Subscribe: Bonfim
http://bom-fim.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
bola  carvalhal  dos  edinho  equipa  grande  jogador  jogadores  jogar  jogo    mais  nos  não  ser  tem  vitória 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: Bonfim

Bonfim



Um blogue de vitorianos



Updated: 2018-03-06T10:40:40.641+00:00

 



Decisivo: ganhar ao Leixões e ao Estrela

2008-04-22T15:52:26.356+01:00

(image)
Para além da defesa, também o ataque tem sido um conjunto de múmias nos últimos jogos. Medo de arriscar, falta de empenho no relvado, pouco pulmão (compreensível) e pouca fibra (cansaço mental também). No entanto, um homem tem dado o exemplo: Cláudio Pitbull. Ele, que já se revelou muito mais disponível para voltar ao Porto ou sair para outro país do que ficar no Vitória, tem sido o que mais garra empresta ao Vitória. Corre, corre, corre, joga, passa, remata, finta. Não defende bem, mas persegue os jogadores adversários até estes soltarem a bola para outro. Mete medo às outras equipas, mas inspira os adeptos. Não percebo porque não pode inspirar o resto do plantel para estes jogos decisivos... Estrela da Amadora e Leixões são os próximos adversários do Vitória, em jogos decisivos para o futuro desportivo e financeiro da equipa.

A UEFA traz algum dinheiro, traz jogadores (olhem que o Braga não vai à Europa, lembrem-se disso) e traz esperança em chegar longe numa competição daquele nível. Cláudio Pitbull não tem interesse pessoal nisso, mas e os outros? Vamos apoiar a equipa, já que não é só de Taças que se vive. Só se pensa em golos, defender penáltis e erguer taças, mas é nos Vitória-Estrela e Vitória-Leixões que se «faz» um campeonato. Temo-lo feito esta época: vamos continuar o bom trabalho! Para que o jogo com o Benfica já só seja um jogo para... vá lá, brincar com o adversário? Espero que sim.



Defesa desconcentrada

2008-04-22T15:42:54.855+01:00

(image)
No entanto, um «puxão de orelhas» tem de ser dado à equipa que jogou ontem contra o Belenenses: que desconcentração... Uma estratégia falhada que jogar com a defesa em linha, que propiciou ataques completamente infantis do Belenenses, com situações de 3 para 1 em alguns casos, foi apenas a ponta do iceberg. O desaire começou logo nos primeiros minutos do jogo, quando os erros começaram a aparecer: falhas de intercepção da bola sem oposição (adalto), tentativas de toque de primeira na bola (Róbson) completamente desastrosas, falhas de marcação (Auri), etc, etc. Muito se poderia dizer de uma equipa que tem estado, defensivamente, na sua pior fase da época. O próprio Sandro, que tem sido um pilar do «músculo» (literalmente) do meio-campo vitoriano, tem sido uma nulidade no apoio ao eixo da defesa, e os jogos com o Porto foram exemplo flagrante disto, com Lucho González a surgir sempre isolado.

O problema destas falhas é que os jogadores que nós temos vindo a acompanhar desde o princípio da época são os mesmos, e são jogadores de grande classe. Talvez à excepção de Jorginho (que me parece o elo mais fraco do onze inicial, ainda que fosse titular em algumas das equipas da Primeira Liga), todos os outros elementos que compuseram o quarteto defensivo do Vitória têm sido imaculados. O descalabro parece ter começado mesmo no jogo fora com a Académica, com uma quebra de confiança tanto no jogo com bola como nos posicionamentos sem bola.

A rever o aspecto psicológico em campo, sobretudo agora que Carvalhal não pode estar presente no relvado, já que o Vitória não pode jogar só para os troféus. Ficar em 5º lugar ou, no mínimo, em 6º é um objectivo que não podemos deixar fugir agora que o temos na mão. Seria o nosso título principal de 2007/2008, garantir estes lugares e, consequentemente, a Europa.



É pena

2008-04-22T15:29:59.286+01:00

(image)
É pena que o Vitória, que tem uma das melhores épocas dos últimos anos e, talvez, a nível de expectativas, o melhor desempenho da Primeira Liga, se esteja a ir abaixo. As razões são muitas: cansaço, falta de alternativas no banco/profundidade do plantel (para rotatividade), desânimo provocado pela eliminação da Taça de Portugal e, enfim, a impossibilidade de chegar ao 2º lugar. Eu, ao contrário de muitos adeptos que têm insultado a equipa e, inclusivamente, insultado Carlos Costa quando o vitória perdeu com o Porto para a Taça (patetica demonstração de falta de cérebro das massas), não esqueço a época que estamos a fazer desde o início. O tabalho desenvolvido não se vê nos jogos do fim da época, vê-se ao longo de todo o ano, e é isso que muitos se têm esquecido. Grande Carvalhal, fica para o próximo ano! Esta será e nossa contratação mais importante, se o conseguirmos manter.



