Subscribe: Com açucar, com afeto.
http://ela-aquariana.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
casa  ela  ele  foi    mais  medo  meu  meus  mim  minha  muito  não  pra  quando  sem  tempo  tinha  você 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Com açucar, com afeto.

Com açucar, com afeto.





Updated: 2017-11-05T23:52:38.915-08:00

 



resoluções de ano novo.... ou não.

2015-12-31T11:49:56.082-08:00

não conseguia dormir. pensava e repensava mil vezes.
tinha medo. medo de me arrepender. de não me sentir mais eu. tinha medo de querer voltar atrás.
eu não queria voltar atrás.
mas tinha medo.
cheguei muito cedo, não havia sol ainda. estava frio. e ele estava comigo. o tempo todo ele esteve comigo.
minha barriga doía porque eu a contraía conforme os minutos iam passando e se aproximava mais do momento.
eu estava deitada, nua, ainda tremendo, quando ela chegou e beijou minha testa.
perguntou sobre os meus piercings e eu disse que não foi possível tirá-los. menti.
ela foi tirando um a um e assim parecendo me descaracterizar. senti medo de novo. medo de me perder e não me achar mais.
ele chegou, e começou a me desenhar, me passava confiança: era seguro, calmo, sério, e tentava me descontrair. e meu corpo todo ainda tremia.
não disse a ninguém sobre o que eu sentia. não queria ser julgada.
queria e não queria.
mas fui. fechei os olhos e dormi.
quando acordei senti uma dor insuportável. parecia que tinha alguém ajoelhado sobre mim. não conseguia respirar direito. senti arrependimento. queria voltar a ser eu. queria voltar a me sentir.
comecei a ficar com medo de novo. dizia a mim mesma que ia passar, que ia valer a pena.
durante muitos anos não gostava do que via. sentia-me desconfortável. irritadiça. nada funcionava. não gostava de me olhar no espelho. não me via no espelho. não deixava que me vissem.
agora tinha medo de olhar no espelho. tinha medo de não me ver mais. de me arrepender. eu não podia mais voltar atrás.
os dias passaram, a sensação ia mudando. fiquei confusa. fiquei triste.
fiquei cansada. extremamente cansada. sentia que não conseguia mais continuar. mas eu tinha de continuar. não tinha como voltar atrás. me doía não poder voltar atrás.
e segui em frente. até o fim.
eu tinha muito medo. de me olhar no espelho e não me reconhecer mais. medo de estar plástica.
eu estou plástica.
eu não gostei. preciso dizer isso. preciso lidar com isso. mesmo que não seja possível dizer em voz alta.
não me arrependi. mas sinto-me decepcionada por não ter escolhido o que de fato me deixaria mais confortável, o que eu quis desde sempre.
sinto que ainda sou a mesma. de certa forma, sou. mesmo depois de muitas mudanças. mesmo depois destas mudanças. mesmo depois de outras mudanças.
eu sou a mesma. e já não sou mais.



"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu. "

2015-10-12T08:06:37.488-07:00

porta trancada.
ficava lá por dias.
ninguém notava se ela estava lá ou não.
mas ela estava. sozinha.

cansada.
procurando uma porta pra trancar.
trancar todos os erros lá dentro.
não cometer mais erro nenhum.

será que se perdeu?
quem é ela que pede tantas desculpas?
quem é ela que pede desculpas o tempo todo?
ela deveria continuar pedindo?

ela era forte e se desmanchava se alguém fechasse os olhos de verdade...
esperando por toda sua vida fechar também.
um dia ela fechou...
e quando abriu estava sozinha.

ela deveria se desculpar?


ela está perdida?
onde ela deveria estar?



0 Comentários

2015-09-11T08:08:42.284-07:00

eu tinha quinze anos quando me dei conta de que estaria sozinha no mundo.



1 Comentários

2015-02-06T16:12:46.068-08:00

quando eu olhava o chão via a sua sombra atrás da porta e aquilo me assombrava muito.
quando eu chegava em casa meu diário estava em cima da cama aberto na página do meu segredo, aquilo me magoava muito.
quando meu computador estava ligado com a minha pasta aberta e meus pensamentos lidos, eu, mortalmente, lamentava.

durante anos convivi com a insustentável suspeita de estar sendo vigiada. e eu era.
e aquilo me sufocava.

hoje, com outras portas, outros diários, respirei a liberdade de andar nua dentro de casa... de ser quem eu sou, sem medo, sem sombras.

há pouco vi uma sombra.
fechei os olhos.



