Subscribe: odragao.blogspot.com
http://odragao.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: odragao.blogspot.com

odragao.blogspot.com





Last Build Date: Mon, 23 Oct 2017 10:46:37 +0000

 



Plantel 2014/15 - primeiras impressões

Tue, 12 Aug 2014 15:08:00 +0000

A primeira definição do plantel foi agora tomada pelo treinador com a lista dos jogadores escolhidos para a Liga dos Campeões.

Primeira surpresa, e das grandes!, foi a ausência do novo central, Marcano, da lista. Afinal, um jogador de 27 anos devia chegar, ver e ser titular. Mas não. Afinal, será só para consumo interno e, diria eu, fica em 4º lugar na lista de centrais... Se eu já desconfiava da sua mais-valia, esta ausência da lista para a LCE ainda veio adensar mais tais dúvidas...

Outras surpresas, apesar de tudo, foram a ausência de Helton e Opare, ambos lesionados toda a pré-época e sem data definida para o regresso. Esperava que Helton estivesse na lista por ser "o" capitão e esperava ver Opare, à semelhança de Marcano, na lista por ter sido contratado "a pedido" do treinador. Opções...

Mas aqui fica a lista:

Fabiano
Andrés Fernandez
Ricardo Nunes (formado no país)

Danilo
Alex Sandro
Angel
Maicon
Indi
Reyes

Casimiro
Rubén (equipa B)
Herrera
Óliver
Evandro
Brahimi
Quintero

Tello
Adrian
Jackson
Quaresma (formado no país)
Ricardo (formado no país)
Sami (formado no país)
Kelvin (equipa B)


Outras surpresas são as presenças de Ricardo Nunes, Evandro, Sami e Kelvin que, tudo apontava, seriam dispensados e não faziam parte dos planos do treinador. Carlos Eduardo, que era outro jogador nestas condições, também não conseguiu um lugar na lista.

Por último, algumas notas breves:
 - apenas um ponta de lança na lista, nem Gonçalo ou André Silva entraram na lista da equipa B
 - apenas 3 centrais, o que é uma grande fezada que não haverá nem lesões nem castigos nos 3 que estão inscritos
- 6 extremos... ou então para alguns deles está destinado um papel diferente, talvez Adrian ao centro (que não convenceu ninguém na pré-época) ou Sami (que será a última opção para o treinador).

Ainda tenho muitas dúvidas e desconfianças e as opções que têm vindo a ser tomadas não me estão a fazer sentir mais seguro, infelizmente...



Primeiras impressões (2014-15)

Sun, 10 Aug 2014 03:07:00 +0000

Algumas notas muito breves sobre a pré-época e o que nos espera este ano.

1. Jackson foi a melhor contratação! Está com uma vontade de se mostrar e um espírito matador ao nível dos melhores.

2. Dos novos, agradaram-me o Ruben (não é contratação mas é novo no plantel), Casimiro, o Tello, o Indi e o Brahimi. O Óliver também, mas esse não é nosso.

3. Não me agradou o Andrés e o Angel. Não me parece que tenham capacidade (e escola) para serem jogadores do FCP.

4. Não consigo dizer ainda o que penso do Ricardo (GR), Adrian, do Sami, do Evandro e do Opare. Ou porque (quase) não jogaram ou porque, no caso do Adrian, não mostrou nada de especial apesar de já o ter visto a fazer excelentes jogos no Atletico.

5. Parece-me que o Ricardo (GR), Defour, Evandro, Carlos Eduardo, Kelvin, Sami e Ricardo (extremo) não contam para o Lopes e deverão ser quase todos vendidos/emprestados.

6. Dos velhos, nada de novo. Continuam a apresentar os mesmos defeitos e virtudes que noutras épocas. Veremos se o Lopes consegue exponenciar as virtudes e minorar os defeitos com a construção de um colectivo mais forte.

7. Há alterações claras do modelo de jogo: mais troca de bola a meio-campo, mais pressão alta quando perdemos a bola - num modelo semelhante ao de VP e, acima de tudo, de AVB, mas com uma diferença para estes: não há um Fernando, um destruídor no plantel - quer o Casimiro, quer o Ruben, são mais construtores do que desarmadores. Parece-me tambem que os laterais são mais de apoio ao meio campo do que ao ataque e são os centro-campistas mais adiantados, muito soltos, que apoiam os extremos. Acho que isto pode resultar...

8. O Lopes tem uma semana para afinar a máquina e começar o campeonato a ganhar!

9. A equipa inicial devia ser, neste momento, para mim: Fabiano, Danilo, Maicon, Indi, Alex Sandro, Ruben, Brahimi, Óliver, Tello, Quaresma e Jackson.

10. Estou com expectativas médias-altas para esta época: espero qualificar para a LCE e ver o FCP lutar pelo titulo até à ultima jornada (admito não ganhar este ano, devido à enorme revolução ocorrida) mas não admito menos que o 2º lugar. E quero ver o FCP lutar para ganhar as outras competições (Taça de Portugal e da Liga).



2014/15 - A mudança de paradigma

Sun, 13 Jul 2014 16:08:00 +0000

Esta nova época traz algumas novidades. Sendo que a maior delas, quanto a mim, mais do que o treinador ou a habitual dezena de jogadores, é a mudança de paradigma que se nota no que toca às contratações e gestão do plantel.Por partes. Depois do falhanço total da última época, era evidente que alguma coisa tinha de ser feita. E do que transparece, algo aconteceu.1. Antero parece ter sido claramente esvaziado de poderes. Voltou a ser um mero director sob as ordens da SAD e do treinador, perdendo o posto de director-geral (mesmo que não perca o nome) e de substituto do todo-poderoso presidente.2. O maior envolvimento do presidente novamente. Para além de dar entrevistas, parece ser evidente que o seu envolvimento com a construção do plantel é muito maior, a começar pela escolha do treinador e pelos poderes que lhe parece ter conferido - muito mais próximo de um manager inglês do que do treinador português.3. A escolha do perfil de treinador bem diferente do habitual. Porque se era normal apostar em treinadores sem nome e para completarem a sua formação de azul e branco antes de serem vendidos, não era normal que eles tivessem caracteristicas de formador de jovens jogadores tão marcadamente como este tinha - nesse aspecto o mais próximo havia sido Jesualdo que foi contratado numa emergência mais pela experiência que detinha do que pela caracteristica formadora de ter trabalhado com as camadas jovens das selecções. Esta aposta em Lopetegui parece ser uma viragem e um assumir que a formação e os jovens jogadores (mesmo que não venham directamente da nossa formação) são a melhor aposta de futuro.4. Os poderes que o treinador recebeu para construir o plantel parecem ser uma novidade absoluta. Até hoje apenas o presidente tratava disso, com a excepção dos últimos dois ou três anos onde parece ter sido Antero o homem de mão do presidente que montou os planteis, negociou com os empresários e escolheu os nomes de treinadores e jogadores a contratar. O poder que Lopetegui está a ter, de telefonar aos jogadores que quer para os convencer a vir, a mexer-se no mercado e a escolher e impor os nomes que quer em vez de receber os jogadores que a SAD quer é algo que, se não é novo, é quase - que me lembro apenas Robson e mais tarde Mourinho terão tido essa autorização do presidente de escolher quem queriam, mas nunca em quantidade e possibilidade como agora Lopetegui está a ter.5. O regresso de Jorge Mendes - ou o afastamento dos empresários de segunda eleitos pelo Antero. Não sendo infalivel, é certo que Jorge Mendes representa uma carteira de jogadores quase inigualável e tem contactos preferenciais com quase todos os maiores clubes do mundo, em especial os mais endinheirados. Aliás, a transferência de Fernando por 15 milhões e, acima de tudo, a transferência iminente de Mangala por 40 milhões, devem ter muito a ver com a sua (re)aproximação ao clube, que começou com a colocação do treinador.6. A vinda de jogadores por empréstimo, alguns sem ter sequer opção de compra, como o Oliver e de outros já com idade avançada para se valorizarem, como o Adrian. Isso significa que, apesar de a aposta de formar jogadores jovens para mais tarde os vender por valores muito altos (como foi James, como é agora Mangala) ser para manter, o treinador detetou lacunas na qualidade do plantel ao nível de algumas posições que não se compadeciam com o tempo necessário para formar esses jogadores e precisou de opções imediatas para certas posições, que lhe dessem garantias de chegar e jogar ao mais alto nível imediatamente. Isto deve significar também que a SAD deve precisar que o clube no minimo se qualifique directamente para a LCE no final da época (preferencialmente com o titulo de campeão) e que o jogo de Julho/Agosto de qualificação para a LCE desta época é fundamental para o sucesso económico imediato desta época - o que poderá estar em causa, quanto a mim, é a manutenção ou não de Jackson, que como ninguém d[...]



O complicado momento da transição

Sun, 10 Nov 2013 13:56:00 +0000

Mais uma vez agitam-se as águas no Dragão e vê-se que o "barco" que a SAD lidera tem buracos.

Se, quanto a mim, era indiscutível que Vítor Pereira tinha de sair, a questão que então coloquei é se Paulo Fonseca era a melhor opção para o substituir.

Daquilo que fui vendo até agora, não é.

Não trouxe nada de novo positivo. Tem resultados do ponto de vista qualitativo e quantitativo semelhantes à primeira época de Vitor Pereira. E é, claramente, um treinador "em construção", como era o Vitor Pereira, como era o André Villas Boas, como era o José Mourinho. Com a diferença que este é um génio, o outro é acima da média e portista de corpo e alma. E os dois primeiros não são génios nem acima da média e só um deles, o anterior, era portista, o que não sendo uma qualidade enquanto treinador, pelo menos ajudava a relativizar as criticas.

