Subscribe: Jardim da Alegria
http://jardimdaalegria.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
ainda  criança  crianças  dos  era  filho    mais  muito  nos  não  pais  palavras  palavrões  pode  quando  seu  são 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Jardim da Alegria

Jardim da Alegria



Um blog para partilhar, comentar,informar...sempre com muita alegria! Bem-vindos ao Mundo Encantado das Crianças!



Updated: 2017-09-11T12:01:12.663+01:00

 






Insectos de gesso

2012-02-29T03:13:39.007+00:00

(image) Utilizando colheres de plástico como molde...




Na Sala de Atividades, cada criança pode ter a sua...

2012-02-29T01:55:01.634+00:00

(image)
Tem caixas de cassetes de vídeo ai por casa?
Não as deite fora, dão um ótimo porta retratos e ainda servem para guardar pequenos objetos.

VIA FACEBOOK



Como lidar com palavrões?

2012-02-13T01:45:27.847+00:00

A independência que vão experimentando pouco a pouco as crianças, as induzem a provar o limite do permitido. Saltam, correm, comem e se vestem sós, e a cada dia descobrem o poder da linguagem. Dizer palavrões é um exemplo disso, principalmente quanto compartilham atividades com crianças mais velhas, e possivelmente com criação e princípios diferentes.O que é um palavrão?Palavrão surge normalmente quando a criança descobre e utiliza o poder da linguagem para se expressar. Cronologicamente podemos mostrar essa circunstância entre os 3 e os 5 anos de idade, quando a criança vai crescendo. É uma etapa a mais que as crianças passam. No entanto, um palavrão na boca de uma criança dessa idade, não é nada, se tiramos a importância que ele acarreta. Quando uma criança diz “idiota”, ou “imbecil”, dirigindo-se à sua mamãe, não deseja que o verdadeiro significado dessas palavras chegue à ela. O mais provável é que o faça porque é incapaz de encontrar palavras como estas para expressar seu estado de ânimo. O importante nessas situações, é que os pais canalizem os sentimentos negativos e os palavrões das crianças a outras formas de expressão.O que você disse? Pergunta a mãe chateada com o filho que acabou de soltar um palavrão. Será essa a melhor maneira de evitar que os filhos digam palavrões? O que podemos fazer diante dos palavrões dos nossos filhos, considerando que cada família impõe limites que consideram aceitáveis, já que nem todos somos ofendidos com as mesmas palavras. Agora, uma coisa queremos deixar bem claro, é que se os pais fazem “vista grossa” com os filhos que os ofendem com palavrões, desrespeitando-os desde pequenos, com toda certeza, quando esses se tornarem adolescentes, ficará muito mais difícil impor-lhes limites ou disciplinas.Já dizia o sábio Salomão: “Ensina a criança o caminho que deve andar, e quando ainda for velho, não se desviará dele”. Alertando que ensinar não é apenas dizer o que a criança pode ou não, mas é dar exemplo. Palavras sem atitudes são como o vento. Abaixo um resumo das recomendações.1- Dar exemplo. Se você não quer que seu filho diga palavrões, então também não os profira. Porque o que não se ouviu, não pode se reproduzir ou imitar.2- Evitar rir ou sorrir diante de qualquer palavrão. Por mais graciosa que possa resultar uma expressão ou algum palavrão, rir-se dele é um grande erro, e incentiva a criança a repetí-la.3- Explicar de forma simples e clara que estas palavras ofendem, incomodam, que não são respeitosas e que existe um princípio básico nisso tudo: o que não gostaria que fizessem contigo, não faça você também.4- Manter a calma e não dê importância demais, já que uma atitude em excesso do adulto, pode produzir efeito contrário. A criança deve sentir que os palavrões não são a melhor forma de chamar a atenção dos seus pais. O melhor é reconduzir essa etapa com naturalidade para que os palavrões percam seu poder e seu efeito na criança. A disciplina funciona sempre, desde que seja bem explicada e atinja o seu objetivo.5- Oferecer alternativas. Incluir outras palavras a um sentimento ou situação em que se encontre a criança. Cada família pode adotar as palavras do seu meio cultural e social que sejam mais oportunas. Ensinar às crianças, por exemplo, que é melhor dizer ao seu irmão que está angustiado, porque quebrou seu carrinho, do que chamá-lo de imbecil ou de burro. Os pais podem inventar alguma palavra nova e divertida para substituir as ofensas. Mas sempre devem chamar a atenção para o respeito entre familiares, porque as atitudes de uma criança dentro de casa, certamente refletirão numa atitude semelhante fora dela.6- Oferecer leituras para aumentar o vocabulário da criança e fazê-la descobrir novas expressões, exclamações,...mais divertidas.Se a situação persistir, talvez os pais deveriam avaliar outras causas, por exemplo, se dão suficiente atenção à cr[...]



