Subscribe: Thalita Longo
http://thalitanutricionista.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
alimentação  alimentos  além  aminoácidos  das  dos  mais  muito  nos  não  pode  quando  ser  sua  são  também  tem 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Thalita Longo

Thalita Longo



Nutricionista



Updated: 2014-10-05T05:12:04.302-03:00

 



Dicas naturais para uma boa memória

2011-12-15T22:54:00.817-02:00

Tanta coisa pra lembrar, que tem hora que parece que “dá um branco”. E os principais vilões dessa história são o estresse e o monte de obrigações que a gente acumula no dia-a-dia. Mas a boa notícia é que os alimentos naturais podem dar uma turbinada na nossa memória. Dê uma olhada nessas dicas:

1 - MAIS ÔMEGA-3:
60% do nosso cérebro é formado por gorduras insaturadas, entre elas, o famoso ômega-3, encontrado na linhaça, na prímula e nos peixes;

2 - JÁ OUVIU FALAR DA COLINA? É uma substância que serve de matéria-prima para o nosso sistema nervoso produzir acetilcolina, substância que ajuda na memorização. Ela está na soja e nos ovos;

3 - NADA DE JEJUNS LONGOS.
Quando ficamos por mais de 3 horas sem comer, a glicemia (glicose do sangue) cai muito. E o detalhe é que a glicose é a única fonte de energia para o cérebro desempenhar o seu papel direito, então já dá pra imaginar o que o jejum prolongado pode causar: além de fazer o cérebro sofrer o ataque de um monte de radicais livres, ele passa a funcionar bem devagar (e é aí onde a memória falha muitas vezes);

4 - APOSTE NOS GRÃOS INTEGRAIS.
Além de fornecerem energia para o cérebro por mais tempo, eles têm vitaminas do complexo B e minerais (como o fósforo), que fazem o nosso sistema nervoso funcionar bem (inclusive na hora de memorizar). Arroz integral, feijão, grão de bico, lentilha, aveia, milho, trigo integral são ótimas opções;

5 - NÃO DEIXE FALTAR CROMO.
Este mineral, presente em grãos como o trigo e o arroz integrais melhora a ação da insulina, o que é uma supervantagem não apenas para prevenir o diabetes, mas também para melhorar a ação da glicose (única fonte de energia do cérebro);

6 - PRESERVE SEU CÉREBRO DA MELHOR MANEIRA.
Alimentos produtos refinados, ou mesmo os que têm gorduras trans e/ou aditivos artificiais, geram muitos radicais livres, que causam envelhecimento precoce do cérebro e de outras partes do corpo. Pra preservar melhor o cérebro e evitar esse problema, dê preferência para os alimentos naturais, fontes de antioxidantes (que combatem os radicais livres). Frutas, verduras e legumes frescos (de preferência, orgânicos) são ótimos pra isso!

E ai, gostou?



10 Mandamentos da Vida e do Peso Saudável

2011-12-13T22:40:00.363-02:00

Manter a vitalidade e a saúde comendo bem, e ainda estar com o peso equilibrado parece uma tarefa difícil, mas na verdade não é tanto assim. Segue abaixo algumas dicas que achei no site da MÄE TERRA - PRODUTOS NATURAIS que poderão te trazer mais bem-estar e uma alimentação mais saudável.1. Comer alimentos integrais sempre Essa recomendação vale para todas as refeições principais e também para os lanches. Consumir arroz, massas, pães e biscoitos integrais é a garantia de que o corpo será abastecido com os nutrientes, fibras e outras substâncias fundamentais para que funcione bem.Veja na figura ao lado a composição do grão integral. O gérmen é a parte viva, onde ficam as vitaminas, minerais e proteínas, que são indispensáveis tanto para que a planta cresça e se desenvolva como também na alimentação humana. O gérmen é revestido pelo endosperma, que estoca os carboidratos que fornecem energia para o corpo. A fibra ou farelo é a “embalagem natural” do grão e, embora não seja absorvida pelo nosso organismo, precisa ser consumida porque ajuda o intestino funcionar bem, melhora o aproveitamento do cálcio que vem dos alimentos e facilita a desintoxicação. No caso do arroz, do pão e das massas feitas com grãos refinados, o gérmen e a fibra geralmente são desprezados, fazendo com que o alimento perca a maior parte de suas propriedades nutricionais.2. Dar preferência aos vegetais in natura Sempre que possível, processe o alimento o mínimo possível antes de comer. Quanto mais próximo ele estiver da forma como é encontrado na natureza, melhor. Para preservar ao máximo os nutrientes, coma os vegetais crus ou pouco cozidos, de preferência a vapor, em vez de refogados ou cozidos por muito tempo. Coma a fruta em vez de tomar o suco. Se for beber o suco, que seja preparado na hora, com a fruta fresca e de preferência, sem coar. Opte também pelas frutas, verduras e legumes da safra, que em geral são mais frescos, nutritivos e econômicos.3. Colocar no prato as cores da naturezaO verde intenso do brócolis, o vermelho do tomate e o tom alaranjado da cenoura não existem à toa: essa características são provenientes de substâncias bioativas (que ajudam a prevenir ou tratar doenças) que existem nas plantas. Assim, se o seu prato tiver grande variedade de tons (sem contar os corantes artificiais, é claro), você estará consumindo uma mistura de elementos altamente valiosos para sua saúde e beleza, em doses equilibradas, tais como licopeno, betacaroteno, luteína e flavonóides, entre muitos outros.4. Fazer cinco ou seis refeições por diaMuitas pessoas que desejam emagrecer cometem o erro de pular refeições ou ficar várias horas em jejum, imaginando que assim reduzirão o consumo de calorias. Na verdade, o efeito é inverso. O organismo reage a esse desequilíbrio estocando ao máximo a gordura que possui e gerando o desejo irresistível por alimentos altamente calóricos. Pequenos lanches saudáveis no intervalo das principais refeições (café-da-manhã, almoço e jantar) são importantes para manter o cérebro funcionando bem, manter bons níveis de açúcar (glicose) no sangue e evitar o acúmulo de toxinas no corpo, além de prevenir tanto a obesidade quanto a perda excessiva de peso.5. Valorizar mais as primeiras refeiçõesUm bom café da manhã e um almoço completo e nutritivo, sem ser pesado, garantem boa parte do equilíbrio do cardápio diário. À noite, sirva-se de menores quantidades e prefira alimentos de fácil digestão para manter o bem-estar e ter um sono tranquilo.6. Beber muita água Para funcionar bem, o organismo precisa estar hidratado. E não há melhor líquido para cumprir esse objetivo do que a água pura e simples. As outras bebidas, inclusive os sucos naturais, devem ser tomados de vez em quando. A água faz os rins, o cérebro e todos os demais órgãos internos funcionarem melhor. Associada com as fibras da alimentação, ela garante que o intestino vai funcionar bem. O hábito de beber um co[...]



Temperos deixam as refeições mais saborosas e fazem bem para a saúde

2011-12-13T10:39:12.085-02:00

Os temperos são utilizados para dar mais sabor aos pratos, mas também fazem muito bem à saúde. O sal feito com ervas, por exemplo, substitui o sal comum e é ótimo para quem tem pressão alta.

O alecrim, o cominho e o manjericão facilitam a digestão, reduzem os gases e ajudam no tratamento de infecções intestinais. Além disso, o alecrim tem outras propriedades. "Ele ajuda na redução da pressão arterial e é um poderoso antiinflamatório, então podemos usar quando alguma inflamação se apresenta, e também auxilia no controle da gripe", explica a nutricionista Tâmara Ferreira.

Os sintomas da gripe também podem ser diminuídos com o consumo do tomilho e da folha de louro, que são expectorantes. Já entre os benefícios do orégano está a prevenção da candidíase, uma das doenças provocadas por fungos. “O orégano é um antimicrobiano, antifúngico. Se a gente tiver uma inflamação, pode utilizar esse produto”, orienta a nutricionista.