Paulo Fonseca foi, claramente, um erro de casting. Está mais para Quinito do que para Mourinho.

Por outro lado, também a politica de aquisições esta época deixou a desejar. Apenas Quintero parece ser daqueles que vão dar algum rendimento (desportivo e financeiro) e Josué ou Licá não parecem ter capacidade para se afirmarem num FC Porto de primeira qualidade (algum deles conseguiria ser titular no FC Porto de AVB?) e os mexicanos não me convencem.

Creio que a aposta na formação de treinadores para depois os revender, à semelhança do que fazem com os jogadores, não é a ideal. O FC Porto precisa de se afirmar desportivamente na Europa e em Portugal para crescer financeiramente para o patamar seguinte. E se isso implica uma política agressiva de compra e venda de jogadores, que não me agrada mas que compreendo, julgo que implica também treinadores experientes e com capacidade de rapidamente sublimar as capacidades de cada novo reforço em prol do colectivo. Vitor Pereira ou Paulo Fonseca não são deste tipo.

Não sei como vai a SAD resolver este problema. Estou convencido que eles já perceberam que houve um erro de casting, mas parece-me que vão continuar agarrados ao plano que traçaram aquando da contratação do Paulo Fonseca ao Paços de Ferreira - o que significa que, a não ser que uma catástrofe de resultados sucessivos aconteça,  só no final da época poderá ser retirado do comando da equipa. E entretanto, seja o que Deus quiser, porque vamos ter mais uma época de sofrimento, como tivemos com VP em 2011/12. Até poderemos ser campeões como então fomos, mas será muito por demérito dos adversários também...



O plantel 2013-14

Sun, 18 Aug 2013 05:43:00 +0000

A época está lançada, já com um título na bagagem e hoje começa o longo campeonato, 30 batalhas até ao tetra final!Neste momento, infelizmente e como vimos nas temporadas anteriores, não é certo que o plantel esteja fechado e que estes 28 jogadores que hoje fazem parte do tri-campeão sejam aqueles que, pelo menos até Janeiro, venham a defender o clube.Dos 28 jogadores parece-me ser um plantel excessivamente comprido. Com o advento da equipa B e com a polivalência de alguns dos elementos, parece-me que uns 24/5 jogadores seriam mais que suficientes. Podendo usar 11 por jogo e ter 6 suplentes, neste momento tem outros 11 que não são chamados. Isto pode criar descontentamentos e clivagens no balneário, o que não é positivo.Analisemos então por sectores.Guarda-redes: Helton, Fabiano, Bolat e Kadú.Helton continua dono e senhor da baliza, Fabiano é claramente a aposta para lhe suceder. Mas o surgimento de Bolat trouxe alguma incógnita. Kadú é aposta de futuro e será o guarda-redes da equipa B. Sinceramente, não percebi a entrada de Bolat - ou Helton ameaçou sair e ele veio para colmatar essa possibilidade e receio, ou então será para se adaptar ao país, lingua, comidas e clube para no próximo ser o suplente de Fabiano. Em todo o caso, parece-me que seria um jogador a emprestar para rodar.Conclusão: 1 guarda-redes a mais.Defesa: Danilo, Maicon, Fucile, Reyes, Mangala, Abdoulaye, Alex Sandro e Otamendi.São 3 laterais e 5 centrais. Se nas laterais parece-me que temos o grupo equilibrado, porque se os brasileiros serão normalmente os titulares, o uruguaio bem regressado será uma alternativa consistente e boa a qualquer um deles. Por outro lado, no centro da defesa temos excesso de gente. Quatro chegam perfeitamente, até porque há um 5º jovem de excelente valor na equipa B, Tiago Ferreira, que acredito que se venha a transformar num central de nível internacional num futuro próximo. Por isso, se Mangala e Otamendi parecem ser os titulares indiscutiveis, todos os restantes, Maicon incluido, parecem-me ter hipóteses de serem emprestados - a não ser que algum tubarão venha "caçar" no viveiro do Dragão, o que segundo os jornais poderá acontecer mesmo a qualquer momento.Conclusão: um central a mais.Médios: Lucho, Josué, Quintero, Herrera, Carlos Eduardo, Fernando, Defour e Tiago Rodrigues.Primeiro problema: continua a haver só um trinco de origem, pior ainda após a saída de Castro que era, entre todos os médios, aquele que mostrava mais apetência para esse lugar. Depois, entre os restantes, há pelo menos 2 que podem cair nas alas e ser lá usados: Quintero e Josué. Sobram pelo menos Lucho, Herrera, Carlos Eduardo, Defour e Tiago Rodrigues para 2 lugares, sendo que um é quase exclusivo de Lucho pelo que há 4 jogadores para o 2º médio que este ano, a avaliar pelos primeiros jogos, irá jogar mais recuado e próximo de Fernando, ficando Lucho mais livre como um 10. Mas também aqui o nome de Fernando surge como incógnita se fica ou não, pois há tubarões na costa a rondar e é conhecida a sua apetência para querer sair. Que vão haver saídas aqui, não duvido. Mas não sei se serão por dispensa de excesso ou se por venda de titulares. E saindo alguem como Fernando, não sei se não chegará mais alguem. Sabendo que talvez Tiago e Herrera passem mais tempo na equipa B que neste plantel, penso que entre estes e Carlos Eduardo e Josué, pelo menos 2 deverão não ficar até ao final da época.Conclusão: dois médios a mais.Atacantes: Iturbe, Jackson, Ghilas, Izmaylov, Varela, Licá, Ricardo e Kelvin.Aqui temos dois pontas de lança, Jackson e Ghilas, e os restantes são 6 extremos. Se os pontas de lança são poucos para uma época tão longa (penso que este ano talvez Vion seja mais vezes chamado, em lugar de Sebá que mesmo utilizado algumas vezes não convenceu os dirigentes a comprarem-no) já os extremos parecem-me em demasia, até porque dois do médio são altern[...]



Jogo 1 - FC Porto, 3 x Vitória, 0 - Penta na Supertaça!

Sun, 11 Aug 2013 04:19:00 +0000

Helton, Fernando, Mangala, Jackson, Fucile e Otamendi; Licá, Defour, Lucho, Alex Sandro e Varela.Terminada a pré-época com resultados positivos, nova época a doer se inicia, para nós e quase habitualmente com o primeiro título em disputa - a Supertaça de Portugal.E, para não variar, com nossa vitória - a 5ª consecutiva, a 20ª na prova desde 1979, data da criação da prova.É sempre bom e motivante começar a ganhar! É um bom embalo para uma boa época onde, como habitualmente, estaremos presentes em 5 frentes: Supertaça, Campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga dos Campeões. 3 deles são para ganhar: Supertaça, Campeonato e Taça de Portugal. Um é para rodar jogadores, mas espero que seja com o pensamento na vitória final: Taça da Liga. E por fim, a Liga dos Campeões, cujo objectivo para mim passa por fazer melhor que na época passada e, porque não, sonhar então com uma ida à final... e ganhá-la (porque as finais são para se ganhar...)!Sobre este jogo de Aveiro, um Vitória muito verde e tenrinho para um FC Porto sem grandes novidades nas suas pedras, que não no seu jogo.O FC Porto que começou de inicio trazia apenas uma novidade em relação à época passada - o surpreendente Licá - e. se quiserem, o Fucile, mas este talvez mais pelo castigo de Danilo do que por si próprio. As saídas de James e Moutinho e ausência de Danilo foram compensadas de 3 formas diferentes: com recurso a uma contratação, com recurso a regresso de empréstimo e com recurso ao 12º jogador mais usado na época passada, Defour.Já o jogo apresentado, mormente na 1ª parte, foi algo diferente, para melhor, que no ano anterior vi os jogadores fazerem. Sem deixarem de ter posse de bola, sem deixarem de pressionar alto, fizeram-no com maior intensidade e mostraram movimentações de subida das alas e apoio dos médios ao ataque interessantes. Para além disso,  a descida de posição de Defour para o lado de Fernando deixou Lucho como um 10 e patrão e pensador do meio campo ofensivo. Resultados? Bons... muito bons, em 16 minutos já estávamos a ganhar 2-0 com golos de Licá (que melhor estreia pelo seu clube do coração poderia sonhar este jovem?) e Jackson (aquela máquina...) e em cima do intervalo ampliou para 3-0, resolvendo o jogo aí.Na segunda parte o jogo decaiu um pouco, quer porque o FC Porto abrandou, quer porque  o Vitória rectificou um pouco o seu jogo defensivo, mas ainda ficaram a dever alguns golos à contabilidade final do marcador, sendo que o Vitória nem uma oportunidade conseguiu criar o jogo todo.Confesso que estou entusiasmado para esta nova época, mas receoso pelos dias que  faltam até ao fecho do mercado em princípios de Setembro na Rússia - temos um plantel forte e equilibrado no momento, mas o ataque às nossas principais figuras pode acontecer a qualquer momento e a vida pode ficar complicada para Paulo Fonseca...FICHA DE JOGOFC Porto-Vitória de Guimarães, 3-0Supertaça Cândido de Oliveira10 de Agosto de 2013Estádio Municipal de Aveiro Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)Assistentes: Rui Licínio e João SilvaQuarto árbitro: Rui Silva (Vila Real)FC PORTO: Helton; Fucile, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Defour e Lucho (cap.); Varela, Jackson Martínez e LicáSubstituições: Varela por Josué (63m), Defour por Quintero (76m) e Licá por Kelvin (86m)Não utilizados: Fabiano, Maicon, Ghilas e HerreraTreinador: Paulo FonsecaVITÓRIA DE GUIMARÃES: Douglas (cap.); Pedro Correia, Josué, Paulo Oliveira e Addy; Moreno, André e Barrientos; Marco Matias, Tomané e CrivellaroSubstituições: Crivellaro por Leonel Olímpio (intervalo), Tomané por Maazou (intervalo), e André por Ricardo (76m)Não utilizados: Assis, Freire, Luís Rocha e HernâniTreinador: Rui VitóriaAo intervalo: 3-0Marcadores: Licá (5m), Jackson (17m) e Lucho (45m)Cartões amarelos: Moreno (81m) Cartões vermelhos: nada a assinalarPONTO DE SITUAÇ[...]



