Subscribe: Comentários do blog Albergue Espanhol ao post A vingança de Marcelo
http://blogs.sapo.pt/commentsrss.bml?blog=albergueespanhol&ditemid=150490
Preview: Comentários do blog Albergue Espanhol ao post A vingança de Marcelo

Comentários do blog Albergue Espanhol ao post A vingança de Marcelo



Albergue Espanhol - SAPO Blogs



Last Build Date: Mon, 15 Mar 2010 00:21:28 GMT

 



Comentário a A vingança de Marcelo

Mon, 15 Mar 2010 00:21:28 GMT

Pedro Correia, por favor não leve a mal ter trocado o seu nome com o de Vitor Dias.
Estou também a manter interessante debate com ele no seu blog.
Repito, por favor não tome esta indesejável troca de nomes como provocatória - não passou dum lamentável descuido.



Comentário a A vingança de Marcelo

Mon, 15 Mar 2010 00:17:57 GMT

Não, eu não sou de toca-e-foge , Vitor Dias. Não gosto é de ser maltratado como fui no meu comentário inicial. Pensei que ia debater ideias e fui contemplado com ataques a despropósito.
Repare que simplesmente discordei de si, não fiz as afirmações que você colocou em mim, como refiro na minha reacção a à sua resposta.
Pensei que podíamos discutir serenamente, mas verifiquei que você preferiu o ataque pessoal à discussão de pontos de vista.
Não precisa tratar-me por Excelência (mais uma "bicada" sua, sem explicação).
Respondendo às suas dúvidas:
O meu conceito de LEI DA ROLHA é simples - quando alguém diz algo que desagrada , ataca-se a pessoa. Quando não se pode ir mais longe, tenta-se que o outro se afaste.
Uma ilustração do que acabo de dizer pode ser encontrada na inacreditável alteração de estatutos do PPD /PSD, aprovada esta manhã, e que proíbe ataques à chefia nos 60 dias anteriores a eleições. Uma autêntica pérola "democrática". Fui claro?
Quando falei em contraditório nos comentários políticos na TV, referia-me ao contraditório presencial. Porquê? Porque nada garante que as afirmações feitas num dia, embora contraditas noutro dia qualquer que seja, sejam novamente apreciadas pelos mesmo telespectadores. Na prática, esfuma-se o contraditório, fica a homilia.
Percebeu, agora, Vitor Dias, que estou de boa-fé e só pretendo contrapor as minhas ideias às suas?
Quando disse que não voltaria à discussão, apresentei-lhe as razões - não o queria incomodar. Mais uma vez, Vitor Dias, você não leu ou não quis perceber.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 23:15:25 GMT

Nunca vi uma lei da rolha consentir comentários livres, escritos em caixa alta e pontos de exclamação.
Vossa Excelência há-de explicar-me qual é o seu conceito de lei da rolha. E já agora explicar-me-á também qual é o seu conceito de "contraditório", pois entrou no registo do toca-e-foge: manda a boca e diz que não volta a aparecer, sem esperar pelo meu "contraditório".



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 22:37:02 GMT

Bom, Pedro Correia, você ou não sabe ler ou não o quer fazer.
Quem comparou MRS a concursos? Leia outra vez o meu comentário para verificar que a sua reacção não faz qualquer sentido.
Eu disse que não gostava de homilias sem contraditório, homem. Não disse que tinha sido essa a razão para ter sido "escorraçado" (o termo é seu!).
Também não comparei MRS com concursos, apenas utilizei o seu critério de audiências, para lhe opor a qualidade das emissões, dado que os concursos são programas-âncora das TVs, mas a RTP não é um TV qualquer, é a pública.
Dada a indelicadeza de não ter lido o que escrevi sobre o seu post , ter colocado em mim aquilo que eu não disse, e ter-se despedido da forma tão deselegante como o fez, não o incomodo mais.
PS: Como no PSD/PSD, vejo que neste blog, também não se aceitam opiniões divergentes - IMPERA A LEI DA ROLHA!



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:41:48 GMT

Impecável, sem dúvida. O melhor comentador político da TV portuguesa. Incompreensivelmente, a RTP deitou-o borda fora.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:41:07 GMT

Absolutamente incompreensível, o seu argumento: comparar Marcelo Rebelo de Sousa com concursos?

E acho ainda mais incompreensível dizer-me que Marcelo foi escorraçado da RTP por falta de "contraditório". Acha, sinceramente, que não haveria nenhum socialista que pudesse substituir Vitorino como comentador no canal público?
Se acredita nisto, aguarde que o Pai Natal desça pela sua chaminé, acompanhado das respectivas renas, na noite de 24 de Dezembro.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:25:17 GMT

Não concordo nada consigo, Pedro Correia.
Não partilho da ideia que a RTP tenha de manter um comentador político sem contraditório. Nem Marcelo, nem Pacheco, nem Vitorino, nem outro qualquer.
A questão é de modelo. Estes cavalheiros não fazem comentários políticos, fazem homilias das suas causas.
Porque não pensar, então, em Jerónimo, Louça, Portas, Garcia Pereira, ou tantos outros?
Para mim, o erro seria sempre o mesmo.
Comentários, sim, mas com debate.
Para ser mais directo, embora menos correcto, acho que nestes comentários (os que citei) impera muita desonestidade intelectual. Isto, claro, já não depende do modelo, mas antes dos comentadores.
E quanto a achar que a RTP foi estúpida por ter desprezado quem garante 1 milhão de telespectadores ao domingo, por favor Pedro Correia, não me diga que também acha que os estúpidos programas, como os concursos (o que antecede o Telejornal é o cúmulo), devem ser apoiados porque garantem não-sei-quantos-milhões de espectadores.
É sempre bom recordar que à RTP compete serviço público, embora de tal não lhe encontre quase nada.
VMT



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:24:51 GMT

É verdade, Pedro. A RTP deve estar bem arrependida de ter dispensado MRS. Ele esteve impecável a comentar na TVI e na SIC.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:10:50 GMT

Não posso deixar de elogiar o seu manifesto sentido de humor.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:10:29 GMT

Você dirá por si. O facto é que um milhão de portugueses escutavam com regularidade MRS, coisa que agora não sucede. Acha que este facto não deve pesar?
RTP decidiu calar uma voz incómoda. Marcelo perdeu a tribuna no canal público, mas felizmente já terminou a época do monopólio da RTP.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sun, 14 Mar 2010 00:03:31 GMT

Nos últimos tempos caiu muito. A habitual retórica de Marcelo cedeu aos interesses particulares da sua crendice política - cavaco e psd - deixando a sua visão "apartidária" e "externa" muito aquém do desejável para um canal informativo que se pretende ria neutro, porque público. Já Vitorino manteve a sua verticalidade criticando e comentando de uma forma independente, quanto basta, os factos e acontecimentos da sua área política. Certamente muitos não terão opinião semelhante.



Comentário a A vingança de Marcelo

Sat, 13 Mar 2010 23:19:44 GMT

Tem toda a razão. Lembrado, que estou, de Belmiro de Azevedo dizer que Marcelo tem sempre dez respostas possíveis para cada pergunta que lhe é feita, perde a televisão pública o espectáculo da dialéctica .
Por outro lado não sei se é disso que a RTP precisa... ou se é disso que, eu cidadão, estou precisado.