2014 foi uma bosta

2014-12-31T04:16:29.714-08:00

se me perguntassem sobre a coisa mais legal de 2014 eu diria que foi a faculdade e como incrivelmente eu terminei o 2º ano sem dp's ou chorando pelo constante fracasso.
acho que finalmente consegui testar outras possibilidades de descobrir como sobreviver aos semestres academicos.

definitivamente 2014 foi o ano das minhas concretizações e de dar um passo adiante ao invés de recuar.
nesse ano dei mais abraço em meu pai do que em todos os outros anos de minha vida.
e pude ser a escolha de minha mãe para me contar suas coisas sóbrias.
briguei feio (pra variar) com minha irmã, e dois dias depois do natal ela me mandou um wtspp contando que eu seria tia: já fizemos as pazes.

no ano de 2014 eu tomei grandes decisões, como emagrecer. e eu nunca me levei tão a sério. eu realmente estava afim de seguir em frente. e foi a melhor decisão da minha vida. já fazem 4 meses que estou nesse processo e eliminei 12 kg, cara, isso é realmente muito legal!  e o mais importante: eu não desisti e não deixei que ninguém me fizesse desistir também.

em 2014 eu fiz grandes descobertas sobre os outros e sobre mim mesma. esse ano eu não deixei mais que as pessoas me fizessem sofrer. em 2014 eu mandei todo mundo tomar no cu. e simplesmente deixei que as pessoas seguissem suas vidas sem mim. acho que foi melhor pra todo mundo. ou ao menos pra mim foi.
afinal, sobrou mais espaço pra gente do bem chegar mais perto e aproximar os que estavam um  pouco distante.

2014 foi um ano difícil, foi pesado, cansativo... mas foi mais fácil passar por ele junto do daniel, sobretudo foi importante tê-lo ao meu lado. foi o que me manteve em pé o tempo todo.
estar com ele deu leveza aos meus dias... poder correr para seu colo no fim do dia me acalma.

pra 2015 eu desejo coragem a mim mesma. desejo pé na estrada e menos planos, menos vontades. desejo simplesmente fazer. desejo viver intensamente. afinal, teremos 11 feriados prolongados. ;)



das coisas favoritas:

2014-12-10T16:04:51.134-08:00





ficar no seu colo.
ganhar beijinho no pescoço.
massagem no pé.
abraço apertado.
colo quentinho.
beijo no peito.
pé encostado.
cafuné.
palavras de amor.
beijo na mão.
mão na mão.
mão no cabelo.
beijo na alma.
respiração forte.
anoitecer com você.
seu sorriso.
sua gargalha.
seu toque.
seu beijo.



"the pebbles forgive me, the trees forgive me, so why can't you forgive me? i don't see what anyone can see in anyone else but you"

2014-11-10T16:34:22.343-08:00


eu fico contando os minutos depois das 22h para ver você entrar pela porta de casa...
com seu demasiado cansaço você me beija e me abraça...

quero te ver logo. quero te ver já.



o peso nas suas costas é a última moda

2014-11-03T07:41:12.527-08:00


férias do trabalho: como isso é infinitamente legal! mesmo sendo obrigada (ainda) a programar o despertador.
ontem passei pela livraria e comprei dois livros que não era da bibliografia da faculdade... quanto tempo eu não fazia isso?
mas depois percebi que só comprei eles por influência da faculdade... tsc tsc  

dias desses descobri que fui parar num livro de poesia. era uma referência de dor (pra mim).
descobri também que não gosto de chá de camomila. mas gosto de chá verde (gelado).
emagreci 8 quilos. e já caibo num tamanho P.


sinto saudade quando ele sai e me deixa em casa. sinto saudade quando chego em casa e ele não está.

o vizinho de cima fica me infernizando com uma bateção chata de martelo. e eu não me animo para sair de casa: em tempos de seca lá fora fica insuportável, beirando o inferno - se o inferno for do tipo quente, digo.

confirmei minha participação num sorteio pra ganhar uma tatuagem.
por mais que eu ande em linha reta, eu sempre faço uma curva.
 

novembro: seja bom comigo.





oh she maybe weary

2014-09-25T19:07:46.037-07:00

sobre o cansaço que ficou em minha pele.
em meus ossos.

a primavera finalmente chegou e não estou tão certa se agosto foi mesmo um desgosto.
pareço minha máquina de lavar brastemp no modo molho + agitar.

as provas estão aí, e logo sigo em frente.

e a única que espero deixar pra trás são os quilos a mais, além da habitual (ou não) angústia.

além do mais, os beijos afetuosos que daniel me dá na testa me salvam.