Pre-Season #5 - FC Porto, 1 x Celta de Vigo, 0

Mon, 29 Jul 2013 13:39:00 +0000

(image) Mais de 2 meses depois do último jogo no Dragão, a 11 de Maio, da celebrada vitória sobre os lampiões aos 92 minutos, o nosso estádio voltou a ver um jogo de futebol.

Não vi (pois aqui em Macau eram 3:30 da manhã e tinha de me levantar pelas 6:15...) mas do li e do resumo que já pude ver, parece-me que foi, talvez, o mais fraco dos jogos da pré-época até ao momento.

O que não é preocupante, pois estes jogos servem para isso mesmo: testar diferentes soluções e as coisas correrem menos bem. No final, ganhou-se o jogo (o que é importante para a moral e a estatística) e puderam-se ver e rever os jogadores que nos vão encantar esta época, não tenho dúvidas.

Penso que PF ainda não terá definido nem a equipa base nem, tampouco, o plantel que ficará às suas ordens a partir de 1 de Setembro - em parte porque isso não depende dele graças às cláusulas de rescisão, em parte porque ainda poderá chegar mais algum reforço de peso, a confirmar-se Bernard.

No fim de semana, em Londres, finalmente jogos a sério com adversários de uma mais valia digna de respeito - digna de Liga dos Campeões - como são o Galatasaray e o Nápoles. E, aí sim, nos últimos testes antes do primeiro jogo a doer da época (a Supertaça a 10 de Agosto) acredito que iremos começar a ver as mais valias deste plantel. No qual eu confio muito mais do que no ano passado, a começar pelo treinador e a terminar no melhor e maior número de opções disponíveis neste momento, malgré a saída do Moutinho... que foi um portista de corpo e alma ao publicar fotos a assistir pela tv à apresentação do jogo!

FICHA DE JOGO

FC Porto-Celta de Vigo, 1-0
Jogo particular
28 de Julho de 2013
Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 45.309 espectadores

Árbitro: Hugo Pacheco (Porto)

Assistentes: Alexandre Freitas e Filipe Ramalho
Quarto árbitro: Daniel Cardoso

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Fucile; Fernando, Defour e Lucho (cap.); Iturbe, Jackson Martínez e Varela
Substituições: Helton por Fabiano (intervalo), Iturbe por Kelvin (intervalo), Defour por Josué (intervalo), Fernando por Castro (72m), Varela por Licá (72m), Otamendi por Abdoulaye (72m), Fucile por Maicon (72m), Lucho por Quintero (85m) e Jackson por Ghilas (85m)
Treinador: Paulo Fonseca

CELTA DE VIGO: Yoel; Cabral, Jonathan Vila e Fontàs; Hugo Mallo, Borja Oubiña (cap.), Augusto, Álex López e Toni; Charles e Orellana
Substituições: Augusto por Michael Krohn-Dehli (32m), Yoel por Sergio (intervalo), Charles por Rafinha (intervalo), Fontàs por Goldar (intervalo), Orellana por Nolito (intervalo), Álex López por David (intervalo), Vila por Tuñez (63m), Hugo Mallo por Belvis (68m), Borja Oubiña por Madinda (68m), Toni por Yelko (68m), Cabral por Borja (68m) e Michael Krohn-Dehli por Fernan (78m)
Treinador: Luis Enrique

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Jackson (12m)
Cartões amarelos: Toni (67m) e Nolito (90m+2)
Cartões vermelhos: nada a assinalar



Pre-Season #4 - Milionários, 0 x FC Porto, 4

Fri, 26 Jul 2013 15:22:00 +0000

FICHA DE JOGOMillonarios-FC Porto, 0-4Jogo de Preparação25 de Julho de 2013Estádio El Campín, em Bogotá (Colômbia)Árbitro: Juan Soto (Venezuela)Assistentes: Wilson Berrío e Luzmila Gonzalez (Colômbia)MILLONARIOS: Delgado; Ochoa, Yoiver Gonzalez, Andrés Cadavid e Luis Mosquera; Jhonny Ramírez, Rafael Robayo, Mayer Candelo e Harrison Otálvaro; Erick Moreno e RenteríaSubstituições: Róbinson Zapata e Deison Moreno por Delgado e Mayer Candelo (ao intervalo), Leudo e Asprilla por Rentería e Robaydo (73m)Treinador: Hernán TorresFC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Abdoulaye e Alex Sandro; Castro, Lucho (cap) e Josué; Licá, Kelvin e Jackson MartínezSubstituições: Mangala por Alex Sandro (61m); Izmaylov por Licá (67m); Diego Reyes, Herrera e Ricardo por Abdoulaye, Josué e Kelvin (79m)Treinador: Paulo FonsecaAo intervalo: 0-1Marcadores: Danilo (29m, 52m e 72m), Jackson Martínez (85m)[...]



Pre-Season #3 - Anzoátegui, 2 x FC Porto, 4

Mon, 22 Jul 2013 15:19:00 +0000

No final do jogo, nova vitória na pré-época, por 2-4.Estando a perder 2 vezes, de ambas deu a volta e acabou por vencer o jogo no final. Mas é preocupante a forma como os dois golos foram sofridos...Muito trabalho na defesa espera ainda o Paulo Fonseca. FICHA DE JOGODeportivo Anzoátegui-FC Porto, 2-4Jogo de Preparação21 de Julho de 2013Estádio José Antonio Anzoátegui, VenezuelaÁrbitro: Maiker Moreno (Venezuela)Assistentes: Adrian Cabello, Tulio Moreno e Jorge Urrego (Venezuela)DEPORTIVO ANZOÁTEGUI: Edixon González; Camacho, Granados, Fuenmayor, Pernía, Calzadilla, Ricardo Martins, Escobar, David Moreno e Edwin Aguilar.Substituições: Edwin Aguilar por Oscar Briceño (71m), Ramírez por Calzadilla (75m) e Jhony González por Escobar (82m)Treinador: Juvencio BetancourtFC PORTO: Fabiano; Fucile, Maicon, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Defour e Carlos Eduardo; Iturbe, Varela e Ghilas.Substituições: Danilo, Lucho e Jackson por Fucile, Carlos Eduardo e Ghilas (46m), Herrera por Defour (77m) e Castro por Fernando (82m)Treinador: Paulo FonsecaAo intervalo: 1-0Marcadores: Edwin Aguilar (39m), Jackson (53m), Fuenmayor (62m), Mangala (63m), Varela (65 e 94m)Cartões amarelos: Edwin Aguilar (51m), Maicon, Fernando e Lucho (60m).[...]



