Subscribe: FALCÃO PEREGRINO ROAD
http://falcaoperegrinoroad.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade A rated
Language:
Tags:
até  caminhoneiros  caminhões  das  dos  entre  está  estão  foi      mais  não  pai  pelo  seu  sua  são 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: FALCÃO PEREGRINO ROAD

FALCÃO PEREGRINO ROAD



Vou começar a contar aqui um pouco da minha experiência no ramo de transportes e da minha paixão por caminhões. Como se diz na linguagem dos caminhoneiros, aqui corre "óleo diesel na veia".



Updated: 2017-10-28T02:56:43.346-07:00

 



Congestionamento no trecho Cuiabá-Santarém continua e prejuízos já chegam a R$ 150 milhões

2017-03-01T05:55:25.270-08:00

O congestionamento do trecho Cuiabá-Santarém da BR-163 continua congestionado. Alguns caminhões conseguiram deixar o local na madrugada desta terça-feira (28) dada a trégua das chuvas, mas elas voltaram e o cenário agora é semelhante ao observado nos últimos dias. A estrada continua ainda em péssimas condições, com muita lama e impedindo até mesmo que as máquinas em sua potência máxima possam fazer seu trabalho para amenizar os problemas. Limpeza de atoleiros para preencher com cascalho - Foto: WhatsApp-Jornal Folha o Progresso"Está tudo parado de novo, quem conseguiu sair nessa madrugada deu sorte", relatou um caminhoneiro que ainda está no local. São mais de 4 mil motoristas de caminhão parados há mais de uma semana. Nesta quarta, deverão chegar cestas básicas ao local enviadas pelo Ministério da Defesa.  frameborder="0" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/R1Ojcqkiak0" style="background-attachment: initial; background-clip: initial; background-image: initial; background-origin: initial; background-position: initial; background-repeat: initial; background-size: initial; border-style: initial; border-width: 0px; box-sizing: border-box; margin: 0px; padding: 0px; vertical-align: baseline;" width="560">Parte do trecho havia sido liberado no último final de semana, e as expectativas são de que a pista seja completamente liberada até a próxima sexta-feira, 3 de março, de acordo com informações do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) e do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.O chefe da pasta, Maurício Quintella, irá, inclusive, discutir o transporte da soja pela rodovia nesta quinta-feira (2) com algumas das principais tradings mundiais de grãos, incluindo a Amaggi, a ADM, Cargill, Bunge e a Cofco. “O objetivo será definir a estratégia logística que garanta a manutenção da trafegabilidade ao longo da rodovia durante o chamado inverno amazônico e o consequente escoamento da produção agrícola”, diz a nota do ministério publicada pela IstoÉ Dinheiro.O governo federal informou que estima o prejuízo imediato das transportadoras esteja em cerca de R$ 50 milhões, podendo subir. Enquanto isso, sem pavimentação e implementada há 41 anos, Mato Grosso perde com essa situação da rodovia, aproximadamente, R$ 2 bilhões ao ano, segundo reporta o G1 MT. Um cálculo feito pela Associação dos Transportadores de Cargas de Mato Grosso (ATC) considerando os 15 dias de problemas já mostra, no entanto, que os prejuízos estariam próximos de R$ 150 milhões, já que as perdas diárias são de R$ 10 milhões. São perdas em mercadorias e custos com os caminhões. Leia ainda:Caminhoneiros parados em atoleiros na BR-163 perdem R$ 150 milhões, calcula associaçãoCaminhoneiros que estão parados na BR-163, no lado paraense, acumulam perdas diárias de R$ 10 milhões, conforme estimativa da Associação dos Transportadores de Cargas de Mato Grosso (ATC). Considerando os 15 dias de problemas com atoleiros, a estimativa é que já foram comprometidos cerca de R$ 150 milhões em mercadorias e custos com os caminhões. Pelo menos 5 mil veículos não conseguem prosseguir num trecho de 32 km entre Novo Progresso e Caracol, no Pará.Na região Norte de Mato Grosso, os produtores de soja estão preocupados com o excesso do grãos nos armazéns. A previsão é que os reparos nos trechos mais precários sejam realizados ainda esta semana. Presidente da ATC, Miguel Mendes, explica que o prejuízo por caminhão é de pelo menos R$ 2 mil/dia, considerando todos os custos e cargas transportadas.Veja a notícia na íntegra no site Só Notícias com informação de A Gazeta. No G1 PA: Caminhoneiros parados na BR-163 recebem mantimentosOs mais de 4 mil caminhoneiros que estão parados há mais de uma semana na rodovia BR-163, no sudoeste do Pará, começaram a receber água e mantimentos nesta terça-feira (28), doados pelo dono de um posto de combustíveis da região. O Ministério da Defesa enviou cestas básicas para a [...]



Situação se agrava entre MT e PA com mais de 4 mil caminhões parados no congestionamento

2017-02-25T07:42:12.447-08:00

Publicado em 24/02/2017 08:45 e atualizado em 24/02/2017 18:24Excesso de chuvas trava escoamento de soja do MT para porto de Miritituba no PAO caos está instalado na BR-163 no trecho entre Cuiabá/MT e Santarém/PA. O excesso de chuvas das últimas semanas tem dificultado o escoamento de grãos do Centro-Oeste para o porto de Miritituba, no Pará. As precipitações combinadas às más condições da rodovia BR-163 criaram um caminho intransitável, congestionamento de caminhões e a soja da nova safra espalhada pelas estradas. Como explica Luis Felipe Di Domenico, diretor da DDB Agronegócios, de Guarantã do Norte até os terminais de Miritituba são cerca de 700 quilômetros e desses, aproximadamente, 150 são de estradas de chão, sem asfalto. E onde há asfalto, há pontes de madeira que estão caindo. "Ou seja, concluíram o asfalto, não as pontes. Tem um atoleiro de 35 km com uma fila de mais de 50 quilômetros entre 3 Boeiros e o Caracol", diz. Assista também a entrevista com Edeon Vaz Ferreira - Movimento Pró-logística quer Exército na BR-163 para organizar tráfego e liberar escoamento da safra de soja de MTEm entrevista ao Notícias Agrícolas, o diretor-executivo da Associação dos Transportadores de Carga de Mato Grosso (ATC-MT), Miguel Mendes, afirmou que nesta sexta-feira (24) está sendo realizada uma reunião de emergência no Palácio do Planalto para que seja traçado um plano de ação para amenizar a situação na rodovia Cuiabá-Santarém. São cerca de 4 mil a 5 mil caminhões no congestionamento. Segundo Mendes, estarão reunidos a cúpulo do governo, o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), o Ministério dos Transportes, a Polícia Rodovia e mais lideranças e autoridades com o objetivo de definir uma estratégia para que ao menos as obras emergenciais comecem a ser realizadas. "E já há uma solicitação também da suspensão das ordens de carregamento na região. A orientação é de que não mandem mais caminhões para lá porque a situação ainda é muito séria, muito crítica", diz. Tanto Mendes, quanto Domênico relatam ainda a situção preocupante em que se encontram as pessoas. Há caminhoneiros com suas famílias no local, "em condições degradantes", segundo o diretor da ATC-MT. "Os motoristas estão sem dinheiro para comer, coletando água da chuva para beber, fazer comida e tomar banho. As tradings e transportadoras maiores estão fornecendo alimentação onde chegam os veículos", disse o diretor da DDB. E os problemas no pós colheita, em meio a este caos, se multiplicam. "O Nortão de Mato Grosso já está sem espaço para recebimento. Justamente em um momento crítico, onde estamos colhendo soja com um alto grau de avariados, devido as chuvas da semana passada e que pode  comprometer a qualidade do grãos dentro dos armazéns", diz Domênico. "E o fato mais grave é que está iniciando a safra de arroz no MT e os armazéns estão sem espaço físico para receber este produto, que é a principal fonte de nossa alimentação", completa. O quadro já começa a gerar revolta e protestos, já que o ambiente é de muita tensão e cansaço. Alguns caminhoneiros, justamente para protestar, estão despejando a soja na rodovia. Além disso, imagens mostram caminhões depredados.  As imagens a seguir são de produtores que estão escoando soja de Mato Grosso para o porto paraense. Os municípios de Trairão e Novo Progresso, no estado da região Norte, já decretaram situação de emergência e há, até mesmo, comunidades isoladas devido à essa situação. Há muitos trechos, afinal, onde as rodovias ainda não foram asfaltadas. Um vídeo que já corre as redes sociais mostra a enorme fila de caminhões no trecho Cuiabá-Santarém.  frameborder="0" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/VEW4iZzYHM8" style="background-attachment: initial; background-clip: initial; background-image: initial; background-origin: initial; background-position: initial; background-repeat[...]



