Subscribe: o canto do melro
http://cantodomelro.blogspot.com/feeds/posts/default
Added By: Feedage Forager Feedage Grade B rated
Language:
Tags:
baía angra  das  dos  filhos  foi  geração  governo    lhes  mais  nos  não  pais  país  rasca  seus  são  tudo 
Rate this Feed
Rate this feedRate this feedRate this feedRate this feedRate this feed
Rate this feed 1 starRate this feed 2 starRate this feed 3 starRate this feed 4 starRate this feed 5 star

Comments (0)

Feed Details and Statistics Feed Statistics
Preview: o canto do melro

o canto do melro



num canto de palavras cheias de tudo...



Updated: 2018-03-06T19:50:15.232+00:00

 



0 Comentários

2015-07-30T12:26:33.903+01:00




"Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros.
As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali.
Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas.
Nunca dizem "Despacha-te!".
Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos.
Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior.
As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes.
Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes.
As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo.
Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver televisão!»



(Texto escrito por uma menina de 8 anos, publicado no Jornal do Cartaxo)





voltar para casa outra vez...

2015-07-30T12:25:01.763+01:00


"... há sítios de onde nós todos vimos - sítios vulgares, mas profundamente enraízados em nós - que fazem de nós o que somos. e nós desdenhamos deles e tratamo-los com ligeireza, com perigo para nós. voltamo-lhes as costas, correndo o risco de nos desprezarmos a nós mesmos. há uma sensação de necessidade de voltar para casa outra vez - e podemos voltar. não para recuperarmos as nossas terras. mas para santificar a recordação."


Robert Fulghum, in "tudo o que devia saber na vida aprendi no jardim de infância"





Porque silenciam a ISLÂNDIA?

2012-09-10T03:56:25.935+01:00

Não é da minha autoria mas subscrevo por inteiro. E que fique o exemplo daquilo que os Portugueses deveriam fazer...Porque silenciam a ISLÂNDIA?Estamos neste estado lamentável por causa da corrupção interna - pública e privada com incidência no sector bancário - e pelos juros usurários que a Banca Europeia nos cobra.Sócrates foi dizer à Sra. Merkle - a chanceler do Euro - que já tínhamos tapado os buracos das fraudes e que, se fosse preciso, nos punha a pão e água para pagar os juros ao valor que ela quisesse.Por isso, acho que era altura de falar na Islândia, na forma como este país deu a volta à bancarrota, e porque não interessa a certa gente que se fale dele)Não é impunemente que não se fala da Islândia (o primeiro país a ir à bancarrota com a crise financeira) e na forma como este pequeno país perdido no meio do mar, deu a volta à crise.Ao poder económico mundial, e especialmente o Europeu, tão proteccionista do sector bancário, não interessa dar notícias de quem lhes bateu o pé e não alinhou nas imposições usurárias que o FMI lhe impôs para a ajudar.Em 2007 a Islândia entrou na bancarrota por causa do seu endividamento excessivo e pela falência do seu maior Banco que, como todos os outros, se afogou num oceano de crédito mal parado. Exactamente os mesmo motivos que tombaram com a Grécia, a Irlanda e Portugal.A Islândia é uma ilha isolada com cerca de 320 mil habitantes, e que durante muitos anos viveu acima das suas possibilidades graças a estas "macaquices" bancárias, e que a guindaram falaciosamente ao 13º no ranking dos países com melhor nível de vida (numa altura em que Portugal detinha o 40º lugar).País novo, ainda não integrado na UE, independente desde 1944, foi desde então governado pelo Partido Progressista (PP), que se perpetuou no Poder até levar o país à miséria.Aflito pelas consequências da corrupção com que durante muitos anos conviveu, o PP tratou de correr ao FMI em busca de ajuda. Claro que a usura deste organismo não teve comiseração, e a tal "ajuda" ir-se-ia traduzir em empréstimos a juros elevadíssimos (começariam nos 5,5% e daí para cima), que, feitas as contas por alto, se traduziam num empenhamento das famílias islandesas por 30 anos, durante os quais teriam de pagar uma média de 350 Euros / mês ao FMI. Parte desta ajuda seria para "tapar" o buraco do principal Banco islandês.Perante tal situação, o país mexeu-se, apareceram movimentos cívicos despojados dos velhos políticos corruptos, com uma ideia base muito simples: os custos das falências bancárias não poderiam ser pagos pelos cidadãos, mas sim pelos accionistas dos Bancos e seus credores. E todos aqueles que assumiram investimentos financeiros de risco deviam agora aguentar com os seus próprios prejuízos.O descontentamento foi tal que o Governo foi obrigado a efectuar um referendo, tendo os islandeses, com uma maioria de 93%, recusado a assumir os custos da má gestão bancária e a pactuar com as imposições avaras do FMI.Num instante, os movimentos cívicos forçaram a queda do Governo e a realização de novas eleições.Foi assim que em 25 de Abril (esta data tem mística) de 2009, a Islândia foi a eleições e recusou votar em partidos que albergassem a velha, caduca e corrupta classe política que os tinha levado àquele estado de penúria. Um partido renovado (Aliança Social Democrata) ganhou as eleições, e conjuntamente com o Movimento Verde de Esquerda, formaram uma coligação que lhes garantiu 34 dos 63 deputados da Assembleia). O partido do poder (PP) perdeu em toda a linha.Daqui saiu um Governo totalmente renovado, com um programa muito objectivo: aprovar uma nova Constituição, acabar com a economia especulativa em favor de outra produtiva e exportadora, e tratar de ingressar na UE e no Euro logo que o país estivesse em condições de o fazer, pois numa fase daquelas, ter moeda própria (coroa finlandesa) e ter o poder de a desvalorizar para implementar as exportações, era fundam[...]