Pre-Season #2 - Marselha, 0 x FC Porto, 3

Sun, 14 Jul 2013 03:48:00 +0000

Confirmado ontem, Quintero, o jovem colombiano clonado do JamesAo segundo jogo, de quilate mais elevado, nova vitória expressiva, por 3-0 contra uma das melhores equipas francesas.Entrada algo complicada no jogo com algumas desatenções defensivas (PF vai ter de dar muita atenção ao sector que há várias épocas tem sido estável na sua constituição mas que apresenta defeitos de atenção graves que venho chamando a atenção desde os tempos de AVB, mas em particular nas épocas de VP) que não resultaram em golo frances mas que, após o futebol da nossa equipa começar a assentar, reverteram em golos mas a nosso favor.Ajudou também a infantilidade de um francês que foi expulso aos 39 minutos após pontapear uma bola contra as partes baixas do Fucile depois de ter feito falta sobre ele. E por falar em Fucile, este foi a maior surpresa do onze inicial, quase decalcado da época passada (apenas Izmaylov destoava pela presença e Varela pela ausência) e com Josué no lugar de Moutinho, naquilo que parece começar a ser uma aposta consistente de PF e a que Josué tem conseguido dar boa resposta. Fucile vai dar tempos difíceis a Danilo e prevejo para breve, à semelhança da época passada, declarações do brasileiro a dizer que precisa de mais minutos de jogo para mostrar o seu futebol...Do jogo, diria que mais uma vez a primeira parte foi bem melhor que a segunda (até pelo facto de não ter tido substituições) mesmo que na 2ª houvesse mais golos que na 1ª, natural até pela superioridade numérica do FC Porto.Gostei do Lucho (não sabe jogar mal) e do Josué, do Kelvin e do Jackson, um verdadeiro matador. Mas também do Iturbe que está a mostrar o futebol que vi praticar no mundial de sub20 há dois anos e do Ghilas, bem como do Tiago Rodrigues, uma boa surpresa que está a ganhar terreno a Carlos Eduardo, na minha perspectiva. Dos mexicanos, que se estrearam, vi muito pouco, não me encheram o olho com nada de especial, mas também não me desiludiram. Licá esteve abaixo do último jogo, mas não esteve mal. Continuo a pensar que o plantel está mais equilibrado que o ano passado (a presença de Fucile é fundamental para dar concorrência quer a Danilo, quer a Alex Sandro, tendo ontem passado pelos dois corredores defensivos) e a abundancia de alternativas no meio campo é equilibrada e permite ao PF apostar no plano B que falei do primeiro jogo - ontem Herrera entrou mais atrás e emparelhou com Defour mais atrás de um Carlos Eduardo a jogar na posição 10. E agora que é oficial a contratação de Quintero, um 10 por excelência, parece-me que essa táctica faz todo o sentido para desencravar certos jogos.Vi também jogadas bem trabalhadas pelos jogadores, a demonstrarem já evolução táctica decorrente dos treinos e gostei do que vi.Estou optimista para a época que aí vem, acho que somos claramente favoritos para o tetra!FICHA DE JOGO Marselha-FC Porto, 0-3Jogo de Preparação13 de Julho de 2013Estádio Tourbillon, em Sion (Suíça) Árbitro: Alain BieriAssistentes: Johannes Vogel e Remy Zgraggen MARSELHA: Brice Samba; Rod Fanni, Diawara, Lucas Mendes, Morel, Abdullah, Cheyrou, André Ayew, Amalfitano, Jordan Ayew e Gignac. FC PORTO: Helton; Fucile, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Lucho (cap.) e Josué; Izmaylov, Kelvin e Jackson MartínezJogaram ainda: Fabiano, Danilo, Carlos Eduardo, Defour, Varela e Iturbe para os lugares de Helton, Alex Sandro, Josué, Lucho, Kelvin e Izmaylov (45m), Maicon, Abdoulaye, Herrera para os lugares de Otamendi, Fucile e Fernando (58m), Ghilas e Castro para os lugares de Mangala e Jackson (68m), Reyes, Tiago Rodrigues e Licá para os lugares de Defour, Varela e Carlos Eduardo (80m).Treinador: Paulo Fonseca Ao intervalo: 0-1Marcadores: Izmaylov (29m), Jackson Martínez (56m) e Iturbe (76m)[...]



Pre-Season #1 - Mastricht,0 x FC Porto, 6

Thu, 11 Jul 2013 03:20:00 +0000

(image) Foi um bom ensaio e que serviu para tirar barriga de misérias aos adeptos que desde Maio não viam o FC Porto em campo.

E serviu para milhares de emigrantes fazerem uma festa em torno do nosso FC Porto.

Holandeses tenrinhos, não deram para aquilatar muito da mais valia dos nossos jogadores. Mas serviram para tirar algumas conclusões.

1ª conclusão - há mais matéria prima e equilibrio na constituição do plantel que está a estagiar na Holanda, mesmo que sabendo que ainda devem sair alguns jogadores e que há 2 jogadores para chegar (Ricardo e Quintero).

2ª conclusão - PF priveligia menos a posse de bola que o VP mas, em compensação, parece-me que quer um futebol mais incisivo e, acima de tudo, mais produtivo em concretização.

3ª conclusão - parece-me que com PF haverá um plano B em constante trabalho, com uma organização diferente do meio campo (2+1 para lá do 1+2) e que parte disso tem a ver com os jogadores que tem agora disponíveis no meio campo (excesso de oferta após a escassez do ultimo ano).

Ficaram algumas boas notas individuais, como Alex Sandro, Jackson, Kelvin, Otamendi, Castro e Varela entre os antigos e Licá, Ghilas e Tiago Rodrigues entre os recém-chegados, para confirmar nos próximos jogos.


FICHA DE JOGO

FC Porto-MVV Maastricht, 6-0
Jogo de Preparação
10 de Julho de 2013
Estádio Spouwen Mopertingen, Bélgica

Árbitro: Christoph Virant
Assistentes: Kenens Yves e Gilen Bart

FC PORTO: Fabiano; Danilo, Maicon, Abdoulaye e Alex Sandro; Castro, Lucho e Josué; Varela, Licá e Ghilas
Jogaram ainda: Kadú, Fucile, Otamendi, Mangala, Kelvin, Fernando, Defour, Carlos Eduardo, Izmaylov e Jackson (45m) para os lugares de Fabiano, Danilo, Maicon, Abdoulaye, Castro, Lucho, Josué, Varela, Licá e Ghilas, Iturbe (55m) para o lugar de Alex Sandro e Tiago Rodrigues (75m) para o lugar de Carlos Eduardo.
Treinador: Paulo Fonseca

MVV MAASTRICHT: Castro; Verdellen, Knops, Stankov, Rutjes, Hyfte, Labylle, Braken, Veldmate, Ospitalieri e Njengo
Treinador: Tini Ruijs

Ao intervalo: 3-0
Marcadores: Varela (21m), Ghilas (23m), Castro (31m), Jackson (53m), Iturbe (65m, pen.) e Izmaylov (88m)



Plantel 2013-14: primeiras ideias

Sun, 07 Jul 2013 03:05:00 +0000

Agora que começou a época e que se encontra já a trabalhar a equipa, começamos a ter uma melhor ideia dos atletas que Paulo Fonseca (PF) terá à disposição para o ataque ao tetra.Para já estão quase 30 atletas a trabalhar com PF, número que poderá subir na próxima semana com as previsíveis chegadas de Ghilas e Quintero e, talvez, Bernard.Na baliza, está tudo definido, 3 jogadores: Helton, Fabiano e Kádu asseguram novamente as redes do FC Porto. Apesar de sonhada por PdC, não se afigura previsível a chegada de Rui Patrício, pelo que não deve haver mudanças neste posto...Nas alas da defesa, a questão é saber se Fucile continua no plantel ou não. Na minha opinião, sim, deve continuar. Neste momento há 4 jogadores no plantel, naquele que deve ser o mais equilibrado grupo de laterais dos últimos anos: Danilo e Fucile à direita, Alex Sandro e Quiñones à esquerda.No centro, há excesso de jogadores, pelo menos 6: Otamendi, Mangala, Maicon, Abdoulaye, Rolando e Reyes. Tendencialmente deverão sair 2, talvez Rolando e Abdoulaye, mas se PF diz que todos partem do zero, talvez possa haver ainda alguma surpresa, nomeadamente no que toca a Rolando poder ficar.Como trinco continuamos a estar curtos: Fernando é o único especifico e não é certo que não saia ou que não comece a época contrariado por não ter saido, Castro e Defour são as alternativas mas com tipos e rotinas de jogo diferentes deste, pelo que continuamos "mancos" para esta posição. Continuo a achar que Castro deveria ser rotinado para a posição e que tem condições de se assumir como titular nessa posição na saída (ou baixas de forma e castigos) de FernandoNo miolo do terreno temos neste momento excesso de oferta, pela primeira ao fim de algumas épocas de racionamento, mas a saída de James e, em particular, de Moutinho, veio deixar um enorme vazio ali que será sempre muito difícil de preencher. Neste momento, as opções são 8 para 2 lugares: Lucho, Defour, Castro, Tiago Rodrigues, Herrera, Tozé, Izmaylov e Carlos Eduardo. No entanto, alguns destes jogadores podem cair nas alas e não é certo que os mais novos (Tiago Rodrigues e Tozé) fiquem no plantel principal ou sequer na equipa B, podendo ser emprestados para rodarem. E poderá ainda chegar mais um atleta para o miolo, o colombiano sub20, Quintero, se bem que ele também possa jogar nas alas, para emular totalmente James... Prevejo muitas saídas aqui nestas posições.Nas alas há também um excesso de atletas, apesar de não termos nenhum "topo de gama". Neste momento, há 7 atletas: Varela, Atsu, Iturbe, Kelvin, Ricardo, Licá e Josué, se bem que Licá possa ser usado no centro do ataque. Não é certo que Atsu fique, nem que seja autorizado por PdC a ser usado mesmo que fique, pelo para além do ganês. pelo menos mais 2 jogadores devem sair ou serem "deslocados" para os B's e eu diria que Kelvin e Ricardo são os principais candidatos. Há ainda, no entanto, uma situação em aberto: a possível vinda de Bernard, o "topo de gama" chegado da selecção do Brasil por cerca de 20 milhões de Euros, segundo os jornais anunciam, o que forçaria mais algum dos elementos a sair.Por fim, na frente do ataque, há neste momento apenas 1 atleta: Jackson. No entanto, nas próximas horas deve ser oficializado o franco-argelina Ghilas, que também pode ser usado nas alas, mas que será, pelo que se viu na sua época do Moreirense, uma boa alternativa (e até parelha) a Jackson. Se Vion e Gonçalo Paciência se mantiverem na B e assumirem mais vezes a titularidade esta época, poderão ser ainda alternativa para certos jogos, têm ambos imenso potencial, penso que estaremos bem servidos no ataque, desde que nenhum tubarão se lembre de nos vir buscar o Jackson em cima do encerram[...]



