Subscribe: ou vou ou fico
http://ouvououfico.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
até  das  dia  foi  hoje      mais  meu  minha  muito  não  quem  questão  sempre    também  tenho  ter 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: ou vou ou fico

ou vou ou fico



Não sei o que faça, tão pouco o que diga a certeza da vida fica-se, por um momento,na incerteza do tempo.



Updated: 2014-10-05T05:30:01.692+01:00

 



Dia de neura ou a maldade "humana"...

2010-09-26T14:32:22.508+01:00

(image)

Este é o meu Spike, não tem nada a ver com a história/estória, mas resolvi colocá-lo aqui.Até agora era apenas conhecido por quem acompanha o meu outro blog ou a minha página do Facebook(esta tem apenas o intento de relaxar, dizer umas baboseiras e por isso tem sido mais usada que qualquer dos blogs: ultimamente a vida tem sido tão "corrida" que à noite só "me aguento" em versão light"). Devo confessar que escrevi este texto de manhã, mais concretamente na sexta-feira, mas só hoje tive tempo de o passar para aqui. Devo também acrescentar que não lhe vou fazer grandes alterações, pois acho que devo deixá-lo conforme o escrevi: entre a raiva da indignação e os analgésicos para a dor de cabeça.

Acho que todos temos destes dias, eu tenho: há dias em que me levanto bem, feliz da vida. Cada raio de sol me dá alento, cada gota de chuva motiva um sorriso. Depois, há os outros: aqueles em que o sol me fere os olhos e que me irrita, em que a chuva me incomoda, ou porque intensa e fria me molha demasiado, ou porque miudinha me faz sentir a humidade até aos ossos. Hoje é um desses dias, não que tenha acordado completamente "neura"(como dizia a minha avó). Acordei aflita da coluna, mal-disposta e cheia de dores de cabeça. Acordei 2h antes do previsto, mais um motivo para me chatear. Alguns medicamenteos depois, o dia é grande(aparentemente tem 24h, omeu momento de catarse)e não posso andar por aí agoniada, e, como não consigo voltar a adormecer, ligo o pc, vou ao Facebook e vejo a notícia: pede-se que recolham 2 cães de rua que são tripés( para quem não sabe, ambos têm uma pata a menos), motivo? Alguém lhes cortou uma das patas para fazer bruxaria????? Mas que raio???? É possível? A neura instalou-se completamente. Mas estamos na Idade Média??
Vamos também voltar aos sacrifícíos humanos? O que é isto? Uma Dark Age da época das tecnologias? Mas como é possível? Será verdade? Porque se me afigura incrível!!! E até eu, que até de praticar bruxarias já fui acusada, acho incrível! Não me passava pela cabeça que estas coisas acontecessem, pelo menos não aqui, no nosso Portugal.
Aneura ficou. O sol continua a incomodar-me. Já tinha ouvido falar nas patas de coelho, nas galinhas: motivo pelo qual eu não teria futuro nesta profissão:). Lembro-me quando era pequena, na quinta dos meus avós, quando se matava uma galinha havia sempre alguém para me levar a passear, aparentemente as bichitas não morriam se eu estivesse por perto. Nunca tinha ouvido falar em patas de cão e gostaria muito de me ter mantido na ignorância a esta respeito.

PS.Ontem, visitei o blog de uma amiga e vi mais um exemplo de crueldade desumana: a Zézinha, levou ao vet uma cadelita que foi encontrada no contentor perto da sua casa: a bichina teria cerca de 24h e estava dentro de um saco. Não faço mais comentários, porque não quero voltar à neura. Vou lá voltar para saber se a pequenita sobreviveu, as expectativas, pareciam não ser muitas, mas em relação ao meu Mio também não eram e 5 meses depois, ele corre-me a casa toda, apesar das 2 patitas a menos :))



Para todos aqueles que pensam...

2010-07-05T10:53:20.777+01:00

(image)

... que morri :) ou que desisti de aqui vir, não é verdade. Tenho andado com demasiados afazeres, demasiadas coisas, umas boas, outras óptimas, outras causadoras de stress e que me fazem andar a 300/h mas como cabem nas 2 categorias mencionadas, são boas, ou óptimas. Claro que, como acontece a todos, também têm havido uns momentos menos bons, mas esses já aprendi a relegar para segundo plano e o tempo anda demasiado bom para me afligir. Isto tudo para vos dizer que mais loira, ou menos loira, voltarei lá mais para o fim do mês e que espero que estejam todos bem,voltarei a visitar-vos em breve. Por enquanto, lá continuo a responder a alguns só no facebook, por onde me passeio há mais de um ano, mas me recuso a plantar seja o que for :)



Já babei do outro lado, venho babar para aqui agora...

2010-06-12T23:20:07.214+01:00

(image)


Estas são as minhas duas lindonas, na festa de finalistas da mais nova. Como sempre deixei a máquina em casa, a Sofia também e isto foi a foto possível com o telmóvel.

Já me prometeram as outras( o que faz ter amigos que levam os apetrechos todos),mas esta fica aqui para a posteridade :)



Gosto de ti....

2010-05-29T11:53:11.014+01:00

(image)

Gosto de ti. Gosto das nossas conversas, dos nossos momentos. Gosto das tuas palavras,sussurradas ao meu ouvido. Gosto das tuas mãos no meu corpo, gosto da tua boca na minha,gosto de ser mimada, gosto de mimar.

Gosto da inconsequência das nossas conversas, dos nossos pedaços de tempo. Gosto do que me fazes sentir e que há anos não sentia. Gosto de ser a mulher que sou quando estou contigo, gosto até das saudades de quando não estou.

Gosto do esgrimir das nossas palavras e da duplicidade que acarretam. Enfim, lindo, gosto de ti.

Mas gostar não basta. E está na altura de partir. Reconheço a dificuldade da decisão mas sei que gostar não basta, sei que gostar não chega.