 



carta provisória

2014-06-05T19:37:16.248-07:00

um pedaço de mim fica com você todas as manhãs quando saio pra trabalhar.
já faz algum tempo que você mudou meu trajeto.
o caminho não é tão longo, não é tão cansativo.   eu penso menos. eu vivo mais ao seu lado.
já faz um bom tempo que você mudou meus sonhos, que você tem realizado pouco a pouco cada um deles. já faz um tempo que você caminha contracorrente comigo. e que você não larga a minha mão.
já há algum tempo você me colocou na garupa da sua moto, me mostrou largos jardins de flores lindas brilhando com o sol radiante e calmo - como nossos corações.
aquele vento embaraçando meus cabelos, o cachecol roxo esvoaçante e minhas mãos apertando seu peito.

conto pra você meus medos, e você me acolhe no seu colo, me protege.
me ama com delicadeza, me toca com profundo amor e me mostra isso olhando nos meus olhos.
é gentil, paciente, sincero.
é poeta, cantor, gaitista. é meu amor.

já faz um tempo em que a porta daquele quarto está trancada. já faz um tempo que me fragmentei para ser sua.
há algum tempo, esqueci minhas malas em casa e tenho outro lar. outros pêlos, outras cores.
já faz algum tempo que não sou a mesma, que a velocidade tem baixado e me tornei mulher de um homem só.
todo dia meus pés procuram os seus e nos encaixamos até o amanhecer, não importa pra que lado estejamos, alguma parte nossa tem que estar junto.

você me surpreende com pequenas coisas, com palavras doces. você alegra meu dia.

agora você chegou em casa. me abraçou. e contou que estava com saudade.
outro dia escrevo outras coisas. agora vou ficar com você.



1 Comentários

2014-05-27T18:45:49.373-07:00

cheguei em casa cansada. exausta.
demorei uns 20 minutos pra estacionar o carro na nova garagem. e depois de conseguir, chorei.
não sabia mais como tiraria o carro da garagem. aquela garagem é uma bosta.




"um tiro no coração, despedaçou, no asfalto um arco-íris dos seus lábios sem cor, e o que restou, um armário sem vestidosu, um vaso sem flor"

2014-05-13T06:47:38.090-07:00





"você me deixou. eu vi você sair sem dizer pra onde foi. e o que restou vai ficar comigo e a saudade depois"



"hoje você está nas coisas tão mais lindas"

2014-04-19T04:59:12.705-07:00

não sei se foram os olhos, os cabelos ou o jeito em que ele me segurou. mas no instante em que ele me beijou pela primeira vez foi como se todas as borboletas dentro de mim acordassem e fizessem festa.
eu já contei essa história antes... mas não me canso de contar que naquela noite, aquela noite em que ele me beijou pela primeira vez, eu não conseguia dormir. e não passou um dia sequer em que eu não pensasse nele.
e eu só estou contando essa história de novo porque já são 3 anos juntos.


por amor.




gabriele

2014-02-26T15:32:15.710-08:00

ela nunca riu de mim. ela sempre riu comigo.



e é gabrielE, com E, faz favor.



so, so you think you can tell heaven from hell?

2014-02-09T08:20:27.145-08:00


janelas do carro aberta, um sol quente fazia minha pele parecer derreter.
um sol quente que dava dor de cabeça.
queria ter parado em qualquer lugar, mas eu segui em frente.
........

eu não sou a garota dos poemas, eu não a menina delicada. nunca fui a moça da voz delicada e das palavras certas.
eu era a moça torta, eu era menina que batia boca, eu era a menina que tocava o foda-se. e ninguém nunca me tirou pra dançar.
.............

esses dias me veio à memória nossos longos e-mails, os filmes de madrugada e as palavras nunca ditas. a separação sem explicação. a amizade quebrada como um cristal.
.........

então, veio alguém e catou esses caquinhos delicados.
.........

desci as escadas correndo com os olhos transbordando não as lágrimas, mas a dor. eu tinha sido eu mesma todo esse tempo e mentiram sobre tudo pra mim.
...........

e mesmo assim, meu coração ainda estava lá intacto, parecia que eu nunca tinha amado ninguém antes. e nem naquele momento. eu sofri porque eu não queria perder o que eu tinha.
.........

olharam em meus olhos e disseram: não quero que você vá.