Sobre a ignóbil hipotese de Jesus vir a ser o nosso treinador

Wed, 29 May 2013 16:14:00 +0000

Há, quanto a mim, duas ordens de razões, cada uma com vários motivos, para que isso não aconteça. Da ordem desportiva e da ordem pessoal.Começando por esta, há 4 motivos para que eu não considere mais do que confabulação da imprensa ele poder ser o treinador no próximo ano:1. A arrogância - a sua postura de sabichão (ou como dizia um meu professor do ciclo, de sabão!) e de se pôr em bicos de pés (que é catedrático em tácticas e coisas do género) não batem com o tipo de treinador à Porto que é humilde, cujo mérito lhe é reconhecido e não é propalado por ele próprio. A excepção foi Mourinho, mas esse é o special one...2. Ofensas e desprezo ao FC Porto - nas suas várias intervenções tem vindo a desprezar o FC Porto, não lhe dando os parabéns pela vitória do campeonato, ofendendo o clube dizendo que o dele é que merecia ser campeão. Falta de fair-play, falta de educação.3. Má linguagem, erros de português e má comunicação - como se percebe, antes de tudo, ele não tem culpa da pouca formação que teve em criança na escola. Mas não ter melhorado nada ao longo da sua vida, continuar a dizer os mesmos erros hoje que dizia quando era treinador do Felgueiras, isso já é culpa dele. E muito do que é a mensagem que ele transmite perde-se nos erros de palmatória que dá. Para além de que uma mensagem carregada de egocentrismo e de autoelogios como é a dele, não faz parte do ADN do FC Porto e é um erro de comunicação que se acaba por pagar, mais cedo ou mais tarde.4. Má imagem - aquele cabelo pintado, o relógio digital ultra grande, a pastilha na boca sempre à vista, são imagens de uma boçalidade brutal que não é compatível com um clube profissional, moderno e vencedor. Eu não gosto de fato e camisa, mas sei que em determinadas situações isso é exigido e cumpro. Sei que a pastilha na boca é até falta de educação, mas pelo visto ele não sabe - e pior, ainda ninguém lá dos lampiões lhe explicou isso!Por outro lado, do ponto de vista de ordem desportiva, há 3 motivos que não me fazem entender como ainda é possível pensar que ele tenha capacidade para ser o treinador do FC Porto na próxima época:1. Más tácticas - Ao contrário do FC Porto que "joga sempre da mesma forma", ele não. É um treinador amiúde cagarolas, defendendo em certos jogos e mudando a táctica para isso - por vezes de inicio, como fez ainda no passado jogo no Dragão, por vezes apenas durante o jogo como fez na final da Taça no domingo passado. Eu não concebo nem aceito que um treinador do FC Porto não jogue para ganhar em qualquer lado e nem que se ponha à defesa quando se apanha a ganhar a meia hora do fim.2. Problemas físicos - as suas equipas são conhecidas por rebentarem no final das épocas, desde os tempos do Felgueiras. Os finais de época dele sempre foram fracos e até penosos como este ano. Tem a ver com erros de gestão do plantel, mas também com metodologias e cargas de treinos, com toda a certeza.3. Falhar nos momentos chave - como se viu este ano, e como se tem visto ao longo da carreira dele, nos momentos chave as suas equipas - e ele! - falham sempre. Teve um momento excepcional - o ano do campeonato do túnel. Ora isto, quanto a mim, é um terrível problema que ele arrasta com ele e que em boa parte é consequência dos problemas de ordem pessoal 1 e 3 que apontei acima. E como ele não os resolveu em tantos anos de carreira, não vejo porque os vai conseguir resolver só porque se integra na excelente estrutura do FC Porto.Em resumo, olho para Jesus e vejo uma nova versão de Octávio. E, muito sinceramente, já nos bastou o primeiro, cujo maior feito foi ter aberto caminho para chegar o Mourinho! Mal por mal, e quem me acompanha nas l[...]



A próxima vitória começa agora?

Wed, 22 May 2013 15:13:00 +0000


Sim, supostamente a próxima vitória começa a ser preparada no final da anterior.
A frase é feliz. O timing é que não é.

A noticia do dia, hoje, é a iminente e ainda não confirmada saída em simultâneo de James e Moutinho para o Mónaco, por 70 milhões de euros.

Ora se o valor é muito bom, é mesmo assim e mais uma vez inferior às clausulas de rescisão (45 de James e 40 de Moutinho) e parte deste valor é perdido para empresários e para os lagartos que têm direito a 25% do superior a 11 milhões da venda do Moutinho - logo, dos 70 milhões, estimo que o FC Porto não receba nem 60 milhões...

Por outro lado, a venda de Moutinho, em particular, vai ser muito sentida, porque era o motor e patrão do meio-campo. Mais do que James, para mim, a sua ausência vai ser dificil de ultrapassar.

Veremos como será a próxima vitória.

A acreditar nos jornais, vai haver uma mini-remodelação: saiem VP, Helton, Fernando, Moutinho, James, Atsu e possivelmente Jackson e entram, para já, dois mexicanos (um central e um médio) e dois vimaranenses (um médio e um extremo), o que bate certo com algumas das saídas - mas não me acredito em todas estas saídas, nomeadamente a de Helton e de Jackson, em particular se se confirmar esta venda de hoje, a não ser que então alguém bata a sua cláusula. Fernando é uma incógnita, mas julgo que estará aberta a porta à sua saída se aparecer uma boa proposta, fruto de promessas anteriores, quero crer.

Veremos o que nos reserva o Verão, mas sou sincero: a haver saídas, que seja já. Porque assim dá tempo de preparar a próxima época e não somos apanhados nos últimos dias de mercado como aconteceu com Falcao e Hulk nas duas épocas anteriores.

A James e, em especial quanto a mim, a Moutinho, a melhor das sortes se de facto saírem para o Mónaco. Acredito que Moutinho merecia mais do esse clube, que por mais vedetas que contrate (e fala-se em Falcao) nunca será um grande clube.



Jogo 46 - Paços de Ferreira, 0 x FC Porto, 2 - Tri, tri, tri...

Mon, 20 May 2013 22:56:00 +0000

Foi um jogo de emoção controlada. Confiava que a equipa não falharia no momento crucial da época, mas há sempre aquele nervoso miúdinho.Felizmente, para todos nós, o FC Porto não falhou. Ganhou e celebrou, justamente, o 27º título nacional.Do jogo, diria que foi fraco, com muitos passes falhados, um Paços na expectativa, um FC Porto que se ia assenhoriando do jogo aos poucos e cada vez mais próximo, mas mais confusamente, da baliza do Paços. Até que aconteceu o lance capital do jogo.Do pénalti, a primeira impressão que tive (eu, a maior parte das pessoas e dos relatadores de rádio e comentadores de tv) é que foi penalti. Houve um toque em James, o próprio defesa o admitiu. Mas foi fora da área, coisa que só a repetição o permitiu esclarecer. O insuspeito árbitro (de Lisboa e conotado com os lampiões) marcou pénalti porque foi aquilo que a todos pareceu no primeiro momento - sem repetições e camaras de vários angulos para ajuizar se dentro se fora, é aceitável, como seria se não o marcasse e fosse apenas livre directo. Mas a expulsão é correcta - e incontestada até pelo próprio jogador, que sabe ter tocado em James - e deixou o Paços em má posição o resto da primeira parte.Da segunda parte, houve um assomo de vontade dos 10 do Paços em tentar aproximar-se, ainda que aos solavancos, da baliza de Helton - e este mostrou porque é o número 1, defendendo o que havia para defender. Depois, 4 minutos loucos: aos 52m Jackson amplia e marca o 26º golo da época, coroando-se melhor marcador do campeonato com mais golos do que Falcao e alcançando a brilhante meta de ter marcado a todos os clubes da 1ª Liga. E aos 56m Danilo é (bem) expulso por acumulação de amarelos após fazer uma falta idiota e plena de imbelidade no meio campo. E este gajo custou 18 milhões, mas nem o dinheiro das comissões (6 milhões) vale! Estou para ver como o vamos conseguir vender sem prejuízo...E depois nada mais aconteceu. O Paços não conseguiu sequer o golo de honra, o FC Porto até podia ter aumentado a vantagem com um remate ao poste do enorme capitão Lucho. Deu ainda para entrar Castro, o coração de Dragão, Kelvin, para delirio dos adeptos agradecidos pelo golo do minuto 92 e Liedson, para despedida.Do final do jogo, houve festa. De Paços de Ferreira ao Estádio do Dragão, passando pelos Aliados, Rio de Janeiro, Cabo Verde, rotunda do Marquês e onde houvesse um portista - e, porque não dizê-lo, onde houvesse um lagarto - comemorou-se a vitória deste campeonato mas também a derrota dos pré-anunciados campeões-lampiões que afinal não passam só de grandes melões!27 titulos. 7 nos ultimos 8 anos, 8 nos ultimos 10 anos. Uma superioridade brutal. 1 derrota nas últimas 3 épocas. É preciso ter um grande melão para não reconhecer a superioridade e justiça do campeão. Foi campeão o mais regular, o que perdeu menos pontos e o que acabou a época sem derrotas - mais justiça do que isto não há.Agora estou dividido para a Taça. Se a vontade que tenho é que o Vitória ganhe para fazer a festa no Marquês, penso que se ganhar não vamos poder começar a época a rachar melões (como alguns lampiões temem e escreveram, preferindo a derrota a jogar contra o FC Porto para não entrarem na época a perder...) e contra o Vitória não dá a mesma pica jogar a Supertaça... Seja como for, um jogo de cada vez, e neste que percam os lampiões, para a desgraça ser total!Ah! Já agora, que se faça a vontade do Jasus, e que para o ano a época dele seja igual a esta, como ele pediu - 2º na Liga, eliminado da Champions e derrotado na Liga Europa.Tri-campeão não é quem quer. É quem pode e tem categoria para isso. [...]



TRIunfo TRIbal no TRIcampeonato

Mon, 20 May 2013 22:26:00 +0000


Mas TRIstes foram os lampiões... nem os parabéns conseguem dar aos TRIcampeões!



A confirmação... Aí ao virar da esquina!