Vitória histórica

2008-03-23T14:47:31.311+00:00

(image)
Há vitórias sofridas, mas saborosas, como a da final da Taça da Liga.
A lotaria dos penáltis não sorriu apenas por sorte, mas por grande aplicação de um grande guarda-redes.
Ontem, Eduardo demonstrou porque deve ser um dos guardiães da Selecção Nacional e Carvalhal porque é um dos melhores treinadores nacionais da actualidade.
Caso para dizer, com poucos ovos têm sido feitas muitas e boas omeletas.
Vamos ver o que dará o Campeonato e a Taça de Portugal.
Para já, somos o grande vencedor da época.



À beira de fazer história

2008-03-22T16:46:39.149+00:00

(image)



Com a equipa na máxima força, a confiança no plantel que este ano ainda não perdeu com o Sporting é total.

Logo à noite, deseja-se que a tradição desta época se mantenha.



0 Comentários

2008-02-25T02:13:06.636+00:00

O Luís destaca, no post de baixo, o golão do Bruno Ribeiro. A quem devemos tirar o chapéu, mesmo sabendo que foi um 'pato' do Ruí Patrício. Foi um grande e imparável remate. Mas do jogo de ontem eu destacaria duas grandes exibições: Eduardo, na baliza, seguro e garante de tranquilidade (não é nenhuma piada ao Paulo Bento), e Robson, no meio-campo, sempre presente.
Com apenas 16 jogadores e sem duas pedras-chave (Matheus e Edinho), continuamos a provar que temos equipa e que equipa! Mérito de Carvalhal.
A saída de pedras-chave fizeram-se sentir em casa, com o Guimarães e a Naval, porém, a vitória em Braga devolveu a confiança à equipa.
Resta esperar que na quarta-feira, na Figueira da Foz, possamos vingar a derrota recente, num jogo em que nada jogámos.
Uma palavra final acerca do jovem Severino: temos avançado! Ainda a formar-se, mas bom!



O merecido aplauso a Bruno Ribeiro

2008-02-24T23:27:14.798+00:00

(image)
Um grande remate de Bruno Ribeiro deu a vitória ao VFC. Um remate forte, que o guarda-redes não deteve. Ingenuidade deste e falta de experiência: devia saber que dos pés deste veterano sadino coisas destas eram de esperar.
Recupero uma entrevista com quase 3 anos ao Setubalense:
O que mais o marcou na tarde da Final da Taça de Portugal?
B.R.: Em primeiro lugar, quero dizer que só quem esteve numa final e a ganhou é que pode sentir o que senti, o que sentimos.
Uma alegria enorme, sem palavras que a descrevem, e um orgulho muito grande pelo clube pelos adeptos que tem.
Foi isso que mais me marcou: ver que a cidade é enorme e que tem um grande amor ao Vitória.



Adeus e muito obrigado, Matheus.

2008-01-21T10:10:21.388+00:00

(image)



Nem aqueceu o banco

2008-01-13T15:35:43.185+00:00

Artur Jorge descartado como seleccionador do Irão

O homem nem pode treinar uma única vez?!



Carvalhal e Edinho

2008-01-11T12:12:20.852+00:00

(image)
Já agora, em relação a Edinho. Apesar das vagas críticas a Carlos Carvalhal que por aí aparecem, por não pôr o ponta-de-lança de início, eu acho que o homem tem feito um excelente trabalho na gestão do plantel. Edinho é um jogador que, quando entra mais tarde, com a tenacidade de quem se quer impôr e o fulgor de quem entra fresco num jogo esgotado de ideias, traz um perfume de futebol africano de inspiração brasileira (e toque de bola brasileiro) e de «dedicação ao golo» que encontra facilmente o seu espaço em campo. Edinho é uma lufada de ar fresco em todos os jogos do Vitória - entrar ao intervalo ou mesmo depois (em vez de alinhar de início com marcação cerrada) pode ser o golpe estratégico para ganhar um jogo. Apoio Carvalhal nisto.



Vitória 1970

2008-01-11T11:45:02.767+00:00

Existe uma faceta que me irrita nos adeptos de Porto, Benfica ou Sporting. E essa faceta é a «simpatia» pelo Vitória. É a simpatia caridosa, dos coitadinhos. A simpatia do vulgar mortal para com o aleijado. Mas aos poucos isto vai desaparecendo. Contra um Sporting muito adormecido (vê-los com a bola nos pés dava mesmo sono, como se estivesse a ver o Lost Highway do Lynch), o Vitória mostrou que não é aquela equipa muito gira e muito «simpática» que ganha de vez em quando aos «grandes». É uma equipa que deve ser temida, que põe excelentes jogadores com uma boa técnica individual a jogar em equipa. Aliás, sem querer entrar em exageros, o Vitória que humilhou o Sporting parecia por vezes o Brasil do Mundial de 1970. Faltou-nos, talvez, um Pelé para concretizar mais. Um 3-0 não seria muito afastado da realidade.