..........

e eu disse: não posso ficar. eu nunca fico.
e eu fui embora pra sempre.

..........

eu não sei ser quem os outros esperam que eu seja. e durante muito e tanto tempo eu só esperei algo que me fizesse sentir viva e me tirasse de toda angústia que eu sempre carreguei pelo peso de ser quem eu sou.

..........

sala escura, só a tela do computador iluminava. e me lembrei de quando eu tinha 18 anos. e de como era bom estar onde eu estava. com todas as minhas feridas abertas, e com toda aquela solidão que me protegia de ser machucada novamente. eu ainda não estava pronta.

............
2 anos haviam se passado desde então... era a primeira vez que meus pés se cansavam da liberdade da dança. voltei pra casa cruzando os pés de alegria. finalmente sentia-me viva.
e pude seguir em frente.
............

com amor. com cuidado. com coragem.






para os dias jururu

2014-01-20T13:00:32.737-08:00


cozinhar e cortar o cabelo.


ah, o inferno astral.



o último dia deste ano velho é uma carta

2013-12-31T06:30:06.230-08:00


escrevo esta carta enquanto daniel dorme. ele está de bruços e eu conto as pintinhas de suas costas.

hoje chorei. e senti um enorme alívio de ter um calendário pra oficializar este dia, pois já estou com os dedinhos cruzados e as preces na ponta da língua prontas para acontecer à 00h.

este foi um dos anos mais importantes da minha.
consolidei uma relação com meu pai que há muito tempo vinha buscando. e acho que não só eu.
e disse à minha mãe que a amava muito. essa relação tão desgastada. essa relação que me dói. mas eu disse. ela disse.

em dezembro, depois de todos os exames da faculdade, cheguei em casa e pude respirar calmamente, sem me sentir sufocada. quer dizer, não que a faculdade de psicologia me sufocasse, mas sim, foi muito difícil conseguir sair quase ilesa deste semestre. e senti falta da única pessoa aquariana com quem me sentia bem e boa. não me envolvi em protestos, não me envolvi em nada que pudesse me sugar tanto. também ninguém me abraçou e disse que foi importante ter me conhecido. eu nunca fui ao bar da faculdade.

eu fui em outros bares, eu tropecei em outras pessoas.

esse ano eu cortei o cabelo. não fui muito no cinema e o único livro que comprei de poesia foi do pedro.

resgatei relações que me fazia falta. e pude me sentir melhor.

houve também uma pequena casa, uma tenda vermelha. essa casa guarda segredos de muitas mulheres. com estes segredos me mantive em pé. pra também contar o meu. 

este ano não dancei tanto quanto queria e não tomei um porre daqueles - acho que estou ficando velha muito rápido.

algumas coisas trocaram de lugar, e eu troquei muito de lugares, eu tenho um novo emprego e me sinto melhor nele. ele é o que paga a minha faculdade.

neste longo ano, embora eu tivesse sofrido muito, por tantas e muitas coisas, não posso deixar de dizer, que ter o daniel do meu lado foi a melhor destas coisas boas ou tristes que me aconteceram.
não deixo nunca de agradecer tanto amor e tanto carinho. em toda minha vida eu tive muito cuidado nas minhas relações, e tive/tenho medo de perdê-las. eu passo muito tempo tentando proteger essas relações, e posso dizer que eu não medo da nossa relação.
há duas semanas atrás eu disse sim, e coloquei o seu sobrenome que eu mais gosto no meu. há duas semanas atrás ele me abraçou forte e disse que era pra sempre.
e pela primeira vez, eu acreditei e senti que realmente eu podia confiar. e eu confio.
e por mais que essa relação caminhe conturbada na maior parte do tempo, porque obviamente eu sou uma autêntica aquariana, nunca faltou amor, nunca houve incerteza. eu sempre estive onde estive porque quis.
daniel me deu uma família. me deu pessoas que eu amo também.
esse ano a gente mudou a vida.
e nunca houve alguém que me amasse tanto, e que se preocupasse e que quisesse estar do meu lado.
todos os dias daniel me guia.
todos os dias ele me ama e eu o amo.
o dia em que nos casamos foi o melhor dia da minha vida, em anos. e eu sei que sem nossos amigos, sem as pessoas que nos ajudaram, nunca seríamos capazes de ter uma festa tão linda quanto a gente teve.
e eu não podia imaginar como somos queridos. foi um dia lindo. lindo.

agora quero terminar esta carta com meu coração aquecido de amor.
porque eu sou amor.  e em 2014 também.