Lembrancinhas...

2012-02-12T03:06:31.221+00:00

(image) Estes fantoches foram as prendinhas de despedida para os "meus" Duendes...Feitas com muito amor e carinho...e se foram difíceis de encontrar...pois agora já só vendem de plástico (e viva a ASAE)...
Aproveitando restinhos de feltro e de outros materiais...é tão simples dar largas à criatividade e fazer uma criança feliz...

As saudades daqueles reguilas.... já são mais que muitas...



Susana Félix e Jorge Drexler - A Idade do Céu

2012-01-25T21:06:11.373+00:00

width="480" height="270" src="http://www.youtube.com/embed/YlpcGZM0eHM?fs=1" frameborder="0" allowfullscreen="">



Quase....quase...quase...

2012-01-21T23:59:54.165+00:00

(image)



Um SONHO....algures em Kansas City

2012-01-14T09:56:15.378+00:00

src="http://www.youtube.com/embed/kQdAU7Dm9A0?fs=1" allowfullscreen="" width="480" frameborder="0" height="270">



São lindos!

2012-01-10T22:50:25.025+00:00

(image)
Feitos com sacos de papel...e muita criatividade!

Vi em ...

http://www.thechocolatemuffintree.com/2012/01/paper-bag-puppets-inspired-by-fandango.html?spref=fb



Creative things you can do to a sleeping baby

2012-01-05T16:14:15.942+00:00

src="http://www.youtube.com/embed/5_ZcbamFgLE?fs=1" allowfullscreen="" frameborder="0" height="344" width="459">


Adorooooooooo!!!



1 Comentários

2012-01-03T00:19:29.953+00:00

(image)
PARA QUE NÃO ACONTEÇA...


Ensinaram-me as coisas importantes,

Que afinal o não eram.

Acumularam-me de conhecimentos,

De que ainda me liberto.

Ditaram-me nos cadernos de duas linhas,

Os exemplos que procuro não seguir.

Fizeram-me ler as histórias de santos, sábios e heróis,

Que eu não quero ser nem imitar.

Aprendi a geografia dos comboios,

Para viver na era dos aviões.

Soube de cor todas as constelações,

Que hoje se escondem no fumo das cidades.

Ensinaram-me a pescar nos rios e regatos,

Em que bóiam as garrafas de plástico.

Quando eu sabia tudo,

Atiraram-me para a vida, de que eu nada sabia

E onde era tudo ao contrário, do que aprendera.

Habituei-me a raciocinar pelo contrário.

Não era infeliz, era desarmado

E tive, de aprender de novo,

Tudo o que não me haviam ensinado

E que eu quereria não ter aprendido.

De:
Jacinto Magalhães
In "Entre Mim e o Outro"



Dá que pensar...