Caminhoneiros sofrem na BR-163 no Pará

2017-02-24T06:07:58.004-08:00

Colheita da safra, chuva e estradas de terra. Esses são os ingredientes perfeitos para que o escoamento da safra vire um tormento para caminhoneiros. Atolados há vários dias, centenas de caminhoneiros aguardam socorro na BR-163, na região de Miritituba-PA.De acordo com informações nas redes sociais, alguns caminhoneiros estão esperando há duas semanas por ajuda. A situação está tão crítica, que os alimentos precisam ser racionados, não há local para banho e nem banheiros próximos.Fazendeiros da região estão abatendo gado e servindo carne aos motoristas, para tentar amenizar a situação. Uma equipe do DNIT esteve no local, mas é necessário aguardar que a chuva pare para que as máquinas possam trabalhar para reduzir os atoleiros.A fila de caminhões chegou a 50 quilômetros de extensão. A PRF esteve no local, e tentou organizar o tráfego, liberando caminhões vazios, porém a chuva aumentou e até mesmo a viatura policial acabou atolada.Com a situação, que se estende há dias e não tem uma solução, alguns caminhoneiros estão derramando a carga dos caminhões na estrada para tentar seguir viagem.Veja fotos:Blog do Caminhoneiro[...]



Vovó chinesa de 94 anos protege vizinhos com técnicas de kung fu

2017-02-20T09:16:18.273-08:00

Os vídeos e fotos da nonagenária que protege seus vizinhos e continua participando de lutas locais, se tornaram virais durante os últimos dias.Zhang Hexian faz pose: 94 anos e praticante de kung fu (Divulgação/VEJA.com)Apesar de já ter 94 anos, ninguém se atreve a brigar com Zhang Hexian, a avó chinesa que se transformou em uma sensação nas redes sociais do país, graças a suas ágeis e precisas técnicas de kung fu. Os vídeos e fotos desta nonagenária que, segundo a imprensa local, protege seus vizinhos e continua participando de lutas locais, se tornaram virais durante os últimos dias e foram várias as pessoas que expressaram o desejo de serem seus discípulos.A agência Xinhua publicou nesta segunda-feira uma entrevista com Feng Chuanyin, filho da idosa que vive no município de Ninghai County, na província de Zhejiang, na qual explica que ela pratica artes marciais desde que aos quatro anos seu pai começou a ensiná-la. Feng disse que todos os dias ela se levanta às 5 da manhã, pratica movimentos de kung fu e come macarrão chinês ou sopa de arroz. Desde que seu marido morreu há vários anos cultiva suas hortaliças, corta madeira e cozinha.“Minha mãe nunca esteve em um hospital e se recupera de resfriados ocasionais após dormir um pouco”, explicou Feng, assegurando que ela não toma nenhum tipo de vitamina ou suplemento. Zhang ensinou a seus filhos, netos e bisnetos esta arte marcial “por razões de saúde e autodefesa”, explicou seu filho, contando que sua mãe lhes diz sempre que “atacar os outros é absolutamente inaceitável”.Como lembrança de sua vida, Feng conta a história de quando sua mãe encontrou três ladrões em uma montanha e, após lutar e derrubar dois deles, o terceiro fugiu rapidamente do local. allowfullscreen="true" class="youtube-player" height="390" src="http://www.youtube.com/embed/saJISzXUSFk?version=3&rel=1&fs=1&autohide=2&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&wmode=transparent" style="border-style: initial; border-width: 0px; box-sizing: border-box; display: block; list-style: none; margin: 0px auto 30px; max-width: 100%; outline: 0px; padding: 0px;" type="text/html" width="640">(Com agência EFE)http://veja.abril.com.br/blog/headlines/vovo-chinesa-de-94-anos-protege-vizinhos-com-tecnicas-de-kung-fu/[...]



*Benny Mardones - "Into The Night-1980"

2017-02-18T14:17:10.376-08:00

src="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fmarcoslourencovanzwanz%2Fvideos%2F3783094154624%2F&show_text=0&width=400" width="400" height="400" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true" allowFullScreen="true">



O fenômeno Doria

2017-02-18T13:54:39.464-08:00

Muito se fala sobre o fenômeno Trump. Como o magnata conseguiu derrotar todo o poderoso establishment de Washington, Wall Street e da mídia? Fala-se muita bobagem, claro. Afinal, é a própria leva dos derrotados que impõe sua narrativa. Essa turma continua sem compreender direito o que aconteceu.Em que pesem as claras diferenças, algo parecido se dá com João Doria, em São Paulo. Doria não é Trump, não tem seu estilo fanfarrão. Mas as semelhanças são muitas: um empresário de sucesso, que vem de fora da política, com a coragem de desafiar o politicamente correto, a grande imprensa, e se comunicar diretamente com o povo, esse ilustre desconhecido da elite que adora falar em seu nome.Doria chegou botando para quebrar, vencendo logo no primeiro turno, e com um apoio tímido do próprio partido. Em seguida, impôs um novo ritmo de trabalho que políticos e servidores públicos em geral não estão acostumados. Visitas surpresas para averiguar a gestão, metendo a mão na massa como gari em atos simbólicos, e limpando a cidade dos pichadores criminosos.Tudo isso fez com que Doria ganhasse ainda mais aprovação por parte da população. Mas eis o irônico: o aumento de ataques na imprensa é diretamente proporcional ao crescimento de sua estima perante o povão. Aquele que a esquerda rotula de “coxinha” é na verdade quem goza do respeito popular. Enquanto isso, são os que se dizem representantes dos pobres, os “intelectuais”, jornalistas e artistas, que partem para ataques cada vez mais violentos contra o prefeito.Em evidência aqui está o mesmo tipo de fenômeno que explica Trump e o Brexit: essa elite “progressista” perdeu completamente o elo com a realidade, pois vive numa bolha e enxerga o povo somente como uma abstração.O caso dos pichadores é sintomático. O povo quer cidade limpa, quer a sensação de lei e ordem. Mas os “intelectuais” defendem os marginais, que chamam de “artistas”, enquanto suas próprias casas continuam protegidas dos mesmos pichadores que defendem. A hipocrisia é total, e todos já se deram conta disso. É por essa razão que Doria conta com amplo apoio em sua cruzada contra esses delinquentes, enquanto um juiz socialista decide rasgar a lei que deveria zelar para fazer ativismo ideológico, prejudicando milhões de cidadãos decentes.O fenômeno não é novo, mas sua dimensão sim, graças às redes sociais. A esquerda fala em nome dos pobres e das “minorias”, mas na prática prega bandeiras que prejudicam essas pessoas. Enquanto isso, aqueles retratados como monstros terríveis por essa esquerda são os que realmente despertam aplausos do povo. Só resta à esquerda chorar no Facebook e atacar a democracia e esses “alienados” todos que preferem a direita.Doria conta com amplo apoio em sua cruzada contra pichadores, enquanto um juiz socialista rasga a lei para fazer ativismo ideológico, prejudicando cidadãos decentes.*Rodrigo Constantinohttp://istoe.com.br/o-fenomeno-doria/[...]