Segundo Tâmara, a pimenta vermelha é boa para a cicatrização: “Ao contrário do que as pessoas pensam, a pimenta vermelha ajuda na cicatrização da gastrite. Não é para comer em excesso. Não existe uma quantidade fixa para nós utilizarmos. Temos que utilizar em pequenas quantidades aumentando a freqüência. Na verdade, é utilizar pouco com frequência maior. Assim, vai haver um efeito benéfico à saúde. Fora que as ervas são antioxidantes e ajudam no combate ao envelhecimento”.

Confira a receita para preparar o sal de ervas, que pode ajudar a diminuir o consumo do sal comum e é indicado, principalmente, para quem tem pressão alta ou problema de retenção de líquido.
Ingredientes:
- 1 xícara de café de sal
- 1 xícara de chá com 3 tipos de ervas desidratadas (por exemplo: alecrim, orégano e manjericão)

Modo de preparo:
Misture os ingredientes em uma frigideira, aquecendo rapidamente. Depois, é só guardar em um recipiente de vidro.



JORNAL HOJE - GLOBO
Edição do dia 09/12/2011



Mascar chiclete faz mal ao estômago?

2011-12-13T10:39:23.484-02:00

Quando em excesso, pode trazer problemas, pois a função de mascar o chiclete estimula o estômago a trabalhar, produzindo suco gástrico com o objetivo de digerir os alimentos. Como não há alimento a ser digerido, esse suco gástrico, extremamente ácido, acaba atacando a mucosa do estômago, podendo provocar gastrites e úlceras.



Pimentão é líder em contaminação por agrotóxicos, diz Aniva.

2011-12-13T10:39:37.029-02:00

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta quarta-feira, 7 de dezembro, dados do “Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos”, uma lista que contém os nomes de frutas, grãos, verduras e legumes com maior nível de contaminação por agrotóxicos no Brasil.Das amostras de alimentos analisadas pela agência, referentes ao ano de 2010, 28% apresentaram limites acima do recomendável ou substâncias não aprovadas para o produto. De 18 alimentos examinados, o pimentão, o morango e o pepino lideraram o ranking dos mais contaminados.O caso mais grave é o do pimentão com 92% das amostras irregulares, contra 63% dos morangos, 57% do pepino, 54% da alface e quase 50% da cenoura. O tomate, que já esteve no topo do ranking, hoje tem contaminação de 16%. Na beterraba, abacaxi, couve e mamão foram observadas irregularidades em cerca de 30% das amostras analisadas.“São dados preocupantes, se considerarmos que a ingestão cotidiana desses agrotóxicos pode contribuir para o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis, como a desregulação endócrina e o câncer.” - Agenor Álvares, diretor da Anvisa.O alimento que saiu ileso foi a batata, que obteve resultado satisfatório em 100% das amostras analisadas.Segundo Álvares, o problema de resíduos químicos em alimentos pode estar relacionado ao custo dos agrotóxicos. “Os pequenos produtores acabam comprando produtos baratos, mas inadequados para um determinado cultivo” explicou o diretor.Como foi feita a pesquisa:O programa coletou as amostras em 25 estados do país e no Distrito Federal, apenas São Paulo não participou. Os 18 alimentos analisados foram: abacaxi, alface, arroz, batata, pepino, pimentão, repolho, beterraba, cebola, cenoura, couve, feijão, laranja, maçã, mamão, manga, morango e tomate.“Essas culturas são escolhidas de acordo com a importância do alimento na cesta básica dos brasileiros, no perfil de uso de agrotóxicos para aquela cultura e na distribuição da lavoura pelo território nacional”, explica Álvares.Após obtenção de todas as amostras, elas foram levadas para serem analisadas em diversos laboratórios como o do Instituto Octávio Magalhães, Laboratório Central do Paraná, Laboratório Central do Rio Grande do Sul e no Laboratório Central de Goiás.De acordo com o diretor da Anvisa, o método empregado para analisar a presença de 167 agrotóxicos foi utilizada por países como a Alemanha, Canadá, Estados Unidos, Holanda e Austrália, a partir de tecnologia de ponta.Cuidados que o consumidor deve tomar:O primeiro cuidado é saber a procedência dos produtos, optando sempre pelos que possuem origem identificada. Segundo a Anvisa a identificação irá aumentar o comprometimento dos produtores em relação à qualidade dos alimentos.Optar por orgânicos e sazonais também são procedimentos recomendados pela a agência para obter um produto livre de agrotóxicos.A lavagem correta dos alimentos e a retirada de cascas e folhas externas ajudam na redução dos resíduos de agrotóxicos presentes apenas nas superfícies.“Os supermercados também têm um papel fundamental nesse processo, no sentido de rastrear, identificar e só comprar produtos de fornecedores que efetivamente adotem boas práticas agrícolas na produção de alimentos”, afirma Álvares.[...]



Alho e cebola contra pedra na vesícula

2011-12-13T10:42:38.611-02:00


(image) A dupla seria capaz de reduzir a formação de cálculo biliar, sugere um estudo indiano publicado no periódico British Journal of Nutrition. Realizado com roedores, o trabalho mostrou que o dueto aumenta a produção de duas enzimas responsáveis por derrubar naturalmente os níveis de colesterol. “E quase 80% das pedras na vesícula são formadas por esse tipo de gordura”, afirma Ricardo Abdalla, clínico-geral do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Para chegar à conclusão, os cientistas compararam dois grupos de cobaias. Entre os animais alimentados com uma maior quantidade de alho e cebola, houve uma redução de até 30% na incidência dos cálculos.







Grávida que come demais...tem filho que vive com fome.

2011-12-09T17:14:11.864-02:00

Descubra por que as futuras mamães podem financiar a obesidade nos seus descendentesDurante a gravidez, o bebê e a mãe constroem uma relação bem estreita. O feto cresce semana após semana e precisa dos nutrientes que a gestante ingere para o seu bom desenvolvimento. Mas as mamães de primeira, segunda e outras viagens precisam dosar a quantidade e a qualidade do que consomem à mesa nessa jornada de nove meses. “Há cada vez mais evidências de que tanto carências quanto excessos alimentares durante a gestação são danosos à saúde infantil”, diz a pediatra e nutróloga Fabíola Suano, de São Paulo.Quando a gestante abusa das garfadas e engorda acima do limite ideal, pode, sem perceber, patrocinar a obesidade no filho que carrega no ventre. “Mulheres que ganham quilos além da conta na gravidez geram bebês com maior volume de massa gorda”, diz Fabíola. Para desvendar o que deixa a garotada fofa demais, pesquisadores da Universidade de Adelaide, na Austrália, dividiram ratas prenhas em dois grupos: um alimentado com ração convencional e outro com ração à base de gordura e açúcar. Eles constataram que os filhotes da segunda ninhada, assim como as mães, preferiam comidas gordurosas. A explicação pode estar no cérebro, já que esses roedores apresentaram níveis maiores de receptores de dopamina, o neurotransmissor do prazer.A atuação dessa substância é fundamental quando a criança deixa de mamar. “Para que entenda que precisa se alimentar, o bebê recebe estímulos cerebrais”, explica o neurocientista Renato Sabbatini, da Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista. “E esse é o papel da dopamina, que faz parte do sistema de recompensa e é produzida, entre outras situações, quando ingerimos lipídios e açúcar.” Em quem come muita gordura, porém, a dopamina não trabalha direito. “A obesidade está relacionada a uma incapacidade natural de perceber os efeitos prazerosos do sistema de recompensa”, diz o neurocientista Ivan de Araújo, da Universidade Yale, nos Estados Unidos. Logo, se o pequeno nasce com mais receptores de dopamina, maior será sua necessidade de ingerir fontes do nutriente até conseguir se satisfazer.Mas a influência da dieta da grávida no futuro do filho vai além do sistema de recompensa cerebral. Também usando ratos, cientistas da Universidade de São Paulo revelaram outro risco associado a maus hábitos alimentares na gestação. Dessa vez, o alvo foi a quantidade de sal ingerida no período de espera. Eles notaram que as pitadas a mais do condimento contribuíam para a ocorrência de hipertensão quando os filhotes se tornavam adultos. “O aumento da pressão arterial, no caso, é uma característica epigenética, ou seja, que passa da mãe para o filho sem alterar seu DNA”, explica o clínicogeral Joel Cláudio Heimann, líder da investigação feita na USP.O time de Heimann ainda verificou que, por sua vez, sal de menos no prato da grávida pode causar resistência à insulina, quando esse hormônio não dá conta de botar o açúcar para dentro das células. “Não esclarecemos por que isso acontece, mas uma das explicações é que, nessas condições, o fluxo de sangue diminui nos tecidos, prejudicando o trabalho da insulina”, diz o pesquisador.Como o trabalho foi realizado só com animais, ainda é preciso averiguar se esses efeitos seriam semelhantes em seres humanos — o que não é improvável. “Ambos são mamíferos e têm tecidos e sistemas parecidos.” A dose de sal indicada pela Organização Mundial da Saúde é de 5 gramas por dia — esse valor é o mesmo para gestantes. “Porém, no fim da gravidez, recomendamos reduzir as pitadas para evitar retenção de líquidos”, ensina a nutricionista Mariana Del Bosco, da Associação para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica.De olho no prato:Uma coisa é certa: a grávida deve ingerir font[...]