A vida tem muitas partidas e chegadas. A partida não é um fim é um reinício: teremos, ambos, novas paragens. Quem sabe onde dia encontrarei a estação de onde não quererei mais partir, quem sabe gostar será, então, suficiente. Confio que ficarás na paragem certa.

Neste momento, gostar não basta porque a minha alma está demasiado inquieta porque sou uma mulher que gosta de "calhaus" :) mas também de seguir em frente. Porque tenho que partir mesmo que as saudades perdurem. Porque tenho de ir agora.Porque tens que me ajudar a partir. Porque o teu carinho me faz fraquejar, sei-o bem, tens que me ajudar a ir. Porque quanto mais adiarmos mais difícil será, não podes deixar de me ajudar. Porque não quero culpas nem desculpas, porque gosto de ti dos teus mimos, de te mimar, tens que me ajudar a ir. Porque sabes que gostar não basta tens que me deixar ir....

Sei que seria mais fácil não pensar e ficar mais algum tempo nesta paragem. Mas essa não sou eu. Não quero mágoas nem culpas, não quero amargura. Querer-te apenas seria demasiado fácil... Muito mais fácil do que as saudades, muito mais fácil do que o vazio que fica, sem a tua companhia desse lado, sem o chegar a casa e saber que vais estar aí, do me ir deitar e já não ter o beijinho de boa noite.Empurra-me se for preciso, mas ajuda-me a ir. Tens-me ajudado tanto, nem imaginas o quanto, não deixes de o fazer agora,por favor, ajuda-me a partir.



Não costumo repetir, mas hoje é um dia muito especial!!

2010-05-15T19:39:21.275+01:00

Por isso decidi escrever a mesma coisa nos meus dois espaços.
Porque hoje é um dia lindo.

Porque pode chover, trovejar, cairem raios e coriscos que hoje vai ser um dia lindo.
Porque pode haver temporal, frio e borrasca, hoje será sempre um dia lindo.
Porque todos os dias com as minhas filhotas são lindos mesmo quando ralho e barafusto, mas este é um dia especial. Porque as minhas paixões são especiais, cada uma a seu modo.
Porque não quero ser poeta nem escritora, neste momento quero ser apenas mãe, quero babar e festejar, quero rir e chorar. É um turbilhão de emoções. É o orgulho e o amor.
Porque a conversa vai longa e tenho que ir.
Só quero dizer: a minha lindona mais velha tem hoje, daqui a bocado, logo, a sua Benção das Fitas. Porque sempre quis a "sua" Biologia e entrou para o que queria e para onde queria sem problemas há três anos atrás, estou feliz muito feliz, talvez seja um curso sem futuro como lhe disseram quando a tentaram demover, mas porque acredito que nisto devemos pensar com o coração e porque acho que não há cursos com futuro, como lhe disse quando a apoiei, por tudo isto e muito mais, hoje estou feliz, muito.
Porque é uma filha maravilhosa, uma pessoa sincera e honesta, boa com imensos amigos, a ela uma grande beijo, a todas as amigas/os que hoje vão lá estar também nesta benção que sejam, também eles abençoados, que continuem a achar o caminho de casa porque este canto também é um pouco deles. Para alguns será só para o ano, mas estarei com eles, também.
Porque há tanto para dizer mas as palavras não vêem, vou acabar aqui.
Vou andando porque ela já foi com duas das pessoas que estavam lá quando ela nasceu e que nunca a abandonaram ao longo deste caminho: o tio e a tia maternos, não estará a avó materna, nem a tia da avó porque já não aguentam estas coisas, não estararão nem o avô nem a bisavó maternos porque já os perdemos, mas da mesma forma que foram pilares na tuas vida, linda, acredito que de algum modo, estarão contigo.
Beijões, filhota, milhões deles. Por ti e pela tua irmã tudo valeu a pena.
Porque não vou rever a mensagem qualquer errito é de mãe babada mesmo.



A casa das mulheres

2010-04-23T21:50:38.980+01:00

(image)
(image)


(image)
Também tem alguns elementos masculinos, estes são três exemplos.
A casa das mulheres tem andado numa confusão nas últimas duas semanas, quase que nem tempo tenho para aparecer nos vossos resorts.
A filhota mais velha anda numa correria de saídas de campo, eu tenho um grupo de estudo e trabalhos para a Universidade e a mais nova teve uma crise aguda de asma de 3ªpara 4ª feira que me fez que chamar o médico às 6h da manhã, entre as 2 e as 6h foi um pandemónio, sobe escada, desce escada: faltam toalhetes, água para os comprimidos SOS, a "bomba", foi a 1ª, por fim o xarope, às 5h, ela dormiu até ao meio-dia e acordou fresca, eu dormi das 7h às 8.30, quando a mais velha telefonou(coitada, não sabia de nada, claro, e telefonou há hora que conseguiu rede), à tarde a Martuxa já estava melhor, mas nessa noite quase não dormi; a pitinha mais velha chegou , carregada de mochila, saco-cama, tenda( valeu, como sempre, o tio para a trazer de Lisboa, senão acho que ela perdia metade, no Metro)e a mãe descansou um bocadinho. Claro que começaram logo os gritos do costume" Marta tem cuidado!"; "Oh, mãe ela está sempre a acusar-me, eu não fiz nada"
Ou seja,não fosse eu ter descoberto que já não tenho idade para fazer 3 semi-directas seguidas, diria que já entrou tudo na normalidade: já se grita outra vez de manhã pra despachar, à tarde para ver quem vai tomar banho primeiro e até à noite antes de se fechar a portada, para saber quem dá o miminho ao Spike(aquela coisa grande de boca aberta).
E aqui está um post sem o qual vocês poderiam passar, mas que me apeteceu escrever, quanto mais não fosse para saberem que ainda estou viva e também para vos dar a conhecer alguns dos nossos "machos".



E assim chegou a hora.