Homero - Batraquiomiomáquia

2017-02-18T13:52:29.269-08:00

HomeroO primeiro (e soberano) grande autor da literatura europeia, Homero é mais um nome lendário do que um escritor com uma biografia própria. Supõe-se originário da Ásia Menor, onde teria vivido entre os anos 1.100 e 900 antes de Cristo. "Um poeta desconhecido que teria escrito a Ilíada e, provavelmente, a Odisseia."Além dessas obras imortais, a ele também são atribuídos os Hinos Homéricos, Epigramas, A pequena Ilíada e Batraquiomiomáquia, aqui presente. Este "poema heróicocômico, inicialmente atribuído, por Plutarco, a Pigres de Cárie, só foi publicado em Veneza, em 1489, e é considerado como a "primeira manifestação humorística da literatura europeia".Ao iniciar, rogo ao coro de Helicon que assista a minha alma para entoar o canto que recém registrei nas tábuas sobre meu joelho - uma luta imensa, obra marcial plena de bélico tumulto -, desejando que chegue aos ouvidos de todos os mortais como os ratos se distinguiram ao atacar as rãs, imitando as proezas dos gigantes filhos da terra. Tal como entre os homens se conta, seu princípio aconteceu da seguinte maneira:Sedento, depois de se livrar de uma doninha, um rato submergia sua ávida barba ali perto, num lago, e se reconciliava na água doce como mel, quando viu uma rã tagarela, que no lago tinha suas delícias, e que assim lhe falou:Inchabochechas: - Quem és tu, forasteiro? De onde chegastes nestas ribeiras?Quem te engendrou? Dize-me tudo honestamente, e que não perceba eu que mentes. Se te considerar digno de ser meu amigo, levar-te-ei a minha casa e te darei muitos e bons presentes de hospitalidade. Eu sou lnchabochechas e, no lago me honram como perpétuo guerreiro das rãs; meu pai Lodoso me criou e deu-me à luz Rainhadas-Águas, que com ele se juntara amorosamente às margens do Erídano.Observo que também és formoso e forte, mais ainda do que os demais; e deves ser rei e valoroso combatente nas batalhas. Mas, ande, revele-me já tua linhagem!Roubamigalha: - Por que me perguntas por minha linhagem? Conhecida é e a de todos os homens e deuses, e até das aves que no céu voam. Eu me chamo Roubamigalha, sou filho do magnânimo Róipão e tenho por mãe Lambedentes, filha do rei Róipresunto. Mas... Como poderás conseguir que eu seja teu amigo, se minha natureza é completamente diversa da tua? Para ti, a vida está na água, mas eu costumo roer o quanto os homens possuem; não se me oculta o pão enfeitado que se guarda no redondo cesto; nem a grande torta recheada de gergelim; nem a talhada de presunto; nem o fígado dentro de sua branca túnica; nem o fresco queijo, de doce leite fabricado; nem os ricos doces, que até aos imortais apetecem; nem coisa alguma das que preparam os cozinheiros para os festins dos mortais, espargindo condimentos de toda sorte aos borbotões.Jamais fugi da horrível gritaria insana das batalhas, mas sempre me encaminho para o tumulto e imediatamente me junto aos combatentes mais avançados. O homem com seu grande corpo é coisa que não me assusta, pois, imiscuído-me na cama em que repousa, mordo-lhe a ponta do dedo e até o pego pelo calcanhar, sem que sinta ele qualquer dor nem o desampare o doce sono enquanto eu o mordo. Dois são os inimigos a quem, em grande forma, eu temo sobre tudo o mais na terra: o gavião e a doninha, que terríveis pesares me causam; e também o lutuoso cepo onde se oculta a traidora morte. Mais temo porém a doninha, que é fortíssima e, ao me esconder numa toca, na própria toca vai ela me procurar. Não como rábanos, nem couves, nem abóboras; nem me alimento de verdes acelgas nem aipo; que estes são vossos manjares próprios dos que habitam a lagoa.lnchabochechas, sorrindo, respondeu:Inchabochechas: - Ó, forasteiro, das coisas do ventre muito te envaideces; também nós, as rãs, temos muitas coisas admiráveis de se ver, tanto no lago como em terra firme, pois Zeus Cronion nos deu um duplo modo de vi[...]



"Brasil Maravilha! Viva a Corrupção! Viva os Corruptos! Viva a Mandioca! Abaixo a Lavajato! Fora Moro!" Viva "nóis", viva tudo, viva o sapo barrigudo!

2017-02-17T06:07:19.952-08:00

Rodovia Transamazônica causa prejuízos para condutores no ParáDNIT informou que tem equipes tentando manter as condições de tráfego.Caminhoneiros ficam dias na estrada com uma cargas estragando.Do G1 PAFACEBOOKAtoleiros na rodovia Transamazônica tem provocado diversos transtornos aos motoristas, durante o período chuvoso. No quilômetro 40, em um trecho próximo de Itaituba, sudoeste do Pará, os problemas começam para quem precisa seguir viagem até Rurópolis.Caminhoneiros ficam dias na estrada com uma cargas estragando. "Anda cinco, dez quilômetro e para de novo. Pra não arriscar é melhor parar e rezar pra Seus mandar um solzinho", comenta o caminhoneiro Adão Amado.Apenas doze quilômetros após o primeiro atoleiro, mais caminhões enfileirados no quilômetro 42 da rodovia. Caminhoneiros e motoristas precisam pagar tratores para serem rebocados, o que gera prejuízos."Já gastei até R$ 2 mil pra ser puxado., cada atoelrio é R$ 150", conta o caminhoneiro Edilson Batista da Silva.Até o município de Rurópolis mais seis horas de viagem. Para voltar a Itaituba, outra parada no atoleiro. Para chegar ao município é necessário  fazer desvio na estrada. São 300 km rodados em 12 horas de uma viagem, quando em uma estrada em boas condições a distância duraria no máximo 6.A Superintendência Regional do DNIT no Pará informou que está com equipes mobilizadas para manter as condições de tráfego na rodovia Rransamazônica e na BR-163, mas adiantou que em alguns trechos não é possível fazer a manutenção ou restauração devido ao período chuvoso.http://g1.globo.com/pa/para/noticia/2017/02/rodovia-transamazonica-causa-prejuizos-para-condutores-no-para.html[...]



Borracha derivada do dente-de-leão chega aos pneus de carga da Continental

2017-02-16T06:32:56.804-08:00

A Continental, uma das maiores fabricantes de pneus e integrante de um dos maiores grupos automotivos do mundo, anuncia que está levando a tecnologiaTaraxagum™, nome derivado da definição botânica da plantadente-de-leão, para a sua linha de pneus comerciais para caminhões e ônibus. O primeiro protótipo produzido a partir dessa inovadora e sustentável matéria-prima é o modelo Conti EcoPlus HD3.O cultivo do dente-de-leão tem potencial para se tornar uma fonte alternativa e ambientalmente amigável, ajudando a reduzir a dependência pela borracha natural tradicional. Além disso, essa planta pode ser cultivada nas regiões Norte e Oeste da Europa, o que encurta as distâncias de transporte para as fábricas da Continental no continente e reduz a emissão de CO2.Há cinco anos, a Continental começou a trabalhar no desenvolvimento do Taraxagum™. O dente-de-leão russo pode ser  produzido em maiores quantidades por hectare do que a tradicional borracha “hevea brasiliensis”, derivada das árvores tropicais. A empresa alemã também desenvolveu novos processos e métodos produtivos para obter a borracha para emprego não apenas na fabricação de pneus, mas também de outros produtos a partir da seiva de látex da raiz da planta.Em 2014, a Continental apresentou seu primeiro pneu de inverno premium com banda de rodagem feita da borracha de dente-de-leão. No mesmo ano, foram iniciados os planos para a produção do primeiro pneu para veículos comerciais, que necessita de um volume de borracha natural significativamente maior (20 kg a 25 kg) em relação a um pneu de passeio (1 kg a 3 kg).Os testes de desempenho com os pneus comerciais utilizando Taraxagum™ conduzidos pela companhia são extremamente promissores, demonstrando que a alternativa à borracha natural de origem tradicional é ideal para o setor de veículos comerciais e cumpre os mais rigorosos requisitos do segmento de transporte. A nova borracha de dente-de-leão deve entrar em produção em larga escala nos próximos cinco a dez anos.No final do ano passado, a Continental anunciou a construção de um centro de pesquisas em Anklam, na Alemanha, para a produção de borracha de dente-de-leão e planeja investir cerca de € 35 milhões nesse novo local até 2021.http://blogdocaminhoneiro.com/2017/02/borracha-derivada-do-dente-de-leao-chega-aos-pneus-de-carga-da-continental/[...]