para produzir um rico

2012-09-09T05:14:50.379+01:00






fica-nos o sangue de todos os sacrifícios

2012-09-09T05:05:04.826+01:00



e um dia destes também temos de tirar a esfera armilar pois perdemos todas as nossas conquistas e já não damos novos mundos ao mundo, o escudo porque já não se usa, os castelos também pois já não temos reis e as quinas vão para a troika da mesma forma que judas vendeu jesus... fica-nos o sangue de todos os sacrifícios



a minha vitória nestas eleições foi...

2015-07-30T12:26:11.765+01:00


principalmente ter o meu nome gritado a plenos pulmões a ouvir-se pela rua toda, os deliciosos bracinhos da mafaldinha ao redor do meu pescoço num apertado abraço de saudade, beijos carinhosos uns leves outros daqueles esborrachados nas minhas bochechas, pequenos dedinhos a tirar-me o cabelo dos olhos e um olhar atento como que a dizer 'és mesmo tu tia g.', 'tenho saudades tuas há tanto tempo que não te via', de ter as minhas unhas [e dedos] pintados pela mafalda, de me segurar o queixo e dar-me colheres de arroz como lhe costumamos fazer, de a ouvir cantarolar



o Estado... de Eça

2011-10-25T15:45:37.425+01:00


“Diz-se geralmente que, em Portugal, o público tem ideia de que o Governo deve fazer tudo, pensar em tudo, iniciar tudo: tira-se daqui a conclusão que somos um povo sem poderes iniciadores, bons para ser tutelados, indignos de uma larga liberdade, e inaptos para a independência. A nossa pobreza relativa é atribuída a este hábito político e social de depender para tudo do Governo, e de volver constantemente as mãos e os olhos para ele como para uma Providência sempre presente.”


In “Citações e Pensamentos” de Eça de Queirós



geração à rasca??... precisamos de lucidez!!

