apertá-la contra o peito, onde ela sempre esteve. Sabes precisar-(me). E é como se tivesse o poder nas mãoes, o poder de te dar um sorriso, de te fazer suspirar de alívio, de te mostrar o que eu sempre tive de ti e de te fazer ver, novamente, o que consegues tão perfeitamente ser e que esses teus olhos pequenos não te deixam conseguir ver. Se visses em ti o que vejo, não ias acreditar.
 Custa saber que me precisas e que eu não consigo chegar-te.
Custa falar contigo e sentir-te a sorrir quando sei que esse sorriso vai fazer-te chorar no dia a seguir ou mesmo depois. Pediste-me mais do que consegui dar-te.
 Mas essa dor, essa dor de me ter ido embora, não pode ser maior do que a amizade que soubemos ter e do tão bonito que juntos construímos.
Ensinaste-me. Mas do que a construir, ensinaste-me a manter.
 E agora, por mais que te recuses (até!) a sentir, eu não fui para tão longe como pensas. Estou um passo atrás de ti.
 A ti, uma das melhores das melhores...



29 Comentários

2011-03-19T22:35:46.831+00:00



"No homem, o desejo gera o amor.
Na mulhher, o amor gero o desejo."
( Jonathan Swift )

Trocaram-se olhares e - quem sabe?- pensamentos. Ela mergulhou na profundidade do pensamento d'Ele. Ele mergulhou no mais íntimo do corpo d'Ela.
Ela penetrou os seus olhos azuis. Ele, concentrado na beleza da sua face, lançou-lhe um meio sorriso matreiro. Ela respondeu com o seu mais sincero e envergonhado sorriso. Os seus olhos brilhavam e a imaginação duvidosa, perguntava-se se alguma vez poderia vir a conhecê-lo. Na mente d'Ele, apenas uma pergunta. Será que tinha dono?
Ele endireita-se e espera, impaciente, pelo olhar que sabe que Ela mandará. Aquele olhar que implora "vem ter comigo". Ela aprecia o seu estilo descontraído, enquanto ambos falam com os amigos e trocam olhares tímidos, de vez em quando. Ele coloca-se suficientemente perto para que Ela consiga notar o seu perfume subtil mas sedutor. Ela engole o aroma e deixa-se embevecer pela sua voz meiga. Suficientemente distante para conseguir falar com os seus próprios pensamentos, demasiado perto para não se deixar levar por eles. Deixa-se controlar pela voz da imaginação, deixa-se guiar pelas palavras da sua voz suficientemente longe mas demasiado perto para sentir o seu perfume e deixar o coração acelerar.
Lá estava ele. Aquele olhar que declarava que Ela estava a deixar-se levar pelos pensamentos. Já não eram crianças. Podia-se dirigir a ela sem nunhuma razão em especial. E foi o que fez.
Trocaram olhares novamente e o seu coração disparou quando o viu a aproximar-se.
Ele disse " Olá. Ela, corada, "Olá". Mas a voz do pensamento d'Ela dizia: " Ainda bem que vieste!". A d'Ele: " Na tua casa ou na minha?"..