(image)



Vitória clara

2008-01-10T01:02:35.827+00:00

Grande exibição frente ao Sporting, que merecia mais do que 1-0, nesta primeira jornada da Taça da Liga.
O mérito é todo de Carvalhal, que soube transformar um grupo de pessoas num bom conjunto.



Edinho

2007-12-27T16:18:42.373+00:00

(image)

Quem não gosta do futebol de Edinho, não gosta de futebol. Mais até do que isso: eu diria que não percebe nada de futebol. Uma equipa sem um jogador como Edinho não é uma equipa que se preze, não tem ambição nem confiança.

As equipas com menos argumentos, ou seja, as equipas que são obrigadas a fechar-se mais na defesa contra os adversários, têm necessariamente de optar por jogadores mais rápidos na frente. Equipas como o nosso Vitória. Jogadores como o «nosso» Matheus. Mas a Vitória de 2007/2008 não é a equipa frágil e medrosa dos anos anteriores. Com o trabalho de Carvalhal, nasceu uma confiança que não era normal no Vitória. Uma confiança madura e profissional. Ganham-se jogos no início e aguenta-se o resultado com um grande profissionalismo. Mas isto já não se faz só no contra-ataque, não se faz só com Matheus. Faz-se, sobretudo, porque temos Edinho.

Com Edinho, o Vitória passou a revelar a confiança de quem joga ao ataque. De quem mostra ao adversário que tem a certeza de que a bola, mais tarde ou mais cedo, vai cair na área adversária e vai sobrar para a cabeça, pé, peito ou mão (obrigado, El Pibe, pelo que nos deste antes de te tornares um Estalinista convicto) de Edinho. Este é o nosso jogador que mostra, quando entra, que o Vitória não se vai fechar, mas sim jogar um futebol mais directo. A bola já pode chegar à área com mais leviandade, já se pode jogar para o golo, porque mesmo quando Edinho não toca na bola, está a fazer estragos. Ninguém deixa um jogador como ele à solta na área. Ou se marca o homem em cima, ou é o fim.

Jogar com Edinho, um jogador com um físico impressionante e uma técnica bem bonita de se ver no campo, é meio jogo ganho. Nos últimos anos, apenas Fábio (do tempo de Norton de Matos) tinha um papel aproximado, se bem que com eficácia mais reduzida e técnica mais limitada. Agora, pôr sempre Edinho a ponta-de-lança, com tudo o que nos pode dar, mas também com algum sacrifício da mobilidade e velocidade ofensivas, é algo que só as grandes equipas podem fazer.



O Vitória de 2007

2007-12-27T16:05:13.304+00:00

Neste momento, a jogar um futebol genial, com um campeonato quase perfeito (em resultados de facto) realizado pelo Vitória, fica a grande dúvida: como manter para o próximoano esta excelente equipa? Sei que, se só saísse um ou dois jogadores, nem precisávamos de contratar ninguém.



Vitória merecida

2007-11-01T12:44:51.106+00:00

Um conjunto, o mesmo objectivo, sem tricas nem problemas de anos anteriores.
Os resultados estão à vista.
Carvalhal merece o aplauso, por fazer da equipa 'mais barata' do campeonato nacional, um conjunto que joga bom futebol.
A vitória sobre o Benfica, por 2-1, demonstra que este ano podemos ir longe.
Bem sei que ainda não houve desaires e que eles irão aparecer. Porém, sabe sempre bem matar o incómodo que o ano passado causou, com alguns sonhos bem reais. As vitórias são como o algodão, não enganam.



UEFA anyone...?

2007-10-01T09:42:35.997+01:00

Pois, parece que, enfim...temos de nos preparar para dentro de meses ir a Alvalade ver mais uns jogos do Vitória na Taça UEFA.
Isto, porque com os pontos de avanço que o Porto já leva, o título nacional começa a ser um díficil objectivo.
Há que ser realista.



Por falar em penaltis

2007-09-29T23:54:26.060+01:00

Os dirigentes do Sporting têm falado, e muito, em penalis por assinalar. Pena que não refiram o penalti que ficou por marcar, no domingo passado, quando Mateus foi carregado em plena área do Sporting.



O nosso «caso Mateus»

2007-09-25T17:56:24.857+01:00

(image)
Já temos novo craque. Ele corre, ele finta, ele passa, ele remata, e (o mais importante de tudo) ele marca! Joga e faz jogar. Obriga os colegas em campo a lembrarem-se de que são os noventa minutos em campo que fazem o jogador e o resultado, e não os salários e a conta do clube. Matheus chegou para mudar completamente o estilo de jogo e a estratégia do Vitória. O nosso próprio «caso Mateus» é este: para quê jogar para o empate se temos Matheus na frente de ataque?