Gastrite

2011-12-09T18:06:31.769-02:00

A escolha correta dos alimentos impede que a faísca estomacal se transforme em "fogaréu", promovendo um alívio duradouroCafé da manhãAs proteínas do ovo ajudam a reconstituir a parede do estômago após o jejum noturno e o pão integral controla os níveis de ácido clorídrico, substância por trás da queimaçãoAlmoçoAs fibras da maçã e do arroz integral somadas ao betacaroteno da cenoura também protegem contra o incêndio.Entre refeiçõesO iogurte equilibra os níveis de acidez estomacal e os grãos integrais dão uma força e tanto para o bom trabalho da digestão.JantarA água de coco hidrata e ameniza a dor. Os brócolis complementam o serviço, diminuindo a inflamação.Seja de origem bacteriana ou emocional, o desconforto na parte superior do abdômen é o mesmo. Quem sofre de gastrite apresenta sintomas como dor de estômago e queimação. Essa inflamação no órgão que tem como responsabilidade preparar os alimentos e enviá-los ao intestino delgado aparece quando suas paredes internas passam a não suportar o ácido que circula por ali e que é essencial para a digestão das proteínas. Sem os cuidados adequados, a gastrite pode evoluir para problemas mais sérios, como úlcera e até câncer.Uma bactéria incendiária, a Helicobacter pylori, é a principal causa da ardência estomacal. Geralmente, o micro-organismo se aloja nesse órgão e, dependendo da sorte do hospedeiro, assume a persona de um piromaníaco. "A bactéria não discrimina nem sexo nem faixa etária", diz o gastroenterologista Flavio Steinwurz, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Felizmente, dá para controlar o ímpeto ardoroso do micróbio com alimentos capazes de apagar esse fogo todo (veja ao lado). A boa-nova vem da Universidade de Otago Christchurch, na Austrália, onde a pesquisadora Jacqueline Keenan estuda uma espécie de dieta contra a gastrite.Os resultados ainda não foram divulgados, mas Jacqueline garante com exclusividade a SAÚDE que são encorajadores. Apesar do segredo, a especialista adianta: "O broto de brócolis combinado com cápsulas de óleo de groselha-negra tem seu efeito anti-inflamatório potencializado, controlando os sintomas". Ok, as tais cápsulas não são encontradas com facilidade aqui…O senso comum ainda lista itens da despensa que prejudicam a mucosa que reveste o estômago, mas lembre-se: o organismo de cada pessoa reage de uma forma diferente. "É importante testar os alimentos que causam desconforto e retirá-los do cardápio", ensina o nutrólogo Dan Waitzberg, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.Restringir a produção de ácido ficando de olho no que a gente come é de extrema importância, já que cada mordida dá a largada para o sistema digestivo trabalhar. Essa tática minimiza a agressão contra as paredes internas do estômago — e isso proporciona um alívio daqueles. Mas, além do monitoramento das refeições, outros passos podem amenizar a ardência e a controlar a progressão das lesões. A mastigação, como primeira fase da digestão, poupa os esforços do órgão. “A amilase, enzima da saliva, começa a quebrar o amido já na boca”, conta Flavio Steinwurz.Comer várias vezes ao dia também está no topo da lista de conselhos de qualquer nutrólogo ou nutricionista. “Quantidades menores fazem com que o estômago não fique abarrotado”, diz a nutricionista Beatriz Botéquio, da Equilibrium Consultoria, na capital paulista. “Dessa maneira, o tempo de jejum também diminui, prevenindo a acidificação estomacal e, consequentemente, as crises de gastrite”, complementa Dan Waitzberg.Na hora do suplício, vale apelar para chás antiácidos. “O de espinheira-santa, planta do Sul do Brasil, pode ajudar”, recomenda Waitzberg. E cuidado com o leite puro, que estimula a secreção de suco gástrico, e anti-inflamatórios. “Como são dissolvidos e[...]



Chia, o grão pro-saúde

2011-12-13T10:42:59.145-02:00

Ele acaba de aterrissar no Brasil, mas não se engane: sua bagagem é recheada de história. Cultivado desde 2600 a.C, o grão de chia era consumido por maias e astecas para turbinar sua resistência física. Como ele também tinha forte apelo religioso, as plantações foram suprimidas pelos espanhóis assim que conquistaram a América, no século 16. “Elas só foram retomadas no início da década de 1990, por um grupo de pesquisadores argentinos em parceria com a Universidade do Arizona, nos Estados Unidos”, conta a nutricionista Carolina Chica, da Unidade de Doenças Cardiovasculares da Pontifícia Universidade Católica do Chile.Desde então, a chia, que tem sabor semelhante ao das nozes, ganhou os holofotes nos laboratórios. E não é para menos: fonte de ácido graxo ômega-3, proteínas, fibras, substâncias antioxidantes e minerais como fósforo, cálcio, ferro e magnésio, ela é uma tremenda parceira à mesa contra inúmeros males.Um deles é o excesso de peso, que nos dias de hoje representa uma epidemia. Segundo a nutricionista Luiza Lima, do Conselho Regional de Nutricionistas da 9a Região, o efeito seca-cintura tem a ver com as doses generosas de fibras encontradas no grão. “No intestino, em contato com a água, elas formam um gel que deixa a digestão mais lenta, prolongando a saciedade”, explica Luiza. Daí, com a sensação de barriga cheia, a vontade de assaltar a geladeira é aplacada.As fibras da chia também são uma bênção para quem tem o intestino travado. Elas contribuem para formar e eliminar o bolo fecal. “Mas, para obter o benefício, é preciso ingerir líquidos de modo adequado”, ressalta a nutricionista Karina Dantas, consultora técnica do Conselho Regional de Nutricionistas da 3a Região. Ou seja, se caprichar nos goles de água, tudo ótimo.A chia abriga outra preciosidade — muito mais ômega-3 do que a linhaça. Essa gordura nos blinda contra ameaças ao coração. “Além de ser um bom anti-inflamatório, ela tem ação direta no controle da pressão arterial e na redução do colesterol e dos triglicérides”, justifica a nutricionista Bruna Murta, da Rede Mundo Verde, na capital paulista.O tratamento do câncer de mama também ganha reforços com o grão andino. “Em um estudo com cobaias, foi constatado que os animais alimentados com seu óleo tiveram uma diminuição no tamanho do tumor e no número de metástases”, informa Carolina Chica. E as perspectivas em relação a outros cânceres são igualmente animadoras. “O grão colabora na prevenção de tumores porque tem alto teor de antioxidantes”, confirma Bruna Murta.Se é o diabete que amedronta, mais boasnovas: como está na lista de alimentos com baixo índice glicêmico — ou seja, não incita picos adocidados no sangue —, a chia é indicada para quem tem o problema. Sem contar que ameniza a resistência à insulina. Em outras palavras: facilita o aproveitamento da glicose pelas células, e evita que o açúcar fique sobrando na circulação.Músculos à vistaLembra que as civilizações pré-colombianas usavam a chia para ter força extra? A nutricionista Luiza Lima corrobora com a estratégia e a recomenda para quem faz exercícios. “Como absorve e retém a água, o grão prolonga a hidratação e a presença de minerais no organismo”, explica. Tem mais: “Devido à elevada concentração de proteínas, pode facilitar o ganho de massa muscular. Para isso, o ideal é consumi-lo após a malhação”, avisa Bruna Murta. E olha que maravilha: ao contrário da linhaça, a chia não precisa ser triturada para liberar substâncias importantes. E sua versatilidade é outra característica que impressiona, como comprova a nutricionista Natália Dourado, da e3 Comunicação e Nutrição, na capital paulista: “É possível adicioná-la a frutas, cereais, saladas, sopas e iogurte. [...]