2012-01-02T23:17:14.090+00:00

O Nó do Amor "Numa reunião de pais numa escola da periferia, a directora ressaltava o apoio que os pais devem dar aos filhos e pedia-lhes que se fizessem presentes o máximo de tempo possível... Considerava que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhassem fora, deveriam achar um tempo para se dedicar e entender as crianças.Mas a directora ficou muito surpreendida quando um pai se levantou e explicou, com seu jeito humilde, que ele não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo, durante a semana, porque quando ele saía para trabalhar era muito cedo e o filho ainda estava dormindo... Quando voltava do trabalho já era muito tarde e o garoto já não estava acordado.Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para prover o sustento da família, mas também contou que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava se redimir indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa. E, para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia religiosamente todas as noites quando ia beijá-lo. Quando o filho acordava e via o nó, sabia, através dele, que o pai tinha estado ali e o havia beijado. O nó era o meio de comunicação entre eles.A directora emocionou-se com aquela singela história e ficou surpresa quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola.O facto faz-nos reflectir sobre as muitas maneiras das pessoas se fazerem presentes, de se comunicarem com os outros. Aquele pai encontrou a sua, que era simples mas eficiente. E o mais importante é que o filho percebia, através do nó afectivo, o que o pai estava lhe dizendo. Por vezes, nos importamos tanto com a forma de dizer as coisas e esquecemos o principal, que é a comunicação através do sentimento. Simples gestos como um beijo e um nó na ponta do lençol, valiam, para aquele filho, muito mais do que presentes ou desculpas vazias.É válido que nos preocupemos com as pessoas, mas é importante que elas saibam, que elas sintam isso. Para que haja a comunicação é preciso que as pessoas "ouçam" a Linguagem do nosso coração, pois, em matéria de afecto, os sentimentos sempre falam mais alto que as palavras.É por essa razão que um beijo, revestido do mais puro afecto, cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, o medo do escuro. As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas SABEM registar um gesto de amor. Mesmo que esse gesto seja apenas um nó num lençol... "Via E-Mail[...]



0 Comentários

2012-01-02T22:43:13.857+00:00

CONVULSÕES FEBRIS "A convulsão febril é bastante comum na infância. Crianças pequenas (entre 3 meses e 5 anos) são as mais propensas a esse tipo de evento quando têm febre. A convulsão é uma crise epiléptica ocasional. Não é portanto, sinônimo de epilepsia. Qualquer fator que eleve a temperatura do corpo (tanto doenças quanto fatores ambientais) pode determinar uma convulsão. A maior probabilidade de que aconteça uma convulsão febril é em meninos, com idade entre 6 e 36 meses, com pico de incidência aos 18 meses. A cada 5 casos de convulsão febril, 3 são meninos e 2 são meninas. A duração da crise convulsiva costuma ser curta; normalmente não ultrapassa 5 minutos e raramente chega a 30 minutos. As características principais são abalos musculares na face e membros superiores; a criança vira os olhos para cima, saliva e faz barulhos com a boca e a garganta. Quase sempre a criança se recupera totalmente, sem qualquer seqüela. Infelizmente, não é o que acontece com os pais. É bastante assustador ver um filho durante um episódio de crise convulsiva. A sensação de impotência é terrível, passam muitas dúvidas pela cabeça; a ansiedade é muito grande. Neste momento, o melhor a fazer é tentar manter a calma. Deite a criança e ponha sua cabeça virada para o lado, para que não ocorra aspiração de saliva ou vômito; apoie a cabeça sobre as mãos ou algo que a proteja de possíveis machucados durante a crise. Não tente segurar a língua; não é preciso e pode causar ferimentos em quem puser os dedos na boca da criança durante a crise. Faça compressas frias para baixar a febre e, assim que possível, leve a criança a um atendimento médico de emergência para que sejam tomadas todas as providências necessárias. Existe o risco de recorrência da convulsão febril. Quando a primeira crise acontece antes dos 12 meses, a probabilidade é maior. A recorrência não significa que a criança virá a desenvolver uma epilepsia. É importante verificar se a crise foi desencadeada simplesmente pela febre; pois doenças como a meningite podem causar convulsões, bem como alguns tipos de medicamentos empregados no tratamento de infecções. Não há evidências, como já foi dito, que a convulsão febril deixe qualquer seqüela, incluindo distúrbios comportamentais ou rebaixamento intelectual."Claudia Silveira, neuropsicóloga [...]