Bebedeira de ambição

2007-09-25T17:50:43.892+01:00

Caros adeptos e conterrâneos, que tal mudarmos os objectivos desta época?

(image)



Começar bem

2007-08-19T11:16:21.206+01:00

Depois do bom ensaio oficial, na semana passada, com a vitória em Gondomar para a Taça da Liga, nada melhor do que começar o campeonato num terreno difícil para qualquer equipa e apresentar, ou não, as credenciais para a temporada que arranca.
Parece-me haver, este ano, mais conjunto do que o ano passado.



O know how de Boris Johnson

2007-08-11T17:18:58.148+01:00

Boris Johnson numa aula de relacionamento diplomático com a Alemanha.



Ei-los que chegam...

2007-07-17T12:25:48.669+01:00

Será que alguém lhes explicou a situação financeira do clube?
Se sim, que terá de especial o Bonfim para que continue a atrair jogadores?
Duas hipóteses explicativas.
Para uns, a possibilidade de se mostrarem. Para outros, a possibilidade de continuarem a jogar como profissionais (quando outros clubes, com outros orçamentos, se começam a esquecer deles).
Via RSO:
Carlos Carvalhal, treinador do Vitória, já pode respirar de alívio. A equipa partiu ontem para o estágio de pré-época, na Quinta do Pinheiro, Nazaré, com mais dois reforços no sector ofensivo, aquele que se encontra (ainda) mais debilitado.

O português Edinho, ex-Gil Vicente, e o brasileiro Leandro, ex-Juventus de Santa Catarina, foram ontem ao final da manhã apresentados por Carlos Costa, presidente da Comissão de Gestão, como dois atletas «muito bem referenciados». O dirigente lembrou que em ambos os casos foram rubricados contratos de dois anos e que, tanto Edinho como Leandro, são aquisições que foram efectuadas numa «perspectiva de investimento».



A «hipótese Condesso»

2007-07-15T12:05:58.285+01:00

(image)

Ao contrário de Zequinha, um bom jogador que poderia reforçar o Vitória seria Feliciano Condesso, que também esteve presente no festival de desilusão de José Couceiro. Força, calma, potencial físico e técnico, pouca propensão para fintas mirabolantes (fintas estas que, no entanto, gostei de ver em Fábio Coentrão). Aparente humildade. Para além de tudo isto, o melhor é que veríamos voltar ao clube - certamente emprestado, no entanto - um jogador que deu os primeiros passos neste clube. Talvez por ser o Vitória, podia ser que Condesso ficasse sentimental e forçasse o seu clube a deixá-lo rodar, e jogar, cá. Uma hipótese a ver, na minha opinião.



Zeca

2007-07-15T12:00:11.934+01:00

Um cartão vermelho foi roubado. Um crime? Um acto de loucura? Uma partida? Não, foi simplesmente uma amostra de todo o potencial para ser um verdadeiro jogador de topo do ex-júnior do Vitória, que figurou no ataque da selecção portuguesa de sub-20 nas últimas semanas: Zequinha. Foi a finta especial de Zequinha. Ah, que belo nome, Zequinha, três sílabas de puro prazer. Nunca foi tão giro a um comentador dizer o nome de um jogador como se diz o de Zequinha. Parece mentira um ponta-de-lança chamar-se assim. Poderia ser jogador do Botafogo. Poderia ser avançado da «Canarinha». Mas não é. E, pelo que vi nos jogos de sub-20, nunca será. Será, provavelmente, o Zequinha dos Cartões Vermelhos, hipotético João Pinto dos Árbitros num futuro próximo. Mas nunca o Zequinha jogador que o Zequinha miúdo quis ser.



Será a perspectiva de salários pagos a tempos e horas que os atrai?

2007-07-10T17:04:40.849+01:00

Via RSO:
Paulinho, o mais recente reforço do Vitória de Setúbal, realizou ontem de manhã o primeiro treino com a equipa e foi um dos elementos que mais sobressaiu na sessão orientada por Carlos Carvalhal. Um golo de belo efeito, apontado com um remate forte com o pé esquerdo, captou a atenção dos adeptos que assistiram ao apronto.

O defesa brasileiro, que faz todo o flanco direito, é oriundo do Sport Recife e rubricou com os sadinos um contrato válido por duas temporadas e mais duas de opção. O atleta, de 23 anos, não escondeu ambição na hora de traçar os objectivos. «Vim para cá para jogar e vou trabalhar bastante para convencer o treinador das minhas qualidades e ajudar a equipa», assegurou ontem ao final da manhã, durante a apresentação.