A filha do Carreteiro.

2017-02-18T00:11:49.884-08:00

Era tudo novidade para Marina.Ia para a escola pela primeira vez.Com seu pai dentro da cabina.A bordo do Scania Vabis setenta e três.O Scania em suave empuxoparou a frente do portão principal.Buzinavam nervosos, carros de luxo.A menina achava o Scania sensacional.Ela desceu acompanhada do pai.Olhou para o colégio meio perdida.Ouviu a voz paterna dizendo: “Vai”.“Estude e será alguém nessa vida”.O pai a levava quase todos os diase a menina mostrava ser inteligente.O tempo passava e Marina crescia.Logo se tornou uma bela adolescente.Certo dia pediu a seu paique a deixe na esquina.Meio envergonhada ela sai.Parece constrangida a Marina.O Scania agora é coisa medonha,assim pensa Marina do caminhão.Seu pai, carinhoso nem sonha,mas ela sente deles muita vergonha.Seus amigos chegam em carros bonitose ela chega naquele mastodonte.Muitos deles se fazem de ricos.Na cabina, ela vê do alto o horizonte.Seu pai entende o sentimento da filha.Afinal aquele colégio é de gente granfina.Quando olha para ele, o olho dela não mais brilha.Mas como ele ama aquela pequena menina.O pai a bordo do cavalo mecânicoagora não é mais motivo de orgulho.Meninos se comportam com jeito britânico.Meninas cochicham em suave marulho.Permaneceu naquele colégiofaziam nove anos aquela altura.Marina terminava o ensino médio.Aquele ano seria sua formatura.O pai trabalhando sem parardirigindo Scania Vabis trucada.A mensalidade do colégio tinha de pagar.Afinal sua filha ali seria bem ensinada.A agora adolescente Marinasentia vergonha de ser pobre.Lamentava-se de tudo a menina.Queria pertencer à família rica e nobre.No dia da formatura do ensino médio,Em vez do pai, foi acompanhada de amigo.Contra a família cometia sacrilégio.Na festa, pai e mãe não ficaram consigo.O casal sozinho sentado à mesadisfarçava a tristeza que sentiam.A jovem estava linda qual princesa.Ela e grupo de amigos se divertiam.A mãe usava um bonito vestido.O pai, sapato, camisa e uma velha calça.Sentiu o seu coração partidopois a filha com ele não dançou a valsa.Vida que segue e o pai a trabalharpassando horas naquela cabina.A filha iria fazer o vestibular.Tentaria o curso de Medicina.A bordo do antigo Scania Vabisem oração estava o pai de Marina:“Pai poderoso, vós que tudo sabes,me ajude a formar a filha em Medicina”.Do caminhão não conseguia fazer a reforma.Quase todo dinheiro para pagar a faculdade.Pensava: “Mais um pouco e a filha se forma”.Assim, não viveria mais na dificuldade.Marina já era uma mulher adultaprestes a se tornar uma médica.Mostrava-se inteligente e culta.Além de agir sempre com ética.Olhava seu pai de outro jeito,reconhecendo todo o sacrifício.Em vez de vergonha tinha respeito.Sabia que para eles a vida era difícil.Marina fez para si uma promessa,que estaria ao lado do pai na formatura.O tempo passava bem depressa.Estudava para levar aos doentes a cura.Faltava um ano para se formare seu pai caiu enfermo.Aquele homem tinha de se tratar.Marina encaminhou tudo a bom termo.Estudante dedicada e com competência,dos professores tinha o respeito geral.Usou o que pode de sua influênciae internou seu pai naquele hospital.Ele foi tratado com carinhomas a doença era muito grave.Marina não o deixava sozinho.Câncer, para os médicos um entrave.Foi usado o melhor recursopara tentar buscar a cura.Em breve Marina concluiria o curso.Mas a situação de seu pai era dura.Aquele velho carreteiro, sem medocom força moral diante de situação escuradisse a filha: “Guarde um segredo”.“Pedi a Deus para viver até sua formatura”.Com lágrimas escorrendo pelo rostoMarina procurava mostrar ser forte.Mas vendo o pai assim dava desgosto.A medicina perderia a guerra contra a morte.No dia da colação de grauMarina usava beca impecável.Seu pai havia saído do hospital.Enfrentava aquela doença[...]



Startup cria "borracheiro virtual" para reduzir custos de transportadoras.

2017-02-16T05:53:09.654-08:00

Sistema de monitoramento da gaúcha Alientronics, que está em teste em cinco companhias, mede constantemente a temperatura e a pressão dos pneusTela de monitoramento da Alientronics: acompanhamento constante das condições dos pneusFoto: DivulgaçãoSÃO PAULO - Medições constantes de temperatura e pressão dos pneus, com envio de alertas para o celular ou um painel dentro do veículo em caso de alguma irregularidade. O Sistema de Monitoramento Inteligente para Pneus (TPMS), desenvolvido pela startup gaúcha Alientronics, promete esse serviço.  Considerado um "borracheiro virtual" por seu idealizador e fundador da Alientronics, Felipe Werle Melz, o TPMS é um conjunto de sensores que, instalado internamente no pneu, mede pressão, temperatura e acelerações, "Esses dados crus saem do sensor e vão para o módulo do veículo e de lá para a Internet", conta o empreendedor gaúcho.Já na web, as informações de cada pneu são armazenadas em um banco de dados na nuvem, no qual são feitas análises sobre as condições de uso. A avaliação leva em consideração o modelo e o tempo de vida, podendo gerar alertas instantaneamente, seja pelo aplicativo, ou pelo módulo do veículo - que é um painel de informações instalado, para localidades onde não há conexão para a Internet.O dispositivo da Alientronics, que já ganhou sete competições regionais e nacionais, entre elas o Prêmio Santander de Empreendedorismo em 2015, pretende atender empresas com frotas grandes. "Hoje nosso foco é total em veículos pesados, como caminhões e ônibus, e as maiores interessadas são as indústrias e transportadoras", afirma Melz.A promessa é de reduzir custos e qualificar a mão de obra dos clientes, melhorando a gestão de pneus. "As transportadoras têm muitos pneus e, às vezes, há pouco cuidado com eles, ou até os funcionários acabam roubando", relata. Entre os benefícios, além dos alertas e da prevenção de acidentes, os clientes da Alientronics, segundo Melz, ganham de 3% a 40% de desconto em pneus.Atualmente em fase de testes em cinco transportadoras para calcular o retorno que dará às empresas, o TPMS terá um custo de instalação próximo a R$ 150 por pneu, além do custo do módulo central que faz a conexão com a Intenet, em torno de R$ 500. Além disso, serão cobradas mensalidades para cada item, em valor discutido com a startup.Gestão dos pneus"Se você fizer um ranking, no geral, os maiores custos são mão de obra, combustível e pneu", afirma o diretor executivo de Operações e Serviços da transportadora JSL, Adriano Thiele. Para ele, a gestão correta dos pneus é essencial para evitar impactos no resultado das operações.Thiele diz que a JSL já tentou implantar sistemas de monitoramento com chips, mas por conta do grande número de pneus a instalação foi dificultada, o que inviabilizou a utilização desses sistemas. "A gente sempre está olhando as tecnologias para redução de custos, a gente só não achou uma condizente para nós", diz. Segundo a transportadora, em 2016, foram comprados 35 mil pneus.Apesar de não ter conseguido implantar um sistema automatizado de fiscalização de pneus, a JSL acredita que utilizar a tecnologia pode facilitar o trabalho. "Em um caminhão de 32 pneus, manualmente, você precisa medir os 32 para saber quais estão descalibrados. Com tecnologia, o sistema te mostra automaticamente o que está fora do padrão", analisa Thiele.Explicando o gastoUm pneu tem vida útil, em média, de 250 mil quilômetros, levando em consideração reparos, segundo Rogério Miguel, que trabalha na logística do Grupo Petrópolis, no setor de transporte da cervejaria Itapaiva, em Pernambuco. A empresa de Recife, que tem frota de 29 cavalos e 8[...]