2011-03-21T23:40:02.458+00:00

Autor: Assobio in Blog "Assobio Rebelde"Existe uma geração à rasca? Existe mais do que uma! Certamente!Está à rasca a geração dos pais que educaram os seus meninos numa abastança caprichosa, protegendo-os de dificuldades e escondendo-lhes as agruras da vida.Está à rasca a geração dos filhos que nunca foram ensinados a lidar com frustrações.A ironia de tudo isto é que os jovens que agora se dizem (e também estão) à rasca são os que mais tiveram tudo.Nunca nenhuma geração foi, como esta, tão privilegiada na sua infância e na sua adolescência. E nunca a sociedade exigiu tão pouco aos seus jovens como lhes tem sido exigido nos últimos anos.Deslumbradas com a melhoria significativa das condições de vida, a minha geração e as seguintes (actualmente entre os 30 e os 50 anos) vingaram-se das dificuldades em que foram criadas, no antes ou no pós 1974, e quiseram dar aos seus filhos o melhor.Ansiosos por sublimar as suas próprias frustrações, os pais investiram nos seus descendentes: proporcionaram-lhes os estudos que fazem deles a geração mais qualificada de sempre (já lá vamos...), mas também lhes deram uma vida desafogada, mimos, entradas nos locais de diversão, cartas de condução e 1º automóvel, depósitos de combustível, dinheiro no bolso. Mesmo quando as expectativas de primeiro emprego saíram goradas, a família continuou presente, a garantir aos filhos cama, mesa e roupa lavada.Durante anos, acreditaram estes pais e estas mães estar a fazer o melhor; o dinheiro ia chegando para comprar (quase) tudo, quantas vezes em substituição de princípios e de uma educação para a qual não havia tempo, já que ele era todo para o trabalho, garante do ordenado com que se compra (quase) tudo. E éramos (quase) todos felizes.Depois, veio a crise, o aumento do custo de vida, o desemprego, ... A vaquinha emagreceu, secou.Foi então que os pais ficaram à rasca.Os pais à rasca não vão a um concerto, mas os seus rebentos enchem Pavilhões Atlânticos e festivais de música, bares e discotecas onde não se entra à borla nem se consome fiado.Os pais à rasca deixaram de ir ao restaurante, para poderem continuar a pagar restaurante aos filhos, num país onde uma festa de aniversário de adolescente que se preza é no restaurante e vedada a pais.São pais que contam os cêntimos para pagar à rasca as contas da água e da luz e do resto, e que abdicam dos seus pequenos prazeres para que os filhos não prescindam da internet de banda larga a alta velocidade, nem dos qualquer_coisa_phones ou i_pads, sempre de última geração.São estes pais mesmo à rasca, que já não aguentam, que começam a ter de dizer "não". É um "não" que nunca ensinaram os filhos a ouvir, e que por isso eles não suportam, nem compreendem, porque eles têm direitos, porque eles têm necessidades, porque eles têm expectativas, porque lhes disseram que eles são muito bons e eles querem, e querem, querem o que já ninguém lhes pode dar!A sociedade colhe assim hoje os frutos do que semeou durante pelo menos duas décadas.Eis agora uma geração de pais impotentes e frustrados.Eis agora uma geração jovem altamente qualificada, que andou muito por escolas e universidades mas que estudou pouco e que aprendeu e sabe na proporção do que estudou. Uma geração que colecciona diplomas com que o país lhes alimenta o ego, mas que são uma ilusão, pois correspondem a pouco conhecimento e a duvidosa capacidade operacional.Eis uma geração que vai a toda a parte, mas que não sabe estar em sítio nenhum. Uma geração que tem acesso a informação sem que isso signifique que é informada; uma geração dotada de trôpegas competências de leitura e interpretação da realidade em que se insere.Eis uma geração habituada a comunicar por abreviaturas e frustrada por não poder abreviar do mesmo modo o caminho para o sucesso. Uma gera[...]



Não ao Cais de Cruzeiros na Baía de Angra do Heroísmo

2011-01-29T05:15:46.006+00:00




participa juntamente com os teus amigos no grupo aberto do Facebook
Não ao Cais de Cruzeiros na Baía de Angra do Heroísmo