2010-05-29T20:18:35.085+01:00

(image)

Fui sincera com todos aqueles a quem me afeiçoei depois de iniciar este blog. A quem me escreveu depois do post sobre as mulheres vitímas de violência, contei a minha história sem ser romanceada, a outros, avisei que aquela era uma história com algumas alterações pois era constantemente ameaçada e vitíma de represálias. É verdade que não tenho um filho mas duas filhas lindas, das quais me orgulho imenso. Tenho 49 anos. Infelizmente, é certo que o meu pai faleceu no dia 14 de Outubro de 2002,é verdade que nesse ano ele fez 49 anos de casado. É verdade que não tenho uma irmã tenho um irmão e uma cunhada(que tem sido como uma irmã)que chegaram a entrar na minha casa para tirar de cá a minha filha mais nova.Por tudo isto, nunca insisti muito no J.
Não quero vir incentivar guerras na blogosfera, não venho insuflar ódios porque não odeio à muito tempo, o único sentimento que a pessoa que "me descobriu" me merece é pena. Pena porque precisa de elogios para se conseguir sentir alguém. Eu sei quem sou o que valho, não preciso de elogios(apesar de saber sempre bem um miminho). Acerca dos comentários, que ele se entreteve a recolher, de outros blogs que eu visitava e que soube tirar de contexto, já falei com quem se poderia sentir ofendido e que compreendeu perfeitamente. Agora acusar-me de o perseguir e andar a copiar coisas que eu disse noutros blogs( pois tinha fechado o meu devido a idiotices da pessoa em questão), e coisas que já foram ditas há tanto tempo...
Enfim, aqueles com quem não pude ser sincera já pedi desculpa em privado e expliquei as minhas razões.
Como referi no meu outro blog,http://alltheworldismyhome.blogspot.com, não vou verificar os erros porque a pessoa gosta tanto de me apanhar em falso que eu lhe ofereço estes erritos como prenda de aniversário.

Decidi que não iria fechar este blog, tenho amigos que me visitam aqui e a quem eu visito a partir desta casa. Quem quiser continuar a vir aqui será bem vindo, quem não quiser sabe o que tem a fazer. Nesta casa não ofereço chás como na outra, mas ficam convidados, da mesma forma.

Pelo menos consegui nestes meses os beijinhos que me foram recusados durante muito tempo, especialmente nos últimos 8 anos.

Não tenho muito tempo para posts, mas virei, na medida do possível, seguir-vos e comentar os vossos blogs. Neste momento espero as represálias, mas há muito que estou preparada para elas, ao contrário da outra pessoa, que tem que ter sempre a última palavra e ele é que sabe, aqui poderão comentar o que quiserem e sempre que quiserem.
Esta a quem sempre foi dito que se tentasse falar da fantochada de casamento que tínhamos há anos ninguém iria acreditar em mim, pois seria a minha palavra contra a dele( e claro a dele valia mais, pois sempre fez questão de me mostrar que eu era insignificante), por tudo isto, ( e mais) vou continuar a dizer que fui vitíma de violência doméstica. Mas penso que o melhor é acabar por aqui, porque a minha vida está demasiado preenchida, neste momento, para continuar a alimentar egos. Sou demasiado positiva para querer saber deste "manifesto" feito contra a minha pessoa pelo outro que já não é meu seguidor :)

PS. porque não me lembrei de o fazer, mas para que não restem dúvidas, o meu nome não é Helena Pais, mas sim Paula Silva, facto que já era do conhecimento de alguns e que já foi alterado no meu perfil.
Obrigada, por terem estado aí.



Entardecer

2010-03-31T00:05:05.369+01:00

(image)

Foi um lindo entardecer aquele em que nos conhecemos, apesar da chuva, do vento e do frio, pareceu-me lindo. Ambos abrigados, nos Jerónimos, parecia que as forças da natureza nos queriam juntar, segundos passaram, minutos também, não me lembro do que disseste, sei que respondi, sorrindo. Os minutos continuavam a passar e, quase uma hora depois,reparámos que já não chovia. Permanecíamos, no entanto, relutantes em partir, em virar as costas e terminar aquela aventura que nunca tinha começado. Começámos a caminhar continuando a conversa, o frio fazia sentir-se cada vez mais intensamente, um café impunha-se. Lá nos sentámos no Starbucks. Já não sentia o frio, apenas que tinha que ir, contudo só me apetecia ficar. Não, não foi amor à primeira vista,nada que se parecesse. Foi apenas uma conversa confortante, a descoberta de alguns gostos comuns, a vontade de voltar a confiar. O café chegou ao fim, já não havia mais desculpas, o adeus era agora.
Saí e já atravessava a estrada em frente aos pastéis mais famosos de Lisboa quando te sinto a meu lado: querias o meu número de telemóvel. Hesitei por breves instantes, o meu lado desconfiado sussurrou qualquer coisa, mas ignorei-o, não pensei que fosses ligar, pelo menos não nos próximos dias. Não te pedi o teu, o eléctrico chegou e tive mesmo que entrar.
Nessa noite recebi um sms: número desconhecido, mas mensagem elucidativa :)
Já lá vão umas semanas, muito mais sei a teu respeito, sei, também, que não tenho sido fácil. Não é fácil confiar, mas o teu carinho, a tua paciência, o teu respeito,têm-me conquistado.
Anseio pelos fins-de-semana, pelo calcorrear Lisboa, eu que pensava conhecer tanto e conhecia tão pouco.
Não sei até onde vamos, não sei mesmo se iremos, mas agora acho que o importante é o caminho que percorremos e a forma como o fazemos.
É tão bom deixar de estar dormente.



Hoje estou assim!