Feliz Ano Novo!

2012-01-01T02:07:26.161+00:00

(image)



1 Comentários

2011-12-28T23:32:41.035+00:00

A Educação infantil como ponto de partida "Ao receber o convite para publicar um artigo, pensei qual seria o assunto mais adequado para a primeira matéria. Acreditando que as fases iniciais da vida de um ser humano são decisivas para o desenvolvimento adequado de sua personalidade, optei por um assunto que nos fizesse refletir sobre a influência que a Educação Infantil exerce no futuro de uma criança, mais exactamente numa visão de TRABALHO que essa criança virá a desempenhar em sua vida adulta. Todos os indivíduos que lidam com crianças, devem ter consciência que as impressões por eles passadas, vão interferir para sempre na formação da personalidade delas. É preciso saber orientar nossas crianças, hoje mais do que nunca. Dar liberdade para a criança mas também estabelecer limites, para que quando chegue a vida adulta possa ter firmeza em suas escolhas, sem perder-se no meio do caminho. Caminho este, que convenhamos, não é tão simples quanto parece quando se é criança. É necessário, que aproveitemos bem o tempo, formando futuros cidadãos, sem complexos herdados de uma sociedade preconceituosa. Estimular a criança, por exemplo, a entender o trabalho como fonte de satisfação e respeito deve começar bem cedo. Não basta apenas dar explicações a ela, pois os valores são transmitidos pelos pais e por todas as pessoas que participam ativamente da fase de desenvolvimento da criança, através de modelos. Os adultos nada mais são do que modelos para a criança. Pessoas nas quais ela deposita confiança, respeito e admiração. E quando essa criança inicia seu processo de fala e mostra progressos motores, normalmente tende a ser colaboradora em casa. Vê na participação dos afazeres domésticos a chance de imitar o trabalho dos pais. E o que muitos de nós fazemos quando isso ocorre? Não permitimos que a criança participe das nossas tarefas por conveniência, porque sabe-se que aquela pessoa tão pequena acabará por fazer alguma sujeira, o que nos dará trabalho em dobro, ou porque os pais são tão superprotetores que vêem essa participação como algo perigoso, ou ainda, analisando de forma preconceituosa, os pais entendem determinada tarefa como sendo de pouca importância para que o filho cumpra, muitas vezes mostrando-se machistas quando proíbem tarefas que consideram somente para um determinado sexo. Mas o que não compreende-se por parte dos adultos é que a criança não está "brincando" de ajudar. Ela está de fato - e se sente muito importante por isso - trabalhando. Um descaso a este aspecto pode ser muito prejudicial à auto-estima infantil e à comunicação com a criança. Enquanto ela pensa "quero imitar você", nós entendemos "quero brincar com isso". Pelo fato de vermos nesta ajuda somente uma brincadeira, não devolvemos em paciência o que a criança oferece como treino para a independência. Alguns pais devem estar se perguntando: “mas não é muito perigoso deixar meu filho ajudar nas tarefas domésticas?” Então eu respondo: não! Desde que, obviamente, criem condições para que a criança trabalhe com segurança, o que, aliás, vale para qualquer trabalhador, de qualquer categoria ou idade. No entanto, se acontecer de a criança quebrar um copo, devemos lembrar quantas vezes nossas visitas (algumas não tão agradáveis) já quebraram um copo em nossa casa. Não é verdade que mesmo com essas pessoas, por menos desejáveis que fossem, vocês foram amáveis e sorridentes, dizendo “não foi nada”? Então sejamos mais tolerantes com aqueles seres pequeninos que nos são tão queridos e estão simplesmente nos pedindo um pouco mais[...]



