Subscribe: Maria Muadiê
http://mariamuadie.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
casa  comentários  céu  dia  foi  martha comentários  martha  mundo  mãe  nina  nos  não  pássaro  quando  quem  sou  sua  tudo 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Maria Muadiê

Muadiê Maria





Updated: 2017-11-19T12:04:53.883-01:00

 



0 Comentários

2017-11-19T12:04:53.920-01:00



afora o teu amor me restarão,
por certo, soluços
teu nome
no lustro dos dias
reverberará calmo e límpido
como deve acontecer ao nome de um amor
que não se presta à solidão
ainda não sabes,
o amor tem destes entraves
de não querer morrer
e eu tenho destas manias de não querer matá-lo
quem ama sabe uma dor que não morre
o amado não sabe tudo
e algumas vezes deixa passar o atalho para o céu.
no fim uma brancura de desertos
cobrirá como um véu toda perdição. 
nada é perfeito.
mas, eu terei-te amado, para sempre,
do mesmo jeito.


Lázara Papandrea



0 Comentários

2017-11-13T15:47:39.753-01:00



Aquela árvore de natal
era um monumento à tragédia
a agressividade é de família

Martha



0 Comentários

2017-11-15T13:54:28.331-01:00



O pássaro pousou na Água Sumida
O pássaro voou.
Levei a vida carregando na boca
folhas, fios da sua barba, 
o desejo de fazer um ninho em seu peito.

Ao cair da tarde, o que sou: 
O pássaro cantando o passado no presente.
O que sobra senão essa água toda, meu corpo,
texto vivo cortado por sua mão imensa.

Martha 



0 Comentários

2017-11-10T19:15:51.399-01:00

O Testamento de Maria

O mundo é lugar de silêncio
O céu noturno é vasto 
Quando os pássaros se vão.
Nem uma palavra atinge o céu noturno
e o dia permanece indiferente
a qualquer coisa dita.

Ao ver dois homens juntos
esperar crueldade
novos decretos, novas palavras
para designar velharias.

Carregar o mistério do mundo
no âmago da alma 
como o corpo carrega, sombrio, 
sangue e tendões.

Martha Galrão 





0 Comentários

2017-11-08T14:03:52.011-01:00

LivingThe fire in leaf and grassso green it seemseach summer the last summer.The wind blowing, the leavesshivering in the sun,each day the last day.A red salamanderso cold and soeasy to catch, dreamilymoves his delicate feetand long tail. I holdmy hand open for him to go.Each minute the last minute.Denise Levertov__________________________VivendoA chama em folha e gramatão verde parececada verão o ultimo verão.O vento soprando, as folhasestremecendo ao sol,cada dia o último dia.Uma salamandra vermelhatão fria e tãofácil de pegar, distraidamentemove suas patinhas delicadase sua cauda comprida. Deixeia mão aberta para ela partir.Cada minuto o último minuto.Traduzido por Wagner MirandaBeatriz, Martha, Mônica e LeilaMucugê, 2017[...]



0 Comentários

2017-10-28T22:40:01.512-01:00


Desde que Danielle me disse: " Que coragem pra se perder!", danou-se, me perco e me perco dia após dia na guerra de São Salvador.
Puta que pariu pelo Curralinho não chego ao viaduto do jornal Atarde, pu-ta-que-pa-riu cadê as placas com o nome das ruas?
Estou apaixonada por minha terceira analista, amor como nunca dantes, e ela me convidou a deitar.
Tô perdida nessa parede em branco.

M.



0 Comentários

2017-10-22T12:42:13.736-01:00


Era uma folha em branco
até escrever-se libélula




0 Comentários

2017-10-19T22:15:34.032-01:00




como ficou a casa depois que Jumara foi embora





0 Comentários

2017-11-08T22:29:58.190-01:00


Você me lambe com sua Língua
Você me lambe com sua lábia
As suas lambidas me deixam molhada


Martha



20 de setembro, 2017

2017-10-11T18:44:14.392-01:00

Com muita alegria, a Abraço a microcefalia lançou o livro ‘Convivendo com as diferenças – Uma menina chamada Nina’,  criando, através da literatura, uma oportunidade para que chegue ao coração do leitor o conhecimento das diversas possibilidades de comunicação e a premissa de que toda criança tem o direito de brincar, de construir relações afetivas e de fazer parte do ambiente escolar.Estamos divulgando o livro nas escolas para que a poesia de Nina circule entre alunos, professores e funcionários, bem como entre as famílias. Há muitas formas de estar no mundo, vamos conversar sobre isso?Nina foi recebida com muita emoção e carinho na Escola Nova Nossa Infância, meu coração está em festa. Um beijo para todas as crianças, professoras e funcionários.[...]



0 Comentários

2017-10-11T18:41:50.321-01:00



Nina foi ao Colégio São José. A tarde foi linda e amorosa. Após a leitura da história, uma criança nos disse: "Se no planeta Terra todo mundo fosse igual seria muito chato!"
E como seria!!