Truques que deixam as frituras menos nocivas

2011-12-09T17:52:29.670-02:00


Elas não são bem-vindas em um cardápio saudável. Muito menos aquelas feitas em óleo reaproveitado. Mas se você não resiste, vamos ensinar algumas dicas:
(image) “Durante o processo de fritura, os óleos são continuamente expostos a fatores que levam a um grande número de reações químicas”, conta a nutricionista Hosana Rodrigues, da Universidade de São Paulo. Há desde a transformação das moléculas de ácido graxo até alterações de aroma e sabor. “Pode ocorrer a formação de trans, se o óleo for reaproveitado e permanecer horas e horas sob altas temperaturas”, revela Ana Carolina Gagliardi, do Instituto do Coração de São Paulo.
O aquecimento exagerado favorece a perda de ômegas, e a maioria dos tipos usados na cozinha contêm ômegas 3 e 6, gorduras do bem e essenciais para o nosso organismo, que simplesmente acabam desperdiçadas. Nunca deixe chegar ao ponto de fumaça. Sem contar que as frituras aumentam pra valer a quantidade de calorias nas refeições. Para você ter uma ideia, uma escumadeira cheia de batata cozida fornece 68 calorias, já a batata que passou por fritura, o teor calórico sobe para nada menos que 182.
“A fritura pode entrar esporadicamente no cardápio de quem pratica atividade física, desde que o óleo seja saudável e bem fresco”, aconselha a nutricionista Cynthia Antonaccio, de São Paulo. Outra dica da expert é fritar vegetais como brócolis, cenoura e outros. Nada de linguiça na banha de porco, hein?

http://saude.abril.com.br/



Suplementos alimentares podem trazer sérios riscos à saúde

2011-12-09T23:39:11.083-02:00

Conheça os riscos para a saúde de quem usa produtos não liberados para a venda no Brasil. Na pressa de ganhar músculos, frequentadores de academias de ginástica recorrem a produtos que são vendidos irregularmente como suplementos alimentares, mas contêm substâncias perigosas e que podem provocar dependência. É no esforço excessivo que está o perigo.“Eu tive uma sensação de estar com o maxilar preso e com a gengiva presa, como se fosse um bruxismo mesmo. É aquela ansiedade. Uma sensação muito ruim”, diz Emilia de Almeida, analista de sistemas.Com mais carga e velocidade na bicicleta veio susto: "Você tem a sensação de que não consegue fazer a respiração completa. Você sente que tem alguma coisa te prendendo. O coração fica trabalhando loucamente de maneira artificial, de uma forma que ele não está preparado", conta.Emilia tomou um desses suplementos, que, de acordo com o rótulo, inclui aminoácidos e várias outras substâncias. Essa combinação não obedece à regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que ainda não avaliou o produto. Por isso, ele não tem registro para comercialização no Brasil.As substâncias que aparecem na fórmula do produto podem acelerar as batidas do coração, aumentar o fôlego, relaxar os músculos, ampliar as sensações de prazer e de bem estar. São promessas de efeitos que costumam cobrar um preço alto do organismo. Além do mais, algumas dessas substâncias podem provocar dependência."Porque contém substâncias como admetilamelanila, que é uma substância utilizada em descongestionantes nasais; também contém substâncias como derivados de benzoziazepinicos, que são usados como calmantes, que também podem causar dependência", explica Daniel Arkader, médico.Os efeitos colaterais mais frequentes de um desses produtos são:- sensação de formigamento nos pés e nas mãos- aslterações de pressão arterial- taquicardia- enjoo- tontura- desmaio- dor de cabeçaUm professor de educação física, que não quis se identificar, conta que também teve insônia. Ele revela que comprou o produto numa academia."A primeira porta de entrada são essas substâncias. Antes deles tomarem alguma coisa futuramente ser possivelmente um asteróide ou um anabolizante, ele começa com essas coisas", declara.O sonho do corpo perfeito a qualquer custo pode fazer vítimas nas academias. “A pessoa sai de um aparelho e diz que está tonta, que está vendo tudo preto. São efeitos dessa suplementação”."É um mercado milionário hoje. A grande preocupação é que elas vendem sem receita médica e sem orientação de um profissional. As pessoas compram porque elas compram um sonho", declara Victor dos Santos Júnior, profissional de educação física.Fonte: Jornal Hoje / Edição do dia 25/04/2011 [...]



Os 10 piores alimentos para sua saúde

2011-12-08T22:35:41.776-02:00

Que atire a primeira pedra quem não se rende a um fast food, salgadinho ou cachorro-quente e depois fica preocupado com as calorias que ingeriu. Mas o que pouca gente sabe é que os perigos desses alimentos vão muito além da questão estética e podem ser um risco para a saúde. Para esclarecer esses problemas, a nutricionista Michelle Schoffro Cook listou os dez piores alimentos de todos os tempos. 10º lugar: SorveteApesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, a nutricionista adverte que esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas – substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso.9º lugar: Salgadinho de milhoDe acordo com Michelle, desde o surgimento dos alimentos transgênicos a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento por causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor, ganho de peso, irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios.8º lugar: PizzaMichelle destaca que nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas congeladas em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue.7º lugar: Batata fritaBatatas fritas contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, como também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas. Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo e agravar problemas cardíacos, câncer e artrite.6 lugar: Salgadinhos de batataAlém de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena. 5º lugar: BaconSegundo a nutricionista, o consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão.4º lugar: Cachorro-quenteMichelle cita um estudo da Universidade do Havaí, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebes. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal.3º lugar: Donuts (Rosquinhas)Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans, “o pior tipo de gordura que você pode ingerir”, alerta a nutricionista. Essa substância está relacionada a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contém, em média, 300 calorias cada.2º lugar: RefrigeranteMichelle conta que, de acordo com uma pesquisa do Dr. Joseph Mercola[...]



Tendências que Valem a Pena Conhecer (e Experimentar!)