Frases sobre a EDUCAÇÃO

2011-12-28T19:07:33.032+00:00

1.A arte de ensinar é a arte de acordar a curiosidade natural nas mentes jovens, com o propósito de serem satisfeitas mais tarde. (Anatole France, escritor francês) 2.A boa educação é moeda de ouro, em toda parte tem valor. (Pe. Antônio Vieira, padre jesuíta e educador) 3.A escola é um edifício com quatro paredes e o amanhã dentro dele. (George Bernard Shaw, dramaturgo irlandês) 4.A estupidez é infinitamente mais fascinante que a inteligência. A inteligência tem seus limites, a estupidez não. (Claude Charbol, escritor francês) 5.A morte do homem começa no instante que ele desiste de aprender. (Albino Teixeira, poeta português) 6.A tarefa essencial do professor é despertar a alegria de trabalhar e de conhecer. (Albert Eisntein, cientista alemão, Como Vejo o Mundo) 7.A universidade é o local onde a ignorância é levada à suas últimas conseqüências. (Millôr Fernandes, humorista brasileiro) 8.Acredito que somente uma pessoa que nada aprendeu não modifica suas opiniões. (Emil Zatopek, atleta africano) 9.Aprender é descobrir o que já se sabe. (Richard Bach, escritor norte americano) 10.Aprendi muito com meus mestres, mais com meus companheiros e mais ainda com os meus alunos. (Provérbio Judaico) 11.Aprendi silêncio com os falantes, tolerância com os intolerantes e gentileza com os rudes. Ainda, estranho, sou ingrato a esses professores. (Khalil Gibran, escritor indiano) 12.Aquilo que você mais sabe ensinar, é aquilo que você mais precisa aprender. (Richard Bach, escritor norte americano) 13.Com o conhecimento nossas dúvidas aumentam. (Goethe, poeta alemão) 14.É prova de alta cultura dizer as coisas mais profundas, do modo mais simples. (Ralph Waldo Emerson, filósofo e poeta norte americano) 15.Educai as crianças para que não seja necessário punir os adultos. (Pitágoras, filósofo grego) 16.Erros são, no final das contas, fundamentos da verdade. Se um homem não sabe o que é uma coisa e, já, um avanço do conhecimento saber o que ela não é. (Carl Jung, psicólogo austríaco) 17.Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. (Cora Coralina, poetisa brasileira) 18.Ignorante não é aquele sem instrução; é aquele que não conhece a si próprio. (Krisnamurti, místico indiano) 19. O importante da educação não é o conhecimento dos fatos, mas dos valores. (Dean William Inge, escritor norte americano) 20.Investir no conhecimento rende sempre melhores juros. (Benjamim Franklin, cientista norte americano) 21.Longo é o caminho do ensino por meio de teorias; breve e eficaz por meio de exemplos. (Sêneca, filósofo romano, Epístolas) 22.Mestre não é só quem ensina; mas quem, de repente, aprende. (Guimarães Rosa, escritor brasileiro) 23.Morrer ignorante sabendo que tinha capacidade de ter sido sábio, isto sim, é uma tragédia humana. (Shakespeare, dramaturgo inglês) 24.Não confunda jamais conhecimento com sabedoria. Um ajuda a ganhar a vida; o outro a construir uma vida. (Sandra Carey, escritora norte americana) 25.Não se pode ensinar nada a um homem. Pode-se apenas ajudá-lo a encontrar a resposta dentro del[...]



Porque às vezes tenho a sensação de blogar só para mim... :s

2011-12-27T12:36:10.105+00:00

Inicio aqui então o...
(image) (image)



Dreaming In Paint

2011-12-25T23:26:35.099+00:00

src="http://www.youtube.com/embed/RWJuqR7d7oA?fs=1" allowfullscreen="" frameborder="0" height="270" width="480">






Feliz Natal!

2011-12-24T01:42:53.430+00:00

Desejo a todos um Natal de Paz. Um Natal com muita luz...para iluminar os nossos corações.

Feliz Natal!









Adoro...simplesmente!

2011-12-18T02:00:25.991+00:00

Fotos via http://pinterest.com/[...]



UMA IDEIA GENIAL!!!

2011-12-18T01:49:15.008+00:00

Desenhar uma cidade numa simples cortina de banheira!
Criativo, original, e diversão garantida no durante e no depois!
Amei!!!!


(image)