Subscribe: Manual do Inseguro.com
http://manualdoinseguro.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
até  história  livro  mais  nos  não  quando  sem  sempre  ser  stella tavares  stella  sua  tavares  tempo  todos 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Manual do Inseguro.com

Manual do Inseguro.com



O manual do inseguro.com surgiu após escrever a peça O Manual do Inseguro. A princípio, o intuito era falar sobre o tema, mas logo me voltei para o assunto que sempre me moveu: Literatura. Fiquei um longo tempo afastada. Espero aos poucos reconquistar



Updated: 2016-10-10T06:29:22.701-07:00

 



No convés do tempo - Já à venda em Portugal

2015-07-23T11:10:30.334-07:00




Durante esse tempo de ausência tanta coisa aconteceu! Publiquei um novo livro que já está a venda em Portugal e daqui  a pouquinho também no Brasil, Cabo Verde e Angola.Deixo aqui o link para que o conheçam. Podem também me contactar no facebook  www.facebook.com/stella.tavares.94 e também na pagina  Amar sem sofrer na adolescência- Stella Tavares- Abraços saudosos!



PONTO FINAL NO AMOR ETERNO

2015-07-22T08:24:23.704-07:00




De um momento para o outro o/a namorado(a) chega e põe um ponto final ao que seria eterno. Como assim? De um momento para o outro? Nada acontece de um momento para o outro. Pode estar certa disso. A pessoa vai sinalizando, mas, muitas vezes, insistimos em não ver. Preferimos ver ou acreditar no que queremos. Acontece. Nos melhores relacionamentos. Tudo que envolve duas pessoas é passível de mudanças. Não podemos controlar o sentir do outro. Dolorido? Muito! Entra em ação o fator surpresa, o orgulho ferido. Como seguir sozinho (a)? Seguir a dois é realmente melhor. Não nascemos para viver sozinhos, mas se para um dos dois o amor acabou, pode ter certeza que o relacionamento não seguiria o mesmo. Ninguém obriga ou convence ou consegue mudar a posição do outro frente a isso a não ser ele mesmo.
PIORES OPÇÕES APÓS O FIM DO RELACIONAMENTO:
1- Se tornar um implorador de amor. Amor não se pede e muito menos se implora. Ou acontece ou não acontece. Ou permanece ou tem um fim. Não existe outra opção.
2- Fingir que nada sente e buscar...
O MELHOR A SER FEITO?
Leia o texto na íntegra na página Amar sem sofrer na adolescência.
https://www.facebook.com/amar.sem.sofrer.na.adolescencia?fref=ts






Primeiros passos

2014-02-12T08:50:12.176-08:00




Deixa de ser caipira e leva a revista com o seu poema publicado para a professora ver!
_...?
_Se não quer mostrar, por que escreve então?
_Escrevo porque escrever faz bem pro coração da gente.
_Então deixa de ser boba,menina! Mostra a revista .Não sabe que poesia precisa de asas?
_Sim senhora! A poesia precisa exercitar as suas asas. Você é tão criança ainda.Devia enxergar melhor que eu as imensas asas da sua poesia.



Alvenaria exposta

2013-06-05T07:11:24.629-07:00

Quando dispo de tudo que me foi imposto, descubro-me mulher feita e reverencio minha alvenaria exposta. Só então me reconheço e respeito o barro de que sou feita adicionado a sangue, veias e digitais que são tão minhas! Inconfundíveis! Intransferíveis! E que me lembram a cada instante que sou única, criada por um Deus que sabe ser soberano sem impor sua vontade. Bendita sabedoria que deu a cada um o seu traçado, Não consigo existir pesada de influências, exigências que não são minhas.
Tão mais fácil é viver com o que se acredita, com o que se sabe, dentro de uma história escrita de próprio punho. O que se espera de nós normalmente fere a nossa essência, desvirtua e faz entristecer os nossos olhos.