0 Comentários

2017-10-09T12:48:28.931-01:00




No século passado, quando eu ainda era criança, numa viagem de ônibus para Ubaíra, minha mãe disse:
-Gosto de olhar a estrada porque tem diferentes tons de verde.
Achei tão lindo, que até hoje é difícil passar por diferentes verdes sem lembrar de minha mãe.



0 Comentários

2017-09-29T21:10:59.714-01:00


Às vezes, uma copilota faz a diferença.



0 Comentários

2017-09-29T19:57:08.574-01:00

allowfullscreen="" frameborder="0" height="270" src="https://www.youtube.com/embed/Rv6bAoyq7vA" width="480">


poema de Iolanda Costa



0 Comentários

2017-09-22T12:51:43.207-01:00



O avô paterno construía gaiolas de madeira.
O avô materno as engaiolava.
As avós dedicavam uma parte do dia
a arrancar, uma a uma, as penas.

Martha


Xilogravura: Pássaro 
Maura de Andrade




0 Comentários

2017-09-21T18:05:47.236-01:00


A mãe de uma amiga minha, mui linda e formosa nos seus 86 anos, estava escolhendo frutas em um supermercado quando recebeu uma cantada de um senhor da mesma faixa etária:
- Você é uma gracinha.
- Sou uma gracinha mas não sou pro seu bico.
Uma pena, ele não fazia seu tipo.



0 Comentários

2017-09-16T14:38:42.541-01:00



Filha chega cantando da rua e passarinho passa voando - por baixo da goiabeira - no mesmo exato instante em que Ela abre o portão.


M.



29 de julho, 2017

2017-09-11T00:49:03.409-01:00

[...]



0 Comentários

2017-09-10T22:16:24.920-01:00

O Eclipse Solar de 1948 por senhor Antonio Xavier dos Santos, ubairense nascido na região da Estopa em 13 de junho de 1916.

Eu tava no quintá de café!... um... é... cum um camboá na cintura, quando eu vi, foi truvano, né, foi truvano, aí eu desconfiei, arriei o camboá, subi pra casa, quando cheguei em casa, as galinha entrou tudo pra dentro de casa e se abaixou, e os pintim ficou tudo pi, pi, pi.... Bom!.. e demorou assim, ...uns 05 a 10 minuto até 15, pegou o dia clarea devagazim. Clareano, clareano, até conde clareou de tudo. A lua do sol que é cheia, virou nova, a depois, vortou pro mesmo normá, completa. O céu todo estrelado de dia, virou noite, truvou de tudo. Eu não sabia qui ia acontecer! Via falá qui ia existí um eclipse, mas, ninguém esperava. Ninguém sabia o dia. Eu não acreditava, não! Implorei a Deus: é de ser o qui Deus quiser. Deus é quem manda! Se o mundo acabar nóis vai embora todo mundo.

Gravado e transcrito por Tiesco Rayabuza
Foto: Mário Monteiro 






0 Comentários

2017-09-06T22:15:58.211-01:00


É possível perder
o que não se tem

Eu, por exemplo, perdi
aquele búzio pequenino
chamado beijo.

Martha 



0 Comentários

2017-09-03T22:42:48.463-01:00


A menina de 12 anos
atacada por um bando
é depósito de esperma.

As mulheres casadas 
que abrem sem querer as pernas
são depósitos de esperma.

Nunca esqueçam:
o útero percorre o corpo inteiro.

Martha



0 Comentários

2017-09-03T22:31:05.584-01:00

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade




0 Comentários

2017-10-10T11:43:47.770-01:00



Leitores de Nina muito lindos. 
Gustavo e Estela, meus sobrinhos-netos, e
Noemi, mãe de amiga de infância que ajudou a me criar.



0 Comentários

2017-09-02T12:47:57.013-01:00



Ubaíra, 1972
Essa sou eu, aos seis anos, em frente à casa de meus avós Brício e Mariazinha. Como os panacuns estão vazios, acredito que eu estava indo para a fazenda do Salobro, onde meu avô cultivava todos os tipos de frutas possíveis. De lá, os panacuns voltavam carregados de seriguelas e ingás. 
Oxossi sempre comigo.

De todas as possíveis, eu sou muito essa Martha.




0 Comentários

2017-09-02T12:43:32.553-01:00

Choro de Itaparica

Itaparica
Significa "cerca feita de pedras"
E nessas pedras, quantos se foram,
Arrastados pelas ondas do mar?

Nas revoltas ondulações constantes,
No vai e vem de quem quer ir e voltar,
Na tristeza, correnteza,
Só nos resta chorar.

Quem poderia imaginar,
Que os corais que nos protegem,
Os mares que nos movem
E os ventos que nos refrescam
Quem amamos levar?

A Baía de Todos-os-Santos, 
Ficou marcada pela dor,
Nesse pequeno canto,
Perto de São Salvador.

Em rostos o adeus,
Nos peitos o castigar,
Nos olhos às lágrimas,
Na boca o desgosto de quem ficará.

Estéfane Roque