2010-02-24T20:20:50.910+00:00

(image)
(image)

Não é meu hábito mas pronto. Normalmente, fico assim só um bocadinho.Hoje levei o dia todo a tentar não ficar assim. Mas é demasiado para uma pessoa só: foi simplex demais, pessoas com ar muito convencido que só dizem bacoradas,pessoas que estão atrás de um balcão a mandarem-nos ir para casa e fazer tudo pela net. Afinal o que fazem eles atrás do balcão?
Eu até fazia através da net(não preciso que me digam e aliás até acho que não me devia dizer, porque ninguém me perguntou se eu tinha net); mas ao fim de dois dias a tentar resolver através da net e a não conseguir telefonei e disseram-me:"devido a uma restruturação dos nossos serviços, está tudo muito lento, provavelmente seria melhor dirigir-se a um dos nossos balcões?!".
Ac ho que deviam estar a restruturar o senhor do balcão também: estava muito lento e ia-se abaixo mais vezes que a minha net.

Hoje estou assim e pronto, também não me apetece reler o post por isso se tiver gralhas é porque estou em restruturação.



Traição é...

2010-02-21T18:12:27.667+00:00

(image)

Estive ontem a falar com uma amiga, está a passar pelo que eu já passei. Conversámos um bocado ao telefone e depois no Messenger. Quando me fui deitar ainda pensava nela e, lá num cantinho de meu cérebro,"batia" aquela frase:"ele diz que nunca me traiu".Ouvi o mesmo há um par de anos atrás.

Hoje de manhã voltámos a conversar, estava preocupada, pois sou mesmo amiga dela. Sabem como é? Não somos amigas de escola, nem de faculdade, nem de emprego, somos amigas do coração. E estarei com ela sempre que ela precisar ou quiser da mesma forma que ela esteve sempre comigo. A história da traição veio novamente.

Por isso, voltei a "remoer" o assunto e decidi pedir-vos opinião. Gostava de opiniões masculinas e femininas. Aparentemente o que o marido dela quis dizer foi, o mesmo que o meu ex,"nunca estive com outra mulher enquanto o casamento durou". No entanto, esta não é a minha percepção de traição.
Para mim traição é...
...nunca ter estado presente quando precisei dele;
... ser incapaz de um carinho ou de uma demonstração de afecto;
...tudo ser mais importante do que a familía;
...nunca ter sido verdadeiramente nem meu amigo, nem meu companheiro;
...nunca ter sido realmente pai;
...exigir tudo e nada dar;
...ser completamente insensível aos meus sentimentos mas esperar que eu respeitasse os dele;
...desautorizar-me perante o filho;
...menosprezar-me diante de terceiros;
...dizer mal de mim a pessoas que nunca me conheceram.

Posso estar enganada, mas por tudo isto e mais umas coisas EU senti-me TRAÍDA.



Não posso deixar de responder a um desafio

2010-02-10T00:18:34.123+00:00

A Teresa (http://continuandoassim.blogspot.com) desafiou-me e eu adoro um desafio.Aqui vai.Questão 1: Tens medo de quê? De perder o medo que me motiva.Questão 2: Tens algum guilty pleasure? Chocolate preto, adorooooooooo!Questão 3: Farias alguma loucura por amor/amizade? Sem dúvida. Por isso os meus amores e os meus amigos sabem que estou aqui.Questão 4: Qual o teu maior sonho? Responder paz, amor e felicidade é trapacear;) sonhar sempre! E se realizar um sonho, arranjar outro.Questão 5: Nos momentos de tristeza/abatimento, isolas-te ou preferes colo? tempos houve em que gostaria de um colinho, agora prefiro estar só, com o meu gato 8o animal mesmo)Questão 6: Entre uma pessoa extrovertida e uma introvertida, qual seria a escolha abstracta? Assim qualquer coisa entre o meio cheio e o meio vazio.Questão 7: Sentes-te bem na vida, ou há insatisfação além do desejável? Não sei o ponto do indesejável, para mim qualquer insatisfação o é, mas é algo com que temos de lidar.Questão 8: Consideras-te mais crítico ou ponderado? Sabendo, contudo, que existem críticas ponderadas. Sendo que uma não exclui a outra e porque eu balanço muito na dualidade, sou um pouco da duas.Questão 9: Julgas-te impulsivo, de fazer filmes, paciente...? Define-te, de uma forma geral. diria que a paciência já se foi há muito, agora sou muito mais impulsiva.Questão 10: Consegues desejar mal a alguém e, normalmente, concretizar? Sê sincero. Não sei se consigo concretizar, normalmente desprezo.Questão 11: Conténs-te publicamente em manifestações de afecto (abraçar, beijar, rir alto...)?Não ( embora o rir alto, esteja fora da minha lista )Questão 12: Qual o teu lado mais acentuado? Orgulho ou teimosia? Depende muito da situação, mas a teimosia é uma boa aposta.Questão 13: Casamentos homossexuais e direito à adopção? Porque não?Questão 14: O que te faz continuar o blogue? continuo a colocar-me essa questão, até encontrar a resposta, vou ficando por aqui.Questão 15: O número de visitas e comentários influencia o teu blogue? Gosto de ver quem me visita, gosto de os visitar, provavelmente influencia, pois se não aparecesse ninguém este ou ualquer outro blog perderia um pouco o sentido, não era' Questão 16: Na tua blogosfera pessoal e ideal, como seria? não tenho uma blogosfera ideal. Questão 17: Deviam haver encontros de bloguistas? Caso sim, em que moldes? Caso não, porquê? São decisões pessoais, penso eu.Questão 18: Sabes brincar contigo e rir com quem brinca contigo? Sem ironias. Claro que sim, não devemos rir dos outros se não aprendemos a rir de nós.Questão 19: Quais são os teus maiores defeitos? tenho vários, a teimosia,o não saber perdoar atitudes egoístas e cretinas, é outro,também não ter paciência para as pessoas que t>~em a mania que só elas é que são boas(mas não sei se considero isso um defeito)Questão 20: Em que aspectos te elogiam e/ou achas ter potencialidades e mesmo orgulho nisso? Elogiam-me pelo meu sentido de solidariedade social, pela minha noção de justiça(não confundir com leis),por defender a minha familía contra tudo e contra todos... Questão 21: Entre uma televisão, um computador e um telemóvel, o que escolherias?Computador Questão 22: Elogias ou guardas para ti? se a mim o elogio sabe bem, também deve saber aos outros, não é?Questão 23: Tens humildade suficiente para te desculpar, sem ser indirectamente? Se errei só tenho que o reconhecer e pedir desculpa pelo facto.Questão 24: Consideras-te, de grosso modo, uma pessoa sensível ou pragmática? [...]