37 Comentários

2011-03-12T17:30:10.593+00:00


Tenho na mão a mulher perfeita, essa que rejeito com todo o carinho de certeza. Mas as imperfeições daquela que amo nunca se contentam com os meus defeitos e minhas virtudes. Chego a pensar que nunca se contentarão. Sinto a calma daquela mulher que é perfeita e a raiva que transparece da mulher que me arrancou a vida do peito e prende junto dela. Se a trata bem ou mal? Não sei. Já não a sinto. Há muito que a deixei de sentir só porque ela a arrancou de mim com toda a força, de uma só vez. Imagino o cuidado e o carinho com que a mulher que não desejo, aquela que é a perfeição, trataria a minha vida, a minha existência. E tento não sentir a distância e o desprezo com que é tratada por aquela que a detém. Então choro. Choro como chora quem sofre da dor da perda. Choro como chora quem chora por amar alguém. Choro como se o que resta da minha existência dependesse disso. Porque choro? Acho que, no fundo, choro por querer e choro por não querer. Choro por não querer a perfeição e choro pela imperfeição não me querer. Porque é que o ser humano não foi feito para amar apenas quem o ama? Porque é que eu não amo aquela que me ama? Porque choro por aquela que não chora por mim? Oh cruel destino! Sim o destino! É ele quem comanda? Porra para ele!
Destino cruel. Mandas-me virar à direita. Sempre à direita. É para o fim do mundo, não é? Então tu conduzes-me sempre, sempre para a direita. Quero virar. Quero voltar atrás, mas sou impedido. Sou sempre impedido. Não pela mulher, não pelo amor, mas por ti, destino! Porra para ti! Deixa-me ir.Larga-me. Deixa-me andar à deriva, criar o meu próprio espaço, fazer o meu próprio futuro, viver a minha própria vida que deixaste que me roubassem. Porque é que só os mais fortes têm força para lutar contra ti? Mas eu não tenho força. Estou fraco. Não quero lutar mais. Quero adormecer. E não quero acordar. Deixa-me ir. Liberta-me desta corrente. A corrente do rio que leva à alma, que dá força. Porque a minha está a acabar. Não sou forte, não consigo lutra contra o destino. Posso com o amor mas não com o destino. Não com o futuro. Portanto, só posso pedir-te: não me conduzas para o fim. Não me faças virar à direita. Não agora. Não nunca mais. Porque eu já não tenho forças. nem esperanças. Nem sentimentos.
 Liberta-me, destino. Deixa-me voar livremente pelo mundo, pelo meu mundo, aquele que quero, aquele que posso criar, sem a tua ajuda. Desprende-me da imperfeição. Deixa-me ser perfeito! Suplicu-te! Liberta-me. Ou conduz-me à perfeição. É o caminho para a felicidade, não é? Então, leva-me. Conduz-me até ele. Deixa-me tentar viver. Mesmo que a minha vida ainda esteja presa àquela que a  prendeu. Mesmo que nunca seja feliz, deixa-me viver a felicidade.
  Deixa-me ir, destino. Ou conduz-me. Ou dá-me forças.
  Deixa-me, destino. Deixa-me viver.



36 Comentários

2011-03-01T19:13:07.750+00:00

Estávamos parados no cimo da minha rua. Já tinhamos vindo a correr desde a praça e, mesmo que agora tentássemos falar, não conseguíamos. Em nós só se viam os sorrisos, o ar de cansados e a cara corada de tanto corrermos. Nao havia razão para eu chegar a casa mais cedo, mas, naquele dia, obrigaste-me a correr contigo o máximo que conseguisse. Deste-me a mão como sempre. Já há algum tempo que o fazias, mas nunca quis perguntar-te o porquê desde que não deixasses de o fazer.Do cimo da rua já se via a minha casa, mas, quando lá chegamos, parámos ao mesmo tempo. A chuva tinha caído sem parar naquela tarde e a minha rua estava encharcada. Ainda sentia aquela chuva miudinha por cima dos meus cabelos e o vento levantava-mee o casaco, fazendo-me sentir o frio arrepiar-me.Lembrei-me de quando era pequeno e esperava ansiosamente pela chuva só para poder molhar um pé na água! Sabia tão bem aquela sensação de fazer alguma coisa de errado sem os pais saberem, chegar a casa e tirar os sapatos dizendo " que frio que tenho nos pés!" com o ar mais normal de sempre.Ainda estava a meio de mais uma das minhas tantas viagens à infância quando senti a tua mão apertar-me com mais força. Levaste-me. Disseste-me para fechar os olhos e tentar não ouvir ninguém. Quando me largaste a mão, não consegui manter os olhos cerrados e vi aquilo que nunca esperaria de ti. Estavas com os dois pés numa poça de água e não paravas de saltar como se tivesses cinco anos. Eu via a magia do teu sorriso, a felicidade da tua alma, o brilho intenso nos teus olhos.De uma certa forma, tudo em ti chamava por mim. Desde o cabelo despenteado às botas molhadas. Dede o teu mundo irreal ao sorriso dos teus olhos. Não tiveste medo de sorrir assim para o mundo nem de mostrar a felicidade que te explodia no peito da maneira mais gantástica possível. No início, só quis ficar assim ali. A olhar-te admiradamente. Tenho a certeza que, naquele momento, ninguém no mundo era mais feliz do que tu! Falaste para mim e eu não te ouvi, sorriste-me e eu vi-te a sorrir. Mais ao fundo da rua, conseguiste ver uma poça maior, agaraste-me e levaste-me para lá.Começou a chover cada vez mais. Chovia,chovia! Mas não queria tirar-te dali! Queria viver essa tua felicidade contigo, quera ter um sorriso como o teu! Quando me sentiste prestes a sair da poça, já mais parecida como uma piscina, puxaste-me para ti. Continuavas a sorrir e os teus olhos brilhavam mais. Eras um sonho, o meu sonho mais belo de sempre.Ficámos ali a olharmo-nos olhos nos olhos, sem falar, sem mexer. Apenas ali. Com as tuas mãos nas minhas, não chovia, não havia vento nem frio.E essa foi a última vez que te vi. Passei dias à chuva, metido numa poça, à espera que viesses ter comigo. Lá ninguém me via a chorar, ninguém sabia que esperava por ti. Durante uns tempo, sempre que lá ia, sentia-te a ti. Agora não. Talvez andes por aí à chuva ainda feliz. Ou talvez agora fujas dela. Eu não sei. Não sei de ti. Mas, andes por onde andares, aqui, à chuva, eu espero sempre por ti.( Antigo, mas nunca publicado )[...]