"A baía de Angra do Heroísmo é, do Mundo, a que maior densidade de naufrágios históricos apresenta - nela se encontram mais de noventa navios naufragados, desde caravelas portuguesas até vapores brasileiros, passando por galeões espanhóis e naus da Carreira da Índia portuguesa. Estes naufrágios estão protegidos por várias leis, desde a Convenção da UNESCO que Portugal ratificou em 2008 até às mais variadas leis nacionais e regionais - a baía está classificada como Parque Arqueológico subaquático, onde é proibido construir o que seja. Não obstante isto e não contente com o estrago que a construção da Marina de Angra causou já a este património único no Mundo, o Governo Regional dos Açores quer agora construir ainda mais outro mamarracho nesta acanhada baía: um cais Terminal de Cruzeiros. Ao arrepio da democracia participativa e, pior, ao arrepio de toda a legislação de protecçção ao património cultural subaquático vigente, incluindo a que ele próprio aprovou, o Presidente do Governo Regional escolheu a baía de Angra como alvo de mais uma betonagem. Escolheu-a como opção política, sem que houvessem quaisquer estudos de impacte ambiental feitos, sem que estivessem em cima da mesa quaisquer outras opções em discussão. E, o mais grave disto é que,em total desconformidade com os princípios da economia, da eficiência e da eficácia, jaz às moscas e a menos de 20 km de distância, o Porto Oceânico da Praia da Vitória - o local ideal para construir o Terminal de Cruzeiros da Ilha Terceira! Concluindo, a construção de um cais desta natureza na baía de Angra mais não é do que um capricho do Governo, que este agora quer legitimar ordenando a elaboração, a posteriori) de um estudo de impacte ambiental. É um atentado ao património, um assassinato da legalidade, uma infracção às regras comunitárias e um descaso à UNESCO e aos cidadãos - açorianos, continentais e estrangeiros - que preferem o peso e o legado da história ao perfume da modernidade bacoca do betão."

Alexandre Monteiro
Arqueólogo Subaquático



paixão...

2010-05-11T03:21:55.634+01:00





1.
quando uma montanha se apaixona tudo pode acontecer...
começar aos saltos ou então ficar para ali deitada
a olhar as nuvens. convém por isso não a escalar nesses
dias e sobretudo não beber da água das suas nascentes.

2.
as montanhas apaixonam-se com frequência. vestem-se
de branco. de verde ou de azul. por vezes abrem as
pálpebras. e a lava da sua paixão corre-lhe pelas faldas.

jorge de sousa braga, in "o poeta nu"






0 Comentários

2010-04-20T03:13:45.548+01:00


(image)


A erva da fortuna cresce como por encanto nas orelhas
dos políticos, o primeiro ministro proclama a amnistia
para os cucos dos relógios, o degelo nas relações inter-
nacionais restabelece o nível das águas nas albufeiras,
o ministro da energia esfrega as mãos de contente.
Embora o boletim meteorológico seja controlado pelo
governo, nuvens cor de chumbo toldam frequentemente
o horizonte, os pescadores de águas turvas procuram o
alto mar, uma chuva de impostos cai de imprevisto ah
a chuva na primavera, escrevem os poetas.

As andorinhas podem passar livremente a fronteira. Os
polícias oferecem grinaldas aos condutores de veículos
mal estacionados. O cio invade a assembleia. Os depu-
tados bombardeiam-se com pólen. Um nostálgico do
outono argumenta: a primavera de Praga também foi
de lagartas nas estradas.



Jorge Sousa Braga in "O Poeta Nu", Fenda.






Rachel Corrie...

2010-03-16T05:09:27.899+00:00



10.Abril.1979 – 16.Março.2003


(object) (embed)


(object) (embed)


I’m here for other children.
I’m here because I care.
I’m here because children everywhere are suffering and because forty thousand people die each day from hunger.
I’m here because those people are mostly children.
We have got to understand that the poor are all around us and we are ignoring them.
We have got to understand that these deaths are preventable.
We have got to understand that people in third world countries think and care and smile and cry just like us.
We have got to understand that they dream our dreams and we dream theirs.
We have got to understand that they are us. We are them.
My dream is to stop hunger by the year 2000.
My dream is to give the poor a chance.
My dream is to save the 40,000 people who die each day.
My dream can and will come true if we all look into the future and see the light that shines there.
If we ignore hunger, that light will go out.
If we all help and work together, it will grow and burn free with the potential of tomorrow.

—Rachel Corrie, aged ten, recorded at her school’s Fifth Grade Press Conference on World Hunger



bocados de mim...

2010-02-19T20:29:58.261+00:00

já sabia que o que unia os elos da minha coluna às costelas eram colchetes...