2011-12-09T23:14:54.628-02:00

Saiba mais sobre algumas tendências da alimentação e aproveite para se inspirar para essas experiências, que já estão virando uma verdadeira "mania saudável" em vários países.Comida japonesa – Apesar da alimentação japonesa não estar lá muito saudável ultimamente, a tradição gastronômica deles é fantástica, e tem muito pra acrescentar na nossa saúde. Aliás, que bom que o Brasil hoje tem muitos restaurantes japoneses, onde podemos experimentar tantas delícias nutritivas dessa culinária: sushi, sashimi, shimeji, shitake, missoshiro são os campeões do cardápio. São pratos à base de arroz, algas, peixes e a soja em uma de suas melhores formas (fermentada, em alimentos como o tofu, o missô e o shoyu). Mas aqui vale uma observação: não exagere nos molhos japoneses, pois costumam ter sódio além da conta.Dieta do Mediterrâneo - A alimentação dos países do sul da Europa faz tanto sucesso que virou até nome de dieta da moda. Nas regiões próximas ao Mediterrâneo, eles evitam a carne vermelha e comem muitas frutas, verduras e legumes frescos de produção local, grãos integrais e fontes de gorduras saudáveis (como azeite extra-virgem, castanhas, nozes e amêndoas). Os doces ficam só para os dias especiais e, ainda assim, geralmente são feitos com mel.Slow Food – Esse movimento nasceu na Itália para se contrapor ao fast food e pretende resgatar o prazer de comer bem. A proposta é voltar a consumir comida fresca, feita em casa ou artesanalmente, dando preferência aos ingredientes de alta qualidade e de cultivo local, que respeitam as estações do ano e o meio ambiente. Para seus adeptos, a refeição é um momento muito especial do dia e merece ser saboreada com calma e, de preferência, na companhia de pessoas queridas.Vegetarianismo – Existem diversas formas de se nutrir completamente e com muito prazer sem depender de produtos de origem animal. Veja como é variada essa tribo que busca mais saúde e se preocupa com o bem-estar dos animais:Semi-vegetarianos: Comem ovos, laticínios e peixes, mas não outros tipos de carnes, nem derivados (como presunto, lingüiça, salsicha, salame);Ovolactovegetarianos: Não comem nenhum tipo de carne ou derivados, mas leite e ovos entram no cardápio;Veganos: Não usam nada de origem animal, nem mesmo roupas ou acessórios de couro, seda ou qualquer outro produto que vem dos bichos;Crudivostas: Além de adotar as restrições do veganos, consomem apenas “comida viva”, ou seja, alimentos crus e grãos germinados. Não cozinham e nem aquecem nenhum ingrediente acima de 40ºC.[...]



Os vegetais perdem seus nutrientes quando congelados?

2011-12-09T18:30:07.926-02:00

(image) Mito. Congelar o alimento o mantém mais próximo do seu estado natural, desta forma, seus nutrientes não se perdem. Além disso, a baixa temperatura impede a ação dos microorganismos.




(image)



Pele Saudável e Nutrição

2011-12-13T11:11:35.160-02:00

O recurso ao botox, peeling, ou gastar muito $$ em cremes que prometem desafiar a idade não são as únicas formas de manter a sua pele com um aspecto fresco, vigoroso e saudável. Uma das estratégias mais eficazes para fortalecer a saúde da sua pele é nutrir o corpo por meio de uma alimentação saudável e equilibrada. As investigações demonstram que consumir certos tipos de alimentos pode ajudar a prevenir rugas, danos causados pela exposição ao sol e manter a pele hidratada. Na próxima vez que for às compras, faça também uma lista para a sua pele.As frutas e legumes que possuem pigmentação vermelha apresentam altas concentrações de antioxidantes que ajudam a prevenir o envelhecimento precoce da pele. As batatas-doces, tomates e o melão, por exemplo, podem ajudar a manter a sua pele firme e brilhante. Acrescente mais frutas e legumes como estes à sua alimentação diária.  Quando fizer uma salada para o lanche, acrescente umas fatias de tomate, e troque as batatas fritas ou salgados por fatias frescas de melão.Consumir  alimentos cítricos diariamente ajuda a manter a sua pele hidratada, o que a longo prazo vai prevenir as rugas. A vitamina C é um antioxidante muito poderoso que pode manter o colageno na estrutura da sua face e impedir a flacidez. Porém, e porque a vitamina C é solúvel na água, os níveis desta vitamina que podem ser armazenados no seu corpo são reduzidos, o que significa que terá de fortalecer o seu “estoque” natural diariamente. As laranjas são uma das melhores fontes de vitamina C, mas também, limões e limas são também excelentes escolhas para manter os níveis de vitamina C regulares. O colageno começa a desaparecer a partir dos 30 anos – comece a armazenar a partir de agora!Misture laranja nas saladas para uma combinação saudável e fresca de Verão. Esprema uns limões, lima ou laranjas e beba revigorantes limonadas ou laranjadas. Espremer um quarto de limão por cima de peixe grelhado ou de frango são indicados também. As opções são variadas, seja criativa.Os antioxidantes conhecidos com EGCG é uma poderosa substância que pode prevenir a acne, danos causados por exposição solar e inflamações de pele. O EGCG é também conhecido por combater o cancro da pele e outros tumores. Os chás, como o chá verde, chá preto ou chá branco são as melhores formas de ingerir o EGCG, já que bastam entre quatro a seis copos de chá por dia para beneficiar dos efeitos do EGCG na sua pele. Substitua gradualmente o café diário por chá os antioxidantes presentes no chá serão poderosos promotores de saúde para todo o organismo.A vitamina A, um dos nutrientes mais importantes para a saúde da pele, combate o envelhecimento precoce, a formação de escamas e a desidratação. A vitamina A é também essencial para a renovação celular e promove o crescimento da pele "nova". Os espinafres e brócolis, por exemplo, são excelentes fontes de vitamina A, sejam frescos, crus, cozidos ou cozinhados a vapor, os legumes de folha verde são excelentes agentes para a saúde da pele.Os ácidos graxos ômega 3 encontrados no peixe, como no salmão, atum, sardinhas ou mesmo no marisco, possuem propriedades anti-inflamatórias que combatem os danos causados pela exposição prolongada ao sol. Comer peixe duas a três vezes por semana é suficiente, especialmente se a sua dieta já contempla bastantes alimentos saudáveis para a pele.[...]



Adoçantes

2011-12-13T10:43:27.710-02:00

Os adoçantes dietéticos são produzidos a partir de edulcorantes, subtancias naturais ou artificiais responsáveis pelo sabor doce. Eles possuem um poder de adoçamento geralmente muito maior que o açúcar da cana (açúcar comum) e são recomendados para dietas especiais como as de restrição(principalmente no diabetes) e de emagrecimento.SacarinaPrimeira substancia adoçante sintética a ser descoberta( 1878) extraída de um derivado do petróleo, o acido ciclo hexano sulfamico , tem poder adoçante 500 vezes maior que a sacarose e é usada desde 1900. Em altas concentrações deixa sabor residual amargo e metálico, e não é metabolizada pelo organismo. È de fácil solubilidade e estável em altas temperaturas, podendo ser utilizado em preparações quentes. IDA (Ingestão Diária Aceitável): 5 mg/Kg de peso corporal.CiclamatoDescoberto em 1939, entrou no mercado a partir da década de 50. Como a sacarina, é edulcorante artyificial largamente usado no setor alimentício, sendo aplicado em adoçantes de messa, bebidas dietéticas, geléias, sorvetes, gelatinas, etc. Com o menor poder adoçante, é 40 vezes mais adoçante que a sacarose, não calórico e possui sabor agradável e semelhante ao açúcar refinado( apresentando um leve gosto residual). Absorve-se parcialmente no intestino, é eliminada pelos rins. Alguns indivíduos metabolizam uma pequena quantidade no intestino, pela ação da flora intestinal. Não perde a doçura quando submetido a altas/ baixas temperaturas e meio ácidos. Sinergético quando combinado com outros adoçantes de baixas calorias como acesulfame K, aspartame, neoesperidina, sacarina e sucralose.IDA (Ingestão Diária Aceitável): 11 mg/kg de peso corporal.AspartameEdulcorante artificial descoberto em 1956, É uma proteína dissociada produzida a partir dos aminoácidos encontrados normalmente nos alimentos: fenilalanina e acido aspártico. Possui sabor agradável e semelhante ao açúcar branco, só que com o potencial adoçante 200 vezes maior, permitindo o uso de pequenas quantidades. Seu valor energético corresponde a 4 cal/g. Muito usado pela industria alimentícia, principalmente nos refrigerantes diet. Sensível ao calor, perde o seu poder adoçamento em altas temperaturas. A docura também poderá diminuir quando muito tempo armazenado. É contra indicado a portadores de fenilcetonuria, uma doença genética rara que provoca o acumulo de fenilalanina no organismo, causando retardo mental.IDA: 40 mg/ Kg de peso corporal.Acesulfame-kCriado em 1960, é o adoçante sintético de maior resistência ao armazenamento prolongado e a diferentes temperaturas.O Acesulfame-K é um sal de potássio sintético produzido a partir de um acido da família do acido acético. Adoça 130-200 vezes mais que a sacarose, seu gosto doce é percebido de imediato e em grandes doses deixa um leve sabor residual amargo. Pode ir ao fogo por ser estável a altas temperaturas. Não é calórico e nem metabolizado pelo organismo. Pode ser usado como adoçante de mesa e em difersos produtos. Embora seja rapidamente absorvida, 99% da substancia é eliminada em 24 horas pela urina, de forma inalterada.IDA: 15mg/kg de peso corporal.SteviosídeoDescoberto em 1905 e muito difundida no Japão, extraído da Stevia rebaudiana, planta originaria da Serra do Amambaí, na fronteira do Brasil com o Paraguai. Das suas folhas se extrai o steviosídeo, edulcorante natural de sabor doce retardado com poder adoçante 300 vezes maior do que a sacarose. Tem boa estabilidade em altas ou baixas temperaturas. Pode ser consumida sem nenhuma contra-indicação por qualquer pessoa. Não produz caries, nem é calórica[...]