17 Comentários

2011-02-19T12:38:44.514+00:00




Vieste criança, como eu sempre te conheci. Deste-me um beijinho na face tão doce e pegajoso porque ainda não tinhas deixado os chupa-chupas. Ofereceste-me aquele sorriso que tanto pedi todos os dias, aquele olhar tão calmo de que em todos os segundos precisei. Apesar de me dizeres que estavas sempre do meu lado, que a tua alma sempre me acompanhava e que nunca tinha tido aquele vazio do meu lado direito, não era isso que me dizia a saudade que tinha de ti. Voltaste para mim tão alegre, tão serena, tão corajosa e sonhadora que esse tempo que tinha passado sem ti foi calcado pelos nossos pés, agora juntos.
Pediste-me para olhar para os sorrisos das outras almas que passavam por nós e tentar adivinhar quais eram os verdadeiros. Poucos, disse-te, e com alguns não concordaste. Pediste-me para observar os olhares de inveja e egoísmo. Contaste-ps tu, mas perdeste-lhes a conta. Pediste-me para pensar quanto tempo mais ia ver-te tão escura, a ti e ao mundo. Eu não te respondi. Pediste-me para imaginar o mundo perfeito; pediste-me para voltar contigo para as estrelas; pediste-me para não desistir; pediste-me para sorrir e para sonhar. Eu quis ir contigo, eu quis mesmo ir contigo. Tu não eras de cá, não eras de perto. Voltavas para mim quando não tivesses mais ninguém para fazer feliz. Não te odiava, não te queria longe. Queria-te para mim aos bocadinhos. Não sabia era quando voltavas, quando ias embora. Nunca sabia. Tu escondias-te tão bem, ias para tão longe daqui quando não estavas.
E agora vieste, criança, como eu sempre te conheci. Todos te invejam a ti, todos te querem por inteiro... Porque não voltas para mim aos pedacinhos? Eu não te quero toda assim. És forte, és imprevisível. És grande e fazes-nos passar uma vida a correr atrás de ti. Mas não vales tanto assim.
Vieste criança, como eu sempre te conheci. Toda assim eu não te quero, felicidade.

Ps: Sorri



11 Comentários

2010-09-25T18:15:03.350+01:00



Pergunta-me onde, quando, como. Eu digo-te o porquê.

Pergunta-me se vejo elefantes azuis ou se a minha face é iluminada por um sol verde, quente. Pergunta-me se ainda vivo neste reino encantado e perfeito, como um príncipe a pedir socorro. Pergunta-me se já cheguei ao fim deste mundo quadrado ou se já nadei até à Lua. Pergunta-me a maior barbaridade, não tem de ser nada de especial. Algo ao acaso, feito ao acaso. O que quer que seja que aguente e preencha este espaço vazio. Este espaço entre nós que não nega o sofrimento e onde quem governa é a razão, a rainha do mundo de todos. Pede-lhe que pare de apagar o fogo que derrete o meu corpo quando tu sorris. Esse sorriso eternamente louco no meio desta loucura de te querer loucamente. Tu. Que provocas um desejo proibido, escondido, que cresce, que alarga. Tu. Que, misteriosamente, apareceste do nada e que sei que um dia vais desaparecer com tudo, com tudo de mim, com tudo o que eu te dei.
Quero-te comigo. Mesmo nos actos mais simples, que é quando mais sinto a tua falta. Quero que me vejas a escrever, quero que vejas como me sento no sofá a ver televisão, como vibro com a música, como fecho as pálpebras com muita força e canto músicas durante o banho, quero que vejas a quantidade de cereais que coloco na taça de leite, todas as manhãs. Todas as manhãs em que tu não estás. Quero que me vejas a caminhar, como toco levemente as paredes brancas com a ponta dos dedos. Observa-me bem de noite, conta cada poro da minha pele, um por um. Quero que vejas que estou calmo. E quero que olhes para o céu, porque hoje eu pintei-o de um azul-escuro lindo, só para dizer o quão preciso de ti. Só para te mostrar a falta que me fazes e para te dizer que hoje escolhi um lugar para ti, no encanto das estrelas, das noites delicadas. No coração. No meu.
Foge comigo. Vamos para qualquer lado. Índia, onde ninguém conhece os nossos abraços, entre os lenços agarrados anos nossos corpos. E olha para mim enquanto sentes a minha respiração ofegante, enquanto eu voo, como pedaços pigmentados que espalham o brilho tardio da minha felicidade. Podes tirar um cigarro e fumar. Demora-te. Mas olha para mim e não te esqueças de me conhecer os medos, os segredos, todos os pedaços. Não quero que te canses de mergulhar nos meus olhos (os que brilham ao teu lado, quando me deixas sonhar), mas, mesmo quando te cansares, vou-te sempre deixar ficar. Aqui. Ali. Num sitio onde ambos nos percamos, porque não é difícil ficar longe do mundo, da revolução dos astros, da explosão de cor das flores. O difícil é ficar longe da razão. Com a razão, tu não estás. Nem aqui. Nem ali. A olhar, para mim.


( Ps: Desculpem a minha ausência, mas esta foi necessária.. continuo a escrever ).



10 Comentários

2010-08-08T21:34:15.587+01:00


Calá-mos a Boca a Muitos...




20 Comentários

2010-08-06T09:45:10.800+01:00



Já tinha sentido isto, mas não desta maneira.
Porque é que o passado se mete no caminho de um presente e de um futuro em construção? Este só trás pequenas pedras que nos fazem tropeçar e cair no meio das mesmas.
Tentava corar-me, tentava encontrar-me outra vez, ando perdido a algum tempo e no momento em que já percorrido imenso caminho, encontro uma pedrinha e derrapo na mesma...Caí...
Fico no chão a olhar para um fundo imenso, azul todo ele e dou-me por perdido novamente. Coração que derrete por dentro, já não está quente, já não bate com aquela intensidade.. Escolhe-se em mim, para que seja eu desta vez a protege-lo. Tarefa esta complicada, este mundo não dá para mim, sou um pequeno garoto que cada vez se afundo mais nele..
Fugir talvez seja a melhor decisão a tumar, pois tenho de ser eu o Herói desta vez..

-Ando faminto, faminto de alegria



33 Comentários

2010-07-19T09:55:37.153+01:00


Já não sei o que sou, já não sei o que sinto, ando como este tempo tão inconstante.
Inconstante não de não saber o que quero, o que sinto, mas inconstante com os meus comportamentos e com o meu ser. Não vou ser como muitos que dizem que tudo está igual, que tudo está bem, quando esse Bem nem ao longe se vê. Vou dizer apenas que já não sinto o mesmo, não apenas agora mas já a algum tempo, com aquelas discussões e mal entendidos, não sendo estes os culpados. Acho que o culpado nisto tudo não é ninguem, pois és como és e eu sou como sou. Mudanças foram feitas mas seremos sempre como no passado, apenas se mudam algumas migalhas.
Talvez tenha errado quando a algum tempo atrás me perguntavas se estava bem e eu respondiate com um sim, eu já não estava em mim, já não estava acente no solo.. andava por ai apenas a pairar. Aquele dia, em que tudo terminou, não foi devido às cabeçadas que demos naquele momento, mas ás restantes que já pairavam sobre mim à muito tempo.
Não te quero apagar de mim, és demasiado importante, mas não sei apenas como te irei ter na minha vida após tudo. Não sei se irei voltar como antes para ti, não sei como será. Não te irei dar respostas por dar, pois esse é um erro que muita gente dá por apenas querer agradar.

Apenas tempo, pois eu ainda te sinto nos meus ossos.


Ps: desculpem a minha ausencia, problemas com a internet.. mas agora é para ficar.



27 Comentários

2010-06-27T21:27:19.809+01:00



Ânsia tão grande que me corre já à uns dias. Não são apenas as notas dos exames, mas sim os meus sonhos que por elas são acorrentados.

Este calor que se faz sentir, faz com que percamos a cabeça por alguns momentos, dá-nos vontade de fazer pequenas loucuras, pequenos erros que por sua vez nos fariam sentir muito mais leves. Seriamos como os pequenos pássaros que vagueiam pelo imenso.
Tenho tanta vontade de desfazer-me da faculdade por um ano, apenas por um ano para poder fazer-te feliz com todo o tempo que tenho, dar-te toda a atenção, levar-te a voar comigo, levar-te ao mundo encantado que por vezes eu me refugio, gostava de fazer com que me conhecesses de uma ponta à outra para que dessa forma te sentisses mais segura de ti própria e até mesmo protegida. Mas tudo passa de um grande sonho meu, pelo menos a parte de deixar a faculdade por um ano. Mesmo este sendo pequeno, teria sempre uma barreira imensa à minha frente que me obrigaria a ir para ela. Mas o tempo, a dedicação, os voos.. tudo isso vai acontecer, com o tempo, de uma maneira ou de outra.




Um dia, seremos livres..


Ps: Desculpem a ausencia



0 Comentários

2010-06-27T11:20:41.271+01:00

Ausente devido à internet..
Volto em breve, desculpem



42 Comentários

2010-05-21T14:36:30.761+01:00





Os dias correm e cada vez cheira mais a Verão.
As diferenças começam a ser muitas de dia para dia.. Começam a vir as alergias para uns coitados, começa a verse as pequenas abelhas nas flores das árvores e quando se passa vem aquele cheirinho tão bom..
O vento? esse começa a ser pouco nestes dias, se corre algo será apenas durante a noite.. Começa a vir a vontade nos sentarmos debaixo de uma árvora com uma sombra enorme e a jogar uma cartada..
Começa-se a ver na escola, os mais pequenos a jogarem ao "molha" e as funcionárias atrás deles a correr, simplesmente vesse o verão a chegar em grande com temperaturas nos 30ºC.
Mas, para mim este ano é diferente, este odor é muito mais intenso, dá-me cada vez mais vontade que tudo passe num ápice, para que os exames terminem, para poder ir ter contigo..
Para seres tu a ires comigo dar o primeiro grande mergulho no grande oceano, para rebolar na areia ( coisa que despenso pois odeio areia dentro dos calcões), mas contigo eu não me importo e é apenas mesmo por ti.. Vão começar a vir as grandes noitadas, as festas na praia, as viagens, vai começar tudo a vir assim, até mesmo o nosso próximo degrau que será a grande faculdade com o ano de caloiro.. vai ser um verão em grande seguido de um ano em grande também..
E adivinha? Eu vou estar contigo ;)



39 Comentários

2010-05-14T22:11:48.340+01:00


Como as coisas vem e vão assim do nada.
Desta vez não me irei queixar, pois foi algo que eu cria para que tudo mudasse de vez, ou pelo menos tivesse uma chance de poder mudar para algo bem melhor. Nem sei como isto se passou, foi tão repentido, foi como uma faca a espetar cá dentro, mesmo no meio do meu peito uma dor tão intensa durante alguns dias, mas esta passou de vez.
Mudanças vieram, daquelas bem grandes e que dão vontade de agarrar e tentar guardá-las em nós, para que o nosso espirito e mente as tente seguir,sendo estas um bom exemplo a seguir.
Não me conheci, não te conheci, eramos como duas gotas num deserto imenso, siginificáva-mos nada; agora somos como um imenso oasis no meio daquele deserto que ganhou vida própria devido à nossa presença conjunta. É isto que eu quero sublinhar no meio de isto tudo... Vi que tu me fazes falta, vi que somos como o puzzle, nem que este seja o mais pequeno que exista, se faltar uma peça já não tem tanta graça, já não tem aquela sua beleza, já não tem prepósitos nem uma imagem a seguir, ficasse no fazio a tentar decifrar o que estaria naquela peça perdida.. Nós somos isso, nós somos tudo o que essa peça representa, somos algo que completa tanto a minha vida como a tua como o que nos rodeia, somos algo que completa ainda um pouco mais este pequeno mundo.
Não vou deixar que isso acabe, pois sei que agora estás a 100% comigo, agora deste-te a mim, somos e seremos um, quando tu quiseres e menos esperares.. Pois, Filipa, eu senti algo de diferente em ti, em mim, em Nós.