O papa contra os cruzados: foi mais uma conspiração?

2017-02-06T14:08:02.146-08:00

Discutindo a relação: o papa manda e o grão-mestre Festing renuncia, com protestos da ala conservadora (Gabriel Bouys/Pool/Reuters)Intervenção de Francisco na Ordem de Malta lembra um passado glorioso que até hoje alimenta apaixonados pelo poder de sociedade secretas.O que seria dos teóricos da conspiracão, dos livros de Dan Brown e até dos magníficos filmes da série O Poderoso Chefão sem umas boas sociedades secretas que operam nas sombras do Vaticano e querem dominar o mundo?Feitas as ressalvas, é preciso reconhecer: está feia a briga entre o papa Francisco e a Ordem de Malta, uma das mais antigas organizações católicas do mundo, daquelas que inspiram ironias pelo apego a tradições arcaicas e olhares cheios de suspeita dos que tendem a acreditar que “eles” estão por toda parte.Em matéria de fonte de teorias da conspiração para a “multidão de caçadores de mistérios”, como os descreveu Umberto Eco em O Pêndulo de Foucault, a Ordem Soberana Militar de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta só perde para a Ordem dos Templários (embora não falte quem acredite que são exatamente a mesma coisa).A Ordem tem um passado magnífico e um futuro duvidoso – lamentavelmente, para quem já viu alguns dos rituais antigos, perdidos na batalha de poucas glórias pela modernização da Igreja. Foi fundada em 1048, para ajudar os que faziam a peregrinação a Jerusalém.Meio século depois, quando o mundo cristão foi abalado pelo trauma da conquista da Cidade Santa pelos guerreiros de uma fé ascendente, a ordem se tornou mais militar do que assistencial.A luta de muitos séculos contra a expansão muçulmana, com derrotas e vitórias que mudaram a história, levou seus seguidores a recuar para Rodes, Chipre e Malta, onde chegaram a ter status soberano, como uma nação independente.Para entrar nela, cavaleiros da nobreza faziam os votos de pobreza, abstinência e obediência, igualzinho aos protetores da muralha de Game of Thrones. Seu dirigente é chamado até hoje de príncipe e grão-mestre, com chapéu emplumado e tudo. O traje oficial – um camisolão preto com a estrela de oito pontos bordada em branco no peito, feito sob medida para enlouquecer os conspiracionistas –, parece algo deslocado.O refluxo do catolicismo levou a Ordem de Malta a uma humilde volta às origens de prestação de serviços benemerentes. E foi a administração de um programa de ajuda a desvalidos de Mianmar que levou ao conflito atual. Sem nenhum respeito por uma história de quase mil anos, o episódio ficou conhecido como o “caso das camisinhas”.O motivo parece um pouco fútil. Matthew Festing, o grão-mestre inglês derrubado pelo papa, havia afastado um integrante da ordem por demorar demais para interromper o programa por incluir preservativos no pacote de ajuda.O papa mandou investigar, Festing se recusou a colaborar e todos os corredores do Vaticano viram, por trás de tudo, um confronto entre Francisco e Raymond Burke. Ele é um cardeal americano da ala conservadora que vê nas aberturas atuais não um impulso de renovação, mas o empurrão final numa religião que troca tradições por uma fé que não existe mais.Festing, um especialista em pinturas do século XVII, aceitou a demissão, como exige o voto de obediência, mas o Vaticano amanheceu no sábado passado com cartazes enumerando as queixas dos conservadores. Entre as quais, a falta de resposta às dúvidas levantadas pelos principais cardeais da ala. E a “decapitação” da Ordem de Malta e de uma congregação chamada Franciscanos da Imaculada, bastante presente no Brasil. “Onde está a sua misericórdia”, provocavam os cartazes, intrigantemente escritos no dialeto falado em Roma.Na lista de organizações secret[...]



Inventora do dilmunhol esquece o que diz em dilmês

2017-02-02T04:29:49.561-08:00

Presidente cassada Dilma Rousseff em Brasília - 02/07/2014 (Ueslei Marcelino)Dois dias depois de espantar a Espanha, Dilma surpreende a Itália: 'Ai, esqueci o que eu tava falando'Com a agenda deserta desde 31 de agosto de 2016, quando foi despejada do emprego e impedida de concluir a missão de liquidar o Brasil, o que andaria fazendo Dilma Rousseff com o tempo que tem de sobra? Pelo que aconteceu em Sevilha neste 25 de janeiro, a ex-presidente continua empreendendo experiências linguísticas cada vez mais bizarras. Convidada para um seminário político naquela cidade espanhola, a pior oradora do planeta misturou o dilmês castiço com um portunhol de manicômio para criar um subdialeto inacessível tanto a quem fala português quanto para quem fala espanhol.Ouça os três trechos agrupados no vídeo. Em seguida, leia a reprodução fidelíssima─ sem retoques, sem correções e sem tradução ─ do que Dilma foi capaz de dizer. Pois foi isso o que desgovernou o país por mais de cinco anos. allowfullscreen="true" class="youtube-player" height="390" src="http://www.youtube.com/embed/-zCXrYxp7GM?version=3&rel=1&fs=1&autohide=2&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&wmode=transparent" style="border-style: initial; border-width: 0px; box-sizing: border-box; display: block; list-style: none; margin: 0px auto 30px; max-width: 100%; outline: 0px; padding: 0px;" type="text/html" width="640">1. “Cálculo de la ONU de la evasón fiscal de los países emergentes e em desenvolvimiento é… é subestimado de 100 mil millones ano. Ano! Quién és que paga el pato? Que és pagar el pato en Brasil? É quién paga la cuenta. E después vou hablar sobre el pato…. Quién paga la cuenta? Paga la cuenta, por essa política de interdición, de discusión a respeito de las receitas, paga la cuenta aquellos que estón mais… mais necessitado de la acción del Estado para garantizar los servícios que ellos necessitam. Esses pagam la conta”.2. “Digo que no se puéde utilizar la corrupción como instrumento político de destruicción del que ellos consideram el inimigo. Não és um réu, és un inimigo! Y inimigo se destrói. É outra atitude. La justicia del inimigo no se puéde aplicar em países democráticos y isto yo digo porque yo tuve un golpe. El golpe sobre mi foi um golpe parlamentar, diferente de un golpe militar. El golpe parlamentar… eu sempre fiz la imagen, la metáfora de la árvore. Si la democracia, la árvore, el golpe parlamentar destrói a árvore a machadadas… No sé como se habla… (a tradutora sopra a palavra certa). Hachazo! En el golpe parlamentar, yustés invade a árvore com fungos e parasítas. Isto és la diferencia imagética… na verdade, yustés tienen partes de la estrutura, de las instituições contaminadas, mas você não tem perdas de derechos para a sociedad y isto é importante saber, porque lutarás contra ele, se ampliares todos los espaços institucionales democráticos. Lutarás contra eles se defenderes la democracia”.3. “Uno… Una persona surge como una… gran posibilidad… con gran posibilidad de ser elecho, que és Lula da Silva. Lula és para ellos, golpistas, un perigo. Un gran perigo, porque tiene toda su carga de realizacciónes y el reconhecimiento de una parte da populación. Tentaram destruí-lo de todos los jeitos, aí, hacen pesquisas e ele está na frente. Entonces, hay grande risco de que ellos… de que ellos tentem inviabilizar su eleición condenando-o, porque para que ele no sea… séa candidato, condená-lo por dos veces”. allowfullscreen="true" class="youtube-player" height="390" src="http://www.youtube.com/embed/LFD_FUMKW9I?version=3&rel=1&fs=1&autohide=2&am[...]