Breve História da Alimentação Humana

2011-11-25T01:04:36.757-02:00

O homo sapiens - ou seja, a nossa espécie - apareceu por volta de 200 mil anos atrás e toda sua trajetória pode ser contada sob o ponto de vista da comida.Veja quanta coisa interessante apareceu (e desapareceu) da nossa alimentação ao longo dos tempos.O começo de tudo:Lá no comecinho da história, nossos primeiros ancestrais costumavam andar por aí em grupo, caçando e coletando alimentos. A sobrevivência dependia apenas do que encontravam pra comer e se alimentavam sobretudo de raízes e frutos silvestres.Em comparação com o longo período em que fomos nômades, a agricultura é uma novidade. Surgiu há “apenas” 10 mil anos, quando se iniciou o cultivo de plantas e a domesticação de animais. Com a possibilidade de fixar-se em um território, o homem fundou suas primeiras aldeias. O tipo de alimentação foi definindo as culturas a tal ponto que alguns historiadores dividem as sociedades tradicionais em grandes grupos representados pelos cereais que estão na base do cardápio: o arroz, no caso da Ásia Oriental, o trigo na Europa e o milho na América.Por volta de 500 anos atrás, as navegações permitiram a primeira onda de globalização. O impulso para cruzar oceanos e conhecer o que havia do outro lado do mundo deveu-se, em parte, ao desejo de obter novos alimentos. O molho de tomate das italianíssimas massas, por exemplo, é feito com o fruto de uma planta nativa da América Central que começou a ser cultivada pela Civilização Inca. A manga e a berinjela vieram da Índia. O pêssego, da China. A laranja, a banana e a alface também são asiáticas. O brócolis é europeu, assim como o repolho. A batata é nativa do Peru e a cenoura, do Afeganistão. Já a castanha do Pará, o açaí, o caju, a mandioca e a goiaba são genuinamente brasileiros.Do início da agricultura até meados do século passado, o sistema de produção de alimentos predominante era baseado em pequenas propriedades familiares quase autossuficientes. Os vegetais cresciam em hortas e pomares domésticos, lado a lado com a criação de porcos, galinhas e bovinos, que forneciam leite, ovos e carne. Os grãos eram triturados em moinhos de pedra e consumidos na forma integral, preservando as fibras e os benefícios naturais.O que mudou com a industrialização:O mundo se transformou novamente com a Revolução Industrial, há cerca de dois séculos. Mas, para as mudanças chegarem ao prato, ainda levou várias décadas. À medida que as cidades inchavam e começaram a surgir ferrovias e depois estradas, as lavouras foram sendo empurradas para longe dos centros consumidores. Os vegetais e outros alimentos frescos cederam seu espaço no comércio e na mesa das pessoas para os produtos que podiam ser transportados com maior facilidade e que duravam mais tempo.No século XX, os desafios de alimentar grandes populações urbanas pareciam ter sido plenamente resolvidos com o aparecimento da comida enlatada, congelada, industrializada e do fast food. Só não se levou em consideração que, com essas mudanças, o cardápio ficaria cada vez menos nutritivo.Durante toda sua história, a humanidade conviveu com a fome, situação ainda presente em algumas regiões do planeta, sobretudo na África. Pragas, secas, inundações e longos invernos tinham efeitos devastadores e a falta de comida representava um perigo sempre à espreita. É compreensível, portanto, que os cientistas da era moderna tenham desenvolvido os defensivos agrícolas ("agrotóxicos") e os adubos artificiais para tentar garantir o abastecimento de populações cada vez maiores, sobretudo após a Segunda Guerra Mundial. Mais tarde, porém, des[...]



Suplementos a base de aminoácidos

2011-12-13T10:38:33.464-02:00

Existem no mercado muitos suplementos de proteínas e produtos à base de aminoácidos que podem ser encontrados em lojas de comida saudável e de fitness, e que declaram muitos benefícios, incluindo força e ganho de peso. Embora seja verdade que os aminoácidos são essenciais para o crescimento muscular e o seu desenvolvimento, nem sempre é exigido ou aconselhado tomar estes suplementos.O que são Aminoácidos? Todos os aminoácidos são encontrados nos alimentos que ingerimos, em forma de proteína. A proteína é composta de cadeias de aminoácidos que estão unificados numa cadeia, e que quando ingeridas começam a ser digeridos e absorvidos no organismo como unidades simples chamadas de aminoácidos. Uma vez no corpo, estes aminoácidos são utilizados principalmente para a construção de tecido, tal como o desenvolvimento muscular, porém existem outras funções para os aminoácidos, como fonte de energia (aprox.5%) e enzimas. Sob certas condições há uma maior exigência de proteína e aminoácidos no corpo, como por exemplo em períodos de crescimento rápido (adolescentes), durante treinos exigentes e de resistência, e quando há reparação de tecidos, como depois de uma lesão ou doença. Quais são os níveis aconselhados de ingestão diária de aminoácidos? A protéica diária para os desportitas são cerca de 1,2 - 1.7g/kg peso corporal. Isto significa que para uma pessoa de cerca de 60 kg, as suas necessidades diárias de proteína seria entre 72 e 102 gramas, dependendo da formação e crescimento. Para ter uma idéia, 1 copo de cereais fornece 8g de proteína, um copo de leite fornece 12g de proteína, um peito de frango (aprox. 150g) fornece 42g de proteína, 2 copos de arroz cozido em vapor contém 10 gramas de proteína. Estes alimentos totalizam já as 70 gramas de proteínas aconselhadas. Pense no resto de sua alimentação diária, e pode ver o quanto é fácil satisfazer as necessidades diárias de proteínas. Se o grau de treino for muito exigente, deve ser tomado um valor superior de ingestão de proteínas, que é ainda facilmente alcançável através de uma alimentação saudável e bem equilibrada.Onde podemos encontrar os aminoácidos? Os aminoácidos ou proteínas são encontrados nos seguintes alimentos: carnes, frango, peixe, leguminosas (como feijão, lentinha, grão de bico) e ovos, e em menor quantidade nos alimentos lácteos e cereais. As proteínas animais contêm um melhor perfil de aminoácidos, ou seja, contêm todos os aminoácidos essenciais para o crescimento e desenvolvimento. Se tiver uma alimentação vegetariana, é necessário misturar e combinar os alimentos proteicos que não sejam à base de carne para obter o melhor perfil dos aminoácidos.É verdade que alguns aminoácidos estimulam os hormônios de crescimento em adolescentes? Algumas pesquisas sobre certos aminoácidos mostram um benefício quanto ao ganho de peso e crescimento muscular, embora exista de fato muito pouca evidência para provar que qualquer suplemento de aminoácidos funcione desta forma específica. Há três aminoácidos que têm sido reivindicados para aumentar a liberação do hormônio de crescimento em crianças e adolescentes: a arginina, lisina e ortinina. Uma injecção de arginina é usada para estimular a liberação do hormônio de crescimento em crianças com deficiência nesta função, trabalhando apenas num curto período de tempo. Entretanto, não há nenhuma evidência de que uma dose oral destes aminoácidos tenha o mesmo efeito. Os adolesce[...]