Água

2010-02-05T22:54:32.130+00:00

(image)


Adoro o mar, melhor dizendo, adoro a água.Não retiro o mesmo prazer da água do duche que escorre sobre o meu corpo e da água do rio que oiço, deitada nas suas margens. São águas diferentes, prazeres diferentes. Uma das coisas que mais gosto de fazer é sentar-me à beira-mar, particularmente agora no Inverno, pois consigo estar quase só, quase numa praia deserta, sou só eu e mais uma ou duas almas perdidas, alguns pescadores ocasionais que estão tão longe que mais parecem pontos no horizonte.

Sento-me ali, seja mar ou oceano, a olhar o ir e vir da água, vendo as gaivotas a peniscar ora na areia, ora na água, e abstraio-me de tudo o resto, posso ficar por ali,umas horas tomando consciência apenas de mim e do mar, de mim e da água, de mim e da minha pequenez face ao que me rodeia... Adoro estes pedacitos de vida só meus, porque independentemente do amor que temos aos que nos rodeiam, precisamos destes momentos para nós, eu pelo menos, preciso.E não faz de mim egoísta, nem amar menos os outros, pelo contrário: depois deste retiro, sinto-me regenerada, sinto-me bem com a vida, tenho um novo alento, logo estou mais disponível para os meus amores.

Este retiro faz-me reduzir tudo a este conceito simples: a vida é como o mar, umas vezes temos maré alta, outras baixa-mar. Ambas têm a sua beleza, ambas têm a sua utilidade, é através das duas que se mantém o equilíbrio desta nossa casa global. Até os momentos mais tempestuosos são importantes uma vez que reajustam as nossa margens.

E eu adoro água....



Porque há dias em que nos faz bem...

2010-01-25T18:41:33.845+00:00

(image)

E hoje foi bom deixá-la sair e ter alguém em quem me apoiar. Foi bom não ter que ser forte todos os dias, ser forte sózinha.Foi bom o abraço e a sensação de paz. Obrigada.



Liberdade, na falta de um título melhor

2010-01-14T22:11:33.093+00:00

(image)

Apesar de tudo pelo que passei nunca considerei ter grilhetas, nunca achei que tinha jugo. Talvez seja sinónimo de burrice, talvez por isso a situação se tenha arrastado
tantos anos.
Porque nunca me coloquei a questão? Porque o meu espiríto era livre, sempre foi livre! Mesmo nos momentos em que o desamor correspondia ao meu amor, nos momentos em que a humilhação correspondia à minha paixão, o meu espiríto era livre:ele via e observava,ouvia e escutava. O meu espiríto livre, foi crescendo, foi-se fortalecendo, foi perdendo a insegurança (isso sim, acredito que o meu espiríto era livre mas inseguro, talvez um pouco sonhador).

Hoje,sinto-me uma mulher mais resolvida, hoje, sem ti, sinto-me uma mulher feliz, finalmente feliz. E o meu espiríto livre abraça com paixão,a minha familía, os meus amigos, as minhas causas, as minhas lutas, hoje vou até ao fim porque já não há insegurança. Porque o meu espiríto é, hoje, um espiríto livre e apaixonado pela vida, evoluiu, cresceu e ficou mais forte.



Apenas mais um dia

2010-01-06T21:47:25.216+00:00

(image)


Ela entrou na camioneta, com um sorriso e um bom-dia ao motorista, penso que nem se apercebeu da ausência de resposta. Sentou-se,lá ao fundo da camioneta, todos os dias o mesmo trajecto, horas diferentes, pessoas diferentes, mas sempre algo em comum, algo que a começou a irritar até ela, finalmente, se aperceber do que era: a pessoa ao lado ouvia música. Nada contra, pensou ela, mas porque tenho que ouvir as músicas dos outros, porque usam os fones se a música incomoda os meus pensamentos? Para quê usar fones se incomodam quem os rodeia?

Todos os dias horários diferentes, pessoas diferentes, trajectos diferentes,músicas diferentes. Uma coisa em comum: ela!



Subsídios para fumadores! E nós os ex, podemos receber retroacivos?

2010-01-02T22:26:58.870+00:00

(image)







Fumadores que procuram ajuda podem vir a ter apoio financeiro
02.01.2010 - 08:41 Por Alexandra Campos

Deixar de fumar com a ajuda de fármacos ou de profissionais de saúde recebendo apoio financeiro para o efeito é o que prevê um estudo pedido pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).
O desenvolvimento da notícia está no seguinte link:
http://www.publico.clix.pt/Sociedade/fumadores-que-procuram-ajuda-podem-vir-a-ter-apoio-financeiro

Pronto, li, também li alguns dos comentários e agora gostaria de ler os vossos, particularmente o dos fumadores. Vais aproveitar LBJ?
Este país gosta ou não de dar subsídios? Porque é que eu não fumei mais 10 anos? Agora ainda recebia qualquer coisita, ando sempre adiantada.



Feliz 2010

2009-12-30T23:45:32.092+00:00

(image)


Não pretendo vir com discursos, venho apenas desejar-vos um 2010 à medida dos vossos desejos, enviar-vos um grande beijinho e dizer-vos que um dos bons momentos deste meu ano foi ter-vos conhecido.

Não esqueçam as boas superstições para a passagem de ano:


(image)

E divirtam-se muito!