FILMES - WESTERN

2017-02-01T13:40:13.365-08:00

(Divulgação)Oscar 2017: A Qualquer CustoPor que o faroeste nunca morre? Porque nós amamos e não deixamosPara um gênero cuja morte já foi tantas vezes decretada, o faroeste é um defunto muito ativo e bastante animado: ele rende só um ou outro novo título, mas cada um deles é uma pequena explosão de vigor, vibração, inovação e originalidade – como o western virou coisa de realizador aficionado (caso de Quentin Tarantino), não é feito por obrigação ou de olho na bilheteria, mas por paixão. Um caso exemplar é A Qualquer Custo, que estreia nesta quinta-feira 2 de fevereiro com indicações ao Oscar de melhor filme, roteiro original, montagem e ator coadjuvante (para Jeff Bridges). O cenário é contemporâneo, mas os temas são clássicos: Chris Pine e Ben Foster são dois irmãos que estão roubando bancos um atrás do outro, sem parar, nas cidadezinhas do Oeste do Texas. O intrigante não é só o ritmo dos assaltos; é o fato de que a dupla leva muito pouco dinheiro em cada um deles. Jeff Bridges é o Texas Ranger veterano, às portas da aposentadoria, que gostaria de sair de cena com um bom caso bem resolvido, e tem lá sua intuição sobre os irmãos. Dois bandidos desesperados, um homem da lei vaidoso, um lugar onde todo mundo puxa a arma por qualquer coisa: vai ser uma calamidade. Mas uma calamidade belíssima, que o escocês David Mackenzie (do ótimo Encarcerado, que está na Netflix) dirige com gosto e encharca em cor local.(Divulgação)Leia a seguir a resenha completa. E, antes, confira uma lista de faroestes da última década que não dá para perder:Django Livre (Netflix) – Nesta fantasia de vingança de Tarantino, Jamie Foxx manda bala nos senhores de escravos sulistasOs Oito Odiados (Netflix) – Outra fantasia de Tarantino, com um bando de malfeitores trancafiados numa cabana durante uma nevascaRastro de Maldade (Netflix) – Kurt Russell é o líder do quarteto que tenta resgatar uma moça dos canibais (!!!) que a sequestraramOnde os Fracos Não Têm Vez (Netflix) – No clássico moderno dos irmãos Coen, Tommy Lee Jones é o xerife que acha que já viu de tudo – até topar com Javier Bardem e perceber que as coisas sempre podem ser pioresBravura Indômita (Netflix) – Os irmãos Coen, de novo, refilmam uma aventura célebre, com Jeff Bridges no lugar de John Wayne. Os resultados são excelentesOeste Sem Lei (NOW) – Michael Fassbender não sabe se ludibria ou protege um rapazinho que está à procura da garota amada. Uma espécie de mito de criação do OesteA Salvação (Looke) – Malfeitores acabam com a vida de Mads Mikkelsen, e ele quer justiça. Ou, se não for possível, vingança, vingança e mais vingança. Eva Green concorda com eleOs Indomáveis (Looke) – Christian Bale é o fazendeiro pobre, Russell Crowe é o bandidaço, James Mangold dirige que é uma beleza. Uma refilmagem muito superior ao originalMISTURA FINAChris Pine e Jeff Bridges em um faroeste clássico na estrutura e contemporâneo na forma, realizado com viço notável. O resultado se resume em uma palavra: filmaçoÀs vezes, há uma única palavra capaz de abranger as qualidades específicas de um filme: “filmaço”. E é com propriedade que ela se aplica a A Qualquer Custo, que estreia nesta quinta-feira no país com indicações ao Oscar em quatro categorias, entre elas a de melhor filme. O faroeste contemporâneo do diretor David Mackenzie tem a propulsão narrativa, a voragem dramática, a exuberância estilística e os desempenhos marcantes que caracterizam essa experiência cinematográfica particular. O escocês Mackenzie, além disso, absorve a cultura e a geografia do Oeste do Texas, que vai[...]



Moro é o mais votado em lista de candidatos para o lugar de Teori

2017-02-01T08:24:14.122-08:00

Juiz Sergio Moro lidera lista tríplice para ministro do STF da Associação dos Juízes Federais (Ajufe). O magistrado à frente da Operação Lava Jato, em primeira instância recebeu 319 votosRelação elaborada por associação de juízes federais inclui ainda Fausto de Sanctis, que atuou na Satiagraha e Castelo de Areia, e Reynaldo Fonseca, do STJ.A Associação de Juízes Federais (Ajufe) concluiu nesta quarta-feira a votação da lista tríplice que será encaminhada ao presidente Michel Temer com sugestões de magistrados para a vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) do ministro Teori Zavascki, morto no dia 19 de janeiro em desastre aéreo em Paraty, no litoral do Rio de Janeiro.Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância, lidera a lista com 319 votos, apenas um voto a mais que o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Reynaldo Soares da Fonseca – este já foi juiz da 1ª Vara da Seção Judiciária do Maranhão, foi promovido em 2009 a desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) e atua como ministro do STJ desde 2015.Em terceiro lugar ficou o desembargador do TRF-3 Fausto de Sanctis, que recebeu 165 votos. Sanctis se destacou à frente de casos de grande repercussão, como as operações Satiagraha e Castelo de Areia. A relação com os nomes será entregue pelo presidente da Ajufe, Roberto Veloso, ao presidente Temer – que não é obrigado a escolher um dos candidatos indicados pela instituição. Participaram da votação 761 associados da Ajufe, com direito a votar em até três candidatos.Em nota, a Ajufe afirma que Teori é oriundo da Justiça Federal e, por isso, a associação “considera imprescindível que a vaga na Corte seja destinada à Magistratura Federal”.http://veja.abril.com.br/brasil/moro-e-o-mais-votado-em-lista-de-candidatos-para-o-lugar-de-teori/[...]