Sun, 19 May 2013 08:15:00 +0000

Uma questão de horas separa o F.C. Porto daquilo que se quer que seja a confirmação da revalidação do título de campeão nacional. A tarefa não será fácil, mas encontra-se ao alcance de uma equipa com um enorme potencial.
Só um pensamento avulso: estamos plenamente convencidos de que uma das principais motivações do nosso Presidente será, de uma vez por todas, calar uma certa "nação", composta por "seis milhões" de vermelhices, tornar o F.C. Porto no clube português com mais títulos de campeão nacional. A confirmar-se o 27.º Campeonato ao final da tarde de hoje, faltarão 6 campeonatos para que aquele feito se realize. Não que precisássemos, pois só em títulos internacionais as conquistas são imensas, mas será sem dúvida a "cereja no topo do bolo".



Jogo 45 - FC Porto, 2 x Visitante, 1 - A reviravolta que pôs Jasus de joelhos

Sun, 12 May 2013 17:57:00 +0000

O jogo: não foi grande coisa. Uns lampiões que vieram defender o resultado, cheios de medo e com uma equipa de tracção a trás (que foi ainda mais reforçada ao minuto 66 ao tirar o melhor jogador deles para meter um tosco defesa-central a fazer de trinco que nem no Corunha jogava) e que praticaram anti-jogo desde o primeiro minuto: perdiam tempo em todas as reposições de bola, atiravam-se para o chão com a corrente de ar, apoiados no colinho e miminho que o palhaço do gel lhes dava. O FC Porto no seu normal, com muita posse mas pouca produtividade e pouco rendimento - não muitos remates e menos golos ainda do que aquilo que era suposto para quem tem posses de bola superiores a 60% em quase todos os jogos, incluindo o de hoje.Da alegria à tristeza de quem merece cada um dos sentimentos! (Gif do Público) O jogo não começou da melhor forma. O golo dos lampiões surge antes do nosso e deixou o estádio à beira de um ataque de nervos e desespero. Surgiu de uma estupidez: aquela discussão na linha, em lance defensivo, só serviu para distrair e desconcentrar os jogadores do FC Porto, que não souberam resolver o lance em condições e ainda deixaram o Lima livre para marcar. 0-1 na primeira ida à baliza do FC Porto.No entanto, apesar de ter sentido o peso do golo, o FC Porto não baixou os braços e começou paulatinamente a aproximar-se da baliza dos lampiões que, se até aqui já faziam anti-jogo, agora excediam-se! O empate surgiu com alguma sorte, num ressalto sobre o emplastro, mas veio repor justiça no resultado. E assim concluiu-se a primeira parte.Na segunda parte, uma entrada forte do FC Porto deixava antever que o golo da vitória iria surgir a qualquer momento. Mais ainda quando o Jasus tira o melhor jogador das galinhas e mete um defesa-central/trinco que nem no Corunha, quando estava em ultimo na Liga Espanhola, jogava. Tudo pelo resultado. E a estratégia das galinhas ia resultando, pois o FC Porto não marcava e a 15 minutos do fim perdia, por lesão, Fernando. E o brasileiro é daqueles jogadores que se nota mais a ausencia do que a presença em campo, pois com a sua saída percebeu-se que o FC Porto perdeu elasticidade e as saidas para o ataque não corriam tão bem. A entrada do Cardozo ainda me fez pensar, a mim como a outros na minha zona, que ainda íamos sofrer um golo de bola parada - o que podia ter acontecido uma única vez, num remate ao lado. Lucho cede o lugar a Kelvin, numa tentativa de dar mais velocidade e profundidade ao ataque, mas continua tudo na mesma. O relógio não pára e o golo não acontece, para desespero de um estádio que não pára de apoiar o clube. Já em desespero, aos 84 minutos, sai o mais fraco dos defesas laterais (Danilo, obviamente) e entra o levezinho Liedson. Os minutos continuam a passar, os lampiões continuam a fazer anti-jogo e o golo não surge. Até que, já nos descontos, uma jogada simples resolve tudo: Jackson no seu meio campo passa a bola a Kelvin, que a coloca rapidamente a meio do meio campo em Liedson, que a devolve para a entrada da área ao Kelvin, que a recebe picando-a para dentro da área e sem a deixar cair no chão, remata de primeira com o pé esquerdo para o canto oposto da baliza. Artur lança-se mas vê a bola passar e o estádio saltar de alegria, no 2-1 aos 91 minutos que todos aguardávamos, Jasus de joelhos simbolizava a derrota!Ironia do destino, porque deve haver deuses do futebol como dizia o falecido relatador Jorge Perestrelo, ser um passe do "coxo" e quase inutilizado Liedson para o puto de 19 anos que quase pertencia à equipa B, Kelvin, marcar um golo soberbo.[...]



Jogo 44 - Nacional, 1 x FC Porto, 3 - Entrada à campeão, Estoril ajuda, nunca mais é sábado!

Sun, 05 May 2013 16:48:00 +0000

Não vi, porque me apanhou de saída de Macau para Portugal.
Não li muito sobre o jogo, porque andava por aeroportos e vôos de 8 horas.
Ganhamos, que é o que interessa. E soube, na madrugada do aeroporto de Dubai, que os lampiões empataram com o Estoril.
Sábado, uma final de vida ou morte... do campeonato!

Ficam as fichas. E a ansiedade. Nunca mais é sábado!

FICHA DE JOGO

Nacional-FC Porto, 1-3
Liga portuguesa, 28.ª jornada
4 de Maio de 2013
Estádio da Madeira, no Funchal

Árbitro: Cosme Machado (Braga)
Assistentes: Alfredo Braga e Tomás Santos
Quarto árbitro: Pedro Campos

NACIONAL: Gottardi; Nuno Campos, Miguel Rodrigues, Mexer e Marçal; Aly Ghazal, Moreno (cap.) e Jota; Candeias, Rondón e Mateus
Substituições: Moreno por Claudemir (intervalo), Mateus por Keita (intervalo) e Nuno Campos por Diego Barcellos (62m)
Não utilizados: Vladan, João Aurélio, Edgar Costa e Diogo
Treinador: Manuel Machado

FC PORTO: Helton; Danilo, Abdoulaye, Otamendi e Mangala; Fernando, João Moutinho e Lucho (cap.); James, Jackson Martínez e Varela
Substituições: Fernando por Castro (69m), Varela por Defour (78m) e Lucho por Izmaylov (85m)
Não utilizados: Fabiano, Maicon, Liedson e Castro
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 1-3
Marcadores: James (10m), Mangala (19m), Lucho (pen., 22m) e Candeias (pen., 27m)
Cartões amarelos: Mangala (25m), Candeias (29m), Fernando (51m), Helton (70m), Keita (89m) e Izmaylov (90m+1)


PONTO DE SITUAÇÃO
32 vitórias, 8 empates, 4 derrotas
88 golos marcados, 24 sofridos
1 título conquistado, 3 títulos perdidos, 1 título em disputa
    



Jogo 43 - FC Porto, 2 x Setúbal, 0 - Muita posse, pouco golo e até James falha penaltis também...

Fri, 03 May 2013 13:26:00 +0000

Imagem FC PortoMais uma vez não vi o jogo em directo. Não só o sono é mais forte (isto de ver jogos às 3h30 da manhã não é fácil...) como a vontade, confesso, também não é entusiasmante.Do que vi dos resumos e dos comentários, foi mais um jogo tipico do FC Porto deste ano - muito dominio de bola, mas pouco proveito. Muito pouco, até considerando que foi preciso esperar mais de uma hora pelo primeiro golo mesmo quando a posse andava na casa dos 80%. Ou seja, ninguém, incluindo e acima de tudo os jogadores, percebe para que raio que a equipa a bola. Para marcar golos, não é de certeza - porque marca muito poucos.Enfim, para além disso, o futebol praticado é chato, previsível e muito pouco atraente. E vai valendo Helton que continua a ter umas intervenções fundamentais para manter a baliza do FC Porto a zero - mesmo que às vezes tire os adeptos do sério com isso.O campeonato está entregue há muito - só os puramente crentes ainda pensavam que seria possível, mas um jogo à Capela deve ter arrumado com qualquer réstia de fé portista, como se viu nas declarações, tristes mais uma vez, de VP esta semana. Se era para moralizar o Estoril espicaçando-o, não me parece que resulte lá muito e tem a desvantagem de desmoralizar os nossos rapazes que, oficialmente, entraram de férias à espera da próxima época, já que o treinador deitou a toalha ao chão. Triste figura que faz, triste figura que nos faz passar.Previsível, de há muito. Como previsível é que está a prazo muito curto - deste mês não passa. Ainda não se sabe quem vem aí, mas já circulam vários nomes - o ex-selecionador brasileiro Mano Menezes, Leonardo Jardim e Domingos parecem ser os nomes na linha da frente, mas já foi ventilado Paulo Fonseca e até Rui Faria, o eterno adjunto de José Mourinho. Também ao nível do plantel parece que tudo está já em andamento há muito - vários jogadores contratados (2 mexicanos e 2 portugueses do Vitória, sendo que estes não é certo que fiquem já na equipa principal) e uma entrevista do administrador financeiro que me pareceu um recado interno para os mais bem pagos que se quiserem continuar por cá, têm de rever em baixa o salário.Do jogo mesmo, contra o Setúbal, que dizer mais? Muita posse, poucos golos. Lucho influente. James também falhou um penalti. Atsu apagado, Varela até esteve bem no seu lugar. Falta alma àquela equipa, falta aquela vontade de marcar 1, e depois outro, e depois mais outro... Falta líder. Vamos aguentando como podemos e ainda temos de aturar os mouros que conseguiram ir a uma final europeia 23 anos depois... nem que seja ao pontapé na cabeça dos adversários! O que vale é que o Chelsea não deve deixar escapar a Taça - não estou a ver o Abramovich a deixar as coisas assim tão simples... - e repetir, de forma invertida, o que fez o FC Porto de José Mourinho - ganhar as 2 competições em anos seguidos. Ao menos deixem-me ter esse prazer esta época... e já agora que deixem o Vitória jogar no Jamor a ver se tem hipóteses de ganhar... era um grande melão para os lampiões! E uma mini-alegria para nós... FICHA DE JOGOFC Porto-V. Setúbal, 2-0Liga portuguesa, 27.ª jornada27 de Abril de 2013Estádio do Dragão, no PortoAssistência: 32.410 espectadoresÁrbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco)Assistentes: Nuno Pereira e Paulo SoaresQuarto árbitro: Paulo BrásFC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho (cap.); James, Jackson e AtsuSubstituições: Atsu por Varela (39m), Alex Sandro por A[...]