Feliz Natal

2009-12-24T01:07:59.141+00:00

(image)


Recebi hoje um mail de uma Associação de Pais, de quem tenho uma boa impressão, não sei bem como mas fui parar à sua lista de e-mail e recebo as notícias da Associação com uma pontualidade que em agradou, pelo esforço que demontra e pelas iniciaticas que apresenta e actividades, a favor das crianças,que divulga. Acho que é falta de hábito! Hoje enviaram-me o seguinte link:http://www.youtube.com/watch?v=nhxf2Xg4xGc.Fui ver e fiquei a pensar no assunto, de facto, vivemos numa época de consumismo, mas, e esta é só a minha opinião,esta história de que se está a perder o espiríto de Natal, não é mais uma frase feita? Porque eu conheço pessoas, já bem entradotas, se me permitem a expressão, que nunca passaram um Natal daqueles que a Pronúncia do Norte falava ontem (desculpa Pronúncia referir-te sem autorização), daqueles que eu sempre ti e as razões são várias, desde o não se darem com a familía ( o que é triste) até ao não querem gastar dinheiro ( uma espécie de consumismo ao contrário, se é que me entendem), o que é tão triste ou mais, neste caso são pessoas incapazes de afectos, pessoas a quem "falta um bocado", digo eu, essencial. Mas isto são frases soltas, comecei por querer enviar-vos apenas os votos de festas felizes e fui divagando, mas já está, já está. Já agora, o Natal não começou logo com uma insinuação de consumismo? Então os três Reis Magos não levaram uns presentinhos ao Menino, poderiam, se já houvesse Continente e toys'r'Us,ter levado a PS3, ou qualquer coisa do género,mas não havia e levaram aquilo que tinham, a julgar, pelo que ainda me lembro das aulas de RM, eram ricas prendas. Afinal o consumismo, começou agora ou não? Bem comam muitas filhozes, Papos de Anjo, o que vos apetecer e aproveitem bem a vossa familía. Beijinhos.



Talvez Freud explique

2009-12-08T00:01:51.648+00:00

Este gosto que eu tenho de me perder por entre a multidão.De calcorrear as ruas, de andar nos transportes públicos (sim mesmo correndo o risco de apanhar a Gripe A). Gosto das primeiras horas da manhã quando as pessoas se dirigem para o seu emprego, gosto do anoitecer quando as luzes se acendem. Gosto de me perder no meio das pessoas, olhar os seus rostos e tentar adivinhar as suas vidas! Aquele casal, será tão feliz, como aparenta? Aquele homem é realmente assim tão sisudo ou sabe ser interessante, contar uma boa história, dar uma boa gargalhada.É uma qualidade que eu aprecio: que me façam rir, não o fazer palhaçada,mas aquele humor inteligente, dito na altura apropriada.Provavelmente, não me faço entender, nem eu própria me entendo hoje,mas estou assim: fim-de-semana grande, Lisboa, os amigos à espera, mas apeteceu-me perder,porque é segunda-feira e nem toda a gente fez "ponte"como eu.Andei de eléctrico, fui até aos Jerónimos, de manhã, a maioria das pessoas com o ar de que "graças a Deus, amanhã é feriado", outros com ar de quem deveria ter ficado em casa.Vim a pé até à Junqueira, adoro aquelas ruas, aqueles antigos palacetes, convidam-me a imaginar vidas passadas, as tristezas, as alegrias, os nascimentos, as mortes. Adorava entrar na maioria deles e vê-los por dentro.Apanhei o autocarro e desci no Cais do Sodré. Lá fui à Ribeira beber um Nespresso e comer uma léria(ai o meu colesterol). Pronto, mais uma confissão:sou gulosa e se forem doces conventuais, ainda por cima...Subi e desci aquelas ruelas, passei pela rua de S.Paulo, e subi até ao Largo de Camões, passei o resto da tarde com uns amigos e voltei para casa.Do terraço dos meus pais, quase um miradouro( se bem que ache que deveríamos dizer Miratejo, mas isso são outras histórias),vejo as luzes a acenderem,e imagino que naquele 1ºesq, do prédio amarelo vive uma família feliz, os filhos chegaram da escola e contam aos pais o seu dia, os pais também falam do seu trabalho,e então começam as tarefas normais. A mãe prepara o jantar, a filha mais velha põe a mesa o pai dá banho ao mais novo e veste-lhe o pijama.Nah, demasiado idílico. Do outro lado da rua vive aquela jovem de ar embirrantemente intelectual, aquela que entra no minimercado e nem Bom-dia diz, sempre de nariz empinado:é uma infeliz, não tem amigos, nunca recebe visitas,come refeições congeladas e passa a vida sózinha, ligada ao computador, a amigos distantes que não conhece,mas gosta de criticar, porque é esse o seu feitio, ou então que gosta de bajular, porque só assim consegue fazer amigos:à distância, sem ter que se dar, sem ter que confiar. Agora imagino que eu sou ela: também estou aqui a escrever, num acto tão solitário como andar perdida na multidão, também o estar aqui a relacionar-me com ninguém, faz com que não precise de me dar, que não precise de voltar a confiar.A única coisa que nos torna diferentes é o eu gostar de sorrir e de dizer Bom-dia, no Minimercado,mesmo que não conheça D.Maria.[...]



Isto não é Gripe A

2009-11-06T22:06:26.580+00:00

(image)



Não pensem que me convencem a ficar em casa só porque estou afónica e mal humorada. O J deu-me uma folga e foi passar uns dias com os meus pais. Não sei se vocês têm essa experiência quanto menos conseguem falar mais os filhos fazem disparates, ou as outras pessoas insistem para que falemos mais alto.Além de tudo isso, que por si só já é bastante irritante, ainda recebemos 1 milhão de telefonemas, daqueles que não deitam sumo, não interessam a ninguém mas que são feitos todos no mesmo dia.