O café mais caro e raro do mundo

2011-11-25T00:36:03.572-02:00

Você tomaria uma bebida feita com fezes de animal? Antes de responder, saiba que é esse o ingrediente especial do café mais raro, saboroso e caro do mundo, o Kopi Luwak, originário da Indonésia. Essa, digamos, excentricidade do café sempre foi considerada uma lenda urbana, até que um estudo realizado pelo pesquisador italiano Massimo Marcone, em 2004, confirmou o que deve ter feito o estômago de muitos apreciadores da iguaria revirar. Os preciosos grãos são mesmo processados pelo sistema gastrointestinal e depois retirados dos excrementos da civeta, um mamífero parecido com um gato, que não existe no Brasil (na Indonésia, as palavras Kopi e Luwak significam, respectivamente, café e civeta). O animal come somente os frutos mais doces, maduros e avermelhados do café, que são digeridos pelo seu organismo, com exceção dos grãos, que são excretados junto com suas fezes. E é justamente essa produção limitada dos grãos (menos de 230 quilos por ano) o motivo de sua raridade, preço alto (cerca de mil dólares o quilo) e sabor inigualável, garantem os apreciadores. "Uma mistura de chocolate e suco de uva. Menos ácido e amargo do que os cafés comuns", descreve Marcone.O pesquisador explica que à medida que o grão passa pelo sistema digestório do animal, ele sofre um processo de modificação parecido com o utilizado pela indústria cafeeira para remover a polpa do grão de café, mas que envolve bactérias diferentes das usadas pela indústria, além das enzimas digestivas do animal. É isso que dá ao Kopi Luwak seu sabor característico inigualável. Mas esse processo um tanto quanto esquisito de produzir café não representa riscos à saúde? "Os resultados dos testes que fiz em meus trabalhos mostraram que a bebida é perfeitamente segura", garante Marcone. Não existem registros precisos sobre a história do Kopi Luwak, mas acredita-se que sua origem data de cerca de 200 anos atrás, quando os colonizadores holandeses iniciaram plantações de café nas ilhas de Java, Sumatra e Sulawesi, onde hoje é a Indonésia. É nessas ilhas que vivem as civetas, que começaram a se alimentar da planta. Para evitar o desperdício, os plantadores de café começaram a coletar os grãos que saíam intactos das fezes dos animais. Em algum momento alguém resolveu experimentar essa variedade aparentemente pouco apetitosa e descobriu o que hoje é considerado o café mais saboroso do mundo. E você, ficou com vontade de encarar?Receitas para perder a fome O Kopi Luwak não é o único alimento excretado por animais que consumimos,veja outros exemplos :Vômito de abelha: O mel nada mais é do que isso. O néctar é transportado para o sistema digestório das abelhas, onde é misturado a enzimas que convertem seu açúcar em glicose e frutose. Ele se transforma em mel e é regurgitado pelas abelhas. É esse o produto final que consumimos. Saliva de pássaro: É o ingrediente de uma sopa considerada uma iguaria na China (também conhecida como "caviar do oriente"). O pequeno pássaro constrói ninhos com sua própria saliva. Esse ninho (que literalmente vale ouro) é usado para o preparo da sopa. O prato é consumido em várias partes do mundo, inclusive nos EUA, que são o maior importador.Fezes de cabra: É essa a origem de um tipo de óleo usado no Marrocos. O animal se alimenta de um tipo de fruta similar à oliva, que origina o óleo, depois seu caroço é coletado de suas fezes e se transforma em um óleo usado para cozinhar, como cosmético e na medicina local.Cerveja de cuspe: A chicha é um tipo de cerveja produzido no Equa[...]



Diferentes Substratos Energéticos Usados Durante a Atividade Física

2011-12-09T23:39:51.970-02:00

A nutrição esportiva, apesar de ainda ser muito recente como ciência, tem se tornado cada dia mais independente como área de atuação do profissional nutricionista. O tema em questão, não se resume apenas na utilização do carboidrato como principal fonte de energia ou a oxidação dos ácidos graxos nos exercícios de baixa intensidade. Podemos ser cada vez mais específicos às necessidades de desempenho e composição corporal do esportista e do atleta. Quando falamos em esportista, nos referimos também ao indivíduo praticante de atividade física, uma vez que é comum a atuação do nutricionista em academias e consultórios com este perfil de clientela, em busca de emagrecimento e qualidade de vida, e ainda de atletas com fins competitivos e objetivos de performance e melhora da composição corporal. A base da nutrição e fisiologia aplicada ao exercício será igual para ambos, porém o cuidados poderão ser mais direcionados quando problemas comuns são encontrados nestes diferentes grupos. O fornecimento de energia acontece quando há uma demanda (solicitação) do músculo em contração. A energia do alimento não vem pronta para utilização, este passará por um processo de degradação através da digestão e posteriormente serão armazenados em formas mais compactas. Os carboidratos, que são quebrados em moléculas de glicose, serão armazenados no músculo e fígado em forma de glicogênio. A gordura é degradada em ácido graxo e glicerol e armazenadas em forma de triglicérides, e os depósitos de proteínas encontram-se sob a forma de aminoácidos. O substrato energético utilizado durante o exercício dependerá do tipo, intensidade e duração da atividade física. Dependendo da modalidade esportiva em questão basicamente três sistemas de fornecimento de energia estarão atuando para o desempenho do indivíduo: ATP-CP; Sistema anaeróbio; Sistema aeróbio. Quando o indivíduo passa de um estágio de repouso e dá início ao exercício, o primeiro sistema de fornecimento imediato de energia é ativado para fornecer energia rápida ao músculo em atividade à Sistema ATP-CP. A atividade pode durar segundos como provas de curta duração e alta intensidade, como corrida de 100 metros, provas de natação de 25 metros, levantamento de peso, sprints no futebol ou uma cortada no volei. Esta energia é proporcionada pelos fosfatos de alta energia (ATP e CP) armazenados dentro do músculos específicos em atividade, portanto a sua liberação acontece mais prontamente. O ATP é a principal fonte de energia para todos os processos do organismo, porém esta fonte de energia é limitada e deve ser continuamente reciclada dentro da célula. Esta ressíntese acontece a partir dos nutrientes e do composto Creatina Fosfato (CP). Os estoques de creatina fosfato são resistetizados pelo músculo a partir de três aminoácidos: glicina, arginina e metionina (s-adenosil metionina). Pode ser encontrada tanto na forma livre como creatina l ou fosforilada denominada fosfocreatina. A medida que o exercício continua, a via glicolítica - liberação de energia a partir dos carboidratos - é ativada. Existem dois estágios para a degradação da glicose no organismo. O primeiro é a decomposição de glicose para duas moléculas de ácido pirúvico e este é convertido em ácido latico. Estas reações envolvem transferências de energia que não necessitam de oxigênio - denominadas anaeróbias. Ocorrem durante exercícios de alta intensidade (Intensidade de exercício acima de 75% do Vo2 max), e mé[...]



Dicas de Nutrição: TPM (Tensão Pré-Menstrual)

2011-12-09T23:23:26.789-02:00

(image) O que é?
São mudanças que aparecem no corpo e na mente da maioria das mulheres dias antes da menstruação chegar. O motivo está nas alterações de hormônios que a toda mulher passa nessa época, e acabam incomodando (e muito!). Isso causa, por exemplo, sentimentos de tristeza ou irritação, que aparentemente não tem motivo, sem contar com a baixa auto-estima de quem acaba ganhando uns quilinhos a mais por causa do inchaço com a retenção de líquidos, dor de cabeça e outros probleminhas.