Vlady Oliver: Teori e o buraco na estrada

2017-01-21T06:15:29.467-08:00

Teori Zavascki, ministro do STF, morre em acidente de avião em Paraty (Sônia Barcelos)Nunca é tarde para lembrar a inutilidade de um atentado dessa monta, uma vez que a equipe toda do ministro continua viva.É claro que é muito cedo para descartar qualquer possibilidade acerca da queda do avião em que estava o ministro Teori Zavascki. Eu, no entanto, tomei uma medida drástica desde que o senhor Lula da Silva assumiu o poder, mais de uma década atrás: viajante contumaz que eu era pelas estradas brasileiras, nunca mais pus o pé fora da porta.O motivo é óbvio: aqui se morre de Brasil. De incompetência, de irrelevância, de bala perdida, de buraco na estrada. Não há o menor valor à vida, nem mesmo dos próprios proprietários das mesmas, que se arriscam diariamente nesta pocilga para continuar respirando este ar fétido. Há motivos sim – muitos – para que não tenha sido um acidente. Mas há muito mais motivos para que tenha sido.A começar pelo fato de que o ministro foi “corajoso” ao assumir uma cadeira num avião daqueles, no momento da vida em que estava. É óbvio que deveria zelar pela própria existência, dada a importância do que estava fazendo. Me parece que um misto de ingenuidade, confiança nas aeronaves de pequeno porte e alcance, confiança no mau tempo, confiança na capacidade do brasileiro de dar um jeitinho em tudo foram as causas principais deste acidente.Em respeito ao homem público, me abstenho tanto de acreditar nas teorias da conspiração quanto na possibilidade de ter sido uma licenciosidade dele mesmo. Já afirmei por aqui que procuro não parar debaixo das pontes. Sou engenheiro. Sei como elas andam sendo construídas, só com a metade do dinheiro. A outra metade é transferida em tenebrosas transações.O que fica é o perigo, rondando nossas cabeças incautas, de que tudo desabe num trágico “acidente pavoroso”. Conta agora a do papagaio. Nunca é tarde para lembrar a inutilidade de um atentado dessa monta, uma vez que a equipe toda do ministro continua viva, não é mesmo? Ou será que eles não sabem do que se trata a Lava Jato?http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/vlady-oliver-teori-e-o-buraco-na-estrada/[...]



Conheça Ice, o primeiro cão salva-vidas do Brasil

2017-01-18T04:07:25.615-08:00

Ice, o cão salva-vidas de Santa Catarina (Reprodução)Labrador de 7 anos, que prestou socorro às vítimas da tragédia em Mariana, atua em praia de Itajaí, Santa Catarina.O labrador Ice é um cão herói. Prestou socorro às vítimas da tragédia em Mariana (MG) e faz parte de um projeto terapêutico no Hospital Marieta Konder, localizado em Itajaí, Santa Catarina. Neste verão, porém, Ice enfrenta um desafio inédito: salvar pessoas do afogamento. Ele é o primeiro cão salva-vidas do Brasil.O primeiro dia de trabalho foi na segunda-feira, na praia das Cabeçudas, em Itajaí. Assim como os seus colegas do 7° Batalhão de Bombeiros de Itajaí, ele usa uniforme de identificação. Seu turno é das 15h às 20h, horário que o sol está mais ameno. Se não há ocorrências, o labrador fica na sombra e é constantemente hidratado.ParceriaIce tem sete anos e desde o segundo mês de vida começou a ser treinado pelo sargento Evandro Amorin, de 48 anos. Os dois moram juntos e enfrentaram dezenas de missões importantes, que chegaram ao fim na semana passada, quando Amorin se aposentou. Mas não há tristeza. Ice segue na companhia de seu filho, o soldado Thiago Amorin. “Ice é da nossa família, é meu irmão e estou muito orgulhoso dele”, disse o sargento.O projeto foi inspirado em cães guarda-vidas que atuam na Itália. A função de Ice é ajudar nos salvamentos a mais de uma vítima. Enquanto seus colegas retiram uma pessoa no mar, ele nada e entrega o flutuador para a outra vítima.(Com Estadão Conteúdo)http://veja.abril.com.br/brasil/conheca-ice-o-primeiro-cao-salva-vidas-do-brasil/[...]



Caminhoneiros iniciam quinto dia de paralisação

2017-01-17T06:39:05.869-08:00

allowfullscreen="true" allowtransparency="true" frameborder="0" height="90" hspace="0" id="aswift_0" marginheight="0" marginwidth="0" name="aswift_0" scrolling="no" style="border-style: initial; border-width: 0px; font-family: inherit; font-stretch: inherit; font-style: inherit; font-variant: inherit; font-weight: inherit; left: 0px; line-height: inherit; margin: 0px; max-width: 100%; outline: 0px; padding: 0px; position: absolute; top: 0px; vertical-align: baseline;" vspace="0" width="770">O Movimento Independente União do TRC iniciou a convocação de todos os caminhoneiros, autônomos ou não, a aderirem o protesto iniciado na sexta-feira (13), que se estendeu durante todo o final de semana, acontece pelo quinto dia consecutivo nesta terça-feira (17). A manifestação visa por meio de uma paralisação nas rodovias do país, a aprovação do Projeto de Lei 528, idealizado pelos deputados Assis do Couto (PDT/PR) e Celso Maldaner (PMDB/SC), que viabiliza uma tabela para o Piso Mínimo de Frete. Projeto de Lei este que tem sofrido intensa procrastinação na tramitação e aprovação.O objetivo é interromper o tráfego nas rodovias, permitindo apenas a passagem de veículos de passeio, ambulâncias, ônibus e cargas vivas. Caminhões e carretas são retidosA Rota do Oeste constatou que caminhoneiros bloquearam cinco pontos no trecho sob concessão em Mato Grosso nesta manhã. Ao sul do Estado, os bloqueios parciais sobre pista duplicada permanecem na BR-364, saída de Rondonópolis para Cuiabá, no km 201 (sentido sul), km 206 (sentido sul) e km 209 (sentido norte). No km 593 da BR-163, o bloqueio é realizado apenas no sentido sul. O bloqueio do km 247 da BR-364, região de Juscimeira, foi iniciado por manifestantes ainda nessa segunda-feira (16). allowfullscreen="true" allowtransparency="true" frameborder="0" height="90" hspace="0" id="aswift_1" marginheight="0" marginwidth="0" name="aswift_1" scrolling="no" style="border-style: initial; border-width: 0px; font-family: inherit; font-stretch: inherit; font-style: inherit; font-variant: inherit; font-weight: inherit; left: 0px; line-height: inherit; margin: 0px; max-width: 100%; outline: 0px; padding: 0px; position: absolute; top: 0px; vertical-align: baseline;" vspace="0" width="770">Foram encerrados, na noite de ontem, os bloqueios que eram realizados nos kms 119 da BR-163, saída de Rondonópolis para Mato Grosso do Sul, às 20h40, e no km 601 da BR-163, região de Nova Mutum, às 23h.Não há registros de congestionamentos nos cinco locais.Como já vem sendo noticiado, o objetivo da manifestação é pressionar os deputados para que haja uma resposta urgente e favorável a reivindicação do setor. O protesto deverá acontecer de forma pacífica e ordeira em todo território nacional. De acordo com os idealizadores, o setor de transporte rodoviário exige uma tabela mínima que cubra os custos com o trabalho, não para lucratividade, mas para viabilizar a atividade, pois as próprias instituições e associações não estariam cumprindo com o objetivo de defender a classe, pelo contrário, estariam usando os caminhoneiros como ‘moeda de troca’ –  termo empregado no discurso dos manifestantes – portanto, medidas mais expressivas deveriam ser tomadas pelo setor que, neste momento, estaria pagando para trabalhar.O “Piso Mínimo de Frete”.O Projeto de Lei 528, idealizado pelos deputados Assis do Couto (PDT/PR) e Celso Maldaner (PMDB/SC) está paralisado nas comissões do Senado Federal.  Em seu texto, consta o chamado “Piso Mínimo de Frete”, que permite ao Governo Fed[...]