Sondagens, ofertas de serviço e coisas do género. E eu, que até me tenho por bem-educada, lá tento despachar as pessoas dizendo que não consigo falar e que não estou muito bem, tentem outro dia( pois até posso depois dizer que não, mas o pessoal dos call-centers também têm que trabalhar, eu até já tive um mês num depois de me separar, mas isso são outros filmes e eu continuo afónica e mal-humorada) , e começam eles:" mas é só um minutinho, não a demoramos mais". E eu já cheia de vontade de passar a mal-educada e mandar dois "berros" no nosso vernáculo, mas não sai nada... Então ao fim do dia, telefona-me a senhora da Cabovisão, mais daqui e mais dacolá porque sou cliente nova, se estou contente com o serviço, blá-blá -blá, e começo eu a tentar gritar novamente (o que soa horrivelmente quando se está neste estado lastimoso) e ela:" ah, já tem este problema com o telefone, há muito tempo, ouve-se, de facto, muito mal, ainda não comunicou com os nossos serviços técnicos?" Saiu-me um não, de quem queria dizer "não é preciso"; mas a senhora foi tão simpática que me disse que ia ela ligar directamente aos colegas e eles entrariam em contacto comigo. Ora pois, agradeci, dentro das possibilidades, e já desliguei o telefone fixo, até poder resmungar e barafustar ou dizer olá, o que vier primeiro. Entretanto, só sms ou messenger. E como disse não é gripe A, porque não tenho 37 de temperatura , parece que agora o patamar já desceu ou então sou eu que sou mesmo muito burra e sempre achei que temperaturas elevadas eram a partir dos 38.5, 39. Enfim, estou um bocado menos mal humorada e estou a aproveitar o silêncio é que eu tenho destes dias em que só me apetece ouvir o barulho do silêncio, sabem como é?




A revista Sábado, da outra semana

2009-10-24T21:59:23.371+01:00

Trazia uma reportagem sobre as mulheres maltratadas na nossa (alta sociedade), não comprei, não li. Li isso sim, alguns blogs com manifestações de revolta e com comentários em que se acusa as mulheres abusadas, em que não se compreende porque elas ficam, em que não se compreende tanta coisa e onde se condena outro tanto. Também já pertenci a esse grupo. Hoje apeteceu-me falar, deixar um pequeno testemunho, tentar ajudar os outros a perceber, para ver se eu também consigo perceber, e, talvez assim , perdoar-me. Não sou da alta-sociedade, vivo aquilo que na época dos meus pais, se designaria por vida remediada. Sempre trabalhei e estudei. Tive alguns namorados, daqueles que vamos até certo ponto mas não mais, chamem-me idiota, se quiserem, mas eu queria ter a certeza de que não era uma coisa casual, não era isso que eu queria, tinha que haver aquela química, a tal "faísca". Pensei ter encontrado isso com o pai do Jota, não era rico, mas tinha um cargo elevado numa empresa importante, não foi isso que me atraiu, foram as suas maneiras, as suas palavras, o insinuar-se sem nada exigir, Ao fim de dois anos casámos e a lua -de-mel acabou antes de começar: nessa noite os amigos apareceram e foi noitada até às tantas, fui dormir sózinha. Prometeu-me que não iria ser assim, e eu não ia desistir logo no 1º dia, continuámos. Comigo o abuso, não foi físico, pelo menos até eu decidir que estava na hora de vir embora. Foi durante anos um abuso emocional e intelectual continuado: tipo fazemos sexo para te fazer o favor porque não mereces, ou és mesmo burra e não percebes nada disto (fosse o "isto" o que fosse, e há frente de quem fosse), se lhe dava um DVD que sabia que ele gostava era porque podia ter comprado a outra versão e era posto de lado meio aberto, não interessava se estavamos sós ou se era, por exemplo, a distribuição de prendas de Natal com a família reunida. Quando o Jota nasceu, as coisas não correram muito bem, estive demasiado tempo com baixa e no ano seguinte fique desempregada, foi ainda pior. Não aguentei e disse-lhe que queria o divórcio e foi o inferno, não por amor, por paixão, pelo filho, mas porque eu tinha a audácia de querer sair. Eram discussões constantes, humilhações à frente de todos, até do J, empurrões, estaladas. Saí . Vim fazer este retiro com o J, um novo emprego e tentar uma nova vida, de preferência só. Quero agora dizer porque não disse nada, porque tentei esconder, ou pelo menos tentar perceber também.Penso que nas classes com mais poder económico e com um um nível cultural mais elevado, não é que nos doa menos, teremos talvez mais vergonha de admitir que aquela pessoa que está ao nosso lado e que se mostra tão educado e bem falante com os outros é, na verdade um crápula, porque ninguém ia acreditar em nós, o pai do J disse aos amigos que eu tinha arranjado um amante e que só queria era dinheiro, o que é uma redonda mentira, o meu único homem é o J, e dinheiro o juiz estipulou 300 euros/mês e só agora é que ele começou a dar, por ter sido obrigado. Também calamos pela família, a vergonha de dizer aos nossos pais que têm quase 50 anos de casados que estamos a ser tratadas assim, eu assumi no dia em que fui esbofeteada na presença da minha irmã porque tinha saído com ela e o J e não tinha avisado. O meu amor começou a chorar, a minha irmã agarrou nele e enquanto fiquei para trás a fazer frente ao pai ela fugiu com o meu menino e telefonou à polícia. Bem, continuo sem me p[...]