Jogo 42 - Moreirense, 0 x FC Porto, 3 - O regresso às vitórias

Tue, 23 Apr 2013 15:57:00 +0000

Valeu pelo resultado.

O jogo, mais uma vez, foi fraco.

Sem alma, sem chama, sem vontade, sem pernas.

O Moreirense deu muito mais trabalho que o resultado transparece. Felizmente, tinhamos Jackson em dia sim e uma equipa que com um extremo de verdade (Atsu), em vez de um falso extremo (Defour) funciona muito melhor. Mesmo em dias fracos, um verdadeiro é melhor que um falso extremo e a diferença na produção da equipa faz-se sentir.

Fernando esteve bem a aproveitar a oportunidade na cabeça da área.

A defesa falhou muito, de tal forma que o melhor dos quatro defesas talvez tenha sido Danilo. E isso diz muito do mau jogo que os outros 3 fizeram...

No meio campo, James está com a cabeça fora do Dragão. Quando quer e aterra no jogo, é muito bom, mas a maior parte do tempo anda já a fazer listas mentais do que vai levar para a nova casa e coisas assim...

Enfim, venha o fim de época e o VP que vá à vida dele, para a Grécia ou Chipre ou Turquia, mas bem longe do Dragão, a ver se recuperamos o titulo para o ano que este ano a procissão já parou noutra Capela...

FICHA DE JOGO

Moreirense-FC Porto, 0-3
Liga portuguesa, 26.ª jornada
20 de Abril de 2013
Parque Desportivo Comendador Joaquim Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos

Árbitro: Marco Ferreira (Madeira)
Assistentes: Cristóvão Moniz e Sérgio Serrão
Quarto árbitro: Manuel Oliveira

MOREIRENSE: Ricardo Ribeiro; Ricardo Pessoa, Anilton, Aníbal Capela e Florent; Vinícius (cap.), Renatinho e Fábio Espinho; Wagner, Ghilas e Pintassilgo
Substituições: Wagner por Rafael Lopes (61m), Ricardo Pessoa por Paulinho (65m) e Anilton por Diego Gaúcho (74m)
Não utilizados: Ricardo Andrade, Kinkela, Belaid e Tales
Treinador: Augusto Inácio

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho (cap.); James, Jackson Martínez e Atsu
Substituições: Lucho por Castro (74m), Atsu por Liedson (81m) e James por Izmaylov (87m)
Não utilizados: Fabiano, Quiño, Kelvin e Defour
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Jackson Martínez (34m e 55m) e Fernando (52m)
Disciplina: nada a assinalar


PONTO DE SITUAÇÃO
30 vitórias, 8 empates, 4 derrotas
83 golos marcados, 23 sofridos
1 título conquistado, 3 títulos perdidos, 1 títulos em disputa
  



Jogo 41 - Braga, 1 x FC Porto, 0 - Adeus, Taça, adeus VP...

Tue, 16 Apr 2013 07:54:00 +0000

...mesmo que seja só no final da época.E a história repete-se. Duas vezes esta época que o FC Porto e Braga se defrontam em jogos consecutivos separados por poucos dias. Duas vezes que o FC Porto ganha para o campeonato e perde o jogo da competição a eliminar.Pior ainda. Porque esta era a final. Da Taça da Liga, sim, que não vale nada, eu sei, mas é uma competição e eu gosto de ganhar sempre, até na pré-época - por isso não gostei de ver o FC Porto não jogar para ganhar a final. Porque as normas da casa são antigas: as finais não são para se jogar, são para se ganhar.Não vi o jogo em directo, as horas são impróprias para quem está em Macau. Mas vi resumos e li muitos comentários. E não gostei do que vi e do que li. E menos ainda do que vi e li o VP dizer no final do jogo - culpar o árbitro pela derrota! VP, aprende de uma vez por todas: não é o árbitro que marca golos nem é ele que os sofre, pode condicionar mas isso trabalhado psicologicamente serve apenas para animar ainda mais os "rapazes". Claro que não percebes isso, como nem percebeste ainda como te caiu no colo o cargo que tens ou como vais ser despachado no final da época para a Turquia, Grécia ou Chipre enquanto o diabo esfrega um olho - e a única coisa que me preocupa é que a SAD tenha demorado quase 2 épocas a perceber o que meio mundo comentador bloguistico já percebeu há muito - o FC Porto é um pesado e tu só tens licença da câmara para motas abaixo dos 50 c.c.!Quanto ao jogo, felizmente o Fabiano estava inspirado e mostrou que tem, de facto, categoria para herdar a camisola de Helton um dia (e pelas declarações dele dos ultimos tempos, desconfio que não vai ser um dia assim tão distante quanto isso) porque a parte final do jogo foi, simplesmente, penosa.Enfim, segue o teu penoso percurso e que tanto nos faz sofrer por mais uns jogos, enterra lá de vez a equipa. Eu não acredito que consigas o que dizes que vais tentar - lutar pelo título até fim. Não tens força anímica, não tens controlo no plantel, não tens palavra a dizer nas contratações. E não tens jeito para treinador - podes ser um grande adjunto, mas és um treinador muito fraco.E que ganhes ao Moreirense no sábado, é tudo o que peço - desconfio que levas é mais um banho de táctica do Inácio que sabe mais a dormir do que tu acordado... tomara me engane eu... é que com o jogo dos lampiões e lagartos esta jornada, os adeptos gostavam de poder continuar a sonhar que ainda é possível...Sem ver Jackson comemorar, a Taça não vamos ganhar...FICHA DE JOGOSC Braga-FC Porto, 1-0Taça da Liga, final13 de Abril de 2013Estádio Cidade de CoimbraÁrbitro: João Capela (Lisboa)Assistentes: Ricardo Santos e Tiago RochaQuarto árbitro: Manuel MotaSC BRAGA: Quim; Baiano, Nuno André Coelho, Santos e Elderson; Custódio, Hugo Viana e Rúben Micael; Alan, Carlão e MossoróSubstituições: Rúben Micael por João Pedro (75m), Carlão por Zé Luís (78m) e Mossoró por Douglão (90m+2)Não utilizados: Kritsyuk, Rúben Amorim, Hélder Barbosa e MauroTreinador: José PeseiroFC PORTO: Fabiano; Danilo, Abdoulaye, Mangala e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho; James, Jackson e DefourSubstituições: Lucho por Otamendi (intervalo), Defour por Kelvin (60m) e James por Atsu (75m)Não utilizados: Helton, Castro, Izmaylov e LiedsonTreinador: Vítor PereiraAo intervalo: 1-0Marcadores: Alan (pen., 45m+2)Cartões amarelos: Abdoulaye (17m e 45m), Elderson (36m), Baiano (47m), Mossoró (67m), C[...]



Jogo 40 - FC Porto, 3 x Braga, 1 - Foi à reviravolta, mas foi...