(image)

fiquei a saber que um dia serei assim...

(image)

mas estou indecisa se o meu melhor lado é este perfil adunco...

(image)

ou esta metade de mim!!

(image)



a sorte protege os audazes...

2010-01-19T12:55:03.043+00:00


"a Pátria honrae que a Pátria vos contempla"


ao final da manhã, vai levantar âncora e zarpar na sua 3ª viagem à volta ao mundo...
e eu fico pra aqui a sonhar e a desejar-lhes bons ventos e boas marés












(image)


tempo de navegação: 240d - 14h - (5774 h) - 71%
tempo terra:  97d  11h . 2339km . 29%
tempo total de viagem: 338d - 1h - 8113 - 11,267 M
distância total (NM/Dt): 35.710 - 1,65
velocidade média: 6,2





brincadeiras...

2010-01-08T23:10:41.386+00:00

 
m: mamã tu és a minha filha está bem?
f: sim filha
m: não mamã eu é que sou a mãe e tu és a filha
f: ai... desculpa "mamã"
m: [toda consolada] pronto filhinha toma o teu leitinho



sonho...

2010-01-08T22:50:42.715+00:00


(image)

"...tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim."


Sophia de Mello Breyner Andresen



ary...

2010-01-05T13:56:59.357+00:00


e a sua poesia na voz do luís machado acompanhado ao piano pela inês rodrigues correia
este sábado, nos jerónimos...


encontrei aqui

(image)
no blog da inês






2010...

2010-01-03T03:18:42.271+00:00


os ponteiros continuam a rodar e mais um ano que ficou para trás, o saldo é positivo porque estou viva [pelo abandono a que este canto foi sujeito não parece mas é verdade] e rodeada das pessoas que me são queridas, com umas mazelas por aqui e por ali, felizmente com muito trabalho, a precisar de dias com 48 horas e acho que me faltariam horas.

o único senão foi ter terminado e começado um novo ano sem voz [novamente] o que me obriga a um silêncio enervante. já pensei em aprender linguagem gestual mas não me adiantaria de nada porque ficaria sem poder comunicar com seres falantes, não compreendemos nem fazemos um esforço em aprender a fala sem som e depois acho que nunca teria a agilidade de dedos para fazer tantos gestos e tão rápidos. só me resta esperar que o especialista [agora ando mesmo preocupada porque passou do rouco bagaço (digo eu os amigos dizem que é sexy) para o inaudível] descubra a razão desta falha.

só me resta continuar nos meus votos forçados de silêncio e desejar a todos que 2010 seja um ano pleno de saúde, trabalho, amor e todas essas coisas que nos ajudam a viver muitos momentos de felicidade, que se realizem todos os projectos profissionais, que se tirem da gaveta projectos arrojados com visão e futuro, para que os sonhos pessoais também possam alcançar a plenitude.





infidelidades...

2009-11-24T22:03:19.498+00:00


quem sofre são sempre as crianças...

(image)
(enviada por email)





saudades...

2009-11-16T02:42:52.351+00:00


hoje, ao final da manhã, ela choramingava,
tinha saudades, queria os mimos da tia g...
(image)

"o amor é como a arte:
para sobreviver tem de ser genuíno,
existir por si só,
sem temer o desprezo e a rejeição,
e sem nunca precisar de um aplauso"

ann henning jocelyn, in linhas mestras






GoGirl...

2009-11-09T01:44:08.737+00:00


a mafaldinha é muito precoce, muito decidida e muito assertiva para os dois anos e meio que já tem. depois de me cantar ao telefone a canção do pinheirinho, que aprendeu nesse dia no colégio para as festividades que se aproximam, conversamos um pouco até ela se interessar mais pelo filme que queria ver.