Vou de viagem, mas volto já

2009-10-09T21:20:01.787+01:00

(image)
Infelizmente, não vou para aqui, mas lá que gostava...
Pronto lá vou eu, uma vez mais cumprir o meu dever civíco, provavelmente ficar frustrada uma vez mais com os resultados de tanto civismo, mas sentir-me um pouco compensada pela programação do fim-de-semana. E se não servirem para mais nada, tantas eleições e tanta Gripe A, pelo menos vai oferecer-me mais um "weekend" de três dias.
A propósito de Gripe A, isto é imaginação minha ou é pânico a mais, ridículo a mais, farmacêuticas a mais(sem querer insinuar coisa nenhuma). No meu último passeio às origens, ia eu no autocarro quando vejo uma tia (que não minha, pois as minhas são mais básicas, assim como eu: tudo pão, pão, queijo, queijo, sim eu também sei que há as mistas, mas já me estou a desviar do assunto e o bus quase a chegar à paragem); como ia dizendo: vejo a tia a tirar um lenço de papel (ou talvez um tissue, que sei eu?) da mala e tocar para sair. Pronto, a tia tem medo da Gripe A, pensei para comigo e como ela já me tinha feito o favor de tocar, aproveitei e saí, pensei "agora a tia, vai deitar fora o lenço", com espanto reparo que em vez de o deitar na papeleira, da paragem, a tia o dobrou muito bem e enfiou-o novamente na mala. Boa! A tia sabe como evitar a Gripe nos transportes públicos e ainda recicla, ainda há quem fale mal das tias!
Depois desta divagação, lá me vou despedir, primeiro porque me quero deitar cedinho porque, já me avisaram: amanhã vamos fazer uma noite de reflexão e eu até prometi que faço os camarões e um tiramissú para ajudar, não me esqueci do queijo e haja quem ofereça as bebiditas e mais alguma coisa, para ajudar a reflectir. Depois tenho que ir cedo, porque senão telefonam-me de 15 em 15m a perguntar"estás atrasada?" e garanto que começam logo às 9.
Reflictam, não espirrem e aproveitem para se divertir, descansar o que vos apetecer.



VENI VIDI mas não VICI

2009-09-27T20:51:10.256+01:00

Pronto, então aproveitei o fim-de-semana de reflexão e lá fuī ( do latim porque eu sou muito erudita ) ver o pessoal, aproveitar para deixar que me mimassem ( não custou nada), cumpri o meu dever cívico e voltei, não foi fácil convencer o J que íamos num dia e voltávamos no outro, mas já cá estamos, de volta ao nosso aconchego. Então, fuī,vidi e quando cheguei liguei a televisão e foi, sem espanto, que descobri: está tudo na mesma, os nomes vão mudar, mas vamos levar mais 4 anos a reclamar, o lado bom é que estes não nos podem dizer que estão a tentar acabar com as asneiras que os outros fizeram e que vai levar tempo e blá, blá, blá. Bem valeu pela viagem, pela companhia e pela bela mariscada com vista para o Tejo, muito regadinha e com pôr-do sol lindo. Dia 11, estou lá outra vez e se não mudarmos mais nada pelo menos temos que pensar no menu: Luís, levo uns queijinhos.



Nas Asas do Sonho

2009-09-24T22:35:11.570+01:00

(image)
Hoje sonhei... não que seja algo inédito, sonho todas as noites. Mas hoje foi diferente, não acordei cansada a fugir de imagens tortuosas que teimam em perseguir-me, imagens sem sentido, que são pedaços de mim que pretendo esquecer. Quero voltar a acreditar. Não quero estas imagens! E hoje elas não vieram, hoje foi diferente.
Hoje, naquele momento entre o acordar e o "só mais um bocadinho", enrosquei-me, senti-me bem, senti-me feliz e naqueles segundos revivi o meu sonho.
Era um sonho de cores que me aqueciam: o azul da água era um bocado de céu, penso que se confundiam, a areia já dourada era acariciada por um sol de um amarelo muito vivo. Contrapondo-se ao azul e aos dourados, recortado, no horizonte, o verde de uma selva que se adivinha tropical e que promete frescura se o calor for demasiado.
Um sonho de paz: o meu corpo abandonado sobre a areia aquecida pelo sol, não tem medo de se abandonar, aqui não há lugar para receios, terrores ou perseguições.
Um sonho de carinho e paixão. Uns dedos que percorrem o meu corpo com a delicadeza de quem sabe o que faz e com a ternura de quem sabe a fragilidade do corpo e da alma que esses dedos tocam. Da paixão que nos consome em momentos que se tornam inesquecíveis e que sendo apenas momentos são eternos.
Lembrei-me de tudo isto no momento entre o "quem me dera não ter que me levantar" e o "já estou a ficar atrasada". Recordei tudo isto entre as asas do sonho e a crua realidade do dia-a-dia.



Estou de volta, mas não tomei o tal óleo :)

2009-09-16T23:20:46.363+01:00

(image)
Confesso que tenho andado a protelar este regresso, 1º era a virose, depois a preguiça e depois fui buscar o J. Não tenho esquecido os vossos cantos e recantos, passo por lá, não tenho comentado muito. Primeiro a virose, deitou-me completamente abaixo, desidratei mesmo, por isso o hospital ( e eu sempre a pensar que ainda ia sair de lá com Gripe A). Depois achei que merecia um miminho e dei-me uns dias para não fazer nada, ou quase nada, e, finalmente, no sábado fui buscar o J. tenho andado estes dias com o meu pintaínho debaixo da asa, para que a adaptação ao novo espaço: casa, escola e amigos seja mais fácil (claro que sou mãe galinha, existe outro tipo? Não sei! Dou-lhe autonomia, mas vigio, porque me preocupo). Esta adaptação a uma rotina nova sem os avós, sem a tia nem a prima tem sido uma enorme preocupação para a mãe, o pai, como sempre omisso, nem se lembrou do início do ano escolar( não lhe fosse ainda pedido para ajudar com o material escolar). Enfim, o J, não referiu o assunto e até já me sossegou (acho que reparou na minha tristeza, porque ele há dias assim, não há? Mesmo quando enfrentamos o touro pelos ditos, às vezes bate um bocadito o cansaço) : " Mãe não te piocupes que eu tomo conta de ti!".

Afinal todos temos direito ao lado B da vida, o meu é o J.