Tanqueiros podem aderir à greve dos caminhoneiros

2017-01-17T06:34:14.234-08:00

O manifesto dos caminhoneiros e empresários do setor do transporte graneleiro por uma melhor remuneração do frete chegou às regiões Médio-Norte e Norte de Mato Grosso e há perspectiva de que o movimento ganhe as estradas de outros Estados, como Minas Gerais, São Paulo e a região Sul do país nesta terça-feira, 17 de janeiro. Os novos bloqueios poderão ter, inclusive, a adesão dos caminhões tanques, o que deverá prejudicar o abastecimento de combustível nos postos e nas propriedades rurais.Segundo a Concessionária Rota do Oeste, por volta das 14h15 caminhoneiros e empresários do setor do transporte de cargas interromperam o trânsito de caminhões graneleiros em Nova Mutum no Km 593, na faixa sentido região Sul de Mato Grosso. Ainda no município houve por volta das 16h20 o fechamento do Km 601 nos dois sentidos da pista. No bloqueio estão autorizados passar ambulâncias, ônibus, veículos de passeio, carga perecível e caminhão-tanque.Na região de Matupá, conforme os manifestantes, a dois pontos de bloqueio na BR-163 no Portal do Amazonas. Um dos bloqueios ocorre entre Matupá e Peixoto de Azevedo, próximo ao Posto Trevão. Já o outro entre Matupá e Guarantã do Norte, nas proximidades da Amaggi. allowfullscreen="true" allowtransparency="true" frameborder="0" height="90" hspace="0" id="aswift_1" marginheight="0" marginwidth="0" name="aswift_1" scrolling="no" style="border-style: initial; border-width: 0px; font-family: inherit; font-stretch: inherit; font-style: inherit; font-variant: inherit; font-weight: inherit; left: 0px; line-height: inherit; margin: 0px; max-width: 100%; outline: 0px; padding: 0px; position: absolute; top: 0px; vertical-align: baseline;" vspace="0" width="770">O manifesto dos caminhoneiros teve início em Rondonópolis na sexta-feira, 13 de janeiro. O movimento realizado por caminhoneiros autônomos, empregados e empresários do transporte de cargas a granel é em prol de uma melhor remuneração para o frete.Hoje, a tonelada da soja entre Sorriso e Rondonópolis sai a cerca de R$ 80, por exemplo, enquanto de Sorriso para Paranaguá (PR) a aproximadamente R$ 200. Conforme o setor, tal valor pago não cobre os custos de operação, onde cerca de 50% dos gastos é apenas com combustível.O movimento visa chamar a atenção das tradings para uma conversa e assim chegar-se a um valor que atenda a categoria, enquanto o projeto de lei 528/2015 não é aprovado e sancionado. De acordo com os caminhoneiros e empresários, há rumores de conversas entre a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), tradings e o governo federal.A reportagem entrou em contato novamente com a Abiove na tarde desta segunda-feira, 16 de janeiro. A entidade, por meio de sua assessoria de imprensa, declarou que “não irá se manifestar” sobre possíveis negociações com o setor do transporte, bem como prejuízos, uma vez que contratos de exportação, inclusive, estão deixando de ser cumpridos já que os caminhões não estão chegando aos portos.Conforme o empresário e representante do Movimento dos Transportadores de Grãos (MTG), Gilson Baitaca, mais pontos de bloqueios com manifestos devem surgir no Brasil a partir desta terça-feira, 17 de janeiro. A perspectiva é que o movimento ganhe a adesão de outros segmentos do setor do transporte de cargas, como é o caso dos tanqueiros. Caso haja paralisação por parte dos caminhões tanques o abastecimento de combustível poderá ser afetado nos postos, bem como nas propriedades rurais vindo a atrasar [...]



Greve caminhoneiros em Rondonópolis - MT

2017-01-16T08:44:33.596-08:00

Caminhoneiros deflagram greve contra baixo valor do freteDesde a sexta-feira (13 de Janeiro), vários pontos de rodovias em MT estão com bloqueios parciais por conta de uma greve de caminhoneiros. Os caminhoneiros, liderados pelo Movimento dos Transportadores de Grãos, lutam pela melhora do valor do frete, defasado há vários anos, e também a redução do valor do diesel.Nos pontos de bloqueios só estão sendo parados caminhões graneleiros, e os motoristas são convidados a se juntarem ao movimento grevista. O primeiro ponto de paralisação ocorreu em Rondonópolis-MT, na BR-364. Agora há pelo menos seis pontos de paralisação, sendo na BR-364 em Rondonópolis, nos km km 119, na pista norte, km 201, na pista sul, no km 206, as duas pistas sentido sul (o trecho é duplicado), e no km 209, na pista norte, também na BR-163, entre Matupá e Peixoto de Azevedo-MT, e outro ponto entre Matupá e Guarantã do Norte-MT.Os caminhoneiros também começam a se mobilizar em outros estados do país, para aumentar o movimento grevista. No Paraná o Sinditac irá fazer uma reunião na tarde de hoje para saber se inicia protestos no estado. Diversos grupos nas redes sociais também servem como pontos de troca de informações entre os caminhoneiros, e com isso o movimento grevista deve engrossar nos próximos dias.No mês de dezembro, o projeto que cria a tabela de preços mínimos do frete teve a primeira aprovação na Câmara. Ainda falta aprovação final na Câmara, Senado e sanção presidencial. Esse é o principal ponto da greve, pois o projeto é de 2015 e estava engavetado até agora.Vale lembrar que um movimento grevista tímido tomou as estradas de todo o país em 2015, e o governo na época prometeu aprovar rapidamente diversas mudanças para o setor de transportes. Porém até o momento quase nada mudou na situação dos caminhoneiros, e as novas altas do diesel aliadas à defasagem do valor do frete compromete ainda mais o setor de transportes, que já está em “fase terminal”, conforme indicam números recentes.http://blogdocaminhoneiro.com/2017/01/caminhoneiros-deflagram-greve-contra-baixo-valor-do-frete/[...]



Transportando madeira...,

2013-10-25T10:41:41.124-07:00

Da mesma viagem, todos carregados de mogno - total 120m³Depois de 500 Km de atoleiros(22 dias de viagem)Enfim o asfaltoO valente Jacaré sempre puxando a fila.Negão, Maximino e o NeguinhoTangará da Serra-MTSó estrada boa Parada para o almoço..., chuva todo dia e calor de 40°*Serra de JuínaFloresta AmazônicaTrês Cavalos pra puxar uma carreta e assim tinhamos que fazer uma por uma - Um cavalo só não dava conta de puxar a carreta -, as vezes no meio da serra arrebentava um cabo, tinha que voltar e começar tudo de novo. Numa das rebocadas o 112 quebrou o cardã no meio da serra, tive que voltar de carona à Juína e pegar um avião para Cuiabá para comprar um cardã.Ficamos 5 dias nesse local.Juína - MTScânia 111S 1979Valente Velho Jacaré..., sem bico, cego e torto..., Carregado de mognoFloresta AmazônicaMT-170Juína - MTPreço do m³(Em torno de US$ 6.000) do Mogno(autentico da espécie amazônica - Swietenia Macrophylla King) o mais valioso, sem comparações com as espécies Equatoriana(Entandophragma), Africano(Khaya) ou ao Asiático(Naru Mohagany), que são espécies aparentadas de fibrose instável,com muito menor resistência e flexibilidade. Madeira nobre de alto luxo.[...]



Euro 5

2013-02-14T07:40:37.600-08:00

width="400" height="225" src="http://www.youtube.com/embed/JNzPcDw_T-E" frameborder="0" allowfullscreen>



Viagens pelo Brasil

2012-05-22T14:49:46.731-07:00

Madeireira - MTPonte de MadeiraFloresta Amazônica - MTBalsa Rio JuruenaBrasnorte - MTCompanhia Vale do Rio DoceEmbarcávamos os caminhões nos vagões da estrada de ferroCarajás/PA - São Luiz/MAMarabá-PAAlgum lugar entre Marabá/PA e Santa Inês/MACampo Novo dos Parecis - MT [...]



Pra viajar...,

2011-04-16T13:03:10.421-07:00

allowfullscreen="" frameborder="0" height="390" src="http://www.youtube.com/embed/ahNtUF04_9Y" title="YouTube video player" width="480">



Engenharia é isso...,

2010-09-19T12:14:16.927-07:00

(object) (embed)