Tue, 09 Apr 2013 11:10:00 +0000

Kelvin abriu o livro, felizmente...Foi mais um jogo que o FC Porto tornou complicado, sem razões para tal.Não vi o jogo, o sono foi mais forte que eu (estou em Macau, a +7 horas de fuso horário...) mas vi resumos e li comentários vários.E li e vi o habitual. Equipa amorfa, apática, lenta de processos e má nas decisões, sem plano B e sem velocidade.Começou a perder e se a serenidade dos adeptos já não seria muita, deve ter diminuído mais ainda com esse golo bracarense.Felizmente, a equipa manteve alguma união mínima e acabou por conseguir dar a volta ao resultado, muito por "culpa" da inspiração de um miúdo que tem prometido muito mais do que aquilo que tem alcançado. Felizmente, naquela noite, alcançou dois golos em 3 minutos no fim do jogo que valeram a diferença entre empatar e arrepiar ainda mais o caminho do tri ou manter a equipa à tona dos quatro pontos de distância...Comentário ainda para o despropositado não agradecimento da equipa no final aos adeptos e para as não só despropositadas como patéticas declarações do Helton sobre o assunto. Quando o Helton chegou ao FC Porto, já eu era sócio e adepto há mais tempo de o que ele tinha de vida. Quando o Helton sair do FC Porto, eu continuarei a ser sócio e adepto do FC Porto. A ir ao estádio vibrar com a equipa. E se os adeptos assobiam, não é por serem anti-Porto ou de outros clubes. É por serem 100% Porto, por terem visto esses mesmos jogadores fazerem muito melhor do aquilo que fizeram nesse jogo. E o problema não está nos adversários - eles já jogaram contra adversários muito mais fortes e fizeram muito melhor. Se há assobios é porque há a noção que são capazes de mostrarem um futebol muito melhor. E em vez de criticar os adeptos, não percebendo que há uma crise e muitos sacrificios dos adeptos para lá estarem no estádio a ver as suas estrelas a jogar e não os querem ver a arrastarem-se em campo, a perderem tempo sem sentido, a fazerem coisas que nem os miudos das escolinhas fazem. O problema dos assobios dos adeptos está nos jogadores e na equipa técnica - não sei se há ordenados em atraso ou prémios por pagar, não sei se há problemas de relacionamento entre os grupos de jogadores ou entre estes e os técnicos, não sei o que se passa. O que sei é que já vi (e escrevi aqui) o FC Porto fazer grandes jogos esta época - e o jogo de sábado foi uma porcaria, para ser simpático. Bem melhor esteve Lucho nas suas declarações...Só espero que este sábado, joguem a final da taça da Liga bem... e para ganhar. Como alguém no FC Porto disse, as finais não se jogam, ganham-se!FICHA DE JOGOFC Porto-SC Braga, 3-1Liga portuguesa, 25.ª jornada8 de Abril de 2013Estádio do Dragão, no PortoAssistência: 31.210 espectadoresÁrbitro: Pedro Proença (Lisboa)Assistentes: Tiago Trigo e André CamposQuarto árbitro: Pedro VilaçaFC PORTO: Helton; Danilo, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho (cap.); James, Jackson e DefourSubstituições: Maicon por Abdoulaye (ao intervalo), Defour por Atsu (62m) e Lucho por Kelvin (76m)Não utilizados: Fabiano, Quiño, Castro e LiedsonTreinador: Vítor PereiraSC BRAGA: Quim; Baiano, Santos, Nuno André Coelho e Elderson; Custódio, Hugo Viana e Mauro; João Pedro, Mossoró e Alan (cap.)Substituições: Mossoró por Carlão (68m), Hugo Viana por Rúben Micael (86m) e João Pedro por Hélder Barbosa (90m)Não utilizados: Kritciuk, Haas, Rúben Amorim e Zé LuísTreinado[...]



Jogo 39 - Académica, 0 x FC Porto, 3 - Castro, Coração de Dragão

Wed, 03 Apr 2013 07:50:00 +0000

Não foi fácil para mim assistir a este jogo. A diferença horária para Macau, onde estarei ainda mais umas semanas, é quase incompatível com a visualização de jogos em directo. Melhorou agora este fim de semana com a mudança de hora (passou de +8 horas para +7 horas de diferença para Portugal) mas mesmo assim não será fácil.Em todo o caso, este consegui ver do principio ao fim, via internet porque o jogo escolhido pela RTP I (via TDM, canal de Macau) foi o dos lampiões esta semana...E vi o mesmo de sempre.Um FC Porto amorfo, com pouca chama, com um domínio inquestionável da posse de bola mas com um rendimento daí retirado residual. Logo a seguir ao intervalo, escrevi no Facebook: "27 ataques, 71% de posse de bola. 1 golo. Que sensação de desperdício de tempo e de saber o que fazer com a bola..." e este tem sido o comentário, mais letra menos letra, que tenho escrito e lido um pouco por toda a parte. E esta estatística explica o nosso 2º lugar na tabela. Bem podem pregar que até temos mais um ponto que o ano passado - vale-nos de muito isso, o canal história é para os lampiões, não é para aqui chamado quando não vamos à frente... E quando os lampiões comemoraram este fim de semana o seu 100º golo em competições este ano (e nós, como se vê abaixo, ainda nem aos 80 chegamos) sem ter a mesma posse de bola que temos, ainda mais perguntas ficam no ar... para que controlar assim? Que vantagens isso nos traz? Porque não concretizamos mais se até temos o melhor ponta de lança e melhor marcador do campeonato? E na minha modesta análise, as respostas apontam para o treinador: quer controlar assim porque quer ser como o Barcelona, o seu modelo de jogo; vantagens que traz é sofrermos poucos golos, somos de facto das melhores defesas da Europa (e estamos longe de ter dos melhores defesas da Europa, ao contrário de tempos não muito remotos); e não concretizamos mais porque o treinador é limitado ao seu  trabalho de campo em jogo, não consegue adaptar e adaptar-se a procurar mais golos - aliás, bem pelo contrário, a substituição-tipo dele é de cariz defensivo ou de segurar o jogo, metendo defesas e médios em predominância aos atacantes - caso mais paradigmático são os breves minutos de utilização de Liedson ou de Sebá nos últimos 5 jogos, nos quais o FC Porto perdeu um e empatou dois... não é normal que não estando em vantagem no marcador, não aposte nos atacantes que tem disponíveis...Enfim, do jogo, fraquinho, valeu a vitória que nos mantém 4 pontos atrás dos lampiões e com uma centelha de esperança que ainda seja possível (não vai ser, mas pronto... deixem-nos sonhar!) e acima de tudo por ver um Moutinho bem melhor e um Castro que só pela entrega, fervor, portismo e suor que entrega em cada lance, em cada minuto, em cada momento do jogo me deixa a sonhar com tempos em que tantos sentiam aquela camisola e a responsabilidade de a vestir dessa mesma forma. Hoje, para além de Castro, talvez só Lucho e Hélton sintam algo de parecido - e são ambos estrangeiros! Ao que isto chegou...Pelo golo e acima de tudo pela comemoração, que ainda hoje me arrepia ao escrever sobre ela, CASTRO foi o homem do jogo! Merece muito mais oportunidades e aquilo que conseguiu, até agora, foi contra muitos preconceitos (ah e tal que não tem técnica, que é muito duro, que é muito impetuoso, que não tem visão de jogo...) e contra o treinador e contra empresá[...]



Jogo 38 - Marítimo, 1 x FC Porto, 1 - O adeus ao título?

Tue, 19 Mar 2013 13:16:00 +0000

Imagem FC PortoConfesso que não vi bem o jogo. Diria que o vi com um olho aberto e outro fechado. Porque estando num fuso horário de +8 horas, ver um jogo às 2 da manhã não é tarefa nada fácil, ainda mais estando debaixo do efeito de Sedoxil...Mas o que vi, mais uma vez, não me agradou. Não apenas o resultado - que começa a ser o menos surpreendente atendo ao nível exibicional da equipa desde o principio de Fevereiro ou ao nível de forma física exibida por algumas das pedras nucleares ou pelas constantes (quase semanais) lesões musculares em treinos que desde Novembro passado acontecem com uma frequência que eu já não tenho memória de ver no FC Porto.Tudo isto concorreu para o empate. Falta força nas pernas, falta força anímica. Mesmo que o domínio de bola seja alto, isso não se traduz em golos (já o digo há muito tempo) e pior que isso, agora começa a ser comprometedor com falhanços defensivos derivados de perdas de bola e falta de pernas para recuperar a posição no terreno, deixando os adversários em boa posição de ataque, remate e até golo.É verdade que Jackson voltou a falhar um penalti - que nem foi muito mal marcado, só que o guarda-redes adivinhou o lado e a falta de confiança geral da equipa (e que se nota particularmente no nosso n.º 9) fez o resto.Com este empate fica agora (e para já...) o FC Porto a 4 pontos do 1º lugar. Logo, ao contrário do que confiantemente disse VP a semana passada, o FC Porto já não depende apenas de si próprio. Aliás, como aqui denunciei, comentários desse calibre por norma são um assumir de deitar a toalha ao chão no FC Porto. Aqui, VP, não se usam calculadoras. Aqui ganham-se os campeonatos, ganhando os jogos, um a um, sem desperdícios como o do Olhanense, do Sporting ou deste Marítimo. E as eliminatórias contra "Málagas" são para ganhar, não são para ser eliminado e muito menos culpar o árbitro que fez o que tinha de fazer - VP é que não fez o que devia ter sido feito, poupar Alex Sandro e Defour nesse jogo devido aos amarelos...Mesmo a questão de alinhar novamente sem portugueses não é positivo. Tenho para mim que a equipa, na ausência natural de Moutinho por lesão e até de Varela por má forma, deveria atirar  para o onze inicial o Castro. Com todos os seus defeitos, tem uma enorme virtude: é, a par e até talvez mais do que Lucho, quem mais sente a camisola, o resultado e o que tem mais pulmões e estamina para correr sempre e lutar até cair para o lado.A (dupla) desgraça está feita. A SAD foi avisada por muitos comentadores na blogosfera e nos foruns como o do LinkedIn várias vezes sobre as consequências da política de manutenção de VP, sobre as consequências da política de contratações em Julho e em Janeiro, sobre os défices detectáveis a olho nú no plantel. Sobre tudo isso, a SAD, a direcção geral e a direcção técnica pouco fizeram. Ligeiros ajustoes em Janeiro claramente insuficientes para o que faltava da época. Agora chora-se um campeonato quase perdido e que podia ter sido nosso se...FICHA DE JOGOMarítimo-FC Porto, 1-1Liga portuguesa, 23.ª jornada17 de Março de 2013Estádio dos Barreiros, no FunchalÁrbitro: João Capela (Lisboa)Assistentes: Ricardo Santos e Tiago RochaQuarto árbitro: Tiago MartinsMARíTIMO: Salin; Briguel (cap.), Roberge, Igor Rossi e Rúben Ferreira; Rafael Miranda, David Simão e Artur; Héldon, Sami e Suk.Substitui[...]