tia g: que linda a minha princesa já sabe uma canção de natal
mafalda: sim, é o pinheirinho
tia g: o que queres que o pai natal te dê no natal
mafalda: quero um bebé
tia g: um bébé para fazer companhia aos teus outros bébés?
mafalda: sim
tia g: e que mais queres?
mafalda: uma pilinha
tia g: uma pilinha? [abismada e espantada com a resposta]
mafalda: sim uma pilinha
tia g: e para que queres tu uma pilinha?
mafalda: [muito despachada] para fazer xixi de pé
mafalda: xau beijinho vou ver a pantera


e lá fiquei eu boquiaberta não sem concordar com ela que às vezes dá um jeito tremendo ser gajo mas... contento-me com o que tenho. a mãe lá me explicou que há 2 meses mais ou menos ela veio com essa conversa de querer uma pilinha mas nem deram importância a ver se esquecia o assunto pelos vistos não, o desejo continua bem firme.

como a tia gosta de satisfazer os desejos da menina já lhe encontrou uma "pilinha" para lhe resolver o problema... mas acho que tem de crescer um pouco mais para que se adapte.


Go GoGirl!! aqui está a tua pilinha!!
(image)

caso um dia ela queira ser militar e estar na frente de combate também não dará nas vistas... estará camuflada!!
(image)



africa...

2009-10-13T06:13:10.838+01:00


andava eu na net à procura dela e encontrei isto...

(object) (embed)

uma "africa" ali para os lado de Ljubljana.
este coral misto esloveno os "Perpetuum Jazzile" são fenomenais. já me tinham enviado por mail a parte da chuva que me fez recordar chuva africana.

fones colocados, som bem alto, pouca luz, olhos fechados e a música faz-me sentir a chuva mesmo ali... a cair em cima de mim [e não, não estava noite de chuva ou tempestade, soprava uma brisa amena com sabor a mar]

afinal... a perfeição existe!!





de pequenino...

2009-10-13T12:55:14.761+01:00


ligar
(image)

enquadrar
(image)

disparar
(image)


acho que consegui viciar a minha sobrinha em imagens. tem quase 2 anos e 5 meses mas desde cedo começou a mexer em tudo o que era tecnológico, telemóveis, os vários comandos que existem lá por casa e é escusado que ninguém a engana com os comandos porque ela sabe bem o que pertence a quê.
sempre que estou com ela tiro-lhe imensassss fotos, mal tiro uma oiço logo a vozinha dela a pedir para ver e lá vai vendo e deixando tirar mas também quer ser ela a tirar. juntamente com os álbuns que lhe faço guardo em paralelo os álbuns das fotos que ela tira para que um dia veja as suas obras de arte, nada é apagado do cartão de memória. as primas da mãe, que a vão vendo de vez em quando, outro dia ficaram espantadas ao vê-la ligar a máquina, enquadrar, tirar a foto, desligar e entregar a máquina com a maior das naturalidades.

como é que eu não me podia ser uma tia babadíssima por ver que a pimpolha aprende num instante tudo o que lhe ensinam??





parabéns a você...

2009-09-30T02:54:02.215+01:00


mafaldinha pelos teus 45 anos...
(image)


tenhas tudo de bom,
tenhas muita saúde
e amigos também!!






façam o favor de ser feliz...

2009-08-10T15:00:39.790+01:00


(image)
foto de: rui gageira, tv guia

malandrice...
hoje a vida pregou-nos uma grande malandrice e fez com que o fiozinho que prendia o enorme coração deste Senhor se partisse. agora ele foi descansar, nós agradecemos-lhe a riqueza que nos deixou e em sua honra vamos fazer o favor de sermos felizes!!


(embed)

"eu vim aqui apenas para me despedir...
eu não resisti a vir aqui dar um abraço e agradecer à sic...
agradecer às pessoas...
e dizer-lhes que me vou embora já porque a minha vida foi uma vida muito louca e dura mas saborosíssima, muito saborosa e com esta agitação toda o meu coração está preso por um fiozinho portanto deixem-me ir descansar...
raul solnado [19.10.1929-08.08.2009]"



(image)
foto de: rui m. leal

"há pessoas na vida que nos marcam de uma maneira estrondosa... e fazem milagres com a nossa pessoa o meu avô é uma pessoa dessas...
ele costuma dizer uma frase que acho linda, linda, linda, que é "ao longa da vida devemos deixar um rasto de luz por onde passamos" é isso o que tento fazer todos os dias, em minha honra, em sua honra em nossa honra"
joana solnado