0 Comentários

2013-12-05T16:21:56.641-08:00

ela não tem mais aquela sorriso de que me lembro quando tinha 6 anos.
às vezes ela sabe.

tenho dado largos suspiros líquidos. o estômago voltar a esmagar a garganta.

eu sinto falta dela assobiando patience... eu sinto falta dela ligar o rádio e cantarolar tudo errado.
eu sinto falta da vaidade dela.
eu sinto falta de tudo dela que me atinge hoje.

seria pedir demais paciência?

ai, mãe. calma.



quero ouvir uma canção de amor, que fale da minha situação... de quem deixou a segurança do seu mundo por amor...

2013-10-29T17:31:40.816-07:00

ele não se ajoelhou aos meus pés. não houve o pedido.
o pedido foi meu.
eu quis. eu pedi.

e ele aceitou. ele também me quis.
ele também me ama.

ele não colocou um diamante diante dos meus olhos...
mas ele colocou a felicidade.

em muitos momentos cuspi aqui angústias de outros tempos e destes tempos também.
suspirei muitos poemas. e muitos poemas que me foram escritos tinham outros endereços.

eu, tão aquariana. espaçosa. dramática... gritante...
me coloquei diante dos olhos dele, diante das gavetas que eu escolhi pra dividir quem eu sou com ele.
e eu quis dividir muito mais coisas com ele. 

eu tomei a decisão de estar nesta estrada. de seguir com ele.

eu. tão eu. tão profunda. tão sentimental, me abro.
me dissolvo.

eu escolhi o amor. ele também.
eu o escolhi e ele me escolheu.

e vamos nos casar.




"your love is thick and it swallowed me whole you're so much braver than I gave you credit for that's not lip service"

2013-09-10T18:45:15.085-07:00

foi então que eu percebi que você não segurava o remo tão forte quanto eu queria, e que estávamos indo contracorrente... mas talvez eu tivesse abaixado meu remo também.

e enquanto eu ia dirigindo pra casa pensando em você, me lembrei do nosso primeiro beijo e de como eu (quase não) dormi naquela noite de tão leve e feliz.

às vezes é um caos abrir a carteira pra pagar uma conta... mas quando vejo um bilhete seu atrás de uma nota que vou ter de dispor, aquilo não parece ser tão difícil mais.

eu chego em casa e ouço a festa que as nossas felinas fazem: é o som que eu quero ouvir ao chegar em casa!

eu não esqueço um só dia de como são seus olhos e como eles sorriem pra mim quando você está feliz... são meus olhos preferidos.

você é o cara mais corajoso que já conheci, e não vacila um só minuto. você está sempre ali. e isso faz com que eu não tenha medo de seguir em frente sempre.

eu sou a pessoa mais bagunçada, desastrada e maluca, e mesmo sendo assim você sempre esteve ali, e nunca deixou que eu fosse diferente só pra agradar.
você respeita até meus piores defeitos.

a maioria dos dias eu chego cansada em casa, e sempre tem seu abraço pra me acolher e me fazer sentir melhor. sempre tem você.

já te disse que você é muito charmoso de manhã? você é!

fico pensando nas coisas suas que me conquistaram, e acho que uma das primeiras coisas foi quando você com aquela carinha linda de sono ligou o rádio, na rádio antena 1 naquela manhã ensolarada...
pensei: como ele é tão lindo!!! e como ele combina comigo!!!

desde o início você segurou minha mão e me deixou contar meus medos. você não foi embora depois que soube todas as coisas ruins sobre mim.
você ficou depois de todas as minhas crises e todos os dias me pergunto como você consegue ficar com uma garota tão latino-americana-maluca que sou.

você é o cara mais gentil e encantador que eu já conheci. você é aquele cara do café, que toca gaita, que usa brinco de pena.

e se existe alguém pra mim nesse mundo, esse alguém é você. você é o homem da minha vida, e todo mundo sabe.

você é o amor da minha vida, e eu só poderia ser eu, se estivesse com você.

eu tô pronta.

eu quero.