Como tratar?
Boa alimentação é a base de tudo! Muitas dessas manifestações da TPM só chegam quando não escolhemos bem o que vai no prato nosso de cada dia. Biscoitos refinados, pães brancos, massas à base de farinha branca, açúcar... é praticamente um convite pra TPM se instalar! Outro prato cheio pra ela é o excesso de sal e de aditivos artificiais, principalmente à base de sódio (como o glutamato monossódico e outros presentes nos temperos artificiais, nos macarrões instantâneos convencionais, nos salgadinhos tipo snacks, adoçantes com sacarina sódica e ciclamato de sódio).
Mas além de saber o que evitar, a gente tem que estar muito atento a o que colocar de bom no lugar desses produtos. Quanto mais repleto o cardápio estiver de alimentos naturais integrais, melhor. E pra facilitar mais ainda, aí vai a lista dos alimentos que não podem faltar no dia-a-dia de quem quer dizer adeus à TPM: banana, linhaça, farelo de aveia, cacau, abacate, canela. Procure comer pelo menos uma porção diária de um desses alimentos pra garantir dias de paz antes da menstruação chegar.
E pra quem precisar de um socorro na hora em que bate aquela vontade de comer um docinho, a melhor saída está nas frutas secas e no cacau: além de aliviar o desejo por doces, eles contribuem para amenizar os sintomas da TPM. Uma porção de damasco seco ou ameixa seca combinada com 2 castanhas do Pará ficam ótimas nessas horas! Banana amassada com cacau e um fio de mel também formam uma combinação imbatível.







Dicas de Nutrição: CELULITE

2011-12-13T10:43:45.378-02:00


O que é?

Esse é o nome popular, mas o nome certo desses “furinhos” que aparecem na região das pernas e quadris das mulheres é hidrolipodistrofia ou lipodistrofia ginóide. Eles podem aparecer por causa das mudanças hormonais de todo mês, ou pela má alimentação, por excesso de peso, falta de atividade física, retenção de líquidos, efeitos colaterais de medicamentos.

Como tratar?
Antes de qualquer coisa, é bom saber se você está com peso saudável ou se passou um pouco do limite. Se tiver além da conta, então chegou a hora de refletir melhor sobre como anda a sua alimentação e a prática de atividade física. Procure um nutricionista e um profissional de educação física para ter melhores resultados no seu tratamento.
E pra quem quer saber quais são os mocinhos e os vilões dessa história, vale a pena anotar essas dicas: chá verde, uva com sementes, aveia, chá de cavalinha e água (muita água!) tem que começar a marcar presença constante no cardápio. Ao mesmo tempo, evite açúcar e produtos à base de farinha branca (biscoitos, pães, bolos e massas refinados), além do excesso de sódio que está presente não só no sal de cozinha, mas também nos molhos e temperos artificiais, nas sopas e macarrões instantâneos convencionais, em salgadinhos tipo snacks.



Dicas de Nutrição: MENOPAUSA

2011-12-09T23:28:21.323-02:00

O que é?
É o fim do período fértil da mulher, percebido quando o ciclo menstrual não acontece mais.
O detalhe é que 2 a 4 anos antes disso chega a fase do climatério (ou pré-menopausa), com um monte de mudanças hormonais e no corpo: a menstruação não fica mais tão regular e começam a aparecer os famosos “fogachos” (ondas de calor), os suores durante a noite, a insônia, o ressecamento da pele, além do ponteiro da balança, que pode começar a subir, junto com a medida da cintura). Também há quem também fique mais irritada ou depressiva nessa época.

Como tratar?
Tá certo que quase todo mundo já ouviu esse ditado, mas é sempre bom lembrar de que “prevenir é melhor do que remediar”. E nesse caso então, nem se fala! Uma boa alimentação ao longo da vida pode fazer com que a mulher passe bem pela pré-menopausa, sem que as mudanças sejam um sofrimento. Então, se você leu as dicas sobre alimentação natural para TPM, vale uma atenção redobrada, porque elas continuam valendo nesse caso: farte-se de verduras e legumes frescos, grãos integrais, frutas e tudo o mais que a natureza nos oferece.
E pra você que já está sentindo na pele (e no resto do corpo) que a menopausa está às portas, pode ficar tranqüila porque também dá pra “remediar” tudo isso pela alimentação. Junto com o tratamento médico, os alimentos naturais são fortes aliados da saúde nesta fase: linhaça e soja, em especial, são fortes aliadas da mulher que está chegando na menopausa. Esses alimentos contêm fitoestrógenos, que têm efeito parecido com o dos hormônios que a mulher perde nessa fase da vida; com isso, elas ajudam a amenizar os sintomas.







Alimentação para Praticantes de Atividades Físicas

2011-08-29T14:42:22.137-03:00

O praticante de atividade física visa obter com o auxilio da alimentação a melhora de seu rendimento físico, de sua composição corporal além da recuperação adequada dos estoques energéticos, garantindo assim a melhora em seu desempenho. Sabe-se que a alimentação, além da duração, intensidade e tipo de exercício realizado, tem papel fundamentar na determinaçãp do substrato energético a ser utilizado pelo organizmo retardando assim, o tempo de fadiga muscular. 
As recomendações incluem a oferta de carboidratos de baixo índice glicêmico uma hora antes do início da atividade, de alto índice glicêmico durante atividades prolongadas e logo após o término dos exercícios, nesse momento em conjunto com a oferta de proteínas.
Alguns mitos em Nutrição Esportiva devem ser cautelosamente observados, como o uso de dietas cetogênicas por atletas ou desportistas, a dieta de super compensação de carboidratos antes da competição e a utilização abusiva dos suplementos alimentares, por isso, apenas um profissional habilitado, no caso o nutricionista, poderá orientá-lo,  pois será levado em consideração diversos fatores de seu dia a dia e estlio de vida, chegando a uma conclusão com você, sobre a melhor dieta a ser seguida.





Ração Humana

2010-10-22T02:56:49.636-02:00


A ração humana está sendo divulgada por muitos veículos de comunicação como uma fórmula milagrosa para a perda de peso, quase toda a semana me perguntam sobre a mesma, se realmente funciona, se engorda, se pode substituir uma refeição, entre outras dúvidas. Então decidi fazer esse post e esclarecer um pouco sobre "a tal".

A ração humana é um composto com diferentes tipos de ingredientes ricos em fibra (castanhas, aveia, linhaça, fibra de trigo, pó de guaraná, açúcar mascavo, entre outros). Ela auxilia no controle do colesterol e diabetes, melhora o transito intestinal e ajuda na desintoxicação do organismo.

Por ser um composto rico em fibras, pode  auxiliar na perda de peso por diminuir a absorção de gordura das refeições pelo organismo, sendo assim, para a perda de peso ser efetiva, a ração humana deverá fazer parte de uma alimentação balanceada, pois ela não contém o equilíbrio de nutrientes indicado para compor uma refeição saudável, portanto, não deve ser utilizada como substituta de refeições. A ração humana contém aproximadamente 400 kcal em 100g e se for consumida em grandes quantidades pode levar ao aumento de peso, além disso, ela oscila demais na sua composição e algumas fibras misturadas podem conter fatores anti-nutricionais responsáveis por inibir a absorção de micronutrientes importantes.

 É muito mais saudável, biodisponível para o organismo e indicado como parte de uma alimentação equilibrada consumir uma mistura dos grãos in natura com castanhas, linhaça, gergelim, soja, entre outros, e ingerir como lanche entre as refeições, pois assim você estará garantindo a ingestão de fibras e dos micronutrientes sem comprometer a sua absorção. 

Aproveito também para repetir que "a única coisa que não engorda" é a água. Por isso, pense bem antes de adotar uma dieta da moda, pois nem sempre você conseguirá adotar esse hábito por muito tempo e caso haja uma redução do peso, como desejado, ao retornar para o estilo de vida habitual, você com certeza irá recuperar o peso perdido.

Alimente-se bem, faça escolhas saudáveis, pratique atividade física.