Stella Tavares



Primeira experiência

2013-05-21T07:24:38.967-07:00

Deixa de ser caipira e leva a revista com o seu poema publicado para a professora ver!
_...?
_Se não quer mostrar, por que escreve então?
_Escrevo porque escrever faz bem pro coração da gente.
_Então deixa de ser boba,menina! Mostra a revista .Não sabe que poesia precisa de asas?
_Sim senhora! A poesia precisa exercitar as suas asas. Você é tão criança ainda. Devia enxergar melhor que eu as imensas asas da sua poesia.



Enquanto escrevo

2013-05-14T06:44:10.748-07:00


Às vezes, enquanto escrevo paro e fico imaginando como seriam os leitores, até que ponto se identificam com minhas inquietações. Sinto-me feliz por saber que minhas palavras chegam até você. Quem escreve não o faz para si. Sempre sonhei ver minhas palavras indo onde eu,talvez, nunca consiga ir. Os personagens então, assim como os filhos, queremos que sejam admirados, ganhem o mundo, se possível. Se você que me lê agora, também escreve, siga em frente. As palavras são acessíveis a quem as ama. Nunca permita que alguém te diga que elas nunca te levarão a nenhum lugar, não é verdade. Elas te levarão a todos os lugares, a outros que ninguém conhece e, na pior das hipóteses, te levarão ao que há de mais verdadeiro no seu ser .


Quando escrevi esse texto estava começando o meu blog (manual do inseguro.com). Escrevi como quem se despe no escuro. Conhecia plenamente o que queria dizer, mas não sabia, sequer, se alguém se identificaria, se voltaria para buscar por minhas palavras. Quero deixar a todos os meus leitores e seguidores o meu carinho e a minha alegria por tê-los sempre perto.



2 Comentários

2012-08-15T12:41:25.653-07:00


O Adestrador de Sentimentos ADESTRADOR DE SENTIMENTOS é um dos livros mais estimulantes e inquietantes que tenho lido ultimamente. Tenho lido pencas de livros expositivos e de teses e relido os de ficção e poesia (prosa e verso) – e sinto-me dentro das folhas de seu livro, sinto que ele é um pouco de tudo e, portanto, é muito, muito em si mesmo. Como se estivesse lendo parábolas e teses, poemas e crônicas, diários e romances, reportagens e artigos de fundo de uma vida ao mesmo tempo sedentária e viajante. Não sei como você se acomoda e leva uma vida normal nas três atitudes humanas fundamentais (pessoal, familiar e social): como pode uma moça razoável, uma esposa e dona de casa, ter e conservar dentro de si fogueiras de sol e fúlgidos espasmos de luas entre nuvens? Como pode assim amansar a genialidade introspectiva sem desafinar, sem exasperar? Ah, deve ser assim mesmo. É assimilando a própria sabedoria genealógica - que lhe veio de graça, sem ser chamada e que por isso jamais pode ser expulsa, que já se inoculou no cerne e na carne de seu espírito – e é assim que você vai revelando a significação dos matizes e dos arroubos das retrospectivas e perspectivas existenciais de sua floricultura, de sua lavoura poética. E a primeira colheita encanta e alimenta tantas almas e corações sequiosos, atribulados e cooptados pelos divulgados folhetins da banalização midiática, que pretende transformar o que vê e toca numa espécie de feira de vaidades, numa espécie de “sol nulo dos dias vãos”, como diria o poeta Fernando Pessoa. É uma bênção a florescência e a frutificação do “manso pulsar” da obra da ao mesmo tempo retraída e fulgurante Stella Tavares. Bem haja, pois. Parabéns e abraços. Lázaro Barreto ..."Senti a escritora autêntica que sabe lidar com as palavras de maneira intuitiva e surpreendente. Alma e poesia se fundem em um verbo criativo. Que faça uma bela carreira". Affonso Romano de Sant'Anna



Romance escrito em tempo real

2012-07-02T11:09:12.465-07:00


Disponibilizei o romance "De foro íntimo" com o objetivo de que conheçam o meu trabalho. Basta um click e você se verá dentro de uma intensa história de amor que está sendo escrita em tempo real..Convido a todos que por aqui passarem que visite, ainda que as primeiras páginas. Ninquem escreve para si. Se gostarem,por favor, compartilhem ,indiquem a todos os seus contatos para que alcance o maior número de leitores. Para isso escrevemos, por isso aguardamos. Ardentemente. Sempre.. Com os meus melhores agradecimentos. Stella Tavares



Livro, o melhor presente. Livro personalizado, exclusivo.

2012-01-14T07:35:17.688-08:00

(image)

Quando criança sempre me enxerguei nas histórias que ouvia. Se de pronto não me visse refletida, criava algum ponto de contato. Sabia que só assim conseguiriaa mergulhar inteiramente. Hoje percebo que nem sempre sabemos decodificar nossos desejos. Nunca soube expressar o quanto esta identificação era importante. Decidi que não esperaria mais que viesse de outras pessoas uma realização minha ou um saciar de expectativas. Comecei a criar minhas próprias histórias. Passaram-se os anos e só há meses atrás aprendi a decodificar os meus anseios e descobri que o que eu queria na infãncia continua sendo o mesmo que hoje gostaria de proporcionar: Histórias com a função de transportar a criança para dentro de sua própria vida fazendo com que ela perceba como a sua história é rica, importante e se entrelaça de forma lúdica e amorosa com outras pessoas ou personagens que ela conhece, parte integrante da sua vida. Assim foi criado o Little Fashion Books. Passei meses junto ao computador e quando vi tudo se encaixava. Comecei a receber material para cada história: fotos, informações importantes, relacionamentos, família. Até a imagem de um ultrassom recebi por total falta de fotos, a criança ainda está a caminho, mas a sua história já está sendo contada e se transformará em uma verdadeira declaração de amor e Boas -vindas. Com certeza, será o seu primeiro livro. Sinto-me extremamente feliz por participar de um momento como este.
Stella Tavares/Little Fashion Books



Livro, o melhor presente. Livro personalizado, exclusivo

2011-12-15T09:11:26.620-08:00

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES:P: O Little Fashion Books utiliza histórias já existentes?R: Não. As história são criadas a partir das informaçõs enviadas (nome, amigos, preferêncas, fotos, etc.).São histórias inéditas e exclusivas.P: Posso enviar uma dedicatória?R: Sim. Ela ficará destacada antes do início da história para que a criança saiba quem a presenteou com o livro.P: O livro ficará pronto em quanto tempo?R: Aproximadamente em duas semanas. Podendo variar de acordo com as preferências.Obs: Os livros são impressos e não virtuais!!! Faça-nos uma visita:www.wix.com/littlefashionbooks/home[...]



1 Comentários

2011-11-28T11:47:09.051-08:00

Sinto-me plena quando escrevo, quando encontro pessoas, quando leio. Amo estar viva, ter filhos, ser mulher. Amo ter amigos, ter uma família. Acredito que para sempre serei uma moça de família.



Estações do Homem, Estações de Deus

2011-10-21T05:20:19.917-07:00


A primavera do homem acontece quando a alma floresce e escapando em frestas ilumina-lhe os olhos, janelas naturais.

Eis que, de repente ela surge após um longo outono ou infindável e cinzento inverno e toma conta do homem que também floresce em sentimentos, matizes, se transmuta em luz,fonte, terra fértil que engrandece o barro do qual foi feito.

A primavera de Deus é o homem que exala a essência humana que lhe foi confiada no primeiro sopro de vida, o homem que n'Ele estreita os seus caminhos e laços e se abandona por inteiro em suas generosas mãos.

Stella Tavares




Sonho de consumo

2011-07-19T15:37:12.861-07:00

De tudo que vivi restou-me uma porta de emergência, com sua cor exuberante, através da qual me locomovo, se necessário. Quem tem uma porta de emergência tem o mundo aos seus pés. É o sonho de consumo de pessoas que, como eu, se enrolam com o cordão da própria vida, vivem sem traçados, linhas divisórias, desconhecem meridianos e paralelos. Ambidestros repletos de híbridas emoções.[...]



Sem toque de Midas

2011-06-25T17:33:47.289-07:00


Jamais seria feliz sendo Midas. O brilho do ouro nunca cegou-me os olhos ou alterou meus enraigados conceitos.
Convivo pacificamente com a sua falta e quando mordo uma maçã quero sentir o seu gosto.
Jamais salivaria por uma maçã de ouro.

Stella Tavares



Difícil é viver sem você!

2011-02-12T06:24:13.005-08:00

Espero que gostem!
allowFullScreen='true' webkitallowfullscreen='true' mozallowfullscreen='true' width='320' height='266' src='https://www.blogger.com/video.g?token=AD6v5dy9-SLzouWNe2vAxoH2wU8jUS208kQugBwAwa3UvTLiL9dXQYukJkLJUxcysus5gsngNesXwCarTmddcEOr2w' class='b-hbp-video b-uploaded' FRAMEBORDER='0' />
Beijos a todos.

Música registrada.



Em 2011...

2010-12-26T15:36:44.673-08:00

Nesta época do ano sempre fazia a minha lista de prioridades, de necessárias mudanças e urgente reciclagem. Hoje em dia continuo indo em busca de minhas prioridades, mas aprendi que transformações mágicas e urgentes não existem. Descobri que o primeiro passo em direção a qualquer propósito é o que realmente conta. Um passo após o outro é o que nos garante o forte alicerce, pés fortes, persistentes, prontos a trilhar o caminho rumo a tudo que almejamos.
A todos que por aqui passarem desejo que, independente da direção que pretendam tomar, que o primeiro passo rumo às conquistas e decisões seja firme, definido e com a certeza que não ficaremos para sempre a plantar. A abundante colheita virá no momento certo. Afinal sempre podemos contar com a luz de Deus a iluminar os nossos passos, a maturar nossos desejos.

Saúde, paz e uma linda construção é o que desejo a todos e que essa nossa profícua parceria continue.

Um feliz 2011 para todos!!!


Stella Tavares



Nossa bagagem emocional

2010-11-23T05:05:37.249-08:00

Se a nossa bagagem emocional fosse trocada, quem a levasse por engano não conseguiria usufruir dos seus benefícios. Ela é intransferível e os seus benefícios também. Cada um colhe os frutos das suas alegrias, desapontamentos e até das tristezas. Agradeço e bendigo todas as experiências, inclusive as que não foram fáceis. Tiro-as da coluna do dissabor quando entendo que também é opcional o martírio com indagações como “Por que não agi assim ou por que não respondi de outra forma?” A gente faz o que dá conta, de acordo com a bagagem que tínhamos naquele momento. Quando nos desobrigamos do acerto a vida fica mais leve. Tão mais importante sempre foi a nossa bagagem emocional. Esta sim! Precioso passaporte que vamos carimbando com experiências, reforçando assim a nossa alvenaria.


Bjs a todos.
Stella Tavares



O peso da bagagem é opcional

2010-11-13T09:44:31.749-08:00

Levei anos a aprender a fazer uma mala corretamente. Sempre levava na bagagem três vezes a quantidade de roupa necessária. Desde menina, desde sempre. Lembro-me de uma viagem que fiz acompanhando meu pai a Belo Horizonte. Devia ter no máximo seis anos quando, decidida, comecei a escolher as roupas para a viagem. Lembro-me que ignorei completamente os conselhos de minha mãe quando disse que não teria tempo e nem local apropriado para usar toda aquela roupa.De todas as peças escolhidas, permanece na memória um conjunto de brim vermelho e que trazia a miniatura de um calhambeque preso um pouco abaixo do ombro esquerdo. Chegando ao destino, constatei o que saltava aos olhos: Não teria mesmo tempo para usar tantas roupas e suas possíveis combinações. Meu pai conversava animadamente com parentes e amigos quando tive a brilhante idéia de desfilar todos os modelitos para a pequena, mas seleta plateia. Vesti o meu imbatível conjunto de brim vermelho e desfielei com decisão perante os olhares supresos. Percebendo a intenção, os adultos paravam a conversa e assistiam atentamente ao desfile. Ao final da apresentação de todo o contingente da mala, aplaudiram entusiasticamente. Este fato tornou-se folclórico e até hoje é lembrado pelos membros da família. Foram-se os anos, mas o exagero da bagagem acompanhou-me fielmente. Há uns três anos aproximadamente aprendi a fazer uma mala compácta, mas capaz de enfrentar as mudanças de temperatura. Não faço mais a mala de Sarah Kubtscheck como dizia o meu pai e nunca mais carreguei peso desnecessário. Descobri que a bagagem mais importante levamos dentro de nós.
Stella Tavares



Direitos autorais - Devem ser respeitados!

2010-10-20T10:11:00.770-07:00

"Não podemos aguardar que os tempos se modifiquem e nos modifiquemos junto, por uma revolução que chegue e nos leve em sua marcha. Nós somos o futuro. Somos a revolução"
(Beatrice Brureal)



Processo por direitos autorais

2010-10-20T10:04:00.483-07:00

Queridos amigos, saudade imensa!
Tomando os devidos cuidados, volto a postar no manual e é com grande alegria que o faço. A dor nos punhos e braços melhoraram consideravelmente e os cistos estão sendo monitorados. De tudo que vivi ficou a certeza de que precisamos nos mantermos firmes. A vida não pára e precisamos estar sempre atentos. Em 2006 fui entrevistada em minha casa para falar sobre os episódios de humor que escrevo desde a adolescência por hobby e por tanto gostar dos personagens. Trata-se de um programa de humor que existe desde os anos 70 e que foi reeditado e permanece até os nossos dias. Enviei alguns episódios à emissora por ocasião da entrevista, os últimos que havia escrito. Algum tempo depois assistia ao referido programa juntamente com minha família quando, estupefatos, nos deparamos com uma história semelhante à minha e até o título era o mesmo. Decepcionados, meus filhos disseram em uníssono: _ Mamãe, é a nossa história?! Assistimos em silêncio o episódio e logo após o fim do programa, recebi vários telefonemas de irmãos, familiariares, amigos que conheciam a história e estavam felizes com o feito, um episódio escrito por mim em horário nobre, mas logo tomaram consciência do que realmente havia acontecido e se mostraram solidários. Decidida, juntei tudo que tinha, o texto e suas evidências, testemunhas e levei até o advogado. O processo continua em andamento.
Desde então procuro manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo. Também mantenho a confiança de que a justiça será feita. Ficamos um longo tempo sem juiz, o que atrasou demasiadamente o processo. Espero que a partir de agora, caminhemos para um desfecho.
Bjs a todos.
Stella Tavares



Um simples Até Logo - A todos os amigos

2010-08-18T07:20:10.792-07:00

Uma pequena pausa, um simples até logo é o que, confiante, espero que aconteça. Fui acometida por fortes dores nos braços e principalmente nas mãos e quando digito e até quando escrevo a mão se agrava. Provavelmente farei cirurgia nas mãos e terei que me afastar do computador. Tão logo seja sanado o problema voltarei e, com imensa alegria visitarei a todos.
Aos queridos amigos que por aqui passam, um grande beijo.
Saudade enorme.
Com carinho.
Stella Tavares



Nomes e Pessoas

2010-07-27T11:47:31.998-07:00

Existem pessoas cuja personalidade nada tem a ver com o nome que carregam vida a fora. Conheci muitas Generosas que eram verdadeiras muralhas, se mantinham à distância, sem a menor vontade ou dom de compartilhar, ajudar, doar. Conheci Santas, endemoniadas, inclusive uma vizinha que usava os próprios filhos para segurar os “inimigos” para que ela própria pudesse espancá-los até quando forças tivesse. E não é difícil explicar tanto desacordo entre nomes e personalidades: nomes são escolhidos para bebês, puros, indefesos, risonhos, com uma moleira que pulsa nos lembrando o tempo todo quanto cuidado precisam.
Conheci também pessoas cujos nomes foram assoprados, vieram junto com o sopro de vida, acredito. Como o nome de minha irmã, Maria Auxiliadora, nome certo, totalmente em harmonia com sua personalidade, seu espírito sempre aceso, pronto para o auxílio, o primeiro socorro.
E passaram-se os anos, mudaram os costumes, as pessoas, atitudes, mas em Maria Auxiliadora nada muda porque essência não é passível de mudanças. Tanto faz se a chamamos de Dora, Dorinha, Dôra , Maria, o que importa é a sua essência, que se lhe fosse tirada seria como tirar o sentido do seu viver. Para isso nasceu Maria Auxiliadora, Dora, Dorinha, Dôra , não importa o nome que a chamamos, porque o que sempre fica é a essência que exala de suas mãos.
Stella Tavares



Em cena aberta

2010-07-17T07:49:10.565-07:00


Enquanto leio, extravaso meus sentimentos das mais variadas formas. Já deixei um livro sobre a mesa, para aplaudi-lo. Nunca soube muito bem o que fazer com o que sentia, mas sempre soube que o aplauso é uma intensa forma de homenagem. Outras vezes, quando leio Clarice Lispector, por exemplo, necessito de uma pequena pausa para que as palavras se acomodem, se decantem.
Já li todos os livros de Harry Potter e aguardo o filme do livro mais recente com grande entusiasmo.Tenho um filho de nove anos e outro de treze, com os quais compartilho, prazerosamente, filmes e leituras. Sempre voltamos conversando sobre o filme, comparando-o com o livro, na mesma sintonia.
Na minha infância ia ao cinema com frequência e nunca deixei de me encantar com a conexão estabelecida. Lembro-me que aplausos aconteciam, espontâneos, fazendo com que os próximos diálogos não fossem ouvidos. Alguns adultos se aborreciam e preferiam a segunda sessão para se livrar dos arroubos juvenis e eu me perguntava
se chegaria o dia em que ficaria impassível frente a um livro ou filme, mas esse dia nunca chegou. Minha alma fica em estado de graça enquanto assisto Avatar, Up, tantos filmes e livros com o poder de transportar e sinto que assim será para sempre, a cada página, a cada filme, a cada peça teatral e agradeço a Deus que assim seja.

Stella Tavares



O outro lado da moeda

2010-07-03T06:28:09.963-07:00

E eis que a ideia se aproxima. Inteira, intacta, única. Personagens recém-chegados se apresentam, perfilam, mostram seus encantos. Seduzem nossos sentidos. Bastam alguns segundos e os conhecemos como a nós mesmos. Estamos prontos a defendê-los com unhas e dentes. Traçamos seus destinos. Nesse momento somos o próprio destino ou um deus com poderes limitados por sentimentos e parcialidades. Por mais diferentes que sejam os personagens, estaremos sempre nas entrelinhas. Passamos dias, meses mergulhados em um universo de diálogos, reações. A história caminha, algumas vezes segue o seu próprio rumo. Damos uma pausa, mas os sentimentos permanecem em nós. Seguem-nos no desenrolar do nosso dia. Saímos do computador, mas o que sentimos nos acompanha pela rua, na reunião de pais e mestres, na feira. Até que chega o dia em que descansamos e simplesmente observamos. Tudo se encaixa frente aos nossos olhos. Todos os sentimentos, antes fios desencapados, agora fluem numa energia que confirma que aconteceu o que de melhor poderia. Estão todos encaminhados. Registramos a obra e aguardamos pelo que já sabíamos: São nossos filhos legítimos, sem dúvida! Encaminhamos o original ao editor e aguardamos com a alma exposta. Quanto a mim, pergunto-me se um dia aprenderei a aguardar para saber como se saíram meus filhos? Que sentimentos despertaram? Desisto mil vezes em pensamento, mas antes que perceba uma nova ideia se aproxima:

_Toc toc.

_ Não vou abrir! Digo a mim mesma, mas as ideias insistem.
Sem escapatória, permito a história se apresente, os personagens se mostrem, seduzam os meus sentidos. E eis que tudo recomeça.

Stella Tavares