SIM, EU ACEITO!!!





pra sempre.









SHE SAID

2013-08-25T14:53:25.372-07:00

WHO PUT ALL THOSE THINGS IN YOUR HEAD????????



me sinto como uma coluna vertebral sem uma vértebra, portanto insustentável. daí vou pensando um pouco mais nisso e então me dói mais fundo, porque me parece irremediável, inconsertável, insubstituível esse elo, essa vértebra perdida.

2013-07-22T08:36:02.247-07:00


"detesto ficar repetindo essas coisas, mas acontece que eu não sei pensar antes de falar, como a maioria das pessoas, então eu vou falando e só penso depois e às vezes eu só me dou conta que falei alguma coisa que não devia depois de já ter falado, compreendem?"

c.f.a.

ela chorou, limpou o nariz na toalha.

seguiu em frente.






ficou lá. carregando uma grande nuvem nublada.
essa nuvem se chama mágoa.



se tem espaço de sobra no seu coração

2013-06-10T12:28:36.786-07:00

com toda aquela armadura de quem já levou uns bons baldes congelantes d'água, duvidei.

depois dos anos de outubro, não havia estado ninguém lá. as bagagens todas ficaram onde sempre estiveram, pois por decreto, ninguém iria levar. ninguém nunca quis. nem mesmo ele que me prometeu.

daí ele apareceu, com todo aquele jeito "americano-latino" de ser. com todo aquele charme que me derretia e parecia me levar pruma armadilha.

ele dobrou meus joelhos. os meus e os dele.
fiquei.

a primeira dobra de uma peça de roupa, a cada cabide dentro da mala meu coração acelarava. e eu só fui me dar conta quando minha mãe chorou. e lá estava eu, diante do 1103. mal sabia eu, que ali caberia uma família: eu, ele e as felinas. e sim, somos uma família.

grudei nele. grudei em todas as coisas que podia me grudar, em cada detalhe dele. e eu sou extremamente, completamente, enlouquecida por ele.

a verdade é que depois dos outrubros eu não tive mais medo nenhum, e eu sequer esperava que seria acometida por isso.
isso que eu chamo é amor.

esse negócio filhadaputadocaralho.

mas ele, o daniel, é aquele cara que a gente olha na cara e diz: euteamoprasemprenãovivomaissemvocê e sai correndo com medo das próximas reticências de uma talvez resposta.

quando o conheci, eu tive bastante medo, é, aquele medo que há 30 segundos atrás você leu que não existia em mim.
medo porque eu sou uma garota-latina-americana bem doida. eu tenho resposta na ponta da língua. e eu nem me importo se for um palavrão. eu sou uma menina de um jeito bem esquisitão, e todo mundo tem uma história sobre mim pra contar.

e aí de repente eu tenho alguém na minha frente que me ensinou a pedir desculpas, que me ensinou que posso ser eu mesma, e maior, a coisa mais importante que ele me ensinou: é que nunca estarei sozinha!

todos os sorrisos dele me desmontam, passo o dia inteiro pensando nele. penso em coisas para agradá-lo, faço desenho, pinto um coração, mando um sms, um e-mail, uma in box. eu fico o dia inteiro atrás dele.

não sei como se diz, se não de outra forma, que eu gosto tanto, que eu gosto muito, que eu não vivo sem.

daniel, é o menino dos meus olhos.

e cada vez que tomamos um cafézinho, vamos tomar uma cervejinha ou comer um macarrão, meu coração se aquece.

eu sei, hoje, que eu não viveria sem ele, e toda nossa vida juntos!

a gente é a melhor equipe de dois da américa-latina!


e só podia ter acontecido assim: você entrando na minha estrada e eu capotando na sua vida!
:)










2 Comentários

2013-05-01T17:36:06.021-07:00

as pessoas sempre esperam que eu esteja pronta para esquecer e seguir em frente.
como se nada tivesse acontecido.

essas pessoas não gostam de mim.




2 Comentários

2013-04-26T04:13:36.771-07:00

quero ter alguém com quem conversar, alguém que depois não use o